domingo, 3 de fevereiro de 2013

Ponte de Stratocaster: entrando nos detalhes.


         Há muito tempo estava pensando em postar sobre pontes de guitarra. Como são construídas, como funcionam e principalmente como influenciam no timbre. Recentemente meu grande amigo Oscar Isaka Jr. publicou no seu blog uma extensa revisão sobre pontes, dividida em 3 posts. Dado o conhecimento do Júnior, seria redundância fazer um post novo, então simplesmente invadi o seu blog e roubei os posts. :)

Os dois primeiros posts do Jr., um sobre as Tune-o-Matic e o outro sobre pontes de Telecaster são fantásticos e muito esclarecedores. Recomendo veementemente a leitura.

O terceiro da série, que vou colocar como primeiro aqui, é talvez o mais interessante porque o pessoal sempre faz muitas perguntas sobre pontes de strato.

Segue então o post do Oscar, com algumas pequenas edições e modificações que acrescentei. No final, usei os áudios comparativos que ele fez e coloquei-os num vídeo no YouTube - é mais fácil acessar do que o 4Shared.

Oscar Isaka Jr. :

         ...Vamos falar da criação mais famosa (e talvez a melhor) de Leo Fender, a Stratocaster. Sem dúvidas a ponte tremolo da Strato é a mais complexa das abordadas até agora. Tem mais partes, requer mais precisão da regulagem e sem dúvida a que contém mais variantes no mundo guitarrístico moderno com vários modelos desde o vintage original até modelos mais modernosos como os Wilkinson VS100 - considero que até a Floyd Rose foi concebida a partir do design inicial da ponte da Strato.


          Falando do que interessa que é o timbre, a ponte da Strato tradicional é composta por basicamente 3 partes chave que são os saddles (carrinhos), o bloco e o plate/placa (onde são fixados os saddles e o bloco). Todos esses três fatores influenciam no timbre de madeira direta ou indireta e contribuem para o resultado final do som, podendo ser modificados de acordo com o que se procura de resultados. Os saddles e o bloco são os mais comuns e fáceis de modificar com resultados mais audíveis. O plate depende mais da qualidade inicial da ponte e eu diria que é a parte que menos influi, mas discutiremos isso abaixo.



Saddles (Carrinhos)

         Os saddles originais da Fender dos anos 50 eram feitos de Aço (Cold Rolled Steel) e produzem um som com ataque rápido, "punch" e um certo brilho que se tornaram característicos da Strato clássica e equipava a Stratocaster até perto dos anos 70. Com a CBS atuando para reduzir custos, e consequentemente o início do "período negro" da Fender nos anos 70, as pontes começaram a ser produzidas com materiais que permitissem uma produção com custo reduzido. Esse material é uma liga metálica conhecida popularmente como ZINCO, mas que possui várias nomenclaturas e composições. No final das contas esse material é incrivelmente fácil de manipular, pois em sua forma liquida é possível usar moldes e fabricar centenas ao mesmo tempo, mas o resultado é um metal que não tem a mesma rigidez mecânica do aço. Com o aço, é preciso usinagem e manipulação manual o que torna o processo todo mais caro o que explica a opção da CBS nesse período. Já nos anos 80, a Fender começou a usar uma liga a base de alumínio como outro material nos saddles, mas eu nunca entendi realmente a razão oficial, porém acredito que seja pelo fato dessa liga ser mais fácil de manipular que o aço e não comprometa tanto a sonoridade quanto o zinco.

         Mas, qual a sonoridade associada a cada material? É difícil colocar em palavras características sonoras de tunagens pontuais pois normalmente é uma soma dos fatores que fazem mais diferença no timbre final, mas é importante ter uma idéia do efeito que elas geram para que possamos buscar nossas necessidades. Vou tentar descrever um pouco baseado nas experiências que eu tive com os 3 tipos de materiais descritos, lembrando que dependendo dos outros componentes da guitarra (madeiras, cordas, bloco e etc) podem haver variações.

  • Saddles de Aço são os mais rígidos mecanicamente e possuem teoricamente as melhores propriedades físicas para transmissão de vibrações de corda. Os graves ficam firmes e os médios ganham definição e corpo com agudos presentes que não soam estridentes. Numa guitarra de Alder parece ser o casamento perfeito e singles soam com punch e resposta rápida ao toque com o estalo definido de uma boa Stratocaster.  São realmente os meus preferidos para Strato.

    • Saddles de Liga de Alumínio tem graves um pouco mais soltos e médios mais retraídos em relação ao Aço com um pouco mais "ar" no timbre. Essa leve atenuação do ataque pode ser interpretada como mais agudos, o que não necessariamente é a verdade. Guitarras com característica sonora mais "seca" e/ou grave podem se beneficiar deles para amaciar um pouco o timbre final. Encontrados nas Squier Std (Indonésia), Fender Am Std (anos 80 e 90) e algumas outras.


    • Saddles de Zinco são os mais comuns nos instrumentos chamados de "entrada" das marcas e também encontrados nos de origem asiática como SX, Shelter, algumas Squier, Cort etc. Sendo o de menor resistência mecânica, o Zinco tende a absorver mais vibrações da corda causando uma transmissão não tão eficiente ao resto do conjunto o que acaba "amaciando" de certa forma o som. Os graves e médios ficam um pouco menos definidos e o agudo parece desconectar do resto das frequências. A percepção que eu tenho é que soa abafado com uma leve sibilância no topo dos agudos. São fáceis de identificar pois norlmanente são cromados e as cordas marcam com facilidade o lugar onde ficam apoiadas.


      Bloco

                 O bloco é responsável por dar massa e resistência mecânica ao conjunto do tremolo e assim fazer com que as cordas vibrem e a ponte transmita isso ao corpo e etc. Por essa razão a resistência mecânica do material utilizado na fabricação e a massa tem um importante papel nesse componente que é um pouco mais complexo do que muitas vezes parece e também sofreram mudanças de acordo com o período da mesma maneira e por razões semelhantes as dos saddles. Os blocos grandes e pesados de aço que equipavam as primeiras Strato dos anos 50 e 60 tinham grande papel sobre sua sonoridade como vamos discutir mais a diante. 

      Já nos anos 70, a CBS passou a utilizar os blocos de zinco já menores e mais fáceis de fabricar, visando redução de custos novamente. 

      Não é a toa que muitos consideram esse (anos 70) o período negro da história de Fender. Nos anos 80 e 90 o bloco é adaptado e otimizado para utilização do tremolo, sofrendo redução de tamanho porém ainda fabricado de uma liga metálica, já melhor que o zinco mas não tão eficiente quanto o aço dos anos 60. Vamos ver as particularidades de cada modelo:

    • Bloco 'Vintage' de Aço é o presente nas primeiras Strato. Eram pesados e grandes limitando a utilização do tremolo mas garantiam uma eficiente vibração das cordas pela alta resistência mecânica. Outra característica importante, é que as bolinhas da corda ficavam rentes à parte inferior do bloco fazendo com que a corda se esticasse por toda a extensão do bloco antes de passar pelo plate e chegar ao saddle. 




    • Blocos Modernos: Nos blocos modernos a bolinha entra no bloco e fica fixada mais perto do meio do mesmo. O efeito disso é que no bloco vintage o comprimento da corda tensionada tem cerca de 5 cm a mais, o que gera uma maior tensão para que ela chegue a afinação. Essa maior tensão deixa os graves mais firmes e definidos, aumenta um pouco o ataque e é considerada uma das razões pelo timbre único das Stratos Vintage:



    • Bloco de Zinco é o que equipa a grande maioria das pontes de origem asiática com custo reduzido. Claramente feito para custar pouco, cumpre seu papel para um instrumento barato que não tem pretensões de soar com as nuances de uma Strato vintage.

    Esses blocos chineses baratos mais prejudicam do que ajudam no timbre. Não cumprem corretamente a função de "bloco de inércia" devido à pouca massa. Nessa foto, a comparação com um bloco "pesado":




    Existem blocos de Zinco do tipo "Big Block". São bem superiores aos fininhos chineses:




    • Bloco de Latão ( liga metálica de cobre e zinco) é uma variante que acredito não tenha chegado a estar presente nas linhas de produção da Fender (por favor me corrijam se esta informação for equivocada), mas consta como um dos possíveis upgrades para a ponte de Strato. O latão tem boa massa e gera um timbre mais macio em relação ao aço. Parece que o ataque não fica tão imediato e rápido, dando uma sensação de "sag" no tocar. É uma boa alternativa caso vc tenha aquela Strato de SwampAsh mais arisca e aguda.
    ____________________________________

             Ok, muita teoria bonita mas e o som mesmo? É possível ouvir as diferenças? Eu digo que sim, pois já testei todos os modelos que escrevi nesse post. As diferenças muitas vezes são sutis e dependendo do seu setup de equipamento (Samp, pedais, captadores e etc) mas elas existem e fazem diferença. Me peguei várias vezes durante a pesquisa do timbre de Strato falando sozinho e dizendo:  "O timbre está bom, mas está faltando aguma coisa....". Esse alguma coisa pode justamente ser uma ponte BOA para enfatizar aquele ataque, aquela nuance que você não sabe exatamente o que é, mas sabe que está faltando. Parece papo de maluco, mas você guitarrista que gosta de timbres sabe do que eu estou falando! :-) Basta uma rápida pesquisa no google e nos forums internacionais e nacionais.

            Quando estava pesquisando sobre Strato achei um site muito legal que fala sobre esses upgrades de Strato e etc. O areyouexperienced.net contém várias mods de Strato incluindo uma em que o autor faz o upgrade de Saddles e Bloco em uma de suas Strato, gravando o antes e o depois de maneira bem interessante. O site está em inglês, mas você pode conferir essa matéria aqui.

             Vários fabricantes disponibilizam saddles e blocos para reposição e tunagem de Stratos. A GuitarFetish , já conhecida do público brasileiro pelos captadores GFS, possui uma linha acessível de blocos com especificação vintage em seu site, bem como saddles de aço e conjuntos inteiros de tremolo já com upgrades. Outra empresa muito aclamada nos EUA é a Callaham Guitars ( http://www.callahamguitars.com/ ) que fabrica réplicas de Strato e Tele excepcionais bem como todo o hardware necessário como pontes, tarraxas etc. Eu tenho a ponte de Strato e de LesPaul da Callaham e o produto, embora caro, é de extrema qualidade e o upgrade sonoro foi audível nas minhas guitarras.

    Seguem duas gravações que eu fiz quando dos upgrades, comparando entre um blodo de Zinco e outro de aço:



    ADENDO 01: BLOCO PESADO BRASILEIRO

    O Carlos, leitor do blog, mencionou que ele mesmo faz seus blocos para ponte flutuante: "Paulo, eu mesmo faço esses blocos, artesanalmente em casa, conforme minha necessidade, utilizando materiais específicos, no caso o aço, uso SAE1045, excelente para tempera (tratamento térmico), muita qualidade mesmo, o ferro fundido fofo, como já mencionei anteriormente, dependendo da construção do instrumento (alder), timbra melhor que o aço, em volumes poucos mais altos, na minha opinião é claro. O legal mesmo seria você testar os dois. Pouco mais de meio século de vida e 40a de guitarra a gente aprende algumas coisas. 
    OBS: sou do ramo de usinagem desde garoto."

    Seguem as fotos que o Carlos enviou:






    Nada mal, Carlos. Tô curioso pra ouvir o som deles. Vai atiçar todo mundo aqui. E, por favor, se pensares em comercializar esses blocos, eu sou o primeiro da lista... Bem, depois do Jr... :)
    ______________________***____________________

    Adendo 24/06/2013: ATENÇÃO***: Já temos disponível no Brasil um bloco de aço com a qualidade de um Callaham! Clique aqui para maiores detalhes.

    118 comentários:

    1. Paulo, não sei como enviar pra você, fotos dos blocos de ponte strats, áço e fundido. já fiz as fotos.

      Abraço!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Carlos, abra uma conta grátis no Google Drive ou no Sky Drive da Microsoft. Em média eles dão 4 GB de espaço. Coloque as fotos lá e passe o link.

        Excluir
    2. Paulo, o Solid Steel Upgrade tremolo Blocks da GFS pode ser considerado Bloco 'Vintage' de Aço ou é alguma liga maluca com uma jogada de marketing por cima?

      Abraços

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Pedro, eu tenho dois blocos GFS de aço. Se é realmente aço puro, só uma análise metalúrgica pra saber... :)
        Mas são infinitamente melhores que os comuns e isso eu percebi claramente nas minhas guitarras.

        Excluir
      2. E como são boas! Eu pus numa Strato minha e a diferença é gritante.

        Excluir
      3. Assino abaixo de tudo que o Paulo May afirmou. Acabei de montar um bloco de aço GFS na minha SX 57. Mesmo desplugada já deu pra sentir uma moderada evolução da guitarra. As dicas do Paulo May são extremamente racionais. Comprovei que antes de investir em captadores melhores, temos que pensar em melhorar a parte elétrica com itens de boa qualidade e ter o cuidado de fazer soldas rápidas e seguras. Na sequência, trocar o bloco é fundamental. Por uma questão pe$$oal do momento, optei por um bloco da GFS que demorou uma eternidade para chegar. Futuramente, meu investimento será num bloco do Manara. Parabéns e sucesso pra todos.

        Excluir
      4. Paulo May e a quem interessar. Analisando visualmente o resultado, constatei que na melhor regulagem da placa da ponte e das molas da minha SX SST 57, o bloco novo GFS ficou encostado na madeira do corpo devido ao equívoco da produção da guitarra. Dessa forma, haveria comprometimento da performance do instrumento. O bloco original nunca tocaria na madeira devido a espessura dele. A cavidade do bloco tem um desvio de alinhamento em relação ao braço. Daí a causa do bloco ficar encostado na madeira. Como só existe um luthier bom mesmo a mais de 500Km da minha cidade, resolvi eu mesmo encontrar a solução sem comprometer a estrutura da guitarra. Convoquei meu pai para assistente - uma espécie de faz tudo nas horas vagas - na empreitada. Tenho uma micro-retífica chinesa com um acessório com lixa de madeira. Casou perfeitamente com a necessidade. Lixei cerca de 2mm da curva do compartimento do bloco. No final, o bloco ficou a apenas 1mm de distância no final. Por prudência, ficará assim por enquanto. Caso as cordas cedam e façam o bloco encostar novamente, farei um novo lixamento. Fica a dica e o alerta pra quem tem guitarra barata as quais carregam algumas imperfeições como essa do meu caso.

        Excluir
      5. Já tive que fazer isso numa das minhas SX, Jr. :)

        Uma dica importante: quando fores postar, evite postar como "resposta" (responder como) - é quase impossível localizar o post assim e pouca gente lê...
        Vá até o final da página (lá embaixo) e clique em "adicionar comentário"

        Excluir
    3. Paulo, aqui está o link das fotos dos blocos(8 fotos)http://www.facebook.com/photo.php?fbid=105563159625892&set=pb.100005166247208.-2207520000.1359920110&type=3&theater
      Uma das fotos e uma LP Vintage AFD que comprei em dezembro,corpo com peça unica sem nenhuma emenda.
      Abraço.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Carlos, podes dar mais detalhes sobre isso? Como conseguiste os blocos, quem fez e, o mais importante: como nós poderemos utilizar essa dica?

        Excluir
      2. Paulo, eu mesmo faço esses blocos, artesanalmente em casa,conforme minha nescessidade, utilizando materiais especificos,no caso o aço, uso SAE1045,excelente para tempera(tratamento térmico), muita qualidade mesmo, o ferro fundido fofo, como já mencionei anteriormente, dependendo da construção do instrumento(alder), timbra melhor que o aço, em volumes poucos mais altos,na minha opinião é claro. O legal mesmo seria voce testar os dois.Pouco mais de meio século de vida e 40a de guitarra a gente aprende algumas coisas.
        OBS:sou do ramo de usinagem desde garoto.

        Excluir
      3. Carlos, me intrometendo rsrs eu gostaria muito de testar esses seus blocos. Como posso entrar em contato?

        Excluir
      4. Oscar Jr., estou Passando meu e-mail, através do "Fale Conosco" JR Guitar Parts .Ok?

        Excluir
      5. Òps! Sou o segundo da fila, Carlos. O que o Jr. inventar, tô nessa! :)

        Já acrescentei as fotos e comentário no final do post.

        Excluir
      6. Carlos, você já testou aços mais macios que o 1045? A dureza deve fazer o timbre soa mais agudo. Um SAE 1020 deve provocar vibrações mais equilibradas. O que acha?
        Abraço.

        Excluir
      7. Filipe, o objetivo desse bloco é replica os originais da Fender dos anos 50 com aço pesado! Se formos partir para experimentações com as ligas vamos ficar malucos :-)

        Excluir
    4. Carlos, me metendo na conversa: o melhor meio de verificar as emendas em uma LP é observando as laterais do corpo. Normalmente é colocada uma fina folha de mogno na parte De trás do corpo para ocultar as emendas. Tenho uma Epi LP Standard com essa mesma folha, e q tem o corpo em 3 peças. ;)

      (O comentário anterior foi excluído pq ficou incompleto, e aqui não dá pra editar...)

      Abraço,

      Sidney

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Deixe que eu apago, Sid. O Carlos não tá falando dos blocos do corpo e sim dos blocos de aço para ponte de strato que ele fez... :)

        Carlos, podes dar mais detalhes sobre isso? Como conseguiste os blocos, quem fez e, o mais importante: como nós poderemos utilizar essa dica?

        Excluir
      2. Sidney, a borda raiada, e toda lateral da LP, o veio da madeira é, perfeitamente coicidente, fiquei bastante imprecionado com essa guitarra,por varios dias observei o corpo. Vi fotos na internete, dessas LP Vintage afd, onde se ve perfeitamente as partes coladas. Isso não influencia em nada, tenho uma stratocaster, com o corpo em 4 partes e muito boa.

        Abraços!

        Excluir
    5. Que beleza de post Paulo ! Outro ponto fraco nas pontes xing-ling é a chapa de metal onde repousam os saddles. Considero que ela seja também importante para a sonoridade mas quando é muito fina ou o seu chanfro é cortado fora da angulação e formato corretos, a ponte tem muita dificuldade para retornar à posição original, exigindo um forte aperto nas molas que inviabiliza seu uso confortável. Pessoalmente prefiro as pontes pontes pivotadas porque uso muito a alavanca, não curto porém as wilkinson vs100 e vs50, confortáveis para tocar mas não sei se é impressão minha mas sinto uma certa perda de sustain e da complexidade dos médios/agudos. Enfim, coisa de guitarrista chato mesmo, hehe, abç !

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. O mérito é todo do Oscar Isaka Jr., Mad. Só roubei e copiei aqui :)
        A chapa é importante sim e tens absoluta razão quanto aos modelos VS da Wilkinson. Detesto essas pontes.
        Achei que era só eu que pensava isso! :)

        Excluir
    6. Nossa, bem legal.

      Você poderia dar uma olhada nas pontes G&L, que ,para mim ,são a evolução das pontes de strato, tem maior massa e bem menos fricção nos pontos de contato e um tipo de bucha paro a alvanca...

      http://www.glguitars.com/features/DF-vibrato.asp


      Posso pedir um FAQ? faz um de como mudar a strato de 3 butões para dois, como você faz, eu não consegui aqui em casa.

      Abraços

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Daniel, te confesso que nunca toquei com uma ponte dessas. O dia que testar, posto aqui.

        Boa ideia quanto ao FAQ. O processo é muito simples. Tô montando uma nova strato e vou fotografar. Só te peço pra me lembrar disso se o post não rolar em 15 ou 20 dias, ok?

        Excluir
    7. Paulo,

      Conheci seu blog hoje e me identifiquei muito com os posts.
      Sou um strat addicted, assim como muitos dos seus seguidores.

      Minha pergunta é comum em alguns blogs, mas não consigo uma resposta definitiva.

      Minha "main axe" é uma strato J. Mayer sig., a qual eu fiz algumas modificações. Os pickups soam muito bem (ainda sinto falta de um som de ponte mais presente, estou cogitando um JM Rolph) e a guitarra em si tem ótima tocabilidade. Exceto pela mizinha... Sofro muito com o som dela! É fraco e magro em relação às outras cordas.

      A mod mais drástica foi a troca do hardware (Callaham) afim de otimizar o timbre e acabar de vez com o problema da mizinha. O timbre melhorou em uns 60%, o acabamento do bloco é lindo! Mas a mizinha ainda está atrás das outras cordas...

      Diante disso, tenho algumas perguntas:

      Qual seria a influência do nut nessa questão? Estou com um nut de osso da StewMac, mas ainda não o instalei.

      Você acha que uma retífica de trastes pode resolver? Desconfio que algum traste, na extremidade da mizinha, esteja mais alto.

      Qualquer sugestão será muito bem vinda.

      Meus cumprimentos pelo blog. Ótimo trabalho!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigado.
        Brum, geralmente a 1ª corda é mais anêmica nas stratos, ppte na posição da ponte. Mas uma coisa é volume individual e outra bloqueio da vibração por trastejamento. Seria legal checares os trastes.
        O nut pouco tem a ver com isso.
        Os teus captadores estão angulados, com o lado agudo mais alto que o grave? As cordas estão simétricas com os polos dos imãs? Se tudo ok, ainda resta tentares encomendar captadores com o primeiro pino mais alto - coisa que já fiz com o Sérgio Rosar.
        Eventualmente podemos tentar erguer um pouco o pino (após aquecer o captador e com um risco muito grande de arrebentar os fios da bobina, inutilizando-a), mas é um procedimento MUITO arriscado.

        Excluir
      2. Ah, sem chance de tentar subir a bobina!
        Vou continuar por aqui, tem algum problema?

        Sim, eles angulados corretamente. Vou fazer um polimento de trastes, talvez melhore.

        Agora, algo que nunca consegui entender é o critério pra altura das bobinas. Por que a da corda B é muito mais baixa que a da G?

        Você tem um set de Rolphs? A diferença é muito grande pros vintages Fender? E quanto vale um set? Enviei um email pedindo informações, mas ainda não sei o preço.

        Obrigado!

        Excluir
      3. Um set do humbucker "Pretender 58" - infelizmente não tenho os singles dele. O problema é que o Jim Rolph faz tudo sozinho com sua esposa. Até pra pagar é complicado pois não aceita cartões.

        Por uma questão física, a 3ª (moderna, lisa) e 2ª cordas soam mais altas em relação à 1ª e 4ª. Qualquer escalonamento/staggering atual geralmente tem o 2º pino mais baixo. O escalonamento vintage tinha o 3º pino mais alto porque a corda era encapada antigamente - hoje é normal ou até menor.
        O ideal, na minha opinião, seria uma strato ou tele (ambas com raio de até 10") com o primeiro e o 4º pino levantados, o 2º, 3º e 5º equidistantes e o 6º abaixado - o Sérgio Rosar fez um captador de Tele para mim nessa configuração e ficou perfeito.

        Excluir
      4. lendo, assim, por cima (sim, tirei o DIA INTEIRO de hoje pra ler o blog inteiro do paulo), fiquei curioso.

        Qual a tensão do seu set de cordas, brum?


        Pelamordideus, não me diga que toca com 0.9..

        Excluir
      5. você está com problemas no SOM, e não na POSIÇÃO da corda, correto?

        Se estiver tocando com 0.9 a sua mizinha-zinha está condenada a jamais soar como uma verdadeira primeira corda. Troque o set por 0.10, ou pelo kit ghs david gilmour pra strat 0.10 que é um híbrido 0.10-0.11, e que recomendo DE LONGE como um dos melhores sets que já pude tocar.. comprando pela elderly você recebe em casa, e o preço fica excelente ;)

        Excluir
      6. Eu uso 0.11 nesta guitarra, o calibre da corda não é o problema.
        Tenho quase certeza de que foi uma má aplicação de trastes, vou fazer uma retífica em breve ou então até trocá-los.

        Excluir
    8. Grande Paulo, muito obrigado novamente pelo post!
      Agora fiquei intrigado com uma coisa, gostaria que alguém me ajuda-se a identificar o tipo de material do meu bloco:
      http://www.flickr.com/photos/92895759@N05/8446718823/in/photostream
      http://www.flickr.com/photos/92895759@N05/8446719315/in/photostream
      http://www.flickr.com/photos/92895759@N05/8446719731/in/photostream
      O vendedor me passou como Big Block Fender Vintage... eu não sabia destas diferenças de materiais...

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Parece Zinco, Etelvino. A Fender costuma pintar os seus blocos de aço, mas numa cor cinza/prateada.
        O fato de ser de zinco não quer dizer que seja ruim. O importante é a massa do bloco.

        Excluir
    9. Olá Paulo! É um prazer visitar seu blog.
      Gostaria de sanar uma(s) dúvidas com você:
      Bom, comprei uma Fender New Standard Stratocaster 2012, veio com cordas 0.9 e percebi que a ponte veio um pouco suspensa, cerca de 3mm de altura. Se eu colocar cordas .10 e fixar a ponte através dos parafusos traseiros (molas) terei problemas no timbre e/ou no braço? Qual a sua opinião?
      Sou um pouco medroso em fazer mudanças na minha guitarra...mas através de você e seu blog tenho arriscado algumas regulagens básicas nela, mas percebo que falta agudos na mizinha (bends), já dei uma inclinada nos pickups conforme li alguns comentários. Trocando cordas e fixando a ponte (não uso alavanca) vc acha que melhora alguma coisa?

      Parabéns pelo blog, é o melhor que encontrei na web!

      Abraços

      Gil Marcos - Curitiba

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. A 1ª corda das stratos é realmente um problema, como estamos discutindo aqui em outra pergunta, Gil. Mas a regulagem da ponte não é a causa dessa característica. Cordas 0.10 vão levantar a ponte e se passar dos 3 mm recomendados (depende do gosto de cada um) pela Fender. deves apertar as molas p/ compensar a tensão. Eu não uso a ponte e a deixo colada no corpo.
        Leia mais aqui:
        http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/993-tunando-uma-strato-pontes/page__view__findpost__p__17871

        Excluir
      2. Obrigado Paulo! Deixarei a minha ponte colada, e colocarei cordas .10, se precisar mexer no braço, acho que consigo acertar sem maiores receios. Um grande abraço!

        Excluir
    10. Paulo, parabéns pelo blog. É uma contante fonte de informações para quem ama esse instrumento maravilhoso. Poderia dar alguma ideia sobre as vantagens/características das guitarras que usam through body? Abração

      Fabio

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Faz um tempo que estou querendo postar sobre isso, Fábio - tenho minha opinião pessoal mas ainda estou colhendo informações de diversas fontes.
        Em breve. :)

        Excluir
      2. Bacana Paulo! Grande abraço

        Excluir
    11. Para uma SX SST qual ponte/bloco/saddles me recomendam? Fiquei muito interessado neste artigo do Paulo, mas estou confuso com as especificações no site da GFS, USA specs, Import Spec....

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Modelo "Import" geralmente cabe.
        Mais aqui:
        http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/993-tunando-uma-strato-pontes/

        Excluir
    12. Olá Paulo! Sensacional teu blog Parabéns!
      Tenho duas stratos sendo montadas, uma em alder/braço rosewood) e a outra em ash/ braço Maple. Tenho 2 pontes fender uma com os saddles de aço e outra em alumínio. 2 sets de caps: LFralin vintage hot e o do gilmour ( fat 50/69/ssl-5).
      Pensei em combinar: alder/rosewood, saddles aço e os vintage hot. Meu maior dilema é na outra: ash/maple, saddles alumínio e o set gilmour. Q tu faria? Obrigado, sem compromisso de responder sei q não é fácil hehehe! Conrado

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Conrado, a minha experiência me diz que que o ideal é trocar caps e às vezes hardware até achar a combinação que nos faz querer tocar pra sempre uma guitarra.
        À princípio, a tua lógica tá correta - mas depois me diga como ficaram...

        Excluir
    13. Paulo
      Seria viavel bloco em madeira?tipo alguma madeira pesada...Já vi alguns baixos com saddles em madeira e o som é bem exotico rsrsrs
      O que me diz dos blocos e saddles de titanio?
      Voce tem alguma sugestão pra quando um desses parafusos do saddle(os 2 que regulam altura) perdem a rosca?

      Uma sugestão para um post futuro seria sobre tipos de cordas,nickel,aço...

      Voce tem uma Zakk wylde né?se não for pedir muito um review seria bem legal!

      Obrigado!!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Bloco de madeira é fora de propósito. Estamos falando de massa/peso e não só de dureza.
        Parafuso sem rosca só trocando...
        A minha LP81 é do mesmo ano que a do Zakk Wylde, mas a dele é uma custom.
        Tem pelo menos dois vídeos dela aqui no blog e uma descrição bem detalhada das características. Admiro o Zakk, mas nem morto colocaria caps ativos na minha :)

        Excluir
    14. Olá! Ha um tempo pediu para eu lembrar-te de fazer uma matéria sobre a real diferença de timbre entre braço parafusado e colado. Espero que a matéria saia logo. É uma grande dúvida!
      Obrigado!
      Abraço

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Tá na lista :)
        Obrigado pela lembrança.

        Excluir
      2. Estou na espera também...rsrsrs
        Vi no site da guitarfetish.com um corpo e Braço de Les Paul que me interessaram, mas vi também que são feitos para serem parafusados.
        Estou na dúvida se isso funcionaria na Les Paul e qual seria a principal perda.

        Excluir
      3. Leandro, uma Les Paul com braço parafusado nunca soará autêntica. Não diria ruim, mas jamais com o mesmo padrão de sustain e timbre.
        No próprio site da GF tem um kit chinês pra montar, onde o braço é colado.

        Excluir
    15. A strato clássica é um instrumento retrô. Imodernizável! São inadmissíveis features como ponte pivotada e ou esses saddles quadrados horrorosos sob pena de descaracterizar a pureza clássica da guitarra. Bom, na verdade, esse estilo de tremolo por si só já é obsoleto. Se fosse optar pelo upgrade o correto seria direcioná-lo aos locking tremolos, floy roses e afins, pois, ao contrário, dos tremolos comuns, esses sim são funcionais. Mas seria uma mudança muito drástica e daí teria que ser atacado todo o projeto de engenharia da strato. É por isso que acho que não se deveria substituir uma característica disfuncional por outra disfuncional. Mantenha-se a mais clássica: a ponte de 6 parafusos. E quanto aos blocos, esses comuns que se vê nessas stratos vagabundas normalmente são feitos de zamac, uma liga ordinária, leve, e quebradiça que mata o timbre e o sustain da guitarra. Melhor upgrade é substituir por um bloco de latão, que não a toa equipa as YJM, um dos melhores projetos de evolução da strato que alguém poderia conceber pra um gênio da música.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. fico feliz em saber que você é brasileiro, e não palestino, e que sua paixão é música, e não religião...


        serias fatidicamente um homem bomba no extremo oriente.

        Excluir
    16. Anônimo,zamac(zinco),a composição do latâo é, a liga ordinária+cobre, assim a YJM deveriam usar em seus projetos, uma liga mais nobre, como o BRONZE por exemplo(estanho+cobre)e não a liga ordinária.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. E daí? Só por que tem Cu e Zn não quer dizer nem que sejam ao menos parecidos, já que vários fatores, como porcentagem de concentração de cada metal, estão envolvidos. Sem falar que as características físicas resultantes são bem diferentes. Pelo que lembro um luthier me dizer, zamac parece suflair na medida em que se formam bolhas de oxigênio no interior da liga. E realmente eu me enganei nesse ponto: as YJM usam trem block de aço, e não latão, este apenas no nut. Devo ter sido enganado pela memória. Mas ainda sim não deixam de ser as mais atrativas Fender de série do mercado, juntamente com as EJ.

        Excluir
    17. Fala Jack, tudo bem?

      Excelente esse post do Junior!

      Uma dúvida bem específica: Surgiu a oportunidade de comprar uma ponte da WIlkinson, modelo 2pt. Vc conhece esse modelo? De acordo com o vendedor tem bloco e saddles de aço...

      Abraço

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Queres dizer WVC, Vicenzo? Procure no marcador "Selo de qualidade LPG" aqui do blog. AS versões com final "SB" têm bloco de aço.

        Excluir
      2. Então... o vendedor pasou apenas o modelo como sendo 2PT. Talvez nem ele saiba o que tem na mão...hahahaha

        Pesquisando melhor pela foto é a WVP SB. Valeu, mestre!

        Excluir
      3. Só pra constar, consegui comprar a ponte. Com isso minha Condor GX40A vai ficar apenas com as madeiras, jack plate e escudo originais...rs

        Abraço

        Excluir
      4. A Wilkinson de aço é melhor que as Fender modernas, Vicenzo - excelente compra!

        Excluir
    18. Paulo,por gentileza,de uma olhada nessas belezuras,"timbraço" agora so falta o logo rsrs' http://www.facebook.com/photo.php?fbid=113675388814669&set=a.113675298814678.16023.100005166247208&type=3&theater
      Abraços!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Muito bom.
        Carlos, o Jr. já entrou em contato contigo? Há viabilidade comercial nesse projeto?

        Excluir
    19. Paulo,o JR. não entrou em contato,se você e o JR.quiserem testar esses dois blocos,os dois das fotos,envio pra vocês sem custo algum,afinal também sou louco por guitarras, e como você mesmo disse se trata de um projeto,e a opinião de vocês é importante.Quanto a comercialização,é um caso a pensar,se viavel ou não, só confeccionando um destes, pra você entender o porque da Fender interromper sua fabricação,trabalho totalmente manual,furação onde passam as cordas,perfeitamente concentricas, para que as cordas não toquem na parede dos furos e por ai vai, já estou associando timbre,a essência.Alem do mais, coisas bacanas temos que dividir.

      Até mai!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Estranho, ele disse que te enviou e-mail...
        O mais prático seria enviares para o JR. Ele poderia recriar o setup do teste acima e acrescentar o(s) teu(s) bloco(s) - assim, a análise ficaria mais eficiente.
        Não posso colocar o meu e-mail aqui, infelizmente. Mas vou tentar via Facebook.
        Abraço!

        Excluir
    20. Paulo, o que vc acha das Stratos signature do Malmsteen? Sempre vejo alguém comentando sobre o quanto elas são incríveis aqui no blog que me pintou essa curiosidade. O scallop faz tanta diferença assim no timbre?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Velhinho, a escalopagem (existe essa palavra?) não muda muito o timbre (talvez uma diminuição do ataque e corpo da nota), mas modifica radicalmente a pegada e tocabilidade. Os bends ficam facílimos. A corda fica tão solta que qualquer movimento vertical dos dedos pode gerar desafinação... Por isso os acordes devem ser feitos com mais precisão.
        Obviamente, não é a minha praia :)

        Excluir
      2. Muito pelo contrário, meu amigo, a escalopagem melhora drasticamente o timbre, e não apenas a pegada, o controle das notas, os bends, os vibratos... E não falo isso apenas por achismo, mas me baseando na experiência que eu tive com a YJM e nas impressões de outras pessoas que foram muito semelhantes às minhas:

        http://www.greennotes.mus.br/message.asp?messageID=144971&listaFor=90&listaReply=30&orderReply=

        Pra mim é a strato definitiva. Posso tocar do blues ao Hard Rock, sem o incômodo dos ciclos de hum, com mais precisão, definição e conforto que só uma guitarra shredder proporciona, mantendo o visual de um instrumento vintage. E ainda com o grande diferencial de ser uma strato "de nicho", ao contrário das demais, que se popularizaram entre blueseiros sem talento, como o Clapton, sertanejos e micareteiros, como o cara do Asa de Águia, que usa uma strato tradicional. Até hoje eu não entendo por que a Fender não usa escala escalopada em todas as suas guitarras. Seria um diferencial enorme e segregaria àqueles que compram uma strato só pra fazer blein-blein-blein dos verdadeiros mestres da fritação.

        Excluir
      3. Não há necessidade de criticar outros guitarristas, nesse contexto do tópico e ainda mais como anônimo.

        Entretanto, tua opinião sobre a escalopagem permanece, é válida e agradeço a participação.

        Excluir
      4. Desculpe, cara, é que não gosto nem do Clapton nem do cara do Asa de Águia. Pra mim são farsantes, mascarados ou, como gosto de chamar, filisteus. Sei que tem gente que curte, e até supervaloriza, mas o que que eu posso fazer senão criticar? Deus da guitarra é só o Malmsteen, o resto vem logo abaixo Dele.

        Excluir
      5. Kkkkk...Graças a vc o mundo é mais cômico! Obrigado por esse momento.

        Excluir
      6. Eu acho que todos os fabricantes de guitarra deveriam parar de vender e direcionar todos os modelos fabricados mara o Malmsteen, pois só ele tem direito de tocar guitarra.
        Fala sério! Guitarra é um instrumento para todos, independente de quem é bom ou é ruim tocando. Não sou o dono do Blog, mas gostaria de ressaltar que é um Blog para falar de guitarras e não de guitarristas.
        Vc estava indo bem enquanto estava escrevendo sobre escalopagem, ou seja, quando estava falando de guitarra.

        Excluir
      7. Como vai, Paulo? Eu me divirto muito com seu blog, além do que aprendo, lógico. A diversão fica por conta de caras como esse anônimo aí acima, com toda a pinta de ser o Sacramento, que se despede a cada pouco, mas não consegue ficar sem opinar aqui, kkkkkkk!
        Abraço

        Excluir
      8. Pedro, novamente estás na pista certa. Acho que já conhecemos a abordagem clássica dele. Se não for o próprio, é um gêmeo! :)
        Abraço!

        Excluir
    21. Paulo estava pensando em dar um upgrade na ponte da minha condor RX-20 e com esse post me senti na obrigação de ter a sua opinião!
      Achas que devo trocar somente o bloco chinês de zinco ou a ponte toda, vendo que em breve mandarei fazer um corpo novo para esta guitarra devido aquela danada rachadura próxima a ponte!
      O vídeo demonstrando as diferenças é muito bom, eu que não tenho um ouvido muito apurado pude sentir uma grande diferença, para melhor, o que me incentivou mais ainda a trocar o bloco ou a ponte.
      E sobre aquela guitarra que comprei por 30 reais, estou envernizando-a e em breve tirarei fotos pra mostrar-lhe como ela está!
      Muito obrigado e não precisa ter muita pressa pra me responder não, não quero te atarefar mais ainda, mesmo te perguntando aqui haha :)
      até a próxima!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Bruno, de preferência a ponte toda, pois os saddles de aço também fazem diferença. A ponte da guitar fetish tá bem acessível e tem bloco e saddles de aço. Eles tem versões "American" e "Mexican", mas independente da versão, geralmente temos que adaptar (fechar e furar novamente) os furos. Na minha SX tive que desgastar também, uns 2 mm, a cavidade do bloco. Nada complicado, mas um luthier faz isso em meia hora no máximo.
        links:
        http://store.guitarfetish.com/Solid-Steel-USA-Spaced-Vintage-Tremolo-Complete-kit_p_691.html
        http://store.guitarfetish.com/Made-in-Mexico-Import-Strat-UPGRADE-trem-Solid-STEEL-block_p_489.html

        Excluir
      2. Muito obrigado pelos links Paulo, irei comprar a versão "American" e a deixarei bem guardadinha em casa, pois não pretendo gastar com este corpo trincado!
        Quando mandar o luthier fazer o corpo novo entregarei a ponte à ele para que possas fazer o trabalho com as furações corretas para este tipo de ponte.
        Quanto ao valor dela, creio que sairá numa faixa de uns 150,00 R$ estou certo ou não?
        Sobre o corpo que mandarei fazer, qual madeira me indicas para tocar hard rock e metal?
        Obrigado pela velocidade das respostas, e como eu disse não se apresse para me responder pois acesso o seu blog diariamente e sempre leio todas as perguntas para aprender um pouco mais, gostaria de ressaltar que o nível das conversas e perguntas estão aumentando consideravelmente!
        tem um pessoal muito informado participando do blog :)

        Excluir
      3. Bruno, acho que a ideia de "madeira para hard rock e metal" é uma questão polêmica. Shreders sempre preferiram basswood. Quando colocamos captadores de alto ganho pra tocar coisas com muita saturação, às vezes madeiras clássicas, muito vivas e ressonantes, mais atrapalham do que ajudam. O alder entretanto é um bom coringa que geralmente funciona bem em várias situações.
        Embora não goste nem um pouco do Cedro, se pretendes tocar mais de 80% do tempo em alto ganho, ele até serve... :)

        Excluir
      4. Eu tenho ressalvas quanto a trocar ponte completa devido às furações. Na minha RX-20, optei por trocar o bloco e os saddles.

        Excluir
      5. E também mandei cromar novamente a placa da ponte.

        Excluir
    22. digo isto pois recentemente assisti á um dvd do Iron Maiden e nas guitarras estão presente um trio de stratos com um excelente som e indaguei se stratos com madeiras clássicas são boas para tal estilo.
      Aliás estou querendo tocar algo com uma saturação mediana, pois, sempre toquei com captadores de alto ganho e agora estou querendo algo mais limpo, quero escutar os meus dedos encostando nas cordas, uma alteração as vezes vem para o bem :)
      Muito obrigado pela sua ajuda novamente!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Bruno, independente do estilo, é difícil errar com o Alder... :)

        Excluir
    23. Paulo, existe blocos de aço para pontes do tipo Floyd Rose? As pontes genéricas possuem bloco de latão e geralmente são pequenos.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Corrigindo, os blocos são de zinco

        Excluir
      2. Realmente não sei Alberto, pois não utilizo as Floyd. Mas no total essas pontes têm bastante massa porque o bloco soma-se ao maior volume de metal na parte superior. Se a ponte é chinesa genérica, geralmente a qualidadedos metais é inferior.
        Se descobrires algo nos avise.

        Excluir
    24. paulo, tirei o dia - e a madrugada - pra literalmente 'devorar' o seu blog, e eis o seguinte:

      Comprei recentemente - algumas semanas atrás - na feira de instrumentos que rolou no célula, aqui em floripa, uma strat de um luthier da magist guitars, de palhoça..

      Um fato me chamou a anteção, além do timbre x custo da guitar: NUNCA, repito, NUNCA toquei numa strato com 0.11 tão macia na minha vida. Cheguei a rir quando ele falou em 0.11 e ele riu também, e disse que regulatem é arte, e que uma guitarra 'no ponto' deve sim, soar assim, mesmo com 0.11. Sujeito banca, chama-se tico...

      Bom, comprei incialmente pra ter uma strat, e cheguei a conclusão que todo guitarrista deve ter uma, mesmo que não seja sua 'main guitar'.

      E também, claro, para ter uma segunda guitarra, que pudesse servir, como parâmetro de referência de sonoridade para minha tele richie kotzen, tendo em vista que estava muito 'viciado' no som dela, e começando a me sentir um pouco 'perdido' em termos de timbres ideais.

      Confesso que fiz bom negócio, e agora quero trocar o bloco, e tenho estas duas opções em mente, com valores TOTALMENTE diferentes, como segue:

      http://www.ebay.com/itm/Fender-Strat-Big-Block-or-Mexican-Standard-Tremolo-Chrome-Bridge-Assembly-/170989339679?pt=Guitar_Accessories&hash=item27cfc2441f

      Não sei se é de latão ou zinco, enfim, é "big block", 30 dolares com shipping.


      E este outro big block, da GFS, de bronze, e que vai deixar a minha strat menos 'arisca' (sim, ela é absurdamente brilhiante):

      http://www.guitarfetish.com/105mm-Chrome-Spaced-Import-Made-in-Mexico-BRASS-BLOCK_p_1158.html#

      custos com shipping, 52 dólares.

      Diferença de preço gritante.
      Bom, vamos ser diretos... e ai, Paulo?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. corrigindo, o Tico é um sujeito *bacana.

        Ah, e claro, bem como a tele richie kotzen, adoraria deixar essa strat custom nas suas mãos para um test-drive, Paulo.

        Como somos vizinhos, acho que é válido, heim?!

        Excluir
      2. Luiz, se a tua strato (cedro?) é aguda, o bloco de latão talvez seja o mais indicado.
        O Jandir da Magist Guitars de vez em quando aparece por aqui. Me prometeu um post sobre pintura de guitarras mas acho que ele anda muito ocupado... :)

        Cara, agradeço imensamente a consideração e disposição para deixares eu conhecer as guitarras, mas infelizmente eu não tenho tempo nem pra tocar as minhas! Pode parecer exagero, mas esse blog tá me canibalizando. Era pra ser um "diário" e um lugar pra guardar dados, mas virou uma central de perguntas e eu não tenho tanto conhecimento assim... :)
        Adoraria ouvir as tuas guitarras num link ou num vídeo do Youtube, entretanto. :)
        Abraço!

        Excluir
    25. Parabéns pelo blog, vejo que vc escreve muita dedicação e vontade de fazer algo bem feito! Descobri o blog no carnaval e passei boa parte do feriado lendo as matérias (acho que li todas). Super bem escrito (finalmente alguém que sabe redigir e expressar idéias!!!). Sou advogado e guitarreiro nas horas vagas, mas nunca tive muito tempo ou vontade de estudar mais a fundo o instrumento. Mas recentemente ando bem mais curioso e interessado, por isso foi muito legal descobrir o blog! Sucesso!

      ResponderExcluir
    26. Primeiramente, Paulo, queria te parabenizar e agradecer pelo blog!
      Tenho certeza que as informações que posta tem ajudado muita gente, assim como eu, que também sou um amante desse instrumento maravilhoso!
      Obrigado mesmo!
      Eu ainda tô começando a mexer em guitarra, por puro gosto mesmo, de experimentar novos timbres, modos, etc.
      E até queria tirar uma dúvida contigo...
      Eu ainda tenho minha primeira guitarra, uma Rocky by Condor RX-20 e já mexi bastante nela...
      Só que agora, tô com um probleminha pra regular as oitavas dela, os saddles já estão no limite (o mais perto da ponte possível, oposto ao braço) e a afinação na 12a casa ainda está aguda em algumas cordas... Eu nunca tinha reparado nisso, ou pelo menos não me lembro.

      Primeira dúvida:
      O estado das cordas pode influenciar nesse caso?

      Segunda dúvida:
      Em caso da ponte mal posicionada mesmo, eu vou ter que reinstalar ela (o que será uma experiência bem legal! haha). Se precisar mesmo fazer isso, eu queria já colocar uma ponte hardtail nela... Tampando as cavidades, etc e tal... Tem algum macete na hora de instalar a ponte um pouco mais pra trás? Pra não ferrar e instalar a ponte torta?

      Obrigado mais uma vez! Abraço!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigado!
        A ponte precisa ir um pouco pra trás, Gabriel. Tapar a cavidade da ponte de uma strato pra colocar hardtail não é uma coisa fácil - nem para um luthier.
        E se tem uma coisa que eu detesto é posicionar pontes. Putz! 1 ou 2 mm fora e a gente tá ferrado!
        Acho até que seria mais simples afastar um pouco o braço do corpo e deixar a ponte onde está... Ou, dar um descanso e aposentar essa pobre Rocky :)

        Excluir
    27. É, verdade Paulo! Andei pesquisando sobre essa mudança radical e vi que coisa fácil não é mesmo!
      Eu acho que dei um jeitinho agora aqui, faltava bem pouco pra afinação ideal, então, eu retirei aquelas molinhas que ficam atrás dos saddles (não sei se vai influenciar em algo, mas... hahaha) E até que funcionou! Agora tá no limite do limite, mas as oitavas aparentemente estão reguladas!
      Em breve vou trocar as cordas pra ter mais certeza da afinação...
      Se ficar assim, tá ótimo! Aí acho que só vou trocar o bloco pelo de latão, depois que li esse seu post fiquei bem interessado nesse upgrade.
      Aí paro de mexer nela e talvez aposente hehe

      Brigadão pela atenção, Paulo! Muito sucesso!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Gabriel, sempre que for regular as oitavas, faça com cordas novas.
        Abraço!

        Excluir
    28. Dentro ainda do assunto, tenho uma questão e se alguem conseguir esclarecer me ajudaria muito.
      Tenho uma fender crafted in japan com uma ponte aparentemente modelo vintage. O problema é que as cordas mi estão muito próxima as extremidades do braço fazendo com que em algumas vezes quando eu toco elas "saem" para fora do braço.Pesquisei alguns foruns e vi que exitem 3 tipos de pontes a vintage, a standard e a híbrida.
      Alguém pode me dizer qual seria indicada para que eu resolva este problema?
      Só para registrar, ótimo blog e ótima matéria. Tem me ajudado muuuito.

      Grande abraço

      Alex

      ResponderExcluir
    29. Paulo, estava lendo sua matéria sobre pontes, principalmente sobre o material que são feitas. Comprei uma ponte da Malagoli, em que o bloco e os carrinhos são feitos em zamac. Conhece esse material ? Parece ser uma liga de zinco.
      Segue o link: http://www.captadores.com.br/loja/produto-34302-1473-tremulo_strato
      Abraços

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Rodrigo, em termos de timbre, o Zamak soa quase igual - talvez um pouco menos agudo - ao Zinco puro, pois as porcentagens de cobre e alumínio são muito pequenas. Ele já foi colocado na guitarra? Podes pesar o bloco?
        Engraçado, como o Érico não especificou, eu achei que esse bloco fosse pequeno/fino (ou oco)... Mas se o bloco pesar mais de 200g, o preço até que tá bem legal.

        Excluir
    30. Olá Paulo.

      Bom, curti muito o post, parabéns e claro parabéns ao Jr e o Carlos que com suas colaborações só ajudam a tornar o blog ainda melhor. :) Bom, na verdade estou aqui para fazer um pedido, quando você for postar sobre as pontes de telecaster será que você poderia falar também sobre os diferentes tipos de tremolos feitos para elas? Eu quero colocar um na minha mas ainda não sei qual é o melhor (pelo menos para mim. Obrigado

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Rennan, tenho por princípio só falar de coisas que possuo/testei pessoalmente.
        Minha telecaster 1974 tinha originalmente um Bigsby - tive que comprar essa porque era a única na loja. Detestei o tremolo desde o primeiro minuto - pra mim não faz sentido nenhum tremolo em telecaster, portanto nunca tive interesse neles.
        Na coluna da direita verás um link com o logo "Tanaka Guitar Tech". O luthier Tanaka recentemente fez experiências com tremolos para tele. Dê um toque pra ele, ok?

        Excluir
    31. Opa. Alguém me recomenda um entendido de Fender Strato, preciso regular a minha. Mandei regular, mas o rapaz regulou a ponte junto ao corpo e no manual recomenda que fique alguns milimetros longe. Sou de São Paulo. Grato

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. O manual sugere apenas.
        Vários guitarristas (e eu também) preferem a ponte rente ao corpo, ppte se usam pouco o tremolo. O sustain e timbre são melhores.
        O básico do básico de luthieria é regulagem de strato, mas o ideal é que o guitarrista aprenda a fazer essas regulagens, inclusive do tensor.

        Excluir
    32. Parabéns e muito obrigado pelo Blog.....Excelente.

      ResponderExcluir
    33. Meus amigos esse bloco de vcs posso encaixar atras de qualquer ponte? To pra reformar minha guitarra e coloca-la com detalhes dourados, mas quero investir na idéia de sua placas de aço. Aguardo uma resposta. Parabéns pelo trabalho.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Leia mais atentamente, João. Placa e bloco são coisas distintas. Além disso, o bloco não é nosso. É feito pelo Carlos Manara (procure por "Manara" na pesquisa do blog). Ele faz modelos genéricos para pontes chinesas e alguns para pontes Fender e Wilkinson. Talvez tenhas que enviar a placa para que ele confeccione um bloco que se adpte a ela

        Excluir
    34. Será q alguém tem como me passa um desenho técnico com as dimensões (com distancias dos furos, etc) de um bloco pesado desses, para ponte de guitarra Strato SX. Trabalho em uma empresa q possui torno e isso é uma tarefa facil para um torneiro.
      Abraços.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Acho que a maneira mais fácil é vc levar um bloco pra eles tirarem a medida !:-)

        Excluir
    35. Sei que o post é antigo mas vi hj e queria saber se as molas influenciam no timbre?

      Poderia fazer um post mostrando como regular a ponte tremolo e como evitar problemas com a afinação. E como regular a ponte igual um cara chamado Carl Verheyen explica num video.

      Abraço!
      Sou fã do blog!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Há quem diga que sim mas eu ainda não comprovei/testei essa teoria. Faz até sentido se pensar, pois quando a gte toca na guitarra percebe-ce que as molas trabalham vibrando junto numa especie de reverb natural. Existe uma marca chamada Raw Vintage que fabrica molas "vintage correct" justamente por isso. Nos forums o pessoal fala que faz diferença, mas acho que se usar a ponte colada no corpo faz menos.

        Vou confessar que não sei regular a ponte como o Carl V. faz pois minhas stratos todas tem a ponte colada no corpo. Além de boas tarrachas e um bom Nut lubrificado com grafite e etc, acho que é uma questão de experimentar com as molas. Segundo o que já vi ele tenta fazer com a tensão das molas seja as mesmas das cordas e ir tentando. Desculpe se não ajuda muito, mas é o máximo que eu sei sobre esse assunto! :-P

        Excluir
    36. Olá!
      Paulo, troquei o bloco e não sei qual a intensidade do aperto dos parafusos da placa da ponte ao corpo. Devo apertar até encostar todos os parafusos ou deixar algumas voltas dele?

      Ajude-me nessa, por favor.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. eu não utilizo a ponte como tremolo mas mesmo assim nunca perto rente ao corpo. deixo sempre 1 ou 2 mm de espaço

        Excluir
    37. bom dia senhores;

      Gostaria de saber se alguem ja trocou uma ponte twin pivot tremolo (como as da Squier Deluxe e Fender American Standard) pela ponte tremolo vintage?

      Eu tenho a Squier, corpo em basswood, é uma guitarra barata, nada de impressionante nela, a não ser o acabamento e tocabilidade, que ao meu gosto ficou muito bom.

      Se puderem contribuir com seus conhecimentos ficarei muito contente!

      Abraço senhores

      ResponderExcluir
    38. Já fiz o contrário - até porque prefiro as de 2 pontos...

      ResponderExcluir
    39. Amigos do blog, todos os saddles com impressao Fender sao de aço?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Acredito que sim Arthur, pelo menso eu nunca vi Saddles estampados FENDER que não fossem de Aço. Agora com as linhas Chinesas nunca se sabe né... O truque é fazer o teste do Imã, se grudar Zinco não é! :-)

        Excluir
    40. Paulo May e a quem interessar. Analisando visualmente o resultado, constatei que na melhor regulagem da placa da ponte e das molas da minha SX SST 57, o bloco novo GFS ficou encostado na madeira do corpo devido ao equívoco da produção da guitarra. Dessa forma, haveria comprometimento da performance do instrumento. O bloco original nunca tocaria na madeira devido a espessura dele. A cavidade do bloco tem um desvio de alinhamento em relação ao braço. Daí a causa do bloco ficar encostado na madeira. Como só existe um luthier bom mesmo a mais de 500Km da minha cidade, resolvi eu mesmo encontrar a solução sem comprometer a estrutura da guitarra. Convoquei meu pai para assistente - uma espécie de faz tudo nas horas vagas - na empreitada. Tenho uma micro-retífica chinesa com um acessório com lixa de madeira. Casou perfeitamente com a necessidade. Lixei cerca de 2mm da curva do compartimento do bloco. No final, o bloco ficou a apenas 1mm de distância da madeira. Por prudência, ficará assim por enquanto. Caso as cordas cedam e façam o bloco encostar novamente, farei um novo lixamento. Fica a dica e o alerta pra quem tem guitarra barata as quais carregam algumas imperfeições como essa do meu caso.

      ResponderExcluir
    41. Paulo, tenho lido bastante seu blog, e gostaria de te dar parabéns. Muito interessante todos os assuntos aqui abordados.

      Lendo este post sobre saddles, fui ver com era a ponte da minha strato....
      A minha ponte Fender possui os saddles "opacos" e mais escuros (cinzas) do que a base (cromada)...

      Já viu este tipo de saddles? Que material seria esse?

      Abraço e parabéns

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. ____________, não são os saddles de liga de alumínio que mostramos no post>

        Excluir
    42. Tive que trocar a ponte da minha strato, porém estou com dificuldades em regula-la, as oitavas ficam fora.
      Qual seria o melhor jeito de regular a ponte/oitavas?
      Obrigado Orcar e Paulo!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. José, sem querer soar evasivo, mas no Youtube tem vários vídeos extremamente explicativos e ilustrativos sobre a regularem da ponte de Strato. De uma procurada por "strat tremolo setup" . Com certeza vai ser mais claro doa ue eu tentar explicar aqui com palavras! :-)

        Excluir

    Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".