segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Guitarra AXL (SRO) Strato



Eu andava lendo várias coisas legais na internet sobre essa empresa californiana relativamente nova e a série "Badwater" me chamou a atenção pelo padrão "relic" de fábrica. Sabia que quase toda a produção é feita no oriente, as "USA" são montadas e envenenadas lá e os reviews invariavelmente positivos, ppte se considerarmos o preço.

Quando vi uma SRO à venda na Barra Music no RJ, por volta de 700 reais, comprei-a num impulso de GAS (Síndrome de Aquisição de Equipamento) do tipo "fiquei cego surdo e mudo" e só voltei à razão depois de ler "sua compra foi efetuada com sucesso" - hahahá :))
No mesmo dia vi no ML essa guitarra por 550 reais. Bem, coisas da vida.
A guitarra é realmente muito legal, padrão strato HSS, corpo de alder um pouco menor e mais fino e com um interessante processo artificial de envelhecimento, desenvolvido pela própria AXL.
Coisas de quem sofre de GAS: quando abri a caixa foi que caiu a ficha: "PUTZ! É uma strato HSS!"

Prá quem leu meu post sobre o "problema das guitarras HSS" sabe que eu tenho várias reservas em relação a essa configuração. Tenho duas HSS e tô de saco cheio delas. Se fosse uma strato padrão, era só trocar o escudo para SSS e beleza, mas o desenho do escudo e as cavidades dessa AXL são diferentes.

Tentei algumas configurações de captadores, mas no fundo eu já sabia que era perda de tempo e teria que enfiar uma mini chave pra colocar o Humbucker num pot de 500 e os singles num de 250.

Semana passada tomei uma decisão: vendê-la! Recolocaria os captadores originais (EMG designed, ou seja, feitos na china) e até os selos originais que havia guardado. Ela praticamente estava zerada...

Num último impulso, pra tentar manter meu status de "nunca ter vendido uma guitarra" (exceto uma Carvin há 20 anos, mas meu irmão que vendeu),  peguei um escudo de strato branco single layer, recortei grosseiramente com uma tesoura de placa de metal, lixei com a Dremel pra fazer as curvas, reposicionei o corte da chave de 5 posições e depois, a parte mais difícil: transformar um plástico branco num que ficasse adequado para o "visual" dessa AXL. Tentei alguns truques, vários tipos de tingimento e finalmente consegui com uma mistura de anilina de madeira, café, mostarda e uísque (não me lembro as medidas!!).


Acabou dando certo! :) Gostei do resultado final, me livrei do botão próximo ao captador da ponte e aproveitei que tava desmontada e troquei o bloco da ponte por um mais pesado (o original é muito leve). Pots de 250k e capacitor .047uf, exatamente como uma boa strato!
Coloquei 3 excelentes singles Sérgio Rosar Fullerton (semelhantes aos Fender CS 54) e agora ela tá um brinco de ergonomia (pra mim). Gostosa de tocar, timbre de strato ligeiramente mais macio, mas bem ressonante, com twang e tudo de direito.
Mais uma que fica por aqui... :)



Demo: Solo com o Sérgio Rosar Fullerton do braço (Amplitube estéreo: Fender Pro Jr e Tiny Terror)

31 comentários:

  1. E ai mano doido! Tava vendo o site da AXL agora, na verdade tem modelos SSS de fabrica, com escudo original bonitão (aquela ponta curvando no final do corpo eu achei 10!!!). Mas cara, ta de parabens pelo trampo. =) Queria testar a les paul dessas malandrinhas da AXL...

    ResponderExcluir
  2. Luiz,
    Tem um teste dessa Les Paul AXL USA na Premier Guitar de junho.
    Veja se dá pra seguir o link:
    http://digital.premierguitar.com/premierguitar/201106_1/?fm=2#pg176

    ResponderExcluir
  3. Paulo, resta saber se vc usou uisque de 8, 12 ou 18 anos no processo de tingimento do escudo ;o)

    abraço

    Petri

    ResponderExcluir
  4. Dr. Bom dia ,em comparação com as Sx essa axl é melhor? O corpo tem menos de 42mm?
    Você trocou as tarraxas etc ??
    Abçs
    obrigado

    ResponderExcluir
  5. Fala paulo

    Tô curtindo muito o Blog, muito bom mesmo e acho por sinal bem honesto. Legal essa guita, ví uma Tele dessa na Barra Music e achei bem feia, mas a strato eu gostei. Tenho uma Tagima T740, e quero colocar uns captadores no estilo do Iron Maiden, na praia JBJr, Little 59, Hot Rails, sabe se o Sérgio Rosar tem algum nessa praia? Desculpe fazer uma pergunta técnica aqui, mas é que tô com essa dúvida e acredito que vc possa me ajudar. Abração!

    ResponderExcluir
  6. Paulo, a guita é boa? É realmente uma guitarra de R$500.00, ou ela é superior às desta faixa de preço?
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Lucas (e anônimo), é uma guitarra de 500 reais "boa". Melhor do que as outras nessa faixa de preço. Mais bem acabada que as SX (que variam muito de qualidade). Pelas características dela, é difícil de ser tunada (tarraxas e ponte poderiam ser melhores).
    Ontem coloquei cordas na minha strato Fender americana e pude compará-las. A AXL estava soando muito bem nos últimos dias hehehe, mas foi só ligar a Fender e cai a ficha... :), A AXL é boa, talvez até melhor que a SX "tunada", mas definitivamente não tem o timbre rico e complexo da Fender.
    É uma excelente opção barata, na verdade.
    A própria configuração de captadores de fábrica já é feita pra fugir de uma strato clássica e entrar na zona de "super strato".
    Dê uma ouvida nas demos do YouTube.

    ResponderExcluir
  8. Diego, os Dualblade do Sérgio Rosar estão entre os melhores do mundo, na minha humilde opinião. Tenho um hotrails aposentado por causa deles... :)
    Dê uma checada na JR Guitar Parts (link na coluna do lado) - o Júnior pode te orientar precisamente nesse assunto.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. G.A.S. (Guitar Acquisition Syndrome) ou Gear A.S., seja lá o que for, interessante, pesquisei o assunto e...
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Gear_Acquisition_Syndrome

    Um abraço Paulo!

    ResponderExcluir
  10. Opa, tudo bom?
    Muito bom seu blog cara, vou visitar sempre!
    Se puder dá uma passada no meu.

    ResponderExcluir
  11. Paulo, vejo você comentar bastante de sua busca por timbres, mas acho que nunca vi você comentar sobre cordas ou palhetas(não sei se você as usa), então deixo a sugestão para um futuro post.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Blues Stuff - obrigado! Teu blog é excelente. Autêntico blues! Já tá na minha lista... :)

    ResponderExcluir
  13. Lucas, boa idéia :) Não tinha pensado nisso. Valeu!

    ResponderExcluir
  14. sabe me indicar em sp onde posso trocar o braço da guitarra?

    ResponderExcluir
  15. SP capital?

    Luthieria do Gilmar:
    Tel: (11) 3622-8698
    Cel: (11) 9944-2826

    Cláudio Luthier:
    e-mail: cldguitar@hotmail.com
    cel:66772557

    ResponderExcluir
  16. Paulo, acompanho isso aqui há meses e hoje estava revendo uns posts mais antigos.

    Cara, parabéns por esse blog! É fantástico! Não só o conteúdo abordado, mas o seu conhecimento a a forma como o trata aqui. Meus sinceros parabéns. Keep on...

    Quanto à AXL...
    Estou com vontade de montar uma strat (e outra tele), a AXL não compensa pelas madeiras? Ou devem ser cheias de emendas? Melhor comprar um corpo cru da Mighty Mighty?

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Sou eu ai em cima! Faltou meu nome.
    Abraços.
    André

    ResponderExcluir
  18. Obrigado André.:)
    Olha, um corpo cru da Mighty Mighty dá pra ver exatamente o estado e a qtidade de emendas da madeira. Já ouvi boatos de que a Mighty Mite faz os corpos na China, mas tudo leva a crer que são infundados. A madeira é americana mesmo.

    A AXL é toda feita na China e lá existe uma espécie de alder "semelhante" ao americano (alnus trabeculosa). Na verdade, existem mais de 30 variações de alder no mundo inteiro (até na Argentina), mas o usado nas Fender clássicas é o americano (alnus rubra, ppte).
    assim sendo, acho difícil a AXL e as SX terem alder americano mesmo.
    Eu iria de Mighty Mite... :)

    ResponderExcluir
  19. Ótimo cara! Muito obrigado.
    Também fiquei com essa ideia.

    Vou ver o que encontro de corpo no eBay e GC.

    Grande abraço!
    Keep on rock...

    ResponderExcluir
  20. Difícil isso, rapaz. GC não vale a pena.

    Além da dúvida ash x alder...
    Achei Mighty Mite e várias outras marcas.
    Além de uns completamente genéricos, que não sei se dá pra arriscar.
    Achei essa marca também: Bhefner, tem bons preços.

    Queria comprar já pintado, mas e se for cheio de emendas?! Não vou ter como saber...
    Teria que confiar bem na procedência.
    Alguma dica?

    Sempre fui das guitarras HH, agora que quero ir para praia das strat/tele. Pouca experiência.

    Perdoa a amolação, mas vou ler esse blog milhões de vezes até montar essa filha.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  21. A B.Hefner é uma excelente opção. Pintado, só se tiveres dinheiro sobrando, porque dá pra pintar aqui tranquilamente. Veja o meu post (no final:
    http://guitarra99.blogspot.com/2011/11/telecastermania-opsfaltou-de-alder.html )

    Mas normalmente, quando a empresa é autorizada pela Fender, o corpo pintado tem madeiras de qualidade.

    Via de regra, pra comprares uma strato clássica dos anos 50: Corpo de swamp ash, braço e escala de maple. Clássica dos anos 60: corpo de alder, braço de maple, escala de rosewood.
    As duas combinações clássicas de Tele 50 e 60 também seguem o mesmo padrão de madeiras.
    Claro que podes ter um corpo de ash com braço de maple/rosewood (minha tele 68 é assim), mas daí recomendo comprares o northern ash (pesado) para o corpo. O peso final da guitarra deve ficar entre 3,4 e 4,3 kg estourando.

    ResponderExcluir
  22. Respostas
    1. Eu nunca mais vi por aí, Alexandre.
      Mas olhe, até o final do mês devo colocar à venda pelo menos 10 guitarras que tenho aqui e talvez essa seja uma delas.

      Excluir
  23. cara, vc acha q ela seja uma guita q vale a pena comprar e trocar os caps? ficaria uma guitarra top?? abraços

    ResponderExcluir
  24. Top? Depende do conceito de top. Não fica uma Fender Custom Shop, mas é uma excelente strato. Particularmente, gostei muito do som dela.
    Mas pra ficar legal mesmo, tens que colocar também um bloco de aço - o que vem nela é de zinco, muito leve e fino.

    ResponderExcluir
  25. Estou com dúvida nessa guita ou na Pacífica 012. Qual a melhor?

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Dizem que as Yamahas tem uma ótima qualidade. Estou precisando de uma guita para bater, levar em ensaios, pro dia a dia, talz. Alguma sugestão? Não quero gastar muito. (hehehe)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel, é difícil dizer com tantas opções. O blog está cheio de opções custo/benefício que testamos . De uma boa navegada que achará algo bacana

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".