sábado, 19 de janeiro de 2013

Guitarra SX Modelo SG


ATENÇÃO: Assim como a grande maioria das guitarras chinesas baratas, as SX podem variar MUITO de qualidade, às vezes entre modelos de um mesmo lote. SEMPRE avalie pessoalmente a guitarra antes de comprar. Aqui no blog há vários posts que ajudam a identificar e avaliar guitarras. 

Guitarra SX Modelo Gibson SG:


Acho que a primeira guitarra "digna" que tive foi uma SG Giannini dos anos 70 (provavelmente de mogno). Na época, guitarra era 100% feita à mão. Em seguida comprei uma Telecaster Fender e vendi essa Giannini.
Mas o fato é que, desde então (1980, na foto: SG e amp Duovox Giannini, Crybaby no chão), nunca mais havia pensado em comprar uma SG... :)


É... Quando eu achava que já tinha dado pra mim com essas SX, dei de cara com esse modelo (também na Multisom) custando 799 reais, TODA de mogno (africano, oriental, inferior ao hondurenho, mas tudo bem, é mogno mesmo). Braço de mogno, escala de rosewood, colado.
Claro, alguém deve estar pensando que a madeira pode muito bem ser Agathis, já que com o corante e verniz, pode ficar parecida com o mogno. Poder, pode e eu já me enganei uma vez, mas primeiro, ela soa aberta demais pra ser Agathis (que quase sempre soa meio morto) e a SX costuma aproveitar-se da semântica ("Alder" sem especificar a origem) mas não costuma mentir...

Na loja havia uma SG Custom Epiphone (o modelo com 3 captadores, que aparece no background das fotos da Tele V52 do post anterior) e uma SG Gibson Special. Analisei e comparei as 3 guitarras e ficou muito difícil localizar a esperada "grande diferença" entre elas. Simplesmente não havia. A SX, lado a lado com a Gibson, tinha a mesma estrutura, madeiras e apenas o hardware de qualidade algo inferior. Corpo  muito bem construído, de 3 peças de mogno bem semelhantes.
A SX SG custou 799 reais COM bag de luxo e a Gibson SG Special acho que custava por volta de 4.500 reais.
Peguei uma foto da SX na internet, porque esqueci de fazer uma foto dela original:

Beleza. Não fosse aquele headstock feio, seria um belo clone mixaria da Gibson.
Chegando em casa, desmontei a guitarra e pude observar que as cavidades por baixo de escudo também eram muito bem feitas, no padrão da Gibson original. Vejam:


Ponte e stoptail ok, mas como sempre, o material sem muita densidade/masssa. Troquei por Gotoh. Captadores bem honestos, mas com imã cerâmico... No braço, um Rosar Mojo13 e na ponte, o original do braço, com 8,5k porém coloquei imã de alnico V. O da ponte, de 15 ou 16k, guardei e deixei com imã cerâmico, já que tem características similares ao cap do Angus Young, de alta saída.

A fiação estava ok, bem organizada:


Há falhas na tinta condutiva, mas o fato de TER tinta condutiva já é um mérito! :) E a guitarra é muito silenciosa.
Obviamente os potenciômetros são chineses, baratos, porém um pot barato não é necessariamente um pot ruim. Raramente mexo no controle de volume (sempre no 10) e só mexi nos controles de tonalidade umas duas vezes na vida :), então pra mim não há necessidade de colocar pots CTS ou similares. Mas o curso desses pots é bem razoável. Concluindo, não mexi em nada, só pra soldar os captadores.

Braço: já vi SG Gibsons com braço mais fino. Esse é tipo "D", um pouco mais achatado. Frisos, escala e inlays: não há sequer um sangramento ou irregularidade. Os inlays obviamente são de plástico, mas simulam razoavelmente bem o natural. Não é aquele plástico branco sem graça da maioria.

Não poderia jamais deixar aquele headstock SX feioso e sem graça. Peguei algumas limas e a Dremmel e redesenhei-o para ficar mais parecido com o Gibson. Devido ao seu desenho original, ppte na parte inferior, não fica igual, mas muito parecido. Lixei toda a face anterior, mexi em algumas bordas, pintei de preto e por último coloquei uma folha/veneer com o logo Gibson. Obviamente não era pra passar por uma Gibson, mas o visual assim fica bem mais "normal":
Headstock durante o trabalho:


Um problema relativamente incômodo, também observado pelo JR., que comprou uma preta dessas, são os trastes. Em nossas SX-SG, estavam um bocado irregulares. Chequei com o Fret Rocker e pelo menos 3 trastes estavam bem mais elevados, incomodando no timbre, tocabilidade e entonação. Mas já arrumei-os em casa mesmo.
SX-SG, braço colado, padrão Gibson, mogno no braço (estilo SG Gibson, algo mais grosso), 3 peças de mogno no corpo, extremamente leve, com bag de luxo, por menos de 800 reais? Putz!
Ficou assim agora:


800 reais! Putz novamente... :)
Lembrar que o tensor é do tipo "two way" com ação dupla. O veneer/folha (em papel grosso e fotográfico) fiz no Photoshop, colei e joguei verniz incolor por cima. Tentei comprar um desses da Inlayer, mas confundiram tanto os meus pedidos que acabei não recebendo.
Convém lembrar que existe uma modelo SX similar a esse com o braço parafusado - definitivamente inferior. SG tem que ser com braço colado...

Outra coisa que vocês SEMPRE devem considerar: a qualidade de uma guitarra chinesa varia muito, inclusive da mesma marca e modelo - exceto por alguns trastes, a minha estava ok, mas é essencial que seja avaliada antes da compra.

PS: Voltei aqui só pra acrescentar uma coisa: por mais que o Les Paul não gostasse dessa "guitarra de dois chifres", tenho que reconhecer que fazia tempo que não tocava com uma guitarra tão leve e com timbre tão clássico e matador... Acho que vou atrás de uma Gibson :)

128 comentários:

  1. Bacana Paulo, gostei do novo headstock. Eu tenho uma LP SX GG1 custom, e uma coisa que não me agrada é aquele heastock estranho, ele está com captadores epiphones de 8,5k no braço e na ponte, e foi feito uma blindagem na parte elétrica, você acha que vale a pena trocá-la por uma vintage AFD ? Obrigado, até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho sim. Nunca tive mas já toquei em várias LP SX nas lojas. São boas mas não melhores que a AFD

      Excluir
  2. Como sempre Paulo um post bem legal, até imagino vc fazendo outro com algumas modificações.. rsrsrs
    Sempre gostei das SG principalmente com P90 por causa do Pete Townshend do The Who.
    Eu bem que gostaria de pegar uma SX se ela tivesse a opção de modelos com essa captação... Sei que dá pra instalar com algumas modificação mas o trabalho pra moldar a cavidade e a quantidade de guitarras que tenho me fazem pensar 2x.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O trabalho pra tunar e a quantidade de guitarras que tenho também me incomodam, Fernando :)

      Excluir
  3. O Paulo que post legal cara, é a inspiração pra eu fazer a minha Gibson SG Custom 3 pu White 1971, feita por eu mesmo, hehe.... é muito legal nos fazermos modificações em guitarras, desenvolve nosso senso critico sobre o instrumento e o conhecimento sobre o que mais gostamos, por isso adoro seu blog, tenho algumas guitarra que modifiquei, uma shelter HSS, que ficou assim: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=385190788240947&set=pb.100002500876621.-2207520000.1358613181&type=3&theater ; uma aria pro das antigas ficou assim: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=385190788240947&set=pb.100002500876621.-2207520000.1358613181&type=3&theater ; modificar guitarra foi uma escola pra mim, vc analisa o potencial real do instrumento e não a sua marca, que em alguns caso realmente marca é sinonimo de qualidade, vc aprende que por mais q vc tune a sua guita... ela vai ate um limite... e depois sabe que a madeira, forma de fabricação tudo influencia... aprende a comprar instrumento... pois tem coisa que vc gasta mais se comprasse um instrumento de boa procedencia... em fim é uma escola, pois isso adoro esse blog pois ao relatar tudo que vc passa vc ensina aos musicos, mesmo os velhos a entender mais sobre esse instrumento!
    Abração continue assim

    Jorge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. corrigindo aria pro: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=385192184907474&set=pb.100002500876621.-2207520000.1358614755&type=3&theater

      Excluir
    2. A ideia do blog é justamente essa, Jorge. O aprendizado dos aspectos técnicos da guitarra pelo guitarrista :)

      Excluir
  4. Xará, alguma ressalva a fazer a respeito de estabilidade de afinação e da madeira como um todo nessa sua SG? Tenho visto gringo reclamando de ter que testar três ou quatro antes de se decidir pq por conta de a escala ser praticamente toda pra fora do corpo, se o mogno não for dos mais resistentes e o perfil do braço for mais pra fino, dizem que só de segurar ela na posição de tocar a bicha sai da afinação... quando li isso, achei que fosse exagero típico (igual à história de quebra de headstock só de olhar feio pra guitarra - eu mesmo nunca passei por isso nem vi acontecer), mas a história é pelo menos verossímil, vá lá... o Slash deu aquela empurrada de headstock pra frente e corpo pra trás bastante célebre no final da Sweet Child O'Mine, depois de descer até o Mi grave, então que dá pra fazer, dá, só não sei se no uso normal.

    No site da JHS tem umas SGs interessantíssimas da Vintage, uma branca com Vibrola, uma tipo Standard mas com escudo pequeno - diferente dessa sua - e umas relicadas, inclusive tipo Junior/Special, parecem mais tortinhas que a Gibson (mas menos que a ESP Viper), possível também serem uma boa pedida. A Habro só não tem a branca no catálogo, mas eu só lembro de ter visto a tipo Standard na Teodoro Sampaio, as outras não. Não sei se pilho comprar uma, tem algo que ela faça que uma LP boa não faz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As SG Gibsons dos anos 70 também são famosas pela instabilidade dos braços, Paulo.
      Mas achei essa tua colocação muito pertinente. Como deixei-a um tempo sem as cordas pra refazer o headstock, ao recolocar, passei os dois primeiros dias achando que o braço era instável. Ajustei o tensor pelo menos umas 3 vezes.
      Foi essa a razão de não postá-la antes - tava checando se o braço era bichado :)
      Até fui olhar agora pra ter certeza mesmo. Tá tudo ok :)

      Geralmente acho que é a LP é muito mais guitarra que a SG, mas quando saturamos uma SG e vem aquele timbre rasgado, sem graves soltos, percebo que devo ter as duas! KKKK!

      Excluir
  5. Olá Paulo!

    Antes de mais nada, parabéns pelo seu blog, é uma ótima fonte de conhecimento seguro e sincero.

    Minha dúvida é sobre a parte elétrica: potenciometros, chave, fiação, etc. O que você achou da qualidade dos componentes? Precisou ou pensa em trocar alguma coisa nesse sentido?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michel, aproveitei a tua dúvida e acrescentei essas informações ao post - infelizmente terás que lê-lo de novo! :)

      Excluir
    2. Olá Paulo!

      Felizmente tive que ler novamente, pois seus posts são muito bem escritos, estou muito grato por sanar a minha dúvida.

      No entanto, reparando bem as fotos, surgiram-me outras dúvidas (espero não estar abusando de sua paciência e boa vontade!):

      Você disse que colocou um Sergio Rosar no braço, porém, não encontrei captadores Rosar com a capa metálica. Você adicionou a mesma ao captador posteriomente? Em caso afirmativo, foi preciso parafiná-la e soldá-la junto à base do mesmo? Feito isto, modificaria o timbre original do captador?

      Muito obrigado e mais uma vez parabéns pelo excelente trabalho!

      Excluir
    3. Michel, o Rosar não foi projetado para ter capa. Temos que fazer uma adaptação - bem chata - numa capa comum. Toda capa acrescenta indutância e diminui um pouco os agudos de ponta, mas às vezes isso é legal.
      O Oscar Isaka Jr, da JR Guitar Parts (link em cima à direita)vende os Rosar e faz a adaptação da capa. Ela é presa sob pressão + um pouco de parafina.

      Excluir
  6. Olá Paulo!

    Parabéns pelo blog (e pela paciência em responder todos os posts)!

    Estou de olho nessa guitarra já faz um tempo, mas ainda não pude testá-la.

    Ela "equilibra" bem? Digo, o braço não fica pendendo para o chão quando pendurada pela correia?

    Abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mogno pode variar até 400% de peso, então toda guitarra de mogno corre o risco de não ter equilíbrio no centro, principalmente as SGs, que tem o corpo mais fino. A maioria, seja Gibson ou não, terá um certo desequilíbrio. Essa tem, mas é muito pequeno - basta inclinares um pouco pra cima que ela fica... :)

      Excluir
  7. Paulo,

    o que você achou do rosewood da escala, dos inlays e frisos laterais? Pelas fotos - e também por outras referências - me parecem de baixas qualidade e acabamento.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Semana passada toquei numa Les Paul Gibson com acabamento do friso INFERIOR ao dessa SG, Gregor. Na minha, não há sequer um sangramento ou irregularidade. Os inlays obviamente são de plástico, mas simulam bem o natural. Não é aquele plástico branco sem graça da maioria.

      Excluir
  8. Ótima review Paulo, essa guitarra é uma pechincha, mesmo com os captadores originais cerâmicos ela segura uma boa performance, as primeiras vinham até com um case ! Quanto aos pots genéricos, eu tinha o costume de trocá-los porque depois de um tempo começavam a chiar, depois, passei apenas a selar a abertura deles com cola quente,depois que passei a fazer isso não deu mais problemas. abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ôps!
      Não conheço essa manobra, Mad Guitar. A cola não invade o interior?

      Excluir
    2. Olha, usando com cuidado uma pistola de cola quente dessas pequenas não invade não, inclusive a dificuldade é selar a cavidade, já que a cola é muito densa para penetrar ali ! Talvez existam maneiras melhores, usando silicone de vedação ou outro produto mas nunca tentei, enfim o princípio é o mesmo, impedir a entrada de poeira ! Já me gozaram por causa dessa sugestão mas já dei manutenção em equipamentos com pots de valores não comerciais, então vc tinha que abrir para limpar e via muita sujeira e poeira. Mas fato é que depois disso, nunca mais tive problemas com esses pots xingling ! Infelizmente o mesmo princípio não funciona para as switchs genéricas ! =/

      Excluir
    3. PS: Os que gozaram a sugestão alegam que não entra poeira na cavidade das guitarras, fica aberta a questão !

      Excluir
    4. Mad, se tá funcionando, é porque funciona... Não interessa que não entra pó na cavidade. :)
      Dica já registrada.
      Abraço!

      Excluir
  9. Caramba, eu também comprei uma SG dessas esses dias! kkkkk
    Paulo, só te perguntar uma coisa... Você também tem problemas com a afinação? Porque a minha não segura direito, e não sei bem se o problema são as tarraxas ou o nut. Como está a sua? Valeu pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Murilo, recentemente comentamos aqui sobre queixas a respeito da estabilidade do braço dessas SX. Se TODA a afinação muda, convém checar o tensor.
      Se são cordas individuais, a sequência de avaliação seria tarraxas e nut.
      As tarraxas são chinesas genéricas - se gostas bastante do timbre dessa guitarra, talvez um upgrade fosse interessante.

      Excluir
    2. Sim, eu curti bastante o timbre dela, e como não tenho dinheiro pra comprar uma guitarra TOP, to dedicado a investir nessa. Já vinha pensando em trocar as tarraxas e o nut mesmo, e principalmente a captação. To em dúvida entre humbucker ou P90 ainda.

      Excluir
    3. Isso mesmo, para não precisar mexer na madeira da guitarra

      Excluir
  10. Putz Paulo!
    Agora fiquei com mais vontade ainda de comprar essa SG!
    vou ver se tem como encomendar uma na escola haha!
    muito linda a sua por sinal, ainda mais depois da mudança no headstock!
    parabéns, por ter mais uma ótima ferramenta no seu arsenal haha!

    ResponderExcluir
  11. Às vezes eu acho q há um feeling sádico em posts assim... hehehehehe... mas penso por 2seg e caio na real: eu é q tô sem grana pra investir em maix uma guitarra! :-p

    Como sempre, valeu a dica, Paulo!!! Essa aí é mais uma q entra na minha lista, mais uma sob sua recomendação! ;-)

    Abração,

    Sid

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sid, parte de mim ainda acha que com uma LP boa, a SG é meio desnecessária, a não ser que o cara goste especificamente do som dela.

      A guitarra no geral tem excelente custo/benefício, mas os caras da SX bem que poderiam caprichar mais no nivelamento dos trastes...

      Excluir
  12. Caro Paulo May

    Ó nóis aqui traveis !!!!

    Como foi suas festas de fim de ano? espero que com saúde!

    A SG da SX ficou bacana, como ela ficaria com uma ponte Bigsby?

    Paulo, tenho duas perguntas para lhe fazer, e uma sugestão de post, aí vai:

    1: A paleta das guitarras vintage strato teria madeira suficiente para ser "re-shapeada", e deixa-las com a cara da fender original?(Até hoje não entendo porque a fender processou as fábricas de guitarras, após mais de 30 anos, copiando seus modelos, porque levar este tempo todo?)

    2: Na sua opinião: Vintage Strato V6M ou Squier Classic Vibe 50? E Por quê?

    Agora, sobre o post: Seria bacana se você criasse um tutorial completo com processo e material para pintura de guitarras em funilarias, visto o custo alto para pintura em empresas especializadas, assim um bom pintor de autos,
    com a relação de material/processos faria um ótimo processo.

    Abraços !!!!

    Tarcisio Junior



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1 - Acho que sim. Talvez a "bola" da ponta fique um pouco menor.
      2 - Se o preço for o mesmo, Classic Vibe, porque dois amigos meus que entendem muito de guitarra possuem uma e elogiam bastante. Além disso, o headstock já vem "Fender". Só teria que trocar a ponte (ou o bloco dela).

      Pintura: um luthier aqui de Floripa que conhece bem esse assunto ficou de preparar um tutorial p/ o blog... Ainda tô esperando :)

      Excluir
  13. Guitarra ficou muito show cara!!!Paulo,sei que isso não tem nada a ver com seu post mas tenho uma pergunta,quanto aos captadores Sérgio Rosar,eu moro em Porto Alegre,onde eu posso comprar?? Já procurei em umonte de lojas e não achei,to precisando muito desses caps. Obrigado desde já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yuri, aqui do lado direito tem vários links, um deles é da JR Guitar Parts, do Oscar Isaka Jr, de Curitiba. Ele não só revende como é desenvolvedor dos captadores do Sérgio Rosar. E o preço é mais em conta que nas lojas em geral. Entre em contato que ele vai te orientar para uma escolha certeira.
      http://www.jrguitarparts.com/

      Excluir
  14. Primeiramente parabéns pelo blog Paulo, venho acompanhando seus post há um tempo já.
    Tenho essa guitarra há uns 2 anos e justamente o que me incomoda são os trastes as tarrachas.
    Você matou uma curiosidade antiga minha sobre a madeira dela, se eram três peças ou um tabuleiro de xadrez.
    Recentemente troquei os captadores por seymour duncan(59 no braço e distortion na ponte) e como não uso os pots de tone, adaptei-os para deixar os captadores single coil ou humbucker (O clean no braço fica outra coisa em single), posteriormente quero comprar os knobs push-push, mas primeiro tenho que trocar as tarrachas que não seguram afinação mesmo. Qual tarracha você aconselharia com esse mesmo estilo vintage boa pra colocar? Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando ela tem esse acabamento, dá pra contar tranquilamente os pedaços de mogno. A minha tem apenas 3 partes. Não recomendaria uma preta, por exemplo:)
      As tarraxas têm diâmetro vintage (8,79mm contra 10mm das modernas) - eu recomendaria as Gotoh Vintage, com lock ou não.

      Excluir
  15. Ola amigos!Minha experiencia com essa guitarra é horrível!!Foi a grana perdida que tive por ultimo rsrs A guitarra é feita em 30 pedaços de "mogno",os captadores ate q som bonzinhos,mas a tarracha dessa guitarra é uma piada....nunca comprem isso!

    ResponderExcluir
  16. Cara, seguido leio seu blog.. gosto muito dos seus textos e observações.. acho tão legal que mesmo odiando esse tipo de marca como "sx".. fico com vontade de comprar uma.. KKK... voce tem o lance que falta em 99,9% dos musicos hoje em dia.. feeling raro.. e acho ate que voce sabe até demais, de tanto detalhe que vejo por aqui!! abração e parabens pelo blog!! Igor

    ResponderExcluir
  17. Olá Paulo , navegando na net encontrei este site:

    http://shovellica.com/

    Se esta moda pega, vai faltar pá no mercado !!!!

    Abraços !!!!

    ResponderExcluir
  18. Olá Paulo! Obrigado por dispor de seu tempo para trazer informações preciosas! Tenho uma Epiphone SG daquelas baratinhas de compensado. Recentemente testei uma SG de uma marca qualquer com braço parafusado e uma Gibson com braço colado. Senti meio desconfortável com o braço parafusado, parece que no braço colado não há impedimentos. Mas a minha dúvida é em relação ao timbre: o que realmente muda entre os dois tipos de construções? O que separa por exemplo uma guitarra top com braço parafusado e uma de mesmo modelo com braço colado? Por exemplo se eu montasse uma LP com peças top da warmoth (que só possui modelos com braço parafusado) por exemplo e comparasse com uma guitarra top com as mesmas especificações, mas braço colado, qual seria a diferença no timbre final apenas nesse quesito de construção? Obrigado pela atenção! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa ideia para um post, mas já te adianto que o assunto é polêmico :)
      Se não rolar em algumas semanas, me lembre!

      Excluir
  19. Paulo.gostaria de resaltar a influência das molas e bloco nas stratos, mesmo com bloco de aço pesado, a vibraçáo das cordas, passam pelo bloco e chegam as molas, causando uma reverberação indesejada, ou seja, atrapalha e muito no timbre,principalmente quando se usa DRIVE, se torna muito aspero. Solução mudar a construção do bloco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com certeza, Carlos. Existem pontes diferentes, mas essa do Leo Fender cheia de molas "reverberantes" ainda impera por aí :)
      Quando uma strato soa meio "seca", eu geralmente acrescento MAIS molas! :)
      É um dos componentes da sonoridade strato (nunca gostei das hardtail). Não me incomodo com isso porque nunca uso stratos para situações de alto ganho, mas é um ponto bem lembrado.

      Excluir
  20. Caro Carlos

    Gostaria também de dar um pitaco em relação ao assunto reverberação causada pelas molas da Strato, um truque que aprendi e que funciona bem, seria inserir dentro de cada mola um pedaço de mangueira (dessas transparentes, flexíveis), do comprimento da mesma, diminui bastante a vibração, sem atrapalhar no uso do tremolo.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz! Já tinha lido isso uma vez! :) Ótima solução.
      Tirar a placa de plástico traseira também muda o som, segundo Eric Johnson... :)

      Excluir
    2. Aliás, adoro as excentricidades desse cara. Ele retira a tinta do bloco da ponte apenas no ponto de contato com a base. E quem se atreve a fazer isso diz que realmente muda a sonoridade da guitarra! :)

      Excluir
  21. Caro Tarcisio

    Andei fazendo varios testes com blocos de ponte strato, a idéia basica, matar a vibração nele,e não passar por ele. Pois bem, confeccionei três tipos de blocos pesados com as mesmas dimenções,porem com materiais distintos,aço,bronze(latão)e o muito eficáz ferro fundido fofo, perfeito na minha opinião, sonoridade pura e sem interferência(material utilizado em construções de máquinas pesadas). Dois instrumentos, o primeiro somente com a mudança do bloco, muito bacana,o segundo com a mudança do bloco na espessura da madeira, e substituição da placa plastica tradeira por placa de aço,bloco parafusado na placa de aço, ponte fixa, eliminando molas e tudo mais, soa mais brilhante,muito bacana também.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoraria ver fotos desses blocos, Carlos.
      A função mecânica deles é como "bloco de inércia", portanto, em teoria, quanto mais massa (desde que ainda permaneça com mobilidade)e densidade, melhor o timbre.

      Excluir
  22. Amigo Carlos, desculpe a minha ignorância a respeito sobre o ferro fundido fofo, onde posso encontrar encontrar informações mais sólidas (sólida-ferro)
    : ^) (que trocadilho infame, he...he...he....), sobre este.!
    A idéia de ter uma placa de aço fixa ao bloco, parece bacana, mas para mim, nada viável, já que gosto de dar umas alavancadas de vez em quando.

    Abraços !!!!

    ResponderExcluir
  23. Ola, como faz para deixar esse escudo branco? E so lixar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. A camada do meio é branca mas lixar a preta até chegar na branca não faz sentido e seria muito cansativo. No ebay e talvez no ML encontrarás esse escudo branco.

      Excluir
  24. Paulo, gostaria de te agradecer mesmo por esse trabalho que você faz aqui no Blog. Eu ia comprar uma Gibson (me apertar para poder pagar, rsrsr), mas depois de ler muitas matérias aqui no blog vi que nesse momento da minha vida (leia-se "momento com sérias restrições orçamentárias) eu poderia comprar algo similar e fazer com que soasse legal. E foi o que Fiz:

    Tenho uma SX modelo LP (aquela que vem com um case de luxo, com interior chamativo). Assim que a comprei (usada) troquei por caps rosar (indicado por Rafael Gomes), coloquei um pot com split pra defasar o cap da ponte e troquei a ponte por Gotoh e um Nut da Graphtec. Tirando os caps, trouxe tudo de fora (o que saiu muito em conta). O resultado foi uma uma gama imensa de timbre, com uma pegada real de LP, com um preço que pude pagar. Tenho um amigo que tem uma Ephipoca Black Beauty e garante que a minha fala muito mais do que a dele.

    É claro que Gibson é Gibson e um dia pretendo comprar uma custom, mas essa solução foi a melhor possível para mim!

    Abração e continue com o ótimo trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Antonio!

      E percebi que, em relação aos captadores, foste muito bem assessorado pelo mestre Rafael Gomes... :)

      Excluir
  25. Desculpe-me por postar em local inadequado, mas gostaria de sugerir um post especial sobre a guitarra red special de seu parente Brian May.Ouvi dizer que é uma guitarra cheia de particularidades, como madeira, a ligação elétrica dos 3 caps e também a ponte/tremolo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro, tenho por regra só postar guitarras que tenho/conheço pessoalmente. Sobre essa guitarra, inclusive com a história da sua construção, existem inúmeros sites na internet.
      Se um dia tiver uma dessas, com certeza postarei aqui! :)

      Excluir
  26. Olá Paulo aprecio muito seu blog principalmente por suas experiências com suas guitarras. Achei interessante essa modificação no Headstock da Sx e gostaria de saber se você fez algum molde pro desenho. Umas postagens antigas você postou de uma Fender Telecaster e gostaria de saber se você tem algo parecido pra essa "GibSXon" tenho vontade de fazer o mesmo na minha. E vou comprar também um decalque perolizado da Gibson pra colocar. Valew!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Gilberto.
      Tenho sim - modifiquei no Photoshop um headstock Gibson para adaptar nessa SX. Tentei imprimi-lo em vários tipos de materiais, mas o ideal é mesmo num papel fotográfico brilhante, o mais grosso possível. O efeito final, após cobrir com verniz, é bem similar ao original.
      Tentei comprar (aliás, comprei e nunca recebi) um logo de SG na "Inlayer" de SP, mas foi a experiência mais desagradável que tive depois da Tagima.
      Não achei agora o arquivo final - deve estar no pendrive do carro, pois imprimi numa loja. Só preciso me lembrar de pegá-lo. Me lembre, ok?

      Excluir
    2. Paulo,

      também adoraria tê-lo para fazer o mesmo na minha. Poderia mandar para o meu e-mail: michel-rezende@hotmail.com?

      Muito obrigado!

      Excluir
    3. Olá Paulo, também gostaria de receber esse arquivo por email, ledjunior@yahoo.com.br. Tem alguma foto detalhando esse novo headstock? Muito obrigado, abraço!

      Excluir
    4. Também gostaria de receber esse arquivo. Tenho uma SX SG dessas e queria mudar o headstock também =)
      nicolasmelo2@hotmail.com

      Excluir
    5. boa noite paulo,desculpa te incomodar depois de algum tempo,mas tu teria como mandar o arquivo do head para mim? tenho uma sx dessas que peguei recentemente,e estou modificando ela,agradeço desde já"

      email:lucasnsantos2007@hotmail.com

      Excluir
  27. Grande Paulo, você sabe como eu poderia apagar a marca da SX sem comprometer pintura e verniz do headstock? Por enquanto vou só tunar a guita, mais pra frente que vou partir pra faca!hee!! Um bom assunto pro blog seria um tutorial de como personalizar o headstock igual esse que você fez da Gibson. O que tem de gente querendo fazer igual!!rsrs!! Um abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O logotipo tá embaixo do verniz e por cima do selador, Gilberto. Não dá pra retirar sem retirar grande parte do verniz.
      Boa ideia de tutorial, mas pode parecer um "guia para falsificação de instrumento" :)

      Excluir
  28. Fala Paulo obrigado pelo esclarecimento. Parabéns pelo Blog!! Valew!!

    ResponderExcluir
  29. Olá Paulo, volto neste tópico para mais uma vez lhe dar um certo trabalho! rsrs =P

    Estou tunando a SX SG, inclusive pretendo trocar a parte elétrica dela, que particularmente achei bastante 'vagaba'. Mas em relação aos potenciometros estou confuso quanto ao tamanho do eixo - curto ou longo - e do tambor - pequeno ou grande -; e também quanto ao modelo da chave de timbre (comutação), não sei se é melhor a reta ou a angulada em L.

    Os potenciometros que pretendo colocar são os da Gotoh ou da Alfa, que dizem ser bons, como no seguinte link: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-460260501-potenciometro-gotoh-_JM

    Grato, desde já.

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessa guitarra, eixo curto, acredito. O tambor pequeno tem uma resolução menor, ou seja, mais ação com menos movimento. É utilizado quando não há espaço na cavidade.
      O formato da chave é irrelevante para o timbre, mas acho que a reta grande, tipo LP, não caberá aí.

      Excluir
    2. Olá Paulo!
      Muitissimo obrigado pela atenção e pela rapidez na resposta.
      Anteriomente eu tinha feito a mesma pergunta ao vendedor e ele respondeu o seguinte: "Se os potenciômetros são fixos na madeira o eixo é longo".
      É isso mesmo, tem diferença em fixar na madeira e ou no escudo, ou não tem nada a ver e cada caso é um caso?
      Grato mais uma vez!
      Abraço =)

      Excluir
    3. Não. Eixo longo apenas para Les Paul e similares, com tampo escavado, onde a madeira é muito grossa. Até onde eu sei, SG é eixo curto.

      Excluir
  30. Paulo, td bem!? Me diz uma coisa, vamos ver se consegue me ajudar... falei com o Tanaka e ele tbm vai contribuir... rs como já postei em outro artigo do seu blog, aqui tbm vai uma pergunta... Pra fazer esse trampo do headstock, vc precisou pintar a parte de traz do braço inteiro para refazer o acabamento, ou só a parte do headstock mesmo? Achou muuito trampo, o verniz tem pigmentação junto!? Um Abração, obrigado e Parabéns!

    Daniel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, refazer a ponta do headstock até que não foi complicado, pois a Dremel é legal pra isso. O difícil foi tentar igualar a cor vermelha das duas pontas/"saias" que diminui da base do headstock - ficou uma coisa meio manchada, porque nunca dá pra acertar as bordas - sempre tem a porcaria do selador fazendo os limites.
      Pequenas manchas, mas dá pra ver que foi mexido.
      Não deveria ter mexido nessa parte.O verniz até tem uma pigmentação, mas grande parte do vermelho está por baixo - talvez corante de madeira.
      Mas... Tudo pelo conhecimento, né? :)

      Excluir
  31. Beleza Paulo, recentemente comprei um Nut da Graphtech modelo TUSQ PQ-6010-00 para colocar na minha SX e para minha infeliz surpresa não coube. O Nut original da SX é mais grosso! Comprei meio na louca acabei nem medindo direito pra ver se cabia. A pergunta é a seguinte, eu consigo adaptar ela de alguma forma ou terei mesmo que trocar por outro modelo. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato de ser mais grosso ou mais fino não importa na tocabilidade, desde que ele esteja corretamente posicionado, Gilberto.

      O teu problema é que a cavidade da pestana na SX é mais larga que a pestana/nut da Graphtech. Podes acresentar pequenas tirinhas de qualquer material à mão - plástico fino e duro (e até cartolina) nas bordas até o nut encaixar bem. Use cola (com cuidado) do tipo superbonder para endurecer e depois corte o excesso com uma lâmina, tesoura ou similar (eu prefiro cortador de cutícula, pela precisão).

      Embora seja um trabalho simples para o luthier, pode ser complicado para nós. Faça com atenção.

      Excluir
    2. "Nas bordas"... Do nut ou, talvez até melhor, da escala.

      Excluir
    3. Obrigado Paulo pelo esclarecimento. Era isso mesmo que eu queria saber se tinha algum reflexo no som. Acho que vou cortar um pedaço de madeira pra compensar o espaço. Obrigado pela força.

      Excluir
  32. Oi Paulo, primeira vez aqui no blog e já favoritei, ótimo conteúdo! Tuas opiniões foram decisivas na minha escolha por essa gutiarra. Pretendo ficar com ela por um bom tempo, e vou investir em uns acessórios bacanas futuramente. Fiquei preocupada quando li em algum comentário teu que não recomendaria a preta, pois foi a única que encontrei à venda por esse ótimo preço ): Será que, por ter uma pintura sólida, os caras fariam uma guitarra de mil pedaços? E outra dúvida, quando eu leva-la num bom luthier, tem como ele saber qual a madeira dela sem lixar etc? Todos dizem que a madeira dessas guitarras é o nato, que é diferente do mogno e blablabla, conversa dos fóruns por aí... Daí eu queria saber qual a madeira... Vlw :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda ao blog Isabella :)
      Olha, geralmente quando a guitarra vai receber uma pintura sólida (cor), os caras não se preocupam muito com a combinação das peças. Não necessariamente terá mais peças, mas elas podem ter muita diferença de textura. Como será coberta por tinta, não é importante.
      Como via de regra, é difícil dizer que esse tipo tem mais pedaços, mas geralmente, sim, tem :)
      O Nato é uma madeira musicalmente inferior ao mogno, mas bem parecida no visual com este. Portanto, estamos todos à mercê de uma enganação. Fiquei uns seis meses achando que uma Aria que eu tenho era de mogno, tamanha a semelhança. Mas é Nato e por acaso soa muito bem :)
      O Nato tem uma textura geralmente mais linear e contínua que o mogno, porém depois de tingido e envernizado, pode passar por mogno.
      Acho difícil encontrares um luthier que possa dizer a diferença "no olho", exceto os mais experientes ou que já puderam comparar especificamente as duas madeiras.
      Boatos existem por toda a parte, mas eu não acho que a SX venderia Nato como Mogno, porque é uma grande empresa e aí haveria implicações legais. O mogno oriental (e africano) não é raro e nem tão caro assim...

      Excluir
    2. Ps: Aproveite o luthier para checar bem os trastes (problema comum nas SX). Com trastes perfeitos e bons captadores, essa guitarra vai longe... :)

      Excluir
  33. Olá Paulo, você sabe onde eu consigo um espelho novo pra comprar dessa SX. Já procurei em todo lugar, Mercado Livre e lojas especializadas e não encontro pra vender. Teria alguma sugestão?? Obrigado parceiro!!

    ResponderExcluir
  34. Esse escudo é difícil de achar mesmo... Acho que só lá fora.
    Ebay:
    http://www.ebay.com/itm/NEW-Full-Face-Pickguard-For-Gibson-SG-3-Ply-BLACK-/330840613678?pt=Guitar_Accessories&hash=item4d07a3232e

    ResponderExcluir
  35. Boa noite parceiro, sempre leio seus postes e sempre estou aqui.Tenho uma LP SX GG1 que gosto muito, mas confesso que o hedstock é a parte que não gosto. Me interessei pelo arquivo que vc falou, teria como mandar pra mim também? desde ja grato..sergiomuller10@hotmail.com

    ResponderExcluir
  36. Olá Paulo, eu tenho uma dessa SG e curto muito o som dela, mas queria um som mais pontente. Estava pensando em comprar uns caps malagoli, Distortion(ponte) e Custom 59(neck) pra tirar um som mais pesado tipo: Heavy, Thrash, Death metal e etc... Voce acha que vale a pena??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Custom 59 não soaria muito diferente do original dela, mas pelos estilos que citaste, terias que colocar na ponte um captador com pelo menos 14k de saída. Rosar Punchbucker ou Malagoli Henry Ho Hellbucker HH777.
      Se a grana tá apertada, Malagoli Custom Alnico HB HOT.

      É bom lembrar que a Malagoli vai aumentar os preços em breve.

      Excluir
    2. Mas, se queres algo "Trash" mesmo, o Intruder da Malagoli é garantia de muita sujeira e ganho...

      Excluir
    3. Obrigado pela atençao, mas pelo visto nao vou poder ficar só no metal, vou ter q tocar algo mais "leve" tipo Hard Rock, mas mesmo assim vou trocar o da ponte por um de alto ganho. Vlw ae =D

      Excluir
    4. A proposito estou encomendando ne um luthier uma replica da guitarra do Dimebag Darrell do Pantera, nela sim vou usar só captadores de alto ganho e potentes, pois nela vou tocar só metal kkk

      Excluir
  37. Muito bom seu trabalho... Eu tenho uma guitarra desse mesmo modelo e queria saber quem procurar para deixar o headstock dela semelhante ao gibson ...Desde já agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um luthier ou alguém que trabalhe com madeiras (marcenaria, entalhe). Eu mesmo fiz porque já tenho, de tanto errar, uma certa experiência com a dremel, limas e lixas.

      Excluir
    2. e tipo isso não atrapalha o timbre da guitarra não??

      Excluir
    3. Absolutamente. A quantidade de madeira retirada é irrelevante.

      Excluir
  38. Cara, muito bom teu trabalho. Eu tenho uma dessa sx e quero modificar o headstock também. Tem como tu me mendar uma foto só do headstock dela pra eu ver como ficou (de frente e as laterais)? Se tu puder, eu agradeceria muito =D

    ps.: como fizesse pra pintar as laterais... tipo, o tom de cor certo...

    meu email: nicolasmelo2@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nicolas, esa pergunta já foi respondida aqui no dia 3/3/13. Segue:

      "Daniel, refazer a ponta do headstock até que não foi complicado, pois a Dremel é legal pra isso. O difícil foi tentar igualar a cor vermelha das duas pontas/"saias" que diminui da base do headstock - ficou uma coisa meio manchada, porque nunca dá pra acertar as bordas - sempre tem a porcaria do selador fazendo os limites.
      Pequenas manchas, mas dá pra ver que foi mexido.
      Não deveria ter mexido nessa parte.O verniz até tem uma pigmentação, mas grande parte do vermelho está por baixo - talvez corante de madeira.
      Mas... Tudo pelo conhecimento, né? :)"

      Não recomendo, portanto, a modificação de todo o headstock, apenas a parte superior.

      Excluir
    2. Valeu cara, não tinha visto essa resposta ^^'
      Fiquei pensando nessa questão da tintura mesmo, pra quando for no luthier já saber o que falar. Acho que farei só a parte superior mesmo.
      Valeu aí e parabéns pelo blog =D

      Excluir
  39. Ola, muito boa noite! Gostaria de saber qual GOTOH você colocou na ponte dessa SX, eu tenho uma guitar como essa e estou dando um UP nela também! Poderia me indicar qual é? Ou qualquer uma tune-o-matic da GOTOH serve? Se a distancia é a mesma ou muda a distancia da furação. Pergunto isso, pois também vou comprar tarrachas Gotoh e não sei se o que aumenta é a largura do buraco ou a distancia e ficar vários furos desconexos, entende?

    Já comprei circuitos novos e captação seymour duncan. Acho que vai dar uma melhorada legal no som. Grande abraço, espero que possa responder. Muitíssimo Obrigado. :]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inicialmente uma Gotoh que eu tinha aqui - não lembro o modelo. O espaçamento/distância é o padrão e o mesmo que veio nela, quase 74mm.

      Já os furos das tarraxas nessa SX são padrão vintage, 8,79mm. O moderno é 9,91mm. Se não quiseres alargar os furos, terás que adquirir tarraxas padrão "vintage" - quase todos os fabricantes oferecem modelos nesse padrão.

      O upgrade mais importante nessa guitarra são os captadores.

      Excluir
  40. Cara, tirar as cordas assim não detona com a guitarra? Eu até gostaria de fazer alguma modificação no headstock mas, sempre ouvi que tirar todas de uma vez poderia acarretar problemas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não.
      Se ela for ficar muito tempo sem cordas, é só afrouxar um pouco o tensor.

      Excluir
  41. Tenho uma Sx SG preta, Primeira guitarra.... tenho aquele apego, mas vale à pena fazer um Upgrade nela tipo geral? desde caps, tarrachas, trastes e hardware? Sou admirador do seu trabalho! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Maths.
      Se for uma SG SX de braço colado, acho que vale sim, ppte captadores (ou o captador que mais utilizas). Tarraxas, só se achares necessário mesmo.

      Já os trastes independem da guitarra - podem estar gastos, desnivelados, etc. Se a tocabilidade tá ruim, com trastejamentos e mutes, vale a pena uma passada no luthier. Trocar todos os trastes, não vejo necessidade.

      Excluir
  42. Tenho um les paul SX gg1 que tunei todinha, agora uma coisa que me incomoda é o headstock, vc poderia me mandar o modelo pra pelo menos eu fazer um inlayer e apagar a marca dela, pq afinal de contas, troquei os captadores originais por um par de Burstbucker Gibsons, tarrachas groover, potenciometros gotoh....Sou de Salvador/BA e os luthiers não se interessam de refazer o headstok. Se puder manda pra este email, obrigado. sergiomuller10@hotmail.com

    ResponderExcluir
  43. Oi Paulo. Conheci o seu blog hoje e já estou lendo tudo que posso por aqui. Muito bom o seu trabalho nesse blog.
    Eu peguei uma SG SX dessa e usei durante um tempinho captadores kent Armstrong super distortion. Vou trocar de captadores e estou com muita dúvida em relação a que tipo de investimento vale fazer nessa guitarra. Preciso de captadores de alto ganho para tocar hardrock mas não sei o que combina com o modelo SG. Pode me ajudar com alguma dica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A SG aceita bem desde captadores de baixo até os cerâmicos de alto ganho.
      Pra Hard Rock, acho legal captadores de médio e alto ganho com imãs de alnico. Para coisas mais pesadas e afinações "drop", talvez os cerâmicos sejam mais adequados, mas eu só utilizo humbuckers de baixo e médio ganho. O máximo que cheguei foi no Rosar Rock King, então não sou o cara ideal pra te indicar.
      Porém, acho difícil errares na escolha com um captador Sérgio Rosar - acho que ficarias, na ordem crescente de ganho, entre um Supershred, Rock King e Punchbucker.
      O Rosar "Virtual Active" é um captador passivo que tem a porrada e definição dos EMGs ativos - também é muito bom.

      http://www.sergiorosar.com/Standard-Alto-Ganho.html

      Excluir
    2. Não conhecia o Sergio Rosar. Vou considerar a sua indicação. Muito obrigado, cara! Vou fazer esse up e te retorno agradecendo novamente.

      Excluir
  44. Olá, Paulo!
    Vi em alguns comentários seus que você, assim como eu, mora em Floripa.
    Já estava pensando em comprar essa guitarra antes de achar esse teu post, agora então tenho certeza de qual guitarra comprar. Valeu pela análise! Ótimo blog!
    Mas seguinte, pelo que entendi você comprou ela em alguma loja aqui, pode me dizer qual foi? Achei ela na internet, mas, como você mesmo disse no post, o ideal é olhar o instrumento antes de comprar, então queria saber qual a loja pra eu poder olhar.

    Obrigado,

    Abraço!

    ResponderExcluir
  45. O nome da loja tá no post, Thiago.

    ResponderExcluir
  46. Paulo ,
    tenho uma SX SG dessas e estou com um par de captadores Epiphone G400 que está escrito "Designed by Epiphone USA ,Alnico Classic Magnetics , Double Vaccum Waxed,Enamel wire."
    Estes captadores Epiphone são melhores que os que vem na SX?
    Gosto do som atual dela ,mas gostaria de saber se vale a pena trocar?
    Eles tem resistencia aproximada de 8,4 K Neck e 14,7 K Bridge.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, são captadores melhores, teoricamente, que os da SX SG. Mais naturais e dinâmicos porém talvez com um pouco menos de agudos.

      Excluir
    2. Boa tarde Paulo e Oscar,

      Paulo ,obrigado pela resposta ,testei os captadores epiphone e achei que mudou um pouco ,mas ainda não encontrei o som classico que desejo.

      Li que você e o Oscar fazem a adaptação do Sergio Rosar Mojo para colocar a capinha,se não for abusar gostaria de saber como é esse processo?

      Obrigado

      Excluir
    3. Adauto, vc precisa desgastar as laterias até que a capa encoste nas bobinas. Eu colocava um pouco de parafina também pra evitar microfonias! Os caps do Sérgio tem a base reta, sem as "orelhas" como nos humbuckers normais. Por isso precisa desgastar! :-)

      Excluir
    4. Muito obrigado!
      Vou tentar o mojo então.Valeu!

      Excluir
  47. Cara, muito bacana o trabalho, vc está em que cidade ?

    ResponderExcluir
  48. Olá, Paulo, tudo bem?
    Fantástico seu trabalho!
    Tenho uma LP SX de 2005, uma das primeiras da safra... Comprei ela com um dimarzio X2N na ponte e tarrachas goto com trava... Tinha antes uma Epiphone Standard coreana de 2001, porém, achei o som muito mais gostoso da SX, talvez pelo captador, não sei...
    No final das contas vendi a Epiphone e fiquei com a SX, que inclusive eu acho mais macia pra tocar...
    Semana que vem colocarei uma par de Alnico pro ii, também comprarei um cabeçote valvulado cópia de jcm800 e AFD100...
    Você acha que compensa eu fazer mais alguma alteração na minha SX para ela ficar "top de linha"? Além dos captadores novos e tarracha goto com trava...

    Vlw!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Insane, fora isso que vc ja disse eu faria o upgrade da ponte tbem por uma Gotoh. Não custa caro e melhora a estabilidade da afinação e tbem o ataque pelo melhor material. Fiz isso quando tinha minha SX LesPaul tbem. :-) Se vc gosta da guitarra sempre vale a pena fazer qqer upgrade !

      Excluir
    2. Muito legal, Oscar! Acho que irei colocar uma ponte Gotoh dourada então. As minhas ferragens são douradas, mas estão bem desbotadas... As ferragens dourados da Gotoh tem boa durabilidade? Terei de pegar a parte de baixo da ponte também, pois está tudo desbotado, por ser bem antiga...

      Você acha que compensa eu fazer mais algum upgrade na parte elétrica ou algo do tipo? O objetivo é transformar ela em guitarra pra vida toda!

      Abraço!

      Excluir
  49. Olá Paulo, estou há uns três meses tentando escolher uma guitarra pro meu filho. Ele nunca tocou e é canhoto. Minha primeira dúvida era se comprava de canhoto. Dou meu violão para ele tocar e ele sempre pega como destro, então acho que vou comprar a guitarra para destro. Agora, a questão chave. Que guitarra comprar. Já vi em mercado livre e bom negócio. Há as SX SST 62 ou 57 que parecem um bom custo benefício, afinal ele é iniciante, mas comprar e receber pelo correio não me agrada muito. Não sei se são verdadeiras ou falsas. Há essa SG que vc. menciona. trata-se de um belo instrumento mas custa uns 900,00 e terei que comprar também o cubo etc. Há as tagimas e tenho visto uma tal de fender squier. Tamém vi em loja uma Ibanez levíssima que achei interessante. Prezadíssimo, preciso realemnte de uma ajuda pra isso. Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, se ele pega como destro, mantenha assim... Um grande guitarrista amigo meu é canhoto e toca com a direita. Mas caso decida inverter depois, seria legal uma guitarra tipo SG. As SSX geralmente têm problemas de trastes e sempre precisam de uma regulagem de luthier, que acrescenta custo - além disso, stratocaster é sempre mais incômoda invertida...
      Essa Ibanez levíssima é a Ibanez GAX30? Se for, é uma boa (e barata ) pedida, pelo padrão do encaixe braço/corpo que é igual para ambos os lados. A Ibanez tem um controle de qualidade melhor que as SX, com certeza.
      O correto mesmo é testar na loja e ver se o braço está ok, sem trastejamentos e curvaturas excessivas.

      Excluir
  50. Olá Paulo, como vai?

    Aconselhei a compra para minha namorada meses atrás, pagamos R$ 600,00 numa com case, um achado! Me apaixonei pela guitarra e fechei a compra de uma usada para mim por R$ 550,00 , infelizmente sem case.

    Uma dúvida: você trocou a ponte completa da guitarra (Tail piece também)?

    Vou turbinar minha SG!

    Além disso, você poderia me enviar o arquivo do headstock? Farei um trabalho semelhante.
    Meu e-mail é jrsantoro@gmail.com

    Muito obrigado!!

    ResponderExcluir
  51. Obrigado também, Renato.
    Olha, esse arquivo deve estar no meio de um backup do meu antigo computador. É muita coisa e não o encontrei numa primeira olhada, Estou selecionando aos poucos os arquivos importantes para manter no HD externo e assim que me deparar com ele, vou acrescentá-lo ao post e é só fazeres o download da imagem, ok?

    ResponderExcluir
  52. Caraca Paulo, ficou muito linda!
    Tenho uma SG da Michael. Nunca tinha tocado numa SG antes. Por curiosidade acabei comprando uma usada na net. Curti bastante a guitarra, captação original, braço, timbre e conforto em si. Tenho dois captadores humbuckers ( novos ) guardados, sendo 1 da malagoli Intruder ( braço ) e outro da GFS Vintage Extra Hot - VEH. Penso em colocá-lo na SG e ver o que acontece rs. Mas antes disso penso em melhorar a estética dela. O ex dono fez questão de reforçar a camada de Verniz, e quando o fez deixou escorrer por diversas parte da guitarra, enfim ficou um cáca rs! A principio não me importava muito com isso, mas ultimamente tem me incomodado muito!
    Gostaria de aproveita a oportunidade, e lhe perguntar se vc conhece alguma técnica para retirar o excesso da camada de verniz, sem prejudicar o bilho da pintura. Uma outra curiosidade: Neste trabalho que vc realizou no headstock, você somente lixou a região, pintou, aplicou o adesivo e em seguida o verniz.? Por acaso, ambos ( tintas e verniz ) são em lata de spray ?
    Desde já, muito obrigado. E parabéns pelo blog. O único problema dele é que quando se começa a ler um artigo você não quer parar mais rs.Grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aílton, há vários posts aqui sobre as tuas perguntas. Digite verniz spray na busca e siga os links.
      De memória, nesse link:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2011/10/guia-para-tunar-guitarras-baratas.html
      eu menciono como tirar o brilho/excesso de verniz do corpo/braço.
      O meu luthier tinha uma folha de headstock original da Gibson e atualmente ela está com essa folha. O meu método original ficou apenas razoável :)

      Excluir
    2. ... E obrigado pelos elogios! :)

      Excluir
  53. Obrigado Paulo! Vou dar um verificada.. Muito obrigado man. Grande abraço..!!

    ResponderExcluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".