sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Epiphone Les Paul Special


Essa eu ganhei de "brinde" ao comprar uma Aria semi acústica, em 2004 ou antes. É daquelas ruins, com corpo laminado de folhas de maple e alder. Se tirar um parafuso, o local "esfarela" de tal maneira que não dá mais pra recolocá-lo. Uma piada.
Observe na foto abaixo, da cavidade do captador, o excesso de cola e as camadas da laminação:


Portanto, bonitinha mas ordinária. :)
Poderia jogá-la fora, mas gostei muito do braço de maple, surpreendentemente bem acabado, "gordinho" e com uma bela escala de rosewood/jacarandá (raio de 12"). Ela ficou largada aqui em casa até o ano passado, quando o luthier Cavalheiro, de Blumenau, me avisou que tinha um pouco de mogno disponível. Pedi pra ele fazer um corpo (idêntico ao original) de mogno e colar o braço.
 
O ideal seria antes aumentar a base posterior/trocular, do braço e fazer um encaixe mais profundo, porém ele achou que não havia necessidade. Até o momento, está bem estável e sólido :)
No detalhe da foto, o braço colado:


Obviamente ficou outra guitarra, muito, mas muito superior em timbre e ressonância. O peso final é de 4,2 kilos, portanto, o mogno é bem pesado (a minha LP 81, que ainda tem um top de maple por cima, pesa 4,3kg).
O acabamento, apenas com selador e óleo (limão e peroba). Coloquei os dois captadores originais (início da década de 80) da Aria, com imãs trocados para alnico (II no braço e V na ponte) e sonoridade bem na praia dos PAF, 7,8k.
Como os captadores estavam naturalmente envelhecidos, resolvi deixar as ferragens também com aspecto antigo e foi fácil: lixa (grão no mínimo 400, 600 é o ideal) pra retirar o brilho cromado já equilibra o aspecto "vintage".
Ela ainda ganhou tarraxas Gotoh, nova fiação e potenciômetros e um capacitor Mojotone "Dijon" .022uF.
Ficou melhor do que eu imaginava. Tô surpreso com a sonoridade dela.
Até pensei em refazer o headstock pra apagar o passado "Epiphônico Negro" dessa Special, mas resolvi deixá-lo intacto. :)

(Foto da guitarra em 06/2012, depois de refazer o acabamento - leia o update no final)


PS: O Lucas fez a pergunta óbvia e me toquei que também o óbvio seria aproveitar o novo corpo e transformá-la numa Les Paul Jr. Uma Les Paul Jr. Special, com dois P-90, como essa Gibson:


Mas acontece que o luthier Cavalheiro tinha um outro pedaço de mogno (antigo, de "demolição") e encomendei uma Junior Special - nesse caso, idêntica à Gibson, com braço de mogno, etc (mas acho que com os controles da Jr - não preciso de 4 pots). Atrasou porque tivemos dificuldade pra achar jacarandá pra escala. Mas o luthier Inaldo, de Florianópolis, muito gentilmente me cedeu uma bela peça. Em breve mostro a guitarra aqui.


Update 10/06/2012: Embora gostasse do visual rústico dela, achei que o mogno merecia uma "acendida". E é fácil - o mogno mais comum é esse marron, mas quando tingido de vermelho ou roxo e coberto com verniz, fica lindo. Como resolvi trocar o captador do braço, já que esse humbucker tava soando algo abafado e gordo, aproveitei e fiz o trabalho de embelezar o mogno. Usei corante anilina para madeiras da marca Salisil e da cor "Mogno", que na verdade é roxo. O roxo com o marrom natural do mogno resulta num tom avermelhado muito bonito.

Na posição do braço,adaptei um single (Rosar Fullerton) para que coubesse na moldura de humbucker . Aproveitei e coloquei um Rosar Mojo 13 na ponte - é um captador mais orgânico e natural que o próprio Gibson 57. Troquei ponte/stop tail e molduras para metal enegrecido.
Tone control apenas para o captador single (50's wiring), já que o pot de volume é de 500k.

O visual novo dela tá assim:




Antes que perguntem, para adaptar o single numa moldura de humbucker, recortei um pedaço de escudo de strato velho pra que coubesse por dentro da moldura do humbucker.
A Guitar Fetish vende adaptadores prontos.

DEMO MP3
Nessa demo (antes da troca de captadores em 6/2012) estou usando sempre o captador da ponte (um Gibson 57 Plus modificado). Simulações do Amplitube: na direita, um JTM e na esquerda o Blues Jr com o pedal Moller (saturação). O solo é um Tiny Terror no talo. Como é uma guitarra de mogno com humbuckers, a sonoridade dela lembra a da Gibson SG, então fiz um tema no estilo ACDC/Hard Rock:



68 comentários:

  1. Conforme fui lendo o post, não sei porque achei que você fosse transformá-la em uma Les Paul Jr.
    Paulo, agora fiquei imaginando o som...Você precisa começar a postar pequenas amostras de som com estas mudanças, hehe.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Lucas, leia o "PS" que acrescentei ao texto. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Haha, te fiz estragar a surpresa. Você fará com um únoco cutaway?

    ResponderExcluir
  4. Luiz Marcio - Lorena-sp27 de agosto de 2011 07:25

    Putz, tenho uma special II tb, já troquei os captadores(jogo custom 57 plus da malagoli), tarrachas gotoh tb...e lixei um pouco ...até q ficou com um timbre legal, e o braço dele é muito bom....tava pensando em tirar toda a pintura e deixá-la na madeira, mas confesso q tua idéia é bastante tentadora...rsrsrs...abrç

    ResponderExcluir
  5. Rapaz, que inveja!

    Pena que não ganho esses "brindes" e nem tenho amigos luthier!rs

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Legal Paulo!!!

    Eu já tive uma Epi LP S também e essa guitarra exerce uma influencia estranha sobre os guitarristas, pois sabemos que ela não é lá essas coisas porem não conseguimos nos desfazer facilmente delas hehehehe,sem duvida com esse corpo o timbre deve ter melhorado 500%!

    Ta devendo uns sons dessas guitarras Jack!!!

    ResponderExcluir
  7. Lucas: single cutway. Sempre achei que o cutway duplo tira um pouco do som clássico das LP.

    Luiz: A Special II atualmente tem braço e corpo de mogno. A tua é de quando? Sempre há um risco de, ao retirar a pintura, nos depararmos com pedaços de mogno esteticamente "estranhos", mas acho que vale a tentativa.

    Sir.Paulo:O som tá realmente muito legal. E eu sei que tô devendo vários samples das guitarras. Tô planejando fazer com vídeo, pra ficar mais legal. É uma meta pros próximos meses - me aguarde! :)

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Hey Paulo! Conheço bem essa Epi Special: um amigo comprou uma quando começamos a tocar juntos, e foi a primeira "LesPaul" que toquei. =)

    E o que vc fez com sua Special é uma ideia antiga (e dúvida cruel) que segue: tenho Washburn Lyon, a primeira guitarra da minha vida! O som dela até surpreende pra uma strato com corpo de laminado. Mas o bacana, mesmo, dela é o braço, todo em maple, finíssimo, com trastes médio jumbo (já foram trocados).
    O drama é: fazer um corpo em alder pra ela, ou manter ela original, já que o verdadeiro valor dela é sentimental?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Dúvida cruel, Rodox... :)
    Mas se o braço é tão legal assim, acho que merece ser tocado ( e merece um corpo digno também).
    Braço de guitarra é uma das coisas mais pessoais que conheço - quando a gente acha um que cabe certinho na nossa mão, vale tudo pra mantê-lo :)
    Entretanto, se tens outras guitarras (e braços) legais, podes muito bem deixar a tua Lyon velha de guerra pendurada na parede.

    ResponderExcluir
  10. Luiz Márcio - Lorena-sp31 de agosto de 2011 09:27

    Paulo, a minha Epiphone é de 2009, é nova sim...eu deixei ela fosca, por preferência pessoal mesmo, mas tenho esta ideia de deixá-la pelada, mas como diz a lenda que ela é "laminated"...então...mas qq dia retiro a pintura sim...aliás...a sua ficou "soberba"....rsrsrsrs..
    E realmente, como Sir.Paulo disse acima..a influência estranha que nos é acometido, realmente é "estranho"...pois ainda ela permanece em casa...rsrrs...vivo mexendo, trocando peças, ela não tá se jogar fora não...rsrsrsrs! É ela, e uma Gianinni g300, acho q da decada de 90...foi minha 1º guitarra, mas tá lá...toda tunada, e com um sonzão...rsrsrs!

    ResponderExcluir
  11. viva!

    para começar sou novo neste mundo das guitarras.
    Quando procurava sites de guitarras, foruns etc..
    deparei-me com este maravilhoso blog, tenho aprendido muito aqui sem duvida.
    Os meus parabens!

    Há semanas que Tenho procurado na net,foruns sobre uma guitarra que estou a pensar comprar e praticamente nao existe informação.
    estou falar da Ephiphone Les paul Royale, eu ja vi a guitarra no youtube, mas so existe um video sem som, está previsto salvo erro começar a ser distribuida na Europa dia 26 deste mês, mas nos Stades já está a ser comercializada algum tempo, acho estranho nao haver mais informação.


    È fabricada na china que soube agora, nao è muito aceite por alguns guitarristas por causa da mao de obra penso eu..
    È uma boa compra, tendo em conta qualidade vs preço? o som como é?
    sao todas estas duvidas que nao consigo encontrar resposta.



    Muito obrigado e mais uma vez Parabens pelo blog.

    ResponderExcluir
  12. Luiz,
    A Special II tem braço e corpo de mogno - pelo menos é o que tá no site da Epiphone.
    Cara, se gostas do visual da madeira "pelada", arrisque. Na pior das hipóteses, é só pintar de novo. :)
    PS: tbém tive uma Giannini SG, mas essa era de mogno, da década de 70. Boa guitarra. Se fosse hoje, não a venderia de jeito nenhum

    ResponderExcluir
  13. Aníbal,
    Teu português não parece o brasileiro. És de fora?
    Achei bastante informação sobre ela, inclusive as especificações, no site da Gibson:
    http://www2.gibson.com/Products/Electric-Guitars/Les-Paul/Epiphone/Les-Paul-Standard-Royale/Specs.aspx

    É basicamente uma Epiphone Custom com acabamento branco perolizado e hardware dourado. Captadores são a versão Epiphone dos 57 Classic, com alnico II. Como ela não tem top de maple, a sonoridade é a mesma da Epiphone Custom, que por sinal, é mais cara.
    Pelo que li, a guitarra é bem mais bonita que nas fotos.
    Está à venda na Guitar Center por menos de 500 dólares.

    Obrigado pelos elogios ao blog. Seja bem vindo! :)

    ResponderExcluir
  14. Olá Paulo,
    Sou de Lisboa e agradeço a informação sobre a guitarra, de facto ja tinha lido esse link e os demais que sao praticamente identicos.
    A opiniao que deixas-te já é mais do que tenho sabido pelos sites onde ando,é isso precisamente que procuro, a opiniao de quem sabe.

    Em Portugal estamos anos Luz no do que diz respeito a lojas de música, conhecimento, discusao, foruns, etc.. todo o que tenho aprendido é com voces e todo o material que compro é na (http://www.thomann.de/) onde os preços sao baixos e o atendimento excelente, isto para dizer que custa 379€ nesta mesma casa.
    Pelo preço e qualidade estou inclinado a dizer que será uma boa compra.

    Muito obrigado e continuação deste excelente trabalho, é bom falar com quem sabe :)

    ResponderExcluir
  15. Aníbal, ela está à venda na Thomann:
    http://www.thomann.de/pt/cat_GF_modelos_les_paul_PG_14.html
    por 379 euros. Me parece um bom preço.
    Já deste uma olhada nas Les Paul Vintage (modelo V100)? Elas talvez até sejam melhores do que as Epiphones comuns. Não as encontrei na Thomann mas são (feitas na china também) de uma empresa da Inglaterra:
    http://www.jhs.co.uk/vintageelectric.html

    ResponderExcluir
  16. Olá Paulo,

    é uma guitarra muito bonita e está dentro do mesmo preço que a Epi.
    encontrei-a na MusisSotre a 350€, na tua opiniao é uma melhor escolha?

    Obrigado

    ResponderExcluir
  17. Estás falando da Vintage V100? Nunca toquei com uma, mas suas especificações são as mesmas das Epiphones/Gibsons e em 90% dos comentários ela é considerada superior à Epiphone.
    A V100 "Paradise" é a top de linha e nesse vídeo dá pra avaliar sua sonoridade:
    http://www.youtube.com/watch?v=PnW3_qqy_r0&feature=related

    Ela tem top de maple real, com folha de maple figurado. A Epiphone Royale é só mogno.
    O maple deixa a guitarra com som mais aberto, típico das Les Paul standard.

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Sim estava a falar da VIntage.

    Encontrei esta Vintage V100 Electric Guitar, Flamed Amber Paradise, é esta que estas a falar?

    http://www.dv247.com/guitars/vintage-v100-electric-guitar-flamed-amber-paradise--82553

    custa 326.87€ na Dv247.com
    o Preço é mais ou menos o mesmo que a Epihone

    ResponderExcluir
  20. Paulo, seus posts são perfeitos pra atiçar qq GAS... hehehehe...

    Parabéns por mais uma guitarra legal, e pelo incansável espírito de melhorar o equipamento q tem na mão - e compartilhar suas experiências!!!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  21. Paulo! Poderia me indicar um luthier q faria um bom corpo pra usar aquele meu braço Washburn, e enviasse para o RS? Envie para o meu email rodoxpretto@gmail.com
    Pode apagar meu coment se achar ele chato.
    Brigadão
    Abraço!

    ResponderExcluir
  22. Exatamente essa, Aníbal. A Royale também é uma excelente guitarra. A diferença é que a Vintage deve ter um som mais "roqueiro".

    ResponderExcluir
  23. Valeu Sid! :)

    Rodox: te indico o mesmo luthier que fez o corpo da minha: Roberto Cavalheiro, de Blumenau:

    oficinadomusico@ig.com.br

    ResponderExcluir
  24. Obrigado Paulo,

    pelo que estive a ver a opiniao é quase unanime em relação á Vintage vs Epiphone.
    O unico pormenor que me deixou curioso foi o facto de quem comprou Vintage fez um setup de imediato á electronica da guitarra para melhorar a qualidade do som.
    Para ser sincero nao me agrada o facto de comprar uma guitarra nova e fazer-lhe logo um setup :)
    Esteticamente gosto mais da Epi mas o som é o mais importante de tudo acho eu..

    estou indeciso, este fim de semana vou me dedicar a recolher mais informaçoes:)

    ResponderExcluir
  25. Paulo, dá-me só mais uma informação s.f.f

    o que achas da Gretsch/Electromatic G5238 PRO JET por 340€ mais ou menos 900 reais.

    Obrigado

    ResponderExcluir
  26. Seria a minha escolha das 3 citadas, Aníbal. A Gretsch ainda é um sonho de consumo meu :)
    Mas é importante teres em mente que a sonoridade dela é bem característica - um meio termo entre Gibson e Fender e com um toque de semi-acústica. Os captadores foram desenhados pelo TV Jones.
    É uma guitarra que vai do jazz pop até o hard rock, tranquilamente.

    ResponderExcluir
  27. Parece-me de facto uma guitarra fantastica e adoro o som.

    Muito obrigado Paulo,
    um abraço

    ResponderExcluir
  28. Agora é só questão de escolher, Aníbal. Mas a decisão seria mais precisa se pudesses tocar em cada uma delas antes de comprar, não? :)

    ResponderExcluir
  29. Tens razao Paulo, mas infelizmente nao vou poder faze-lo,
    vou mandar vir da www.dv247.com que fica 100€ mais barato.

    vou confiar no que tenho lido, visto e ouvido :)

    ResponderExcluir
  30. Qual a tua decisão, afinal?
    Depois nos diga tuas impressões da guitarra, ok?

    ResponderExcluir
  31. A Gretsch é sem duvida a melhor das 3 guitarras mas o que me levou a optar pela Vintage Paradisel foi a estética, pessoalmente gosto mais, mesmo assim quando chegar vou lhe retirar o pickguard :)

    em relação ao som tambem gosto, não é um som nao tao limpo como a Gretsch, mas vou experimenta-la, depois decidir se é este o tipo de som que eu pretendo, caso nao seja tenho que me aconselhar contigo novamente para lhe mudar as pickups :)

    ResponderExcluir
  32. Paulo, será que é possível transformar uma Condor cpl II: http://www.flickr.com/photos/ederluizpereira/6152539999/in/photostream ,em uma burst 59, e será que vale a pena?
    Abraço!

    ResponderExcluir
  33. Transformar uma Condor CLP II numa Gibson 59?
    Eder, é impossível. Seria como querer transformar um carro comum numa Ferrari :)
    Essa Condor é feita de Nato e a única coisa que tem em comum com as Gibson LP clássicas é o visual. Podes até deixá-la com um "visual" de burst59, mas sonoridade, jamais.
    Sinto muito...

    ResponderExcluir
  34. Mas é justamente isto que eu quis dizer, talvez não me expressei direito, mas a questão é só a aparência mesmo. Este visual é complicado de fazer?

    ResponderExcluir
  35. Apenas um luthier com habilidades em pintura (nem todos têm) poderia fazer. Teria que retirar o verniz, lixar a folha de maple figurado até sair o corante (se a folha for muito fina, será inviável)e repintar em sunburst. Esse tipo de serviço não sai por menos de 300 reais.
    Acho que é mais barato e prático venderes a tua e comprares uma CLPII sunburst, como essa:
    http://guitarcompany.com.br/guitarcompany.com.br/11-51-thickbox/guitarra-condor-clp-ii-s.jpg

    ResponderExcluir
  36. Tens razão Paulo, seria muito difícil transformar essa guitarra, mas estava andando no Ebay e achei esta aqui: http://www.ebay.com/itm/58-Gibson-Les-Paul-RI-/200675812373?_trksid=p5197.m7&_trkparms=algo%3DLVI%26itu%3DUCI%26otn%3D4%26po%3DLVI%26ps%3D63%26clkid%3D4306668879524192837#ht_720wt_1185 , pela tua experiencia, será que tem algo de errado por causa do preço? fiquei muito interessado.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  37. O preço p/ compra é 2.5000 dólares. Ok p/ uma CS 58 VOS usada e com algumas lascas.
    Mas o cara especificou que só vende para os EUA, não?

    ResponderExcluir
  38. Tenho um amigo que é músico e tem família nos EUA, talvez ele tenha facilidade em trazer pra cá, por ser um valor alto ainda tenho medo se vale a pena o custo/benefício. Creio eu que deve ser difícil achar aqui no Brasil uma guitarra de alto nível como esta num preço bacana.

    ResponderExcluir
  39. No Brasil, mesmo usada, acredito que não conseguirás achar uma Custom Shop 58 por menos de 12.000 reais, Eder.

    ResponderExcluir
  40. Cara!!
    PARABENS PELO SITE!!!!!
    Eu o descobri agora a pouco e fiquei muito surpreso mesmo com a pouca quantidade de matérias que li.

    Amigo, eu estava pensando em adquirir uma guitarra semi-pro, mas depois que vi alguns posts de "tunnagens" seus, achei que seria emocionante "fazer" a própria guitarra.
    Com sua experiência, quanto eu gastaria numa Les Paul com corpo e braço em mogno e ferragens/eletrônica a seu modo?

    Abrass

    ResponderExcluir
  41. Obrigado, IrhocAshi! :)

    Olha, mogno é via de regra mais caro e difícil de encontrar. Além disso, Les Paul tem braço colado, então não dá pra comprar "por partes".

    Se for pra fazer do "zero", recomendo, obviamente, que entres em contato com o luthier Cavalheiro (tem um post sobre ele adiante).

    Se quiseres tunar uma tipo LP, a nova linha CR da Cort é muito boa. Recomendo a CR 200 ou a CR 280, essa última com top real/funcional de maple.

    ResponderExcluir
  42. paulo estou muito feliz com o site pois estava querendo comprar uma epi s 2 mais estava em duvida agora q descobri q existe a possibelidade de melhorar o som mudando os captadores e o corpo estou mais feliz pois vou poder melhorar o jeitto q quiser ao meu gosto , mas tenho uma pergunta toco guitarra a menos de um ano e queria uma guitarra um pouco melhor do q a minha de antes ela é uma guitarra boa para iniciantes?
    a e a respeito de fazer a guitarra eu li o post eu tenho um amigo q e luthier em balneario camburiu santa catarina ,e ele tem o dom pra isso pois tudo q ele concerta ou faiz fica melhor do q original
    ele tentou imitar uma gibson custom sg e o som ficou muio bom identico . perguntei q madeiras usou e ele disse que so usou madeiras nacionais q imitam o som das importadas e alem disso fica mais barato .
    abraço
    as minhas duvidas sao essas obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o luthier tem o "dom" e o custo tá legal, acho uma boa opção.
      Escolha um modelo que gostes e peça pra ele fazer igual ou no estilo.

      Excluir
    2. mas quanto a guitarra epi s 2 ela e boa para iniciantes?
      porque muita gente elogia o braço mais pra quem ta começando ela e boa ? e uma pergunta minha que nao quer calar o braço dela de fabrica vem colad ou parafussado?

      Excluir
    3. Jesus, vá até o site da Epiphone e cheque as especificações. A internet tá aí pra isso.
      Sim, o braço é parafusado, a guitarra Epi Special II é boa para principiantes mas acho que existem melhores pelo mesmo preço ou até mais baratas.
      Cort, Ibanez, LTD, etc.
      Link para algumas dicas:
      http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/964-guitarra-e-amp-baratos-para-iniciantes/

      Excluir
  43. Seria possivel encomendar no mesmo luthier o mesmo corpo em mogno....pois tbm tenho história com minha epiphone les paul special II....e pretendo trocar os captadores por Alnico II Pro Zebra | Sh 4 Jb Zebra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O blog não vende equipamentos e nem representa os interesses de ninguém Roberto. Os contatos do luthier Cavalheiro estão em outro post desse blog - é só fazeres um search. De qualquer jeito, ele não está mais aceitando encomendas. Pelo menos nos próximos 6 meses.
      Pode tentar com o luthier Tom Castelli aí em Curitiba, um dos melhores do país.
      http://www.dicastellis.com.br/website/index.htm

      Excluir
  44. Paulo,
    Comecei a ler seu blog nesse fim de semana e resolvi ler todo antes de fazer qualquer comentário, mas não resisti: O Blog é Sensacional desde o conteúdo até a aparência limpa, que a maioria dos Blogs de qualquer assunto possuem.
    Tenho 3 Guitarras, e a principal dela é um Telecaster da marca Legend, comprada em 1994. Essa eu vou pedir sua ajuda para analisar depois. Acho que vc a aprovaria.
    Minha dúvida aqui é outra. Acabei de comprar uma Les Paul Gibson USA, mais barata, com pickups P-90, que também gosto muito e praticamente nunca tinha olhado antes. Minha dúvida é como regular a altura dos P-90, uma vez que não vem com os parafusos laterais que vem nos outros. Ainda não desmontei o escudo pra ver se tem alguma regulagem por baixo porque não tenho muita coragem de mexer. Vc pode orientar sobre como regular a altura do P-90?

    Leandro MAchado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Leandro :)

      A regulagem de altura dos P90 é feita através de 2 parafusos (geralmente do tipo Philips), alinhados com os 6 parafusos (geralmente de fenda/fillister) da bobina.
      Geralmente há, embaixo, algum material elástico (às vezes até mesmo molas) que permite o ajuste vertical do captador, mas nos P90 o alcance é limitado, ou seja, não dá pra mover muito.

      Excluir
  45. Grande Paulo! Parabéns pelo blog, me ajudou bastante.
    Também tenho uma LP Special II, e o luthier Cavalheiro já fez o mesmo serviço para mim, só que com Cedro Rosa. Minha dúvida é: Você conhece os captadores originais dela (no caso, minha guitarra é de 2011)? Segundo o site da Epiphone, são os seguintes:
    Braço: Epiphone 650R Humbucker
    Ponte: Epiphone 700T Humbucker
    Será que a troca dos ímãs de ferrite, por alnico os faria soar bacana? Não sei bem a taxa de saída deles (é alta, mas não sei a especificação), e queria saber se o alnico seria uma boa, e que tipo usar. Abração, e mais uma vez, parabéns pelo ótimo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, se forem iguais aos que estavam na minha, acredito que vão soar meio abafados com alnico. Me lembro que o da ponte tinha mais de 17k. Pra colocar 17k num humbucker, o fio provavelmente é 43AWG, que gera menos agudos... Acho que não rola, mas certeza mesmo só testando :)

      Excluir
  46. Amigo, tenho uma dessas encostada foi minha primeira guitarra e não quero me desfazer , mas tem um som terrivel não da para tocar, estou encomendando um corpo para ela, você sabe me dizer a medida do encaixe do braço ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tróculo/receptáculo deve ser feito à partir das medidas do braço que tens aí, Eduardo.
      O luthier deveria ter solicitado o braço, até porque não dá pra fazer o posicionamento/furação da ponte sem ele montado.

      Fazer o corpo às cegas, mesmo pelo padrão da Gibson é arriscado porque essa Epiphone pode estar um pouco fora - não há garantias...

      Excluir
  47. Iai Paulo, tudo bom?

    Estou com planos de fazer o mesmo com uma Epi como a sua, porém estou me deparando com algumas questões:

    como foi que você resolveu o problema da compatibilidade do braço parafusado x colado?
    daria pra mudar a fiação e fazer ela com 2 volumes e 2 tones como a les paul original?

    obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcio, tudo foi feito por um luthier. Até achei que ele fosse colar o braço de forma diferente, mas do jeito que está funciona muito bem.
      Podes solicitar ao luthier que fará o corpo para fazer a cavidade de controle no padrão da Les Paul Standard, mas vai ficar complicado colocar a chave de controle na parte de cima - elá provavelmente ficará junto com os controles de ton e vol.

      Excluir
    2. Obrigado Paulo! só mais uma dúvida.. foi colocado algum tipo de reforço na colagem do braço, ou algum preenchimento do furo, algo do tipo?
      ou simplesmente o luthier modelou a cavidade no corpo como "fêmea" do braço e colou-o lá?
      muito obrigado e parabens pelo blog mais uma vez!

      Excluir
    3. Não, ele simplesmente alinhou o braço no tróculo e colou. Geralmente a cavidade fêmea (tróculo) precisa ser bem justa p/ a colagem - provavelmente era, não lembro.
      Tinha quase certeza que não iria funcionar, mas até agora tá 100% :)

      Excluir
  48. Paulo, desculpa incomodar sobre esse tópico antigo mas hoje essa LP Jr ainda segue algo especial para você ou não, obviamente desconsiderando sua 81 e a R9.

    Pergunto pq depois que de sua experiência com a SX SG, entre as duas qual mais te agrada?

    Como não deve ser difícil achar uma epipoca dessas usadas com preço em conta, quem sabe não vale a pegar uma dessas com braço confortável e aos poucos fazer algo parecido com o que você fez.

    Até.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marçal, são duas guitarras bem diferentes, por incrível que pareça. A SG é mais fina e leve e não tem os graves e a mordida dessa LP...
      E por falar nisso, tá um bafafá lá no último post porque eu mencionei que tava pensando em vender umas 10 ou 15 guitarras - tô já com 40 e não tenho mais espaço pra nada aqui. Tenho até receio de mencionar agora, mas essa provavelmente estará na lista, pois já adquiri uma Gibson Les Paul Jr. Idem para a Paradise (pois já comprei a Gibson CS) e talvez até a SG SX, embora essa última eu ache mais difícil porque ainda não tenho uma Gibson :)
      É difícil escolher quais guitarras vender - vender não, me separar, pois é essa sensação :) Num ímpeto, eu selecionei umas 20, mas 10 já desisti... Algumas fazia um tempão que não tocava e quando fui tocar bateu a ansiedade... "Putz! Não posso perder ESSE timbre! ":)
      Meu perfil é de comprador/acumulador e não de vendedor :)
      Mas realmente, 40 guitarras é um exagero, né?

      Excluir
  49. Paulo,

    Perguntei sobre essa LP e a SX SG pelo corpo das duas serem de mogno ou algo parecido(SX), sem top de maple.

    Sei que o clean da SG não te satisfaz, por isso a dúvida se essa LP com mogno nacional ficou LP mesmo ou só uma SG melhorada.

    Sei que financeiramente não compensa mas o upgrade semelhante ao seu seria pela opção de montar algo mais personalizado, porque a Gibson CS infelizmente acho que não terei.

    Acho exagero sim 40 guitarras mas anunciar aqui tb é complicado, tem interessados que facilitariam o desapego, mas teria muito curioso/enrrolado, aí dificulta. Acho mais jogo anunciar no FGP, talvez.

    No meu caso, pretendo ter pelo menos 3, o básico: strato, tele e LP, não sei em qual ordem, de que maneira vai acontecer e se vai acontecer. Uma tem que ser top, tipo uma Fender/Gibson USA, as outras só tem que ficar legais de acordo com o meu gosto.

    Pena que moro em Valinhos, interior de SP, se não marcaríamos algo para jogar uma conversa fora e quem sabe uma dessas não "grudaria" em mim? Um dia talvez em período de férias aí por Floripa :)

    Prometo pelo menos levar um vinho artesanal aqui da cidade vizinha (Vinhedo), de ótima qualidade!

    Até.
    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Marçal... Vai pintar muito curioso, sem grana e enrolado... Imagine o meu stress. KKK! Realmente não preciso vender pra fazer dinheiro e não acho justo apenas "doá-las" daí fico num impasse.
      Gostaria de encolher a minha coleção pra umas 20, 30 no máximo, mas vender é complicado mesmo. ML, nem pensar, blog não seria legal... Acho que vou mandar numa transportadora para o Oscar em Curitiba e ele dá um jeito lá... :)

      A Gibson Traditional 2013 aparentemente é uma puta guitarra. Sólida e com o novo mogno de fiji. Acho que vale a pena guardar uma grana e tentar uma dessas -com sorte não fica longe de uma CS.

      Excluir
    2. Já tinha visto sua recomendações sobre a nova Traditional 2013 em outro post e registrei aqui.

      O meu dilema é o fato de ainda não ter ido para as guitarras, então preciso testar de tudo um pouco, entender qual modelo é mais fácil de me adaptar, qual tipo eu me sentiria mais a vontade, qual sentiria melhor tocabilidade, pegada, etc.

      Quero aprender com guitarras boas realmente.Sem contar a necessidade de um amp legal, tipo um Blues Jr ou algo mais versátil, tipo um Mesa.

      Se puder contar com a ajuda de amigos para reduzir o número de guitarras aí, melhor, não vai passar tanta raiva rsrs.

      Excluir
    3. Eu não entendei - tua ainda não tens nenhuma guitarra?

      Excluir
  50. Sim, me considero iniciante no mundo da música. Tenho dois violões de nylon onde faço aula e tento estudar nas horas livres.

    O interesse é adicionar guitarras nesse processo de aprendizado.
    Se for o caso a princípio posso ficar só com amplitube para não ter que comprar de cara um amp, até por ser iniciante.

    Por isso o interesse em buscar informação com quem possui uma devida experiência, aí conheci o blog, depois o FGP e por aí vai.

    ResponderExcluir
  51. Puxa vida, tu só tens e tocas violão com cordas de nylon e já estás fazendo pesquisa nesse nível sobre guitarras? Isso é uma over de planejamento, cara! :)
    Ganhaste do Rabelo, lá do Fórum da GP! KKK!

    ResponderExcluir
  52. Pois é, as vezes também acho isso tudo exagero sendo iniciante mas tá difícil de controlar o ímpeto rsrsrs.

    Pelo menos meus 18 anos já passaram faz um tempinho então não tenho tantas dúvidas assim do que gostaria de fazer.

    Mas já estava esperando você dizer algo do tipo: compra qualquer M.... e aprender a tocar primeiro antes de me encher o saco KKK

    ResponderExcluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".