quarta-feira, 7 de março de 2012

Timbrando uma strato: Lindy Fralin Blues Specials X Sergio Rosar Blues


Meu amigo Oscar Isaka Jr. Postou no seu blog uma interessante comparação entre esses dois captadores. Sem ele saber, roubei o post e trouxe pra cá :)
Divirtam-se:


Lindy Fralin Blues Specials

Algum tempo depois de começar a estudar a compreender sonoridades, testar captadores e guitarras virou um vício difícil de controlar e a pesquisa por diferentes designs e técnicas de construção a fim de obter um som específico não acaba nunca. Isso já me levou a testar quase toda a linha da Seymour Duncan, uma grande parte dos DiMarzio, todos os modelos (lançados e não ) do Sérgio Rosar, todos os singles da Fender, etc. Com o tempo essa coisa toda vira uma espécie de biblioteca sonora, e que ajuda muito na hora de alcançar um certo timbre.

Pois bem, eis que em uma das minhas caminhadas pelas lojas de música de Curitiba, revendo amigos e batendo papo vi em uma vitrine um set de singles com capinha "Old White". Quando perguntei ao Carlos (Loja do Músico) o que era ele me disse que era um set de Lindy Fralins Blues Specials.

Abrindo um parênteses, Lindy Fralin é um dos mais renomados Pickup Winders dos Estados Unidos e é extremamente famoso pelos seus singles, tanto para Strato como para Tele. Vale a pena dar uma conferida no site www.fralinpickups.com , onde ele tem videos e especificações de seus modelos.

Os Blues Specials estão entre os modelos mais famosos de Lindy Fralin, conhecidos pela sua clareza sonora, complexidade harmônica e timbre mais "gordo", que o próprio Fralin define como ideal para solistas melódicos. Não é a toa que esse set leva esse nome. Como eu nunca havia testado um set do Fralin e não se acha esses pickups por aqui, num acesso de G.A.S. comprei os bichos.

Chegando em casa, maluco para escutar o que eles realmente falavam ( e verificar se são mesmo tudo aquilo que os Forums gringos clamam) tirei-os da caixa de instale-os na minha Strato de ASH com braço e escala de Maple, onde estava um set de Sergio Rosar Blues. O Blues Specials é feito com magnetos de Alnico V, e fio Plain Enamel 42AWG tenho perto de 6k nos caps do braço e meio e quase 7k na ponte. Essas especificações são características da famosa era 60s da Fender, especialmente pré-CBS até 63, com aquele som característicamente mais "gordo" e com mais ataque e estalo que as dos anos 50. Se você pensou em Stevie Ray Vaughan você acertou em cheio. Sua Number #1 mais famosa, era uma Strato 62.



O fio Plain Enamel (enamel é um tipo de esmalte), possui características muito peculiares de condução e capacitância do isolamento que interferem diretamente na sonoridade do captador. Tecnicamente é um fio "inferior" aos modernos fios revestidos de polysol, mas é justamente esse detalhe que lhe confere sua sonoridade tão peculiar. É facilmente identificado pela coloração mais escura, meio marrom e as vezes avermelhada:


Instalados, guitarra afinada, pluguei no meu amp e toquei as primeiras notas. O som era mais ou menos o esperado das especificações: um timbre focado, com ataque bem definido e amplo, graves firmes um pouco menos de agudos e mais força que um single tradicional como o Seymour SSL-1, por exemplo. Em comparação ao Texas Specials (famoso por vir na Fender SRV) ele soa bem mais claro e articulado, com menos informação de graves e um pouco mais de agudos que dão ao som uma compressão muito bonita e agradável. Com drive ele mostra sua cara MUITO bem, com muita definição e sem quase nenhuma magreza que alguns singles tradicionais como o 57/62 as vezes podem apresentar, e de novo remetem ao bom e velho SRV (especialmente se usarmos um Tube Screamer para isso). Nada de timbres cristalinos de Fender por aqui, eu diria que eles são sinônimo de timbres gordos de Strato, com corpo mas mantendo toda definição dinâmica e articulação tão essenciais para os Strateiros de plantão.
Gravei a introdução de Texas Flood rapidamente pra vcs poderem ouvir o que eu escrevi:

Lindy Fralin Blues Specials:






Tudo isso já era esperado e batia com o que eu havia lido em todas as reviews deles em Forums etc. O que eu não esperava era que eles soassem TÃO PRÓXIMOS ao set Blues do nosso mestre Sergio Rosar que estavam na mesma guitarra. Pra falar a verdade, só saberia diferenciar de fato porque eu mesmo havia trocado os captadores, tanto que gravei exatamente a mesma frase na mesma guitarra com o Rosar Blues pra ouvir o A/B e tirar a prova:

Sergio Rosar Blues:







35 comentários:

  1. Legal, mas como consigo este fio Plain Enamel? estou fuçando em um captador aqui e estava afim de enrolar com este fio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www.mojotone.com/guitar-parts/Pickup-Wire/AWG-42-Ga-Plain-Enamel-Single-Build-Pickup-Coil-Wire-1-2-lb-Spool

      Dá p/ uns 6-8 singles ou 3-4 humbuckers

      Excluir
  2. A diferença não foi tão pequena assim. Não que o Rosar não seja bom, não é isso, apenas que os exemplos em audio produziram timbres distintos, principalmente escutando por fone.

    []'s Jean.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei que os LF tem mais equilíbrio entre as frequências e mais "gordo" também.

      Excluir
  3. Já que cada um tá opinando e o post original não é meu, achei o Fralin muito bom, com mais corpo/gordo, porém sobrando um pouco nos agudos - e essa sobra de agudos "espalhados" via de regra incomoda quando a gente abre o amp ao vivo - vamos ver...

    Já o Rosar - que acredito esteja usando fio 43AWG de Polysol (Fralin 42 Enamel) tem médios mais firmes e agudos mais macios. Resta saber a leve diferença de corpo/graves é importante. Num amp alto, com falantes de 12", acho que ele soará bam mais contundente e definido que o Fralin.
    Mas enfim, são dois captadores muito bons e com algumas semelhanças sutis de timbre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luíz,
      Achei a questão da Tele pertinente, embora não relacionada a esse tópico.
      Essa sonoridade "escura" do captador de braço da Tele vem desde 1953! kkkk O Leo Fender tinha a idéia meio maluca de que o pessoal usaria esse captador para simular um baixo :)

      A melhor maneira de melhorar isso é colocando um captador de strato nessa posição. Perde-se o visual da capinha, mas ganha-se em timbre.
      Caso queiras manter o visual intacto, a Fender lançou o "Twisted Tele", que parece um captador de strato, mas não o vende separadamente. A DiMarzio criou o Twang King tbém com esse objetivo.
      Eu ainda prefiro colocar um captador de strato aí. Tenho duas teles com essa configuração que soam excelentes.

      Excluir
  4. Jack

    Sinceramente a diferença é mínima, pelo menos aos meus ouvidos. Até ouso dizer que os dois soam 99% iguais.

    ResponderExcluir
  5. O Rosar tem um pouco mais de médio-agudo, o que numa situação ao vivo ajuda muito no MIX como o Paulo já ressaltou. O Fralin tem agudos mais soltos e um pouco menos de médio-agudo e por isso tem esse ataque mais comprimido, um pouco mais gordo.

    Ambos são muito legais, e só mesmo na gravação pra ouvir as sutilezas das diferenças. No teste ao vivo de orelha eles soam mesmo muito, muito parecidos! :-)

    ResponderExcluir
  6. Cara, ADOREI O TEU SITE, me tornei mais um "louco por guitarra". Hahaha.
    Sérião, curti pra caramba sua iniciativa, está de parabéns. Agora, queria saber se poderia me dar uma ajuda aqui... É o seguinte... Estou querendo montar uma Strato (terei de comprar tudo, parte elétrica, caps, braço, corpo, etc) e não queria que ela ultrapassasse o valor de 600 reais, talvez até 700. Eu sei que não é muito para fazer algo de grande qualidade, mas meus interesses não vão além do estudo, e talvez umas apresentaçõezinhas para umas 50-70 pessoas, mas isso é bem ás vezes mesmo. Eu gostaria de ajuda para a madeira, caps, etc. Gosto bastante de Legião Urbana, U2 e Nirvana, e acho que 3 Singles iriam se encaixar bem no que pretendo tocar (vi seu post sobre os problemas com HSS, então já descartei essa possibilidade). Na verdade minha paixão são as Explorers, mas é meio difícil encontrar o corpo pra vender a um preço barato, lembrando que eu tenho quase certeza que terei que comprar pela net, já que aqui no interior não tem bons luthieres (sou do interiorzinho de SP. :D). Então, se possível gostaria muito da sua ajuda, se não for pedir muito. Obrigado, e tudo de bom para você.

    ResponderExcluir
  7. Olha, 600 reais sao insuficientes pra montar uma strato boa. Sério...

    Podes tentar uma guitarra chinesa de basswood que pelo menos tenha um braço digno (vide: http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/964-guitarra-e-amp-baratos-para-iniciantes/ ) e fazer um upgrade dos captadores. Mas só o trio de captadores Custom Alnico 50 da Malagoli - os mais baratos disponíveis - custará 216 reais (à vista).
    Ponte e tarraxas vais ter que deixar pra depois.
    Luthier, nem pensar. Acho difícil encontrares alguém bom que faça corpo e braço por 600 reais
    Use o bom senso - algumas guitarras chinesas (estão no link do FGP) são bem decentes para estudo.
    Boa sorte! :)

    ResponderExcluir
  8. Ah, obrigado. É que estou acostumado a ver todo mundo criticando as chinesas, que achei que fossem guitarras péssimas, que nem valesse a pena o dinheiro gasto hahaha. O melhor mesmo será eu visitar uma loja e dar uma testada. Obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
  9. Estes captadores de Botique americanos realmente são excelente em definições, assim como os Lindy Fralin, eu gosto dos Lollars.

    Já testou?


    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, muito bons, tops de linha. Não uso os Lollar porque uma boa parte deles, para o meu gosto pessoal, soa um pouco macio demais nos médios.

      Excluir
  10. Paulo, aproveitando o ensejo, gostaria de saber sua opinião a respeito do timbre dos captadores Rio Grande Tallboy?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço pessoalmente, Xerife, mas são muito bem conceituados.
      Talvez o Oscar já os tenha testado...

      Excluir
    2. Também não conheço, mas são famosos. Pelo que já li a assinatura é de serem mais "hot" !!

      Excluir
    3. Na verdade minha guitarra veio original com captadores Duncan Designed, depois que adquirir um Blues Junior fiquei insatisfeito com o timbre dela e como não conheço muita coisa comprei os captadores Rio Grande Tallboy pela internet e instalei na guita, de fato o timbre melhorou e ele são mais poderosos em termo de emissão sonora, trabalham melhor com distorção inclusive, mas, ainda não estou satisfeito com o timbre dela, estava pensando em substituí-los pelos Lindy Fralin ou pelos Sergio Rosar, entretanto, agora, seguindo as informações colhidas no blog vou colocar um bloco de aço pesado do Carlos Manara, entretanto, após haver adquirido muitas informações a respeito dos timbres de strato através do blog de vocês, acredito que o maior problemas seja o corpo da minha guitarra, ela é de cedro indiano, acho que por falta de conhecimento não foi feliz na escolha do instrumento. Valeu pelas informações e obrigado pelo trabalho que vocês tem realizado, se tivesse conhecido o blog de vocês antes teria feito uma melhor escolha a respeito da madeira de meu instrumento.

      Excluir
    4. Não sei o que exatamente vc está sentidno falta no seu som, mas como esse Indian Cedar normalmente tem uma leve falta nos médios, os Rio grande deveriam soar bem nela, suprindo essa lacuna de alguma forma. Agora se vc procura os sons vintage de strato clássica realmente eu procuraria o Alder ou Ash para o corpo. O bloco e saddles de aço ajudam muito também!

      Excluir
    5. Estou seguindo esse pensamento, vou colocar o bloco e o saddles de aço, pois é uma mudança menos radical. Obrigado.

      Excluir
    6. Rapaz, se esse cedro indiano for parecido em timbre com o brasileiro, tua strato nunca vai falar como deveria, pelo menos nos aspecto "vintage". O cedro nacional, seja o rosa ou comum, tem uma deficiência nos médio-agudos irritante.

      Excluir
    7. E não te culpes pela "falta de conhecimento". Nesse quesito, comprar guitarra errada, ninguém ganha de mim! KKKK!

      Excluir
  11. Sabe Paulo, com a troca de captadores houve um melhora interessante no timbre, eu diria que o timbre é bonito, mas como voce disse, minha impressão é que ela não tem o som de Strato.

    ResponderExcluir
  12. O pior é o seguinte, apesar de tudo, eu gosto da guita, acho que já virou paixão, então vou colocar um Dimarzio Tone Zone na ponte dela e assumir que ela é diferente, dá até pra tocar jazz com o captador do braço e vou montar outra guita. Essa semana já comprei um corpo de Swamp Ash e um braço de Maple e Ebano da Mighty Mite, com o luthier Vitor, lá de Fortaleza, e decidi que vou montar uma outra guitarra,essa vai ter som de strato. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Vitor é garantia de qualidade, Xerife - boa compra :)
      Acho que tomaste a atitude correta. Não é uma strato clássica mas nem por isso deixa de ser uma guitarra legal.

      Excluir
  13. Esse negócio de ser "Louco por Guitarra", eu acho que é uma coisa que pega nos outros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem fale Xerife. As vezes me pergunto o que eu gusto mais, de mexer nas guitarras ou toca-las :-) rsrsrs!

      Excluir
  14. Boa noites, meus amigos, antes de qualquer coisa, parabéns pelo blog! Postei esse mesmo comentário no blog do Jr, só depois fui ver que estava desativado, porém, vi que vocês publicaram a mesma comparação aqui, então repeti o comentário! Por favor, me ajudem. Tenho uma strato jimmie vaughan (alias, conhecem o modelo? Eu gostei bastante, principalmente do braço) ela é de alder com braço em maple e eu to achando o som dela um pouco brilhante e agudo demais... Vi esse post e fiquei pensando, acho que esse pickup do rosar casaria bem com a minha guitarra, corrigindo ese 'problema' é fornecendo um som mais gordo e com mais médios-graves (sim, mais SRV)'... Apesar deles nao usarem braços em maple busco um som na praia SRV e Rory Gallagher.. Obrigado! Parabéns mais uma vez ! Abraços, Bernado !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bernardo, obrigado por replicar a pergunta aqui !:-)

      Conheço a Jimmy Vaighan sim e concordo quanto ao braço. Gosto do Soft V tbem. Os Bluesdo Sérgio são mais fortes um pouco que os TexMex e soam com um pouco mais corpo e menos agudos. O legal do Blues na minha opinião é que eles dão um pentelho a mais de ataque na guitarra sem soar muito alto ganho e sem perder a característica de Single Coil tradicional. Se vai casar mesmo ou não é só instalando mesmo pra ter certeza. Já várias vezes pensei que um cap casaria com uma guita pelas características e não foi o que aconteceu, assim como o contrário tbem é verdade. :-)

      Excluir
    2. Opa!
      Muito obrigado pela resposta, meu amigo! Pois é, no final das contas, so troca do pra saber comp vai ficar! Bom, aproveitando q eu estou aqui, gostaria de sugerir uma piblicaçao, vocês ja abordaram bastante a questao das pontes, porem, não me lembro de ter visto algo sobre as molas, o porqué de usar tres, quatro, cinco molas, o que muda nisso tudo e etc! Muio obrigado, e parabena, mais uma vez, pelo blog!

      Excluir
  15. Paulo May e Oscar, fuçando no ebay encontrei esse captador de strato de Alexander Pribora (russo), segue vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=99SLBrPLeo8 (se possível me deem um feedback da opinião de vcs). Achei muito bom!
    O cara fabrica captadores enrolados à mão (https://www.youtube.com/watch?v=gZwuCf0h0dM).
    p.s.: em leilão no ebay por U$69,00 e encerasse em 4 dias (http://www.ebay.com/itm/Hand-Wound-Pickups-set-for-Strat-Stratocaster-alnico-V-Scatter-Wound-Video-test-/201294578996?ssPageName=ADME:X:RTQ:US:1123)

    ass.: Érico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço Erico. Pra emitir uma opinião precisaria tocar com eles

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Olá, muito bom esse canal de informação acerca desse universo maravilhoso que é a guitarra. minha dúvida é em relação ao P90 hum-cancelling,lindy fralin, quero substituir os originais p90 por da minha Gibson 135, e gostaria de saber de vcs sobre esses captadores são bons??

    ResponderExcluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".