sábado, 23 de fevereiro de 2013

Malditos SPAMS!


Não sei se é porque o blog está com um volume grande de visitas, mas de uns tempos pra cá tenho recebido vários spams (todos em inglês) que incomodam bastante e confundem os comentários.
Reconfigurei a postagem de comentários para tentar filtrar essa praga.


domingo, 3 de fevereiro de 2013

Ponte de Stratocaster: entrando nos detalhes.


         Há muito tempo estava pensando em postar sobre pontes de guitarra. Como são construídas, como funcionam e principalmente como influenciam no timbre. Recentemente meu grande amigo Oscar Isaka Jr. publicou no seu blog uma extensa revisão sobre pontes, dividida em 3 posts. Dado o conhecimento do Júnior, seria redundância fazer um post novo, então simplesmente invadi o seu blog e roubei os posts. :)

Os dois primeiros posts do Jr., um sobre as Tune-o-Matic e o outro sobre pontes de Telecaster são fantásticos e muito esclarecedores. Recomendo veementemente a leitura.

O terceiro da série, que vou colocar como primeiro aqui, é talvez o mais interessante porque o pessoal sempre faz muitas perguntas sobre pontes de strato.

Segue então o post do Oscar, com algumas pequenas edições e modificações que acrescentei. No final, usei os áudios comparativos que ele fez e coloquei-os num vídeo no YouTube - é mais fácil acessar do que o 4Shared.

Oscar Isaka Jr. :

         ...Vamos falar da criação mais famosa (e talvez a melhor) de Leo Fender, a Stratocaster. Sem dúvidas a ponte tremolo da Strato é a mais complexa das abordadas até agora. Tem mais partes, requer mais precisão da regulagem e sem dúvida a que contém mais variantes no mundo guitarrístico moderno com vários modelos desde o vintage original até modelos mais modernosos como os Wilkinson VS100 - considero que até a Floyd Rose foi concebida a partir do design inicial da ponte da Strato.


          Falando do que interessa que é o timbre, a ponte da Strato tradicional é composta por basicamente 3 partes chave que são os saddles (carrinhos), o bloco e o plate/placa (onde são fixados os saddles e o bloco). Todos esses três fatores influenciam no timbre de madeira direta ou indireta e contribuem para o resultado final do som, podendo ser modificados de acordo com o que se procura de resultados. Os saddles e o bloco são os mais comuns e fáceis de modificar com resultados mais audíveis. O plate depende mais da qualidade inicial da ponte e eu diria que é a parte que menos influi, mas discutiremos isso abaixo.



Saddles (Carrinhos)

         Os saddles originais da Fender dos anos 50 eram feitos de Aço (Cold Rolled Steel) e produzem um som com ataque rápido, "punch" e um certo brilho que se tornaram característicos da Strato clássica e equipava a Stratocaster até perto dos anos 70. Com a CBS atuando para reduzir custos, e consequentemente o início do "período negro" da Fender nos anos 70, as pontes começaram a ser produzidas com materiais que permitissem uma produção com custo reduzido. Esse material é uma liga metálica conhecida popularmente como ZINCO, mas que possui várias nomenclaturas e composições. No final das contas esse material é incrivelmente fácil de manipular, pois em sua forma liquida é possível usar moldes e fabricar centenas ao mesmo tempo, mas o resultado é um metal que não tem a mesma rigidez mecânica do aço. Com o aço, é preciso usinagem e manipulação manual o que torna o processo todo mais caro o que explica a opção da CBS nesse período. Já nos anos 80, a Fender começou a usar uma liga a base de alumínio como outro material nos saddles, mas eu nunca entendi realmente a razão oficial, porém acredito que seja pelo fato dessa liga ser mais fácil de manipular que o aço e não comprometa tanto a sonoridade quanto o zinco.

         Mas, qual a sonoridade associada a cada material? É difícil colocar em palavras características sonoras de tunagens pontuais pois normalmente é uma soma dos fatores que fazem mais diferença no timbre final, mas é importante ter uma idéia do efeito que elas geram para que possamos buscar nossas necessidades. Vou tentar descrever um pouco baseado nas experiências que eu tive com os 3 tipos de materiais descritos, lembrando que dependendo dos outros componentes da guitarra (madeiras, cordas, bloco e etc) podem haver variações.

  • Saddles de Aço são os mais rígidos mecanicamente e possuem teoricamente as melhores propriedades físicas para transmissão de vibrações de corda. Os graves ficam firmes e os médios ganham definição e corpo com agudos presentes que não soam estridentes. Numa guitarra de Alder parece ser o casamento perfeito e singles soam com punch e resposta rápida ao toque com o estalo definido de uma boa Stratocaster.  São realmente os meus preferidos para Strato.

    • Saddles de Liga de Alumínio tem graves um pouco mais soltos e médios mais retraídos em relação ao Aço com um pouco mais "ar" no timbre. Essa leve atenuação do ataque pode ser interpretada como mais agudos, o que não necessariamente é a verdade. Guitarras com característica sonora mais "seca" e/ou grave podem se beneficiar deles para amaciar um pouco o timbre final. Encontrados nas Squier Std (Indonésia), Fender Am Std (anos 80 e 90) e algumas outras.


    • Saddles de Zinco são os mais comuns nos instrumentos chamados de "entrada" das marcas e também encontrados nos de origem asiática como SX, Shelter, algumas Squier, Cort etc. Sendo o de menor resistência mecânica, o Zinco tende a absorver mais vibrações da corda causando uma transmissão não tão eficiente ao resto do conjunto o que acaba "amaciando" de certa forma o som. Os graves e médios ficam um pouco menos definidos e o agudo parece desconectar do resto das frequências. A percepção que eu tenho é que soa abafado com uma leve sibilância no topo dos agudos. São fáceis de identificar pois norlmanente são cromados e as cordas marcam com facilidade o lugar onde ficam apoiadas.


      Bloco

                 O bloco é responsável por dar massa e resistência mecânica ao conjunto do tremolo e assim fazer com que as cordas vibrem e a ponte transmita isso ao corpo e etc. Por essa razão a resistência mecânica do material utilizado na fabricação e a massa tem um importante papel nesse componente que é um pouco mais complexo do que muitas vezes parece e também sofreram mudanças de acordo com o período da mesma maneira e por razões semelhantes as dos saddles. Os blocos grandes e pesados de aço que equipavam as primeiras Strato dos anos 50 e 60 tinham grande papel sobre sua sonoridade como vamos discutir mais a diante. 

      Já nos anos 70, a CBS passou a utilizar os blocos de zinco já menores e mais fáceis de fabricar, visando redução de custos novamente. 

      Não é a toa que muitos consideram esse (anos 70) o período negro da história de Fender. Nos anos 80 e 90 o bloco é adaptado e otimizado para utilização do tremolo, sofrendo redução de tamanho porém ainda fabricado de uma liga metálica, já melhor que o zinco mas não tão eficiente quanto o aço dos anos 60. Vamos ver as particularidades de cada modelo:

    • Bloco 'Vintage' de Aço é o presente nas primeiras Strato. Eram pesados e grandes limitando a utilização do tremolo mas garantiam uma eficiente vibração das cordas pela alta resistência mecânica. Outra característica importante, é que as bolinhas da corda ficavam rentes à parte inferior do bloco fazendo com que a corda se esticasse por toda a extensão do bloco antes de passar pelo plate e chegar ao saddle. 




    • Blocos Modernos: Nos blocos modernos a bolinha entra no bloco e fica fixada mais perto do meio do mesmo. O efeito disso é que no bloco vintage o comprimento da corda tensionada tem cerca de 5 cm a mais, o que gera uma maior tensão para que ela chegue a afinação. Essa maior tensão deixa os graves mais firmes e definidos, aumenta um pouco o ataque e é considerada uma das razões pelo timbre único das Stratos Vintage:



    • Bloco de Zinco é o que equipa a grande maioria das pontes de origem asiática com custo reduzido. Claramente feito para custar pouco, cumpre seu papel para um instrumento barato que não tem pretensões de soar com as nuances de uma Strato vintage.

    Esses blocos chineses baratos mais prejudicam do que ajudam no timbre. Não cumprem corretamente a função de "bloco de inércia" devido à pouca massa. Nessa foto, a comparação com um bloco "pesado":




    Existem blocos de Zinco do tipo "Big Block". São bem superiores aos fininhos chineses:




    • Bloco de Latão ( liga metálica de cobre e zinco) é uma variante que acredito não tenha chegado a estar presente nas linhas de produção da Fender (por favor me corrijam se esta informação for equivocada), mas consta como um dos possíveis upgrades para a ponte de Strato. O latão tem boa massa e gera um timbre mais macio em relação ao aço. Parece que o ataque não fica tão imediato e rápido, dando uma sensação de "sag" no tocar. É uma boa alternativa caso vc tenha aquela Strato de SwampAsh mais arisca e aguda.
    ____________________________________

             Ok, muita teoria bonita mas e o som mesmo? É possível ouvir as diferenças? Eu digo que sim, pois já testei todos os modelos que escrevi nesse post. As diferenças muitas vezes são sutis e dependendo do seu setup de equipamento (Samp, pedais, captadores e etc) mas elas existem e fazem diferença. Me peguei várias vezes durante a pesquisa do timbre de Strato falando sozinho e dizendo:  "O timbre está bom, mas está faltando aguma coisa....". Esse alguma coisa pode justamente ser uma ponte BOA para enfatizar aquele ataque, aquela nuance que você não sabe exatamente o que é, mas sabe que está faltando. Parece papo de maluco, mas você guitarrista que gosta de timbres sabe do que eu estou falando! :-) Basta uma rápida pesquisa no google e nos forums internacionais e nacionais.

            Quando estava pesquisando sobre Strato achei um site muito legal que fala sobre esses upgrades de Strato e etc. O areyouexperienced.net contém várias mods de Strato incluindo uma em que o autor faz o upgrade de Saddles e Bloco em uma de suas Strato, gravando o antes e o depois de maneira bem interessante. O site está em inglês, mas você pode conferir essa matéria aqui.

             Vários fabricantes disponibilizam saddles e blocos para reposição e tunagem de Stratos. A GuitarFetish , já conhecida do público brasileiro pelos captadores GFS, possui uma linha acessível de blocos com especificação vintage em seu site, bem como saddles de aço e conjuntos inteiros de tremolo já com upgrades. Outra empresa muito aclamada nos EUA é a Callaham Guitars ( http://www.callahamguitars.com/ ) que fabrica réplicas de Strato e Tele excepcionais bem como todo o hardware necessário como pontes, tarraxas etc. Eu tenho a ponte de Strato e de LesPaul da Callaham e o produto, embora caro, é de extrema qualidade e o upgrade sonoro foi audível nas minhas guitarras.

    Seguem duas gravações que eu fiz quando dos upgrades, comparando entre um blodo de Zinco e outro de aço:



    ADENDO 01: BLOCO PESADO BRASILEIRO

    O Carlos, leitor do blog, mencionou que ele mesmo faz seus blocos para ponte flutuante: "Paulo, eu mesmo faço esses blocos, artesanalmente em casa, conforme minha necessidade, utilizando materiais específicos, no caso o aço, uso SAE1045, excelente para tempera (tratamento térmico), muita qualidade mesmo, o ferro fundido fofo, como já mencionei anteriormente, dependendo da construção do instrumento (alder), timbra melhor que o aço, em volumes poucos mais altos, na minha opinião é claro. O legal mesmo seria você testar os dois. Pouco mais de meio século de vida e 40a de guitarra a gente aprende algumas coisas. 
    OBS: sou do ramo de usinagem desde garoto."

    Seguem as fotos que o Carlos enviou:






    Nada mal, Carlos. Tô curioso pra ouvir o som deles. Vai atiçar todo mundo aqui. E, por favor, se pensares em comercializar esses blocos, eu sou o primeiro da lista... Bem, depois do Jr... :)
    ______________________***____________________

    Adendo 24/06/2013: ATENÇÃO***: Já temos disponível no Brasil um bloco de aço com a qualidade de um Callaham! Clique aqui para maiores detalhes.