quarta-feira, 17 de abril de 2013

Junção braço e corpo de guitarra: tipos.


          Prometi que faria um post sobre esse assunto e já tinha separado várias coisas, mas ontem me deparei com um excelente artigo do luthier Samuel Soares e seria redundância fazer outro. Inclusive a fonte por ele citada (Dave Hunter - GP 2008) é a mesma que eu também citaria, além do Henry Ho (Raio X Da Sua Guitarra - GP 2002).
Segue o link para o artigo do Samuel Soares: "
"Dissecando a guitarra: Parte VI – Junção braço/corpo"

Além das junções citadas, existem outras (geralmente variações) menos comuns. 
Se sacas bem o inglês, recomendo também uma lida nesse artigo do polêmico luthier americano Ed Roman, que adora queimar o filme da Gibson... :)

Não é preguiça, não... O artigo do Samuel Soares/Dave Hunter é bem completo e fácil de entender.

Lembro sempre que não existe um tipo de junção superior/definitiva. Cada uma influencia de forma característica no timbre e todas têm o seu valor. O timbre clássico das Fender deve-se em grande parte à "deficiência" (ou eficiência, dependendo do ângulo que analisamos) da junção parafusada. Tanto é verdade que teles e stratos de braço colado nunca vingaram. O oposto ocorre com as Gibsons.

E, independente do tipo de junção, a sua qualidade sempre deve ser medida pelo grau de contato entre as madeiras do braço e corpo. "Tight"/apertada, justa, como dizem os americanos. Quando o braço encaixa no tróculo como uma "luva", firme e justa, podemos usar até cuspe para colar que a transmissão das vibrações sempre será boa, sem perdas... :) 

7 comentários:

  1. Bem legal Paulo ! Destaco também o sistema de encaixe que era usado nas Yamahas Pacificas top de linha nos anos 80/90, que tinha uma espécie de trilho metal para fazer o encaixe e possibilitar o acesso máximo ao braço. As pacificas atuais não usam mais esse sistema, que é o melhor que eu já vi. Aliás, as antigas Pacs foram uma das poucas propostas de melhoria do projeto original da Stratocaster bem sucedidas, tenho uma dessas e adoro a guitarra, abç !

    ResponderExcluir
  2. Eu já conhecia esses dois textos aí. Na verdade, o Ed Roman se tornou piada nesse meio, ninguém nem dá mínima pro que ele diz. O artigo dele é cheio de autoafirmação e autopromoção, o cara fala que determinado método de joint prejudica certos aspectos do timbre, mas não explica por que, não explica a física por trás disso. Na verdade isso nem é artigo, é só propaganda: Quicksilver rules!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Paulo :)
    Bem, não sei se lembrará de mim, mas vou tentar. Há um tempo atrás estive por aqui perguntando sobre as Sx Sst 62, sobre o braço ser mais gordo em relação as Condor Rx20.. Disse que era do Norte e na minha cidade não havia Sx pra vender, logo, teria que pedir pela internet a minha. Pois bem, pedi e chegou um dia desses. Gostei muito da guitarra e já to pensando em mudar algumas coisas nela. Se não fosse pedir demais queria sua opinião :)
    1 - Quero começar pelo bloco. Vou colocar um de 150g que tirei de uma Squier que tenho por aqui (o original tem só 75g). Também quero colocar os carrinhos da squier nela. O que você me diz?
    2 - Vou trocar os captadores e gostaria de alguma dica, se possível. Busco um timbre na linha de Oasis, mas precisamente do álbum Definitely Maybe. Sei que as semi-acústicas são a alma do Oasis mas prefiro as Strato. Quero chegar perto.
    Bem, por hora é somente isso. Não vi necessidade de trocar tarraxa. Achei os trastes alto (toco com cordas 0.09) e acho que o braço está levemente desnivelado, o que acarreta trastejamento.
    Obrigado desde já.

    Ass: Vitor Jaime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, perdão por perguntar algo totalmente fora do post.

      Excluir
    2. 150 gramas é melhor do que 75 com certeza, mas o legal seria um bloco mais pesado.
      Acho que as semi acústicas do Oasis têm humbuckers, que soam bem diferentes dos singles dessa SX. Uma opção seria colocares um captador do tipo dual blade na ponte.

      Excluir
  4. Boa tarde..
    Curto demais o blog de vcs.. costumo sempre consultar suas postagens e tenho grande respeito e admiração pelos posts...
    Fiquei mto feliz em ver sua citação sobre o post que fiz sobre o tema... isso me motiva cada vez continuar escrevendo mais...
    Sinceramente achei que ninguem tinha lido kkkkkkkk
    Parabéns pelo blog..
    Ao infinito e além!!! srsr
    Samuel Soares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O respeito e admiração são recíprocos, Samuel. O teu blog é excelente e muito didático, sem frescuras, por isso tá com link permanente aqui.
      O nosso blog fica à tua disposição.

      Ao infinito e além! (Se bem que eu sou do tempo do "Vida longa e próspera" hehehe...)

      Abração!

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".