quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Telecaster de Mogno - update

Já postei aqui anteriormente sobre o dia que fui na oficina do luthier Roberto Cavalheiro pegar minhas duas Telecasters (Alder e Ash) e ele me deu de "presente" um corpo de Telecaster de mogno - peça única, sem emendas. O vídeo do making off desse corpo tá aqui: CLIQUE
Mogno, todo mundo sabe, é uma madeira fantástica para guitarras e violões, a alma das Les Paul e Gibsons de corpo sólido em geral.
O problema aí é uma TELECASTER de mogno. A própria Fender já fez teles de mogno (ppte na série Thinline), mas obviamente não fez sucesso, porque o timbre clássico de telecaster é dependente do Ash ou Alder. O Mogno soa um pouco mais "macio"... Equilibrado, mas macio, com menos "snap" e ataque típico das teles.
Logo que cheguei em casa, coloquei um braço (de uma Roland antiga) de maple com escala de jacarandá/rosewood. É um braço relativamente fino, com pouca massa.
Ela inicialmente ficou assim:


O som? Lindo, definido e equilibrado, mas considerando o timbre clássico, ela apanhava legal das outras Teles de alder e ash. Coloquei um Rosar Dual Blade, o Screamin' Distortion T, na ponte. Assim, com um humbucker na ponte, poderia tocar coisas mais pesadas e deixaria o timbre clássico de lado. Ficou legal, com aquela distorção "instantânea" e eficiente, mas agora, como uma guitarra com humbucker na ponte, ela também não conseguia superar as outras, como a PRS com Supershred ou até mesmo a Strato com outro Screamin' Distortion
Voltei para a configuração de Telecaster, mas dessa vez usei dois captadores Seymour Duncan "Quarter Pound" - imãs mais largos e alta saída. O da ponte rebobinei para cerca de 9k. Humm.... Tava faltando alguma coisa... O braço com escala de rosewood talvez estivesse com pouca projeção. Como a combinação Mogno+Maple gera um timbre muito peculiar e rico (vide as Les Paul). Coloquei um braço todo de maple, mais gordo, portanto, com mais massa. Rapaz! Melhorou muito! A guitarra começou a criar uma identidade. Tá com mais estalo e viva.
Ela então agora está assim:



Tô achando meio estranho esteticamente essa combinação de cores das madeiras. Pensei em retirar a fina camada de verniz do mogno e tingi-lo de preto... Não sei. Preguiça básica... :)

Update 13/11/2012:

 Depois que descobri um solvente/removedor de verniz em spray (Chemicolor), ficou mais fácil - era apenas uma camada fina. Retirei o verniz, tingi de preto (com o marrom da madeira ficou com uma cor tipo tabaco) e cobri novamente com verniz. Ficou assim:


        Beleza, o som é esse mesmo, muito bom, lembra muito uma telecaster, porém AINDA inferior ao que considero o timbre clássico. Mas foi estupidez minha - historicamente as Teles de mogno sempre soaram "menos tele" que as originais. Nem deveria ter tentado :)
Quem acha o som da Telecaster muito magro e estalado, vai adorar essa de mogno. :)
Tava pensando em comprar uns caps TV Jones e transformá-la numa "Cabronita", igual a essa da Fender:


Mas os TV Jones sempre me pareceram mais legais em guitarras semi acústicas. Não descartei a idéia... Pensando.

Colocar humbucker e/ou P90, seria repetição. Essa Telecaster (acreditem se quiserem) de CEDRO (Ahá!) com top de marfim tá mandando ver com um Seymour Duncan JB (raro, branco, de 1990, feito pra uma Fender tipo superstrato) na ponte e um P90 no braço. Vejam:


Tô com muita Telecaster por aqui :)...
A idéia de colocar os TV Jones na de mogno ainda tá de pé. O que vocês acham?


UPDATE 07/05/2014:

O vídeo demonstração da Telecaster de mogno, tocada aqui pelo meu amigo luthier/guitarrista Alex Arroyo:


Algumas mudanças: Captador da ponte: Sérgio Rosar Screamin' Distortion T. Captador do braço: Seymour Duncan Quarter Pound. Ela ficou "gorda" - cansei de brigar e resolvi deixá-la seguir sua natureza: fat tele!:) Os dois captadores estão fora de fase pra conseguir um som magro, proposital, na posição do meio.


82 comentários:

  1. Uma ponte para humbucker e uma combinação de braço http://www.guitarfetish.com/Dream-90-Humbucker-Sized-P90-Black-PearlGold-_c_61.html com http://www.guitarfetish.com/Dream-180-Vintage-Voiced-Humbucker-Black-Pearl-Gold-_c_53.html Pode ser repetição de fórmula mas o resultado estético seria muito bom... Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, os MEAN 90 que coloquei no KX Custom foram uma grata surpresa. A GFS é sempre uma opção legal.
      Depois de postar, dei mais uma tocada nela e a sonoridade atual até que tá muito boa. Talvez eu esteja sendo muito exigente. Eu acho que vou gravar alguma coisa com ela assim e comparar direto com a Tele 68.

      Excluir
  2. Eu gostei da idéia do TV Jones, só pra ver como fica... mas acredito que vá ficar um tanto quanto "magro" demais nessa Tele. Vai ser uma mistura meio exótica, porque parece que a guitarra pede um humbucker... tbm não gostei mto da cor do braço de maple com o corpo de mogno... ficou meio estranho mesmo.

    É engraçado que eu olho pra foto dessa guitarra ela e já vejo um single na ponte e um humbucker no braço... não tem nada de clássico, mas esteticamente ia ficar legal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É essa a minha suposição. Meio anêmica... :) Ela não é das mais ressonantes e os TV Jones podem morrer aí.

      Excluir
  3. Que bom que "voltaste", Paulo!

    Minha telecaster homemade de Cedro+anilina vermelha/marrom/amarela+seladora está recebendo acabamento hoje. Está ficando da cor desse mogno aí... he he he

    ... e do Cavalheiro, notícias?

    Pelo FCC ele postou explicações e parece que retornou alguns emails de clientes com encomendas atrasadas.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anilina vermelha/marrom/amarela? :)
      Tô esperando notícias do Cavalheiro - tomara que dê tudo certo. Pra ele e p/ os clientes.

      Excluir
  4. Nada muito a ver com o post, mas gostei desse "control plate" desgastado dessa tele preta, ele é assim ou vc envelheceu?
    Quanto as cores eu achei legal até pela diferença das clássicas, alias... não sou de ligar pra aparência a ponto de mexer em pitura de um acabamento que já foi feito(mistura de pão-durice e preguiça), quero apenas que elas falem bem.
    Os Caps "TV Jones" confesso que não conheço, nunca ouvi o som... portanto não fomos apresentados. rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse control plate era de uma velha Samick e dourado, Fernando. Com o tempo, o dourado praticamente sumiu. Mas é "velho" natural mesmo :)

      Excluir
  5. Jack, os TV Jones que tu está cogitando são os mesmos que equipam a Gretsch Billy-Bo do Billy Gibbons? Pelo timbre que ele tira, e pela construção da guitarra, não me parece que soará magro não. Talvez essa guitarra do Billy Gibbons tenha os pickups modificados, mas a titulo de curiosidade, talvez valha uma investigação mais a fundo.

    Vou deixar dois links com as especificações da guitarra.

    http://www.gretschguitars.com/products/index.php?partno=2410508815

    http://www.edroman.com/guitars/gretsch/billy.htm

    Aqui o dos captadores específicos.

    http://tvjones.com/pickups/filtertron-style/power-tron-plus/

    No mais, um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jou, o Reverendo usa ppte PowerTrons, que já não têm aquele som clássico. Me referi aos Filtertrons, que são mais fraquinhos, de baixa saída, porém refletem bem o som acústico da guitarra (ppte de maple). O "magro" que eu mencionei não foi a palavra correta - seria um som com graves - talvez até demais e agudos, mas deficiente de médios - justamente o forte das Teles. Magro = sem corpo de médios
      As Cabronitas usam uma versão especial chamada "Fidelitron" - e isso me chamou a atenção. Eles devem ter achado que os Filtertrons não soaram legais e adaptaram (a Gretsch é da Fender e o TV Jones já trabalhou na Fender tbém - tá tudo em casa) :)
      Aposto como esses Fidelitrons soam com menos graves e mais médios que os Filtertrons, distanciando-se dos humbucker e aproximando-se dos singles :)
      Abraço!

      Excluir
  6. Xará, vou comentar pq esse assunto muito me interessa (Teles, Gretsches e La Cabs), e aproveitando a insônia

    A Cab com fidelitron é mexicana e uma versão de hoje em dia da Cab que o Custom Shop começou a fazer tempos atrás, que vinha com TV Jones de fábrica, no começo só com o da ponte, depois com dois. Tempo depois fizeram uma versão não-CS 60th anniversary tbm com TVJ, e agora essa La Cab chicana. Tanto o mercado chiou que eles acataram - a Cabronita dos fidelitron tá pra essa 60th Anniv mais ou menos como as Classic 50 e 60 mexicanas tão pras American Vintage 52 e 62 Reissue. Se tiver dúvidas é só olhar a ponte, as Cab US - fora special requests pro Custom Shop - vem com hardtail tipo a de Strato com block saddles, a chicana vem com bent saddles.

    Pelo que eu andei lendo, de quem recebeu as Cabs chicanas recentemente, o FideliTron é parecido com os Filtertron normais, braço 4.6K ponte por volta de 5K, a construção deve ser a mesma, só não dá pra usar o mesmo "Pat No #####" que os Filters da Gretsch usam. Outro problema é que os Filters da Gretsch tem pólos muito compridos, que ficam bem pra baixo da superfície inferior do pup, o que dificulta instalar.

    Quanto ao TVJ, o bom de lá é a versatilidade, vc escolhe literalmente o que quiser. Se a preocupação for falta de médios, compra um PowerTron ou PowerTron Plus, mas acho que com isso vc perde a graça do Filtertron, fica muito puxado pra PAF.

    Não esquece de comprar a ponte apropriada (TVJ Savalas), também.

    Opinião personalíssima e intransferível: já toquei em um jogo de High Sensitivity Filtertrons da Gretsch e num jogo TVJ Supertron braço e TV Classic ponte. Tem diferença, o Supertron é mais fechado que o HS-F de braço, mas não senti falta de força, médios, nada assim. Filtertron gosta de ficar perto das cordas e dá mais resultado mexer nos pólos deles do que em pólo de HB. O TV Classic, com um Tubescreamer na frente, plugado num Vox, dá uma preenchida que parece te jogar no território das Les Paul, sem o embolamento. De novo, gosto personalíssimo, não quero impôr nada - um HB normal nunca fará o que um Filtertron faz, mas um Filtertron equalizado/pedalizado faz o que qualquer HB faz e sem o mush.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela aula, Paulo! Informação privilegiada e valiosa.
      Um dia ainda terei uma Gretsch (ou duas: uma com Dynasonics e outra com Filtertrons)! :)
      Abraço

      Excluir
    2. Se não quiser gastar muito dinheiro, pega uma Ibanez AF55 ou AF75 e instala os Ftron... googla "ghetto english mount" pra aprender como monta, pq Ftron não monta igual humbucker. Já dá bem pro gasto, o jogo de TVJ em que eu toquei tava numa AF75TDG-IV, o dono chama ela de "Ibanetsch White-Trash Falcon" :D

      Filtertrons e Dynas também têm modelos diferentes, presta atenção quando for comprar e comparar. Antes de ser distribuída pela Fender, a Gretsch usava Ftrons com magneto cerâmico, os mais novos (High Sensitivity) é alnico V, e tem um modelo mais caro chamado Hot Rod Filtertron que eu ainda não entendi qual a diferença pro HS (só que não são overwound como os TVJ Power e Power+, o RDC deles é até menor que dos HS). Fora esses, as Electromatic novas tão saindo com um tal de Blacktop Filtertron que também dizem vir com magneto cerâmico...

      Dyna então é outra confusão, tem os Dynasonics mesmo, esses que acha no ebay a USD100 cada, que são com pólos de alnico de quarto de polegada, uns 11-12K de fio e aquele sistema de regulagem de altura, mas tem também os DeArmond 2K, construção tipo a de P-90 (magneto embaixo, pólos de níquel, mas com som mais magro que P90, menos fio) e que vinham na Fender TeleSonic e nas DeArmond by Guild M75T e M77T.

      É assunto pra um blog autônomo ;)

      Excluir
    3. Uma "Ibanetsch"?... :) Realmente, boa ideia, Paulo. Confesso que nunca fui um fanático pelo universo Gretsch, mas os Dynasonic (os originais mesmo, com pinos do alnico) sempre me soaram interessantes, bem caraterísticos. Ainda não tô com carga pra investir numa aventura dessas, mas tô de olho! :)

      Cara, como tens experiência e intimidade com eles, se quiseres/puderes fazer um texto básico/didático sobre a história e sonoridade desses captadores, talvez começando pelo DeArmond e finalizando nos TVJ, eu teria o maior prazer em postar aqui :)

      Abraço!

      Excluir
  7. Rapaz adorei esse visual carbonita na de Mógno!! Gostei do braço de maple também, além do visual ter ficado interessante, consigo ver como o som deve ter mudado pra melhor.

    Essas dos Filters é interessante sim. Aliás pra variar vc colocando formigas na minha cadeira... Não tenho nenhuma com Trons ainda... Maldição! rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jr., lembras que esse mogno tem um "flame" bem legal? Tava querendo tingir de preto... De repente se não carregar muito no corante, ele ainda fica perceptível. Esse marrom... Não sei, parece guitarra de faroeste! :)
      O foda de colocar Trons aí é que terei que refazer as cavidades. Há uns 3 anos tô pra comprar uma Tupia e sempre desisto porque acho que usarei muito pouco - nessas horas, faz falta! Mas se fizer, vou encarar com a Dremel mesmo.

      Excluir
    2. Lembro claro!! Quem sabe tingi-la com algo parecido com um honey (amarelo) não realça esse flame e tira um pouco do marrom Faroeste...

      A Dremel é mais que suficiente pra cavar pros Trons.. É menos "eficiente" que a Tupia mesmo, mas pra pequenos trabalhos vai na boa! É um timbreq ue vc não tem inclusive!

      Excluir
    3. Amarelo acho que não dá... O corante "soma" com a cor original - marrom + amarelo vai continuar no marrom - só vai ficar um pouco mais claro. Já tô lixando ela. Mesmo com as poucas camadas que coloquei é um saco! Ainda bem que a acetona funciona nesse verniz :)

      Excluir
  8. Acabei de fazer um A/B gravado com essa e outras 3 Teles, inclusive a 68 - a de mogno tá legal mas sem corpo. Tem uns 20% menos graves que a 68. O Quarter Pound, com esses pinos grossos de alnico V - e rebobinado pra 8,2k com polysol - pode ser o responsável. O anterior era um Fender CS 51' Nocaster Alnico 3. Já tinha esse gravado e tá soando com médios sem vida e pouca dinâmica. Só falta testar com o Rosar (que considero o melhor de todos). Trocar captador da ponte de Tele é um saco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É incrível como o calor do mógno não é traduzido em médios firmes como o ASH e o Alder deixando a coisa mais magra mas mais detalhada ao mesmo tempo. Definitivamente detalhe é a atítese do que um timbre de TELE deve ser.. rsrs!

      Excluir
  9. Cara, ficaria legal a guitarra com um True Vintage T(sergio rosar) na ponte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente sim. Ajudei o Sérgio a desenvolver esse captador e o conheço bem. Mas, em se tratando de guitarra e timbre, só vou ter certeza depois de colocá-lo :)

      Excluir
  10. Eu gosto de Tele em Mogno eu toco heavy metal hahaha
    Hj em dia eu tenho uma Fender Tele Jim Root Mogno + EMG e uma Charvel Tele Mogno + Floyd Rose.
    Lógico o som delas não lembra nada uma telecaster.

    ResponderExcluir
  11. Eu daria 3 sugestões p/ incrementar ela:
    1) Captadores TV Jones;
    2) Seymour Duncan P-rails;
    3) Aqueles captadores tri-sonic do Brian May.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boas sugestões. O Tri-Sonic, por ser cerâmico, pode soar com muitos médios e agudos. Essa guitarra já deu a pista de que o ideal seria alnico V ou, dependendo d bobinagem, alnico III na ponte

      Excluir
    2. Ou um SD JB humbucker com Alnico II...

      Excluir
  12. Olá Paulo, minhas leituras nesse blog foram um bom aprendizado sobre guitarras, em diversos aspectos. Ainda estou engatinhando nesse assunto, pois passei a maior parte da minha vida de músico amador às voltas com o contrabaixo. Entretanto, estou tentando aprender um pouco de guitarra, bem assim, quero dar um upgrade na minha fender mexicana. Por isso, gostaria de uma opinião de alguém que seja entendido do assunto. Pelo que vi, você conhece inúmeras combinações de captadores. A questão é simples: quero deixar a guitarra bem desenvolta, de um modo que não seja necessário alterar a composição dos captadores tão cedo. Pensei no seguinte: a instalação, na ponte, de um humbucker Fender American Standard DH-1 (o qual já tenho); um Fender American Standard Stratocaster Strat RWRP – middle, e um Fender Custom Shop Custom '54 – neck (H-S-S). Para isso, será necessária a combinação de pots 250k e 500k, conforme você fala em outro post. Será que esta é uma combinação de captadores razoável?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A combinação é razoável sim, Pedro, em todos os aspectos. O DH-1, se não me engano, tem as specs do Atomic, que por sua vez é muito semelhante ao Seymour JB. Como é algo mais agudo, a Fender geralmente o utiliza em pots de 250k - e talvez soe até melhor assim. Portanto, acho que podes manter os pots originais de 250 da strato. O 54 no braço vai te dar um belo som clássico de strato e o humbucker na ponte um timbre mais moderno e cheio. Embora pessoalmente não goste de stratos HSS, tenho que reconhecer que é uma configuração muito versátil e útil.

      Excluir
  13. Que ótimo! Esse captador do meio, só pra lembrar, é aquele com a polaridade inversa. Tenho ouvido falar bem sobre esse captador, mas, na prática, nada sei sobre ele. Penso que poderá ajudar a silenciar algum barulho mais incômodo da guitarra.
    Por outro lado, estou numa fase de compra de casa, e não posso pensar em gastar além da conta com a guitarra - então não quero mexer nela de novo tão cedo. Ainda por cima, a patroa não compreende a essência de um logo Fender. Pra ela, dá no mesmo que um SX, um Giannini ou um Tonante :-) - isso com o agravante de custar muito mais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele vai diminuir o ruído na posição "4" (meio+braço), Pedro. Como são todos Fender, não creio que terás problemas de fase, mas nunca se sabe :)

      Excluir
  14. Caro Paulo: Muito boa postagem! Tenho feito algumas experiências com mogno e todas resultam em algo valioso, não importando se o resultado final é legítimo ou não. Quanto às Teles, confesso ser um fanático -- não necessariamente quanto ao "som estalado", mas quanto ao "shape". Assim, tenho Teles que misturam muitos timbres e que -- felizmente para mim -- são todas do meu agrado. A mais recente é uma Cabronita Custom Shop da série Telebration. Os TV Jones funcionam espetacularmente. Além de ser "estalada" ela tem "chimes" e o melhor timbre de mistura "bridge + neck" que conheço. A penúltima do bando é uma G&L Asat Deluxe Semi Hollow com dois humbuckers, escala de rosewood e uma ponte que encordoa por cima -- nada MENOS tele, não? Mas simplesmente ÓTIMA. Abrzz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz! O cara tá muito bem servido de Teles! :) Fiquei com inveja! :)
      Também adoro o visual delas...

      Excluir
  15. Cara eu gostaria de saber qual é o nome daquele pequeno pickguard que está segurando o captador do beaço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se te referes à moldura metálica do captador do braço, comprei aqui:
      http://store.guitarfetish.com/Telecaster-Neck-Pickup-Chromed-Brass-Trim-Ring_p_1525.html

      Já o pickguard branco de plástico, é um original de Telecaster que eu cortei.

      Excluir
  16. Desculpa desvirtuar um pouco a questão,mas tenho uma dúvida pessoal e lendo o blog gostei muito do material postado aqui e achei que poderia obter ajuda.
    Enfim...a questão é possua uma Tagima T 505 modelo novo, só que tive problema com o braço... Enfim estou estudando que tipo de madeira/escala/etc... usar.Só gostaria de obter a sonoridade clássica de uma telecaster.Ou algo "proximo" das minhas influencias: Danny Gatton,Albert Collins,Roy Buchanan...
    Parabéns pelo ótimo conteúdo do blog.
    Agradeço desde já e aguardo resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, dê uma pesquisada aqui no blog, leia os posts sobre Telecaster - perceberás que uma Telecaster com corpo de cedro e braço de marfim dificilmente soará como uma Tele clássica.

      Embora tenha uma Tele de cedro (também postada aqui), a utilizo com um JB na ponte pra coisas de alto ganho. Twangs, estalos e timbres complexos de tele com cedro, tá difícil...

      Antes que me perguntes o que recomendo (além de trocares a Tagima por uma Vintage V52): isso está bem claro nos posts sobre teles (muitos).

      Excluir
    2. Entendo...
      Então,essa tele foi um presente de um amigo,não pretendo me desfazer dela.a minha opção é ver uma boa madeira para construção de um braço.
      Obrigado pela resposta e pela atenção.

      Excluir
  17. Olá Paulo,

    Gostaria de saber sobre o peso de sua guitarra, pois o Mogno apresenta uma variação muito grande de densidade. Comprei um corpo de tele em mogno com o routing tradicional e ele pesa 2,9Kg. A guitarra montada ficará com aproximadamente 4,5Kg, o que é bem pesadinho. Suponho que o timbre fique um pouco mais agudo, pela alta densidade da madeira. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a variação, inclusive entre árvores de uma mesma área, pode chegar a 400%.
      Hoje em dia, mais de 80% do mogno disponível é pesado, se compararmos ao mogno de algumas décadas atrás.

      Bem vindo ao mundo inconstante e imprevisível do mogno, Maurício :)

      Via de regra, o mogno brasileiro vai piorando de qualidade (acústica)e aumentando de peso à medida que se afasta do equador.
      Até hoje, ainda não consegui/vi/ouvi uma peça de mogno brasileiro boa, leve e ressonante.

      4,5kg, portanto, tá na média e o timbre talvez nem soe agudo demais, mas provavelmente não terá aquela esperada complexidade de médios.)

      Excluir
    2. PS: a minha tem exatamente esse peso: 4,55 kg

      Excluir
  18. Paulo,

    Estou fazendo uma Jazzmaster que, descontados o routing mais extenso e a menor espessura,tem um corpo de 1,9Kg. Montada, a guitarra ficará com 3,4Kg. Até fazendo um percussão digital no corpo dá pra perceber o quão ressonante ele é, espero que dê liga com os P-90 vintage da Fender. Acho que vou fazer os cortes da barriga e do braço na Tele para aliviar um pouco o peso. Obrigado por sua resposta. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, vai retirar um pouco do peso e deixá-la mais ergonômica. Foi o que fiz nas minhas de mogno e cedro.

      Excluir
  19. Jack, estou aproveitando uma oportunidade e vou comprar um corpo de mogno para telecaster. Lembrei que vc tinha uma e vim pesquisar aqui.

    Já entendi que é melhor combinar com um braço de maple.

    Sobre a captação, estou com um Fender 57/62 sobrando e pensei em colocá-lo na posição do braço. Pra ponte pensei em instalar um dual blade. Será que um King Mid T vai ficar muito porrada? Vi um teste dele no site da Rosar com uma Tagima (possivelmente de cedro) e me pareceu bem legal para sons limpos ou distorcidos, talvez ganhando um pouco mais de agudos no corpo de mogno...

    E nesse caso, como faria com os potenciômetros? 500k zoariam muito o som do single do braço? rs. Se for o caso, tem um jeito de cortar pela metade talvez usando um resistor?

    Desculpa por tantas perguntas.

    Abraço

    Vicenzo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Vicenzo! :)
      Olha só, ontem tava conversando com o Jr e chagamos à conclusão que boa parte do mogno brasileiro que chega até nós tá muito pesado e não soa tão bem... Conjecturo que como o mogno distribui-se no Brasil desde o extremo norte (melhor) até o centro-oeste e às vezes encontramos no centro-sul (cada vez pior), quanto mais "ao sul", pior. Tenho 3 teles de mogno e todas são MUITO pesadas e soam algo sem personalidade...
      Se conseguires peças do norte, good. Tente fazer todos os cortes "ergonômicos" (tipo strato) pra tentar diminuir o peso.
      Na configuração que mencionaste, deve soar bem, versátil e porrada com o King Mid T. Recomendo deixares os pots de 500k e, se depois de testada, o 57/62 sobrar nos agudos estridentes, dá pra colocar um resistor tranquilamente.
      Boa sorte e nos conte como ficou!

      Excluir
    2. Valeu, Jack. Vou dar uma verificada com o vendedor e seguir suas dicas. Se eu me embananar, peço ajuda pra instalar esse resistor...rs

      Grande abraço

      Vicenzo

      Excluir
    3. Jack, mais uma dúvida: Será que q combinação com um braço inteiro de pau-marfim ficaria legal? Eu achei um de maple por um preço razoável, mas a escala é colada...

      Excluir
    4. O pau-marfim só é semelhante ao maple no visual clarinho. Na sonoridade, não tem a riqueza de médios - geralmente soa mais agudo. Veja/ouça o vídeo aqui:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2012/09/timbre-de-guitarra-como-avaliar-parte-2.html
      Se o maple é canadense e não chinês, mesmo com a escala colada terá mais som de "Fender" que os outros...

      Excluir
    5. Me informei com o vendedor e o maple do braço é canadense. E o corpo de mogno está só com 2,5kg. Com isso, acho que vai ficar faltando só o cap da ponte pra começar o projeto, pois já encomendei todo o resto da parte elétrica e ferragens :)

      Obrigado mais uma vez, Jack!

      Grande abraço

      Vicenzo

      Excluir
    6. Vais de King Mid T na ponte, mesmo, Vicenzo? Esse captador tá virando um clássico aqui no Brasil...

      Excluir
    7. E o braço é do Vítor? Com ele não tem erro! :)

      Excluir
    8. Acho que vai ser o King Mid T mesmo :) Pelo teste que vi acho que vai soar bacana! Só que vou ter que esperar até o mês que vem pra comprar porque a grana acabou...rs

      Pelo mesmo motivo, não vou comprar com o Vitor. É meu primeiro projeto desse tipo e estou economizando um pouco... mas acho que consegui um negócio legal por um preço bacana. Vou contar os detalhes depois de pronto.

      Já o corpo, eu estou comprando com o Adriano que vc indicou aqui no blog.

      Excluir
    9. Vicenzo, é bom lembrar que o Adriano, exceto quando solicitado, não faz a preparação do corpo para pintura... A gente recebe o corpo cortado e com uma leve lixada inicial. Pra pintar, a superfície deve estar super lisa. Portanto, tem que lixar bem. Lixas 100 ou 150 nos locais mais grosseiros, 220 e 400. De vez em quando umedeça com álcool para ver se há alguma irregularidade.

      Quando vou relicar o corpo, não me preocupo muito com isso, mas pra deixá-la com aspecto de nova e lisa, tem que lixar... Bem, afinal, esse é o objetivo de quem se dispõe a aprender e montar sua própria guitarra, né? :)
      Abraço!

      Excluir
  20. Paulo,

    Consegui fazer um routing em piscina, cortes no corpo e reduzi a espessura do corpo em 4mm. O peso do corpo ficou em 2,2Kg. O peso final da guitarra com acabamento em Tru Oil ficou em 3,7kg = 8 libras, que é a média das Fenders. Assim que terminar a montagem e setup lhe digo sobre o timbre. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Tru Oil é um dos acabamentos mais legais que existem e além de tudo, não deixa aquele aspecto exageradamente brilhoso.
      só resta saber se vai falar depois :)
      O peso tá ótimo.

      Excluir
  21. Paulo,

    Terminei a Tele: http://s1118.photobucket.com/user/mogicaqui/library/Tele%20Mogno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maurício, ficou linda! Usaste algum corante para escurecer o mogno?
      E qual o peso final dela?

      Excluir
  22. Paulo,

    Eu usei uma veladura de cor imbuia na primeira demão de seladora. Acabei usando os produtos da General Iron Fittings, que são muito legais: (http://www.ironfittings.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=69:selador-universal-gif&catid=14:seladores-e-vernizes&Itemid=981)
    O acabamento foi com esta seladora de óleo de Tung e cera microcristal, que eu também recomendo.
    O peso final ficou em 3,9Kg.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal o link, Maurício!
      Chegaste a registrar esse processo de acabamento, com fotos e/ou vídeo?

      Excluir
  23. Paulo,
    Não registrei, mas aprendi os truques. Me diga qual tipo de acabamento que eu lhe faço um tutorial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maurício, tô planejando um post sobre acabamentos "caseiros", desses que o próprio guitarrista pode fazer. A ideia é postar apenas os menos complicados e com material acessível, mas que forneçam um resultado estético satisfatório. Acho que é o teu caso e o Tung Oil já estava na lista. Se puderes fazer um tutorial básico, fácil de reproduzir e ilustrado, seria ótimo.
      Planejo postar nos próximos dois meses.
      Obrigado!

      Excluir
  24. Paulo,

    Eu estou chafurdando em trabalho, mas vou organizar um toturial sobre acabamentos caseiros, incluindo as fontes que pesquisei. Assim,quem tiver interesse seleciona os materiais e bebe da fonte. Abraço.

    ResponderExcluir
  25. será que ja saiu esse tutorial a essa altura???

    ResponderExcluir
  26. kkk.. ei paulo me de uma dica de acabamento. verniz em spray, tu achas q rola?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digite "verniz spray" na pesquisa do blog, Calebe.

      Excluir
  27. Paulo, adorei ela como Fat Tele, aliás ficou um belo som Fat Fender, que também gosto muito.
    Não tem nada de som vintage mas também deixaria ela do jeito que está. Pena o mogno tupiniquim ser tão pesado, guitarra com 4,5 kg por umas duas horas seguidas em pé deve ser osso.

    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Marçal - essa é uma das 10 que pretendo vender - espero que mais pessoas gostem também :)
      Ela pesa 4kg - é uma balança comum caseira, mas é por aí - entre 3,9 e 4,1.
      Interessante é que as minhas duas guitarras preferidas - a Tele 68 e a Les Paul 81, pesam 4,2 e 4,3 kg, respectivamente. Meus ombros preferem guitarra leve, mas as que pesam menos que 3,5 raramente têm a densidade de médios que eu gosto :)

      Excluir
  28. Pois é, desses últimos vídeos que você gravou com o Alex, os que mais gostei foram as teles black jack e essa de mogno. A que menos gostei foi a strato HSS de hardash.

    Você vai vender as guitarras rápido, pode ter certeza. Sobre a questão de peso, já tinha entendido ter algo meio especial entre os 3,5kg e 4kg :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente, Marçal - mesmo sem colocar oficialmente à venda, duas já foram e a Black Jack tá encaminhada.
      Ufa! foi difícil o desapego, mas é necessário - tô chegando em quarenta guitarras... Haja corda pra tudo isso! KKK!

      Excluir
  29. Apego material é ruim mesmo. Mantenha as favoritas e as verdadeiramente úteis, negocia as outras aos poucos. Com seus contatos, você consegue vender sem precisar anunciá-las.

    Até poderia ver se alguma me interessaria, mas não nesse momento não tenho como trazer de Floripa para Valinhos, além de estar economizando para uma strato EJ ou algo do tipo.

    Mera curiosidade, quais já foram embora? As stratos mogno dos vídeos, são suas mesmo? O som da SSS até achei legal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marçal, eu tenho umas 5 "favoritas" e outras 10 que ficam "favoritas" de vez em quando kkk! Todas foram tunados de um jeito ou de outro e as que realmente não gostei já foram desmontadas. Todas das demos são minhas e a LTD e a Vintage AFD já foram vendidas. A Tele Black Jack eu prometi a um amigo que quando fosse vender, avisaria e ele já se colocou na fila - é que ainda não tenho certeza se ela vai ou fica :)

      Excluir
  30. Paulo, coloquei ela no ML... o link é esse ;)

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-564689254-telecaster-de-mogno-partscaster-n-fender-_JM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessados me procurem no facebook, é lógico que fora do ML pode rolar um desconto ;)

      https://www.facebook.com/cicerobianca.favaretto

      Excluir
    2. O anúncio tá claro e enxuto... Boa sorte na venda, Cícero! :)

      Excluir
  31. Oi Paulo... sempre acompanho seu blog, gosto muito de como as coisas acontecem na sua busca por timbre ;)
    Me diz uma coisa... esse braço é fender? Não ficou claro pra mim quanto a isso. Só vi que é de maple. Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é Fender. Assim como na maioria das guitarras que montei, coloco o logo "Fender" pra não ficar vazio ali. Braço é uma loteria - mesmo um Fender pode soar inadequado, dependendo do lote de maple. Como dá pra notar no post, o primeiro braço foi retirado e foi com o segundo (atual) que ela soou mais equilibrada. Os trastes sempre são checados, retificados ou recolocados pelo meu luthier de confiança.

      Excluir
    2. Primeiramente obrigado pela resposta ;)
      Eu comprei essa guitarra, estou com ela desde sexta feira. Gostei muito do timbre dela e da pegada. Só queria saber a origem do braço, se é de squier, sx ou qualquer outra marca. Sabe me dizer a origem dele?

      Excluir
    3. Parabéns pela compra! Pelo que o Cícero me falou, foi um belo negócio pra ambas as partes :)
      Olha Rick, tô com 40 guitarras (e mais um bocado de braços e corpos extras) e os braços estão sempre rodando entre as guitarras até casarem, mas eu tenho mais de 90% de certeza que é um Squier de strato com headstock modificado para Tele. Dá pra ver pela curva do final. O raio é de 14 polegadas - bem mais rápido que os vintage de 9 ou menos. Os trastes foram revisados pelo Inaldo no início de 2013. Braço com boa massa e pegada e perfeito pra esse corpo de mogno :)

      Excluir
    4. Muito obrigado pela informação Jack...To bem feliz com ela. O som não lembra o de uma telecaster mas ela tem um timbre bem particular, e casa muito bem com tipo de som que gosto de tocar. Tu acha que se eu der um bom polimento nela ela fica menos porosa e abre um bom brilho? ou pra isso eu teria que dar uma camada mais grossa de verniz?

      Excluir
    5. Parte da sonoridade dela é pelo acabamento bem fino, com pouquíssimas camadas. É igual o de algumas Gibsons "open pore" - os poros sempre ficam aparentes e dá pra sentir os sulcos da madeira. Assim o mogno respira mais e a ressonância é maior.
      Podes jogar verniz PU nela até ficar tudo lisinho e brilhante, mas isso vai mudar o timbre, com certeza.

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".