sábado, 6 de abril de 2013

Me engana que eu gosto! A invasão das guitarras chinesas

          Eu tenho várias coisas na manga pra postar - tipos de junção braço/corpo, uma série de dicas grátis do meu amigo luthier Inaldo... Mas depois que li a excelente coluna do mestre luthier Jol Dantzig na revista Premier Guitar deste mês (clique para ler) e sua repercussão (clique para ler), resolvi falar justamente sobre isso: até que ponto os grandes (e médios e de boutique) fabricantes de guitarra estão terceirizando a sua produção no oriente (leia: China, Coréia, Indonésia, Filipinas, India, etc.)?

JOL DANTZIG

Em sua coluna, o luthier Jol Dantzig, um dos criadores da Hamer Guitars, menciona que recebe constantemente "ofertas" de grandes fábricas chinesas para produzir guitarras com eles. Eles enviam fotos de pilhas enormes de guitarras de várias marcas conhecidas, lado a lado. Além disso, listam os nomes das empresas para as quais produzem guitarras e baixos.
Jol Dantzig, vendo a lista dos clientes desses chineses, diz: "Ei! Eu pensava que esses caras realmente faziam suas guitarras..."


Quem são "esses caras"? Eu fico pensando... Além dos de praxe, Gibson, Fender, PRS, com suas segundas linhas, será que Fano, Framus, Reverend, Godin, Music Man, D'Angelico, GJ (nova Grover Jackson), Parker, G&L, etc., realmente fazem suas guitarras? Até o nosso velho mestre Tagima sucumbiu à tentação e tem uma linha chinesa. Ontem fui na loja Mensageiro Musical e vi uma nova guitarra da Tagima, modelo Les Paul. Extremamente parecida (peso, detalhes, acabamento, braço) com as Condor CLP. Vi um violão Giannini e outro Strinberg idênticos, só mudavam os logos. TUDO chinês e se bobear, da mesma fábrica.
Pra completar o devaneio patético, o violão Giannini tinha problemas de afinação - parece que eles não conseguem fazer um violão bom nem na china - PQP!

Enfim, virou essa palhaçada que no Brasil beira o ridículo. Tem "fábricas" aqui que não apertam um parafuso sequer. A maioria consiste num escritório de importação e um depósito pra receber a carga chinesa.

Nunca engoli caras como o Bill Nash. Putz, ele só monta e finaliza. Tudo bem que os fornecedores são americanos e bons, mas isso eu também faço aqui em casa. O foda mesmo é ver uma Telecaster montada por ele ser vendida na Two Tone de São Paulo por 7 mil reais.

Eu posso desenhar um modelo de guitarra, inventar algumas alterações simples mas manter grande parte do visual de alguma guitarra clássica, entrar em contato com uma fábrica qualquer na china (como a Shandong Huayun, da foto abaixo) e, com um CNPJ nas mãos, criar uma marca própria. Coloco um anúncio na Guitar Player Brasil e... pronto, virei um "fabricante nacional".
O Jol Dantzig acabou de postar que o pessoal (os montadores de guitarra disfarçados de produtores) já começou a reclamar do que ele postou. Ele devia é ter dado os nomes!


PS1: Não estou criticando a qualidade das guitarras chinesas. As top de linha são muito bem feitas e o processo de automação/CNC nos dias de hoje é quase uma garantia de tocabilidade. Mesmo guitarras vendidas para os nossos "fabricantes nacionais", que às vezes custam menos de 100 dólares completas, podem ser viáveis e úteis para iniciantes. Vários luthiers e pessoas do meio (Tim Shaw, Jol Dantzig, J. T. Riboloff, etc.) já mencionaram que o oriente tem capacidade de produzir excelentes guitarras.
A questão aí é que alguns fabricantes estão omitindo a origem de suas guitarras. Como consumidores, temos direito à essa informação.

55 comentários:

  1. Oi Paulo,

    Esse é o meu primeiro comentário no seu blog. Comecei a ler os seus posts na semana passada, quando me deu um ataque de saudades da minha guitarra, uma Memphis by Tagima, modelo starto dos mais simples... Havia comprado ela há dois anos, paguei razoávelmente barato. Nunca levei para uma regulagem completa. Resolvi fazer isso na semana passada, e acho que foi bom. A guitarra está melhor, melhorou a pegada, altura das cordas, envergadura do braço etc. Está regulada. Mas é uma guita chinesa. Para mim, que não toco nada (nem tenho um ampli, toco apenas plugada no computador e com fones de ouvido) está de bom tamanho, de vez em quando todo nela. Como ela é toda single coil, ela tem aquele chiadinho característico, mas isso melhora bastante quando posiciono a cheve seletora (5 posições) no meio entre dois captadores, como se fosse um humbucker e tiro todo o tone (coloco no zero). O som fica mais limpo, mas fica todo abafado. Isso acontece também com guitarras mais caras e de boa qualidade?
    O luthier que regulou ela pra mim me disse que uma blindagem sairia caro e não resolveria o problema, principalmente por causa os captadores single coil.

    Abraços,

    Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O som ficar abafado e pq vc fechou todo o tone e é normal acontecer também em guitarras mais caras se fizer essa mesma configuração(talvez menos devido a qualidade dos materiais usados na construção)
      Os ruídos dos single melhoram bastante com a blindagem, mas não desaparecem por completo. O fato do luthier ter dito que "sairia caro e não resolveria o problema" provavelmente é pq o custo do serviço X o valor da sua guitarra, não seja um bom custo benefício e o fato de ter citado os single coils como uma das causas do problema se deve ao fato que os instalados na sua guitarra sejam de qualidade inferior.

      P.S.: Ruído no contexto da música com banda acaba se tornando irrelevante, mas como vc toca em casa sozinho esse ruído se torna realmente muito chato.

      Excluir
    2. Fernando, obrigado pela resposta!

      Acho que é isso mesmo, uma questão de custo-benefício. De fato, tocando sozinho é meio chato mesmo essa questão do ruído, mas tudo bem. Será que com um amplificador e uma pedaleira eu poderia obter um resultado um pouco mais honesto, quero dizer, uma pouco mais realista? Atualmente utilizo o guitar rig e uma interface usb beringher ucg102.

      Abração!

      Excluir
    3. Não acredito, com uma pedaleira vc poderia usar os efeitos embutidos e simulações de caixas e cabeçotes e se tiver conexão USB vc poderia usar como uma interface de áudio, alem do mais a maioria delas(senão todas) tem a função "Noise Supressor" que pode aliviar um pouco esses ruídos(veja o vídeo do Roberto Torao no Youtube sobre a Boss ME-25), mas isso tudo programas como Guitar Rig também devem oferecer e o amplificador também não mudaria muito essa situação.
      P.S.: Tente diminuir o ganho das distorções ou trocar o preset no Guitar Rig... lá tem uma infinidade de opções e sugiro a vc fuçar todas essas funcionalidades e ver qual combina melhor e mais te agrada.

      Excluir
    4. É isso aí, Fernando. Outra opção seria colocar um dual blade baratinho na ponte - deve diminuir no mínimo 50% do ruído.

      Excluir
    5. Essa é uma boa alternativa sim, principalmente pq não requer nenhuma modificação além da própria substituição do captador, resta saber quais o planos dele com a guitarra, afinal essa guitarra custa +- R$200,00, e um captador desses genérico custa algo torno de R$60,00... se for somando os custos, captador, frete e instalação, já começo a me perguntar se a troca por outra um pouco melhor não seria o melhor caminho a seguir.
      Mas como falei no início são alternativas que ele vai ter que pesar e decidir qual caminho a seguir.

      Excluir
  2. Fala Paulo, tudo bom?
    Novamente um post oportuno.

    Essa questão das guitarras e violões "de marca" mas chineses são um caso sério. Nada contra, entre as marcas que você citou sabemos que tem até alguns bons produtos chineses pelo valor cobrado.

    Mas aqui no Brasil já viu, tem logotipo Fender, Gibson, PRS, G&L e outros, pronto, o valor de venda fica assustador, não bastasse os impostos altíssimos cada empresa que tem alguma responsabilidade na importação, armazenagem e distribuição quer um lucro absurdo em cada unidade.

    Se falar em instrumentos 1ª linha então aí complicou de vez.

    Como já disse estou no início da vivência com violão e tenho um Giannini chinês nylon básico. Essa semana tive a oportunidade de tocar alguns acordes em outros violões básicos, só que de um ótimo luthier de Campinas.

    Cara é incomparável a diferença, parecia uma mantega tanto o de nylon quanto o de aço que testei rapidamente. Não preciso nem dizer que quase chorei quando voltei pra casa e peguei o Giannini.

    Evidente que tudo tem seu preço mas provavelmente vou acabar indo de violões e guitarras de luthier quando chegar a hora.

    Vou pagar muito caro, não terei um instrumento clássico mas pelo menos vou saber o que estarei comprando.

    Abs,

    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marçal,

      Acho que a sua idéia sobre ter instrumentos feitos realmente a mão e por humanos (vamos colocar assim), é boa e legítima. No meu caso, sempre toquei em instrumentos chineses ou nos tonantes da vida. Não que isso seja ruim (o tonando era muito ruim, mas ainda sim era único ;) ), mas se contarmos que um instrumento é pra a vida toda (!), é um investimento que vale muito à pena.

      Abraço,

      Carlos

      Excluir
    2. Vai ver foi o mesmo Giannini de nylon que eu testei, Marçal... :)

      Excluir
  3. Kkkkk ! A verdade é que os caras viraram os donos do mundo ! Quase 100% da produção mundial de madeiras é direcionada para a China ! É assim ! Quanto as guitarras, bem, diria que eles acertam na maioria das coias para pisar na bola em outra, comprometendo o resultado final ! Mas isso ainda ! Porque já tenho visto strats com cosntrução quase perfeitas, nas séries Squir Classiv Vibe e Fender Modern Player ! Hehe, os chineses não são mole não, passei férias agora na Itália e só dá chinês em Veneza, Florença, Toscana... Os caras são os novos donos do mundo, hehe, abç !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato é que os chineses dominam as técnicas industriais e daí manufaturar artigos que possuem detalhes de alto padrão em acabamento e colocá-los em escala industrial, é um pulo!

      Abraço,

      Carlos

      Excluir
  4. Bill Nash é pilantragem e nunca vi ninguém dando a mínima pras partscasters dele em nenhum fóruns. A estrutura (corpo+braço) é All Parts, made in Japan, a qualidade é de Fender Japan porque All Parts sai da mesma planta, o cara compra cada peça a micharia, menos de 50usd, faz uns relics fakes sebosos e põe pra competir com as Am Vintage. Não à toa uma loja de b... como a TwoTone trouxe elas, mercado brasileiro só recebe lixo que ninguém mais quer. E por que alguém iria querer, se você mesmo pode comprar e fazer sua guitarra ao seu gosto? É por isso que existe Warmoth, USCG ou, pra projetos vintages, a MJT (que usa All Parts e Wildwood), muito bem reputada, com relics customizáveis. Sem falar qual a graça em se ter uma partscaster se não for um negócio diy?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Não faz nenhum sentido pagar caro por uma partscaster.

      Excluir
    2. Como essa é a minha primeira contribuição para o blog, gostaria de parabenizá-lo pelo trabalho.

      Quanto a NashGuitars e Bill Nash, gostaria de expor alguns pontos.

      Depois que tive contato com uma Nash em uma loja na Europa, e foi a tele mais fantástica que eu coloquei nas minhas mãos, procurei mais sobre. Evidentemente se encontram comentários do tipo "ele compra da All Parts e vende pelo olho da cara" ou "prefiro comprar uma Fender Custom Shop" ou ainda "prefiro uma Fender de verdade". E a opinião de cada um deve ser respeitada, mas pra mim existem outros pontos.

      Em primeiro lugar a guitarra, que é o que interessa, toco guitarra faz 17 anos, não sou expert, mas alimento um interesse grande pelo assunto, e já tive contato com uma gama grande de instrumentos de todos os níveis.
      A Tele da Nash foi a guitarra com o feeling, pegada, mais incrível que eu toquei.. na mesma loja eu peguei duas teles Fender Custom Shop, também relic, e também caríssimas, e não havia comparação. Plugadas todas soavam muito bem, mas a tocabilidade, feeling, e o próprio som acústico que ela emitia, "pqp" a Nash ganhava fácil. Sem contar com o peso, muito mais leve que as Custom.

      Quanto a forums e reviews, eu li muita coisa boa, p/ citar alguns exemplos:
      http://wackerman.blogspot.com.br/2009/12/bill-nash-guitars-not-just-relics.html
      http://guitarism-tr.blogspot.com.br/2011/08/nash-s-57-review.html

      Mesmo no Forum da tdpri que costuma ter muitas opiniões de pessoas que "se baseiam nas opiniões de outras pessoas" a média é boa, expecialmente de gente que diz ter tido contato com o instrumento:
      http://www.tdpri.com/forum/telecaster-discussion-forum/108921-nash-guitars-any-opinions.html

      Quanto ao papo de que ele não faz, só monta, penso o seguinte... Toda guitarra, vamos tomar com exemplo a Fender, sai de uma CNC, e é montada por várias pessoas, onde cada uma é responsável por um processo. Com exceção das Master Build que figuram em outra categoria de preço + fila de espera. Então qual a diferença se a peça saiu de uma CNC dentro da empresa, ou de uma CNC fora da empresa, de um fornecedor ?

      Comprar madeira, hardware e montar, qualquer um faz, mas o resultado final é no mínimo questionável. Na minha opinião se o cara consegue obter resultados muito bons, e de alto nível, somados a um acabamento relic impecável, comparável a pouquíssimos, já é mais do que o suficiente para que ele tenha sua marca/empresa. Muito mais honesto do que a maioria das marcas mainstream.

      Não quero tomar partido de ninguém, mas acredito que deveria-se tomar um pouco de cuidado com comentários do tipo, "comprar e montar até eu faço", ou chamar de pilantragem.

      Jamais pagaria o que ele cobra por uma guitarra, assim como jamais pagaria o que é cobrado por uma Fender Custom Shop, mas entendo que o faça, e se fosse comprar uma guitarra nessa faixa de preço, sem dúvida alguma as Nash estariam na lista.

      O próprio Bill responde a muitos desses questionamentos aqui http://www.nashguitars.com/IMHO.htm

      Abraço!
      Ricardo

      Excluir
    3. Não questionei a qualidade, Ricardo. O review de uma tele do Bill Nash na Tone Quest foi excelente e acho que nunca li comentários negativos sobre as guitarras dele.

      Mas mantenho minha opinião inicial (não o considero desonesto ou pilantra, de forma alguma) e gostaria de acrescentar que, pessoalmente, não acho (os que vi, pelo menos) os relics dele excelentes.

      Independente disso, o teu comentário foi muito bom, pois acrescentou mais equilíbrio ao post. Obrigado :)

      Excluir
    4. Balela. Strato/tele é o modelo mais humilde de guitarra que ainda existe, é coisa simplória, não precisa de nenhum papa da lutheria respondendo pergunta besta pra forçar a venda de seu produto. Nasceram pra ser simples e acessíveis pras pessoas que não podem pagar muito, então, em se tratando desse nível de construção, é normal que instrumentos mais baratos se equiparem, em sonoridade ou feeling, àqueles mais caros. Não tem mistério, uma peça de alder parafusada numa de maple. Vai no ebay e veja o preço de um braço All Parts pro consumidor final... Por que eu vou pagar 80% do valor por um relic fake seboso que esse cara faz? Fender pelo menos eu tô pagando pela marca e tudo que ela representa, mesmo sendo supostamente igual, pelo case personalizado, tags, cetificados (já tentou vender uma boa Fender sem essas coisas pra ver como é difícil?) e um possível investimento de retorno garantido pro futuro.
      E opinião favorável, uma ou outra, sempre vai existir, e nesse caso normalmente parte de gatos pingados que compraram e precisam ficar afirmando seu investimento por aí. Você acha que eu não pesquisei exaustivamente antes de falar das Nash? Quase não há relato. É por isso que veio pra cá, e ainda mais pelas mãos de uma loja cancerosa como a TT. Agora procure pela Danocaster ou pela MJT... Você só escuta coisa boa, 100% nitro(nenhuma Fender non-CS é), specs de época ou relics customizáveis, preço justo...
      Agora se você acha bonito pagar pra TT 7 mil (divididos em 50x no cartão) numa All Parts porcamente relicada, fazer o quê?

      Excluir
    5. Rodrigo, opinião é opinião, eu descordo que um pedaço de maple parafusado em um pedaço de alder é algo simples, que não tem mistério. A verdadeira origem desses pedaços de madeira, colagem, acabamento, set-up tudo interfere no resultado final, dai vai de cada um colocar tudo na balança, mas essa é minha opinião.

      Quanto ao relic, posso falar do que eu vi. Você acha Nash seboso, eu acho excelente, não deixa nada a desejar de Fender Custom Shop, e novamente na minha opinião, são de muito bom gosto, inclusive escolha de cores, combinações, hardware, etc.

      Opinião favorável de gatos pingados ? Quase não há relatos ? Descordo, e pelo menos citei referências.

      Quanto a escolha por uma Fender é pessoal, você pode comprar uma guitarra pensando em preço de revenda, ou porque gostou muito e quer tocar ela por muito tempo. Não existe certo e errado, apenas a opinião pessoal de cada um. Uma tele ou strato feita com "carinho" presta muito mais respeito a Leo Fender do que um Fender escrito no Head Stock serigrafado na china.

      Do meu ponto de vista, o fato de ter ido parar na TwoTone não tem absolutamente nada a ver com a qualidade da guitarra, até porque ela vende uma infinidade de marcas... Eu vi pela primeira vez essas guitarras em uma loja conceituadíssima em Londres, na Denmark street. E o preço, convenhamos, Brasil não é referência em preço de instrumentos musicais, quando me refiro a Nash ou a CS etc, considero o preço americano, e ambas estão na mesma faixa.

      Quanto a Danocaster ou MJT eu nunca coloquei as mãos em uma, então iria formar uma opinião baseada nas opiniões de outros que li em forums, e isso prefiro não fazer.

      Abraço !
      Ricardo Labes

      Excluir
    6. Primeiro: eu não quero saber há quanto tempo você toca, nem dos instrumentos que você já teve, nem das suas viagens pra europa, guarde todos esses detalhes pessoais pras conversas entre os seus amigos, isso aqui não é o blog da sua vida.

      Segundo: não se trata de guerra de opiniões, meu amigo. Eu não quero saber a opinião de ninguém a respeito de absolutamente nada. E nada do que eu falo aqui é opinião pessoal, é constatação da realidade, é pesquisa e análise, é método científico filosófico aplicado ao mundo dos instrumentos, é fato. E o fato inexorável é: NASH É ALL PARTS PORCAMENTE RELICADA E SUPERFATURADA. Ponto. Isso é fato e, não importa o quanto você esperneie, nada mudará isso. Não sei que tipo de hardware e captação eles usam, mas me arrisco a dizer que são todos genéricos.

      Guitarras Fender, A GROSSO MODO, é simplesmente isso: uma peça de alder parafusada a uma de maple (previ que você se escandalizaria com isso). É claro que existe diferenças de acabamento, de construção, de matéria-prima, de hardware. Você acha que eu não sei disso? É isso que faz uma All Parts ser completamente inferior a uma masterbuilt. Eu deixei isso claro quando disse que a qualidade da All Parts era nível Fender Japan, todas elas saem de fábrica carecendo urgente de fretwork, e foi um ponto que você ignorou ao dizer que a Nash era do mesmo nível das Fender CS. Mas são diferenças que não necessariamente tem implicância com a qualidade do som. É por isso que é perfeitamente possível uma strato vagabunda soar melhor que uma strato mais cara.

      Nossa, grande coisa, pesquisou no google, achou dois reviews e acha que isso é referencial absoluto? Reviews aleatórios em sites de reviews quase nunca servem como referência. É por isso que me atento à idoneidade de quem escreve. Como escrevem. Quantos escrevem. Qual o interesse. Depois disso, ponderando entre positivos e negativos, eu filtro a informação correta. Não preciso presenciar, sei lá, o massacre do povo asteca pra atestar a veracidade desse fato. Se eu precisasse ter todos os instrumentos do mundo sobre os quais eu emito alguma opinião eu teria que dedicar o fruto do meu trabalho só pra comprar eles e dar satisfação a quem liga de ler o que eu escrevo.

      Eu não disse que o fato dela ser vendida pela TT tem alguma relação com qualidade. Disse que veio pro Brasil com representação legal porque não tem mercado suficiente lá fora. E nada mais adequado que uma loja cancerosa traga essa marca cancerosa.

      Quanto a Danocaster... O Dan não é só um grande luthier, ele é um hobbysta e nem é sempre que aceita encomenda, faz réplicas com mais fidelidade que as próprias Time Machine da Fender, com material de primeira, relics precisos e, o melhor de tudo, preço de Nash. Sem falar que as Danocaster pelo que custam mantêm o valor de revenda melhor do que a maioria das Fender. Sempre vejo pintar alguma usada no ebay, preço até elevado, e evapora em segundos.

      Excluir
    7. Rodrigo, não entendi o porquê do tom de ofensa, citei apenas ocasiões relacionadas com as guitarras em questão.

      Acredito no princípio de que não existe certo e errado, tudo é subjetivo e pode ser analisado de infinitos ângulos, porém se você acha que a sua opinião é a "constatação da realidade", e "fato", com base em leitura e "filtrar a informação correta", acredito que não há mais nada que eu possa acrescentar à conversa.

      Att.
      Ricardo

      Excluir
    8. Não seja dramático, por favor, jamais existiu ofensa. Sou uma pessoa muito gentil e educada. Mas não se pode considerar como argumento sério, nem muito menos princípio, isso de que tudo é subjetivo, tudo pode ser relativizado, tudo pode ser desconstruído. Isso é a degradação moral do nosso tempo. O certo sempre será o certo, e o errado, o errado. Hoje em dia acham que liberdade individual é sinônimo de subversão de conceitos, devassidão e anarquia, é aí que você vê a necessidade da influência de forças controladoras como a Igreja na vida das pessoas.

      Voltando ao assunto... Agora veja, quanto custa uma Nash nos EUA? 1800 a 2000 dólares? Num mercado em que com muito menos que isso você compra PRS, o sujeito tem que ser tremendamente imbecil pra queimar dinheiro numa Nash. Acredito que todos entenderam e é por essa razão que isso veio parar aqui. Brasil é o melhor mercado do mundo pra se ganhar dinheiro à custa de idiotas. Aqui não tem representação oficial de um monte de marca famosa, mas da Nash tem. Mande um email pra TT perguntando o porquê do preço e eles responderão: "É o custo-Brasil".

      Excluir
    9. Vou tentar me expressar melhor então;

      Você acha Nash pilantragem, partscaster superfaturadas; eu achei a guitarra excelente, e juntamente com os argumentos já abordados, quis trazer outro ponto de vista à discussão(aliás recomendo novamente que leiam o que o próprio Bill Nash fala http://www.nashguitars.com/IMHO.htm. Foi apenas esse meu intuito com o comentário, inclusive falei, e repito que jamais pagaria esse preço em uma guitarra, independente de origem ou marca.

      Você acha que a sua opinião sobre um instrumento após leitura e discernimento da opinião de outros é a constatação da realidade; eu acho que se você vai inferir sua opinião sobre um instrumento o mínimo que se espera é que você tenha tocado um, pego na mão, avaliado acabamento, tocabilidade etc...

      Quem está certo ou errado ?

      É a mesma coisa do que você sair perguntando qual o melhor modelo de guitarra, um vai dizer que é Strato, outro tele, e outro vai dizer que single coil é uma bosta e les paul é a melhor que tem. Quem está certo e quem está errado ? Isso não existe, estamos falando de instrumentos musicais, existe o que cada um gosta, existe o que serve p/ cada pessoa, certo, errado, não se aplicam.

      Pra mim, (e veja bem, eu escrevi pra mim) a premissa de, vá até a loja, toque o máximo de instrumentos que conseguir e compre aquele que você se sentir melhor, que soar melhor para o SEU som, para o SEU estilo, independente do que está escrito no head-stock, do país que foi feito, do que as etiquetas dizem, de se o cara da banda X usa uma dessa, ou da opinião do fulano X que falou Y no forum, é um excelente conselho, porque você vai conviver com aquele instrumento, porque o instrumento tem que te atrair, te dar vontade de pegar ele para tocar, e dai o resto não importa. Pra mim "serviu pra você" tá certo.

      Nós dois agora poderíamos ficar trocando fontes que falam bem ou mau infinitamente, poderíamos dizer que isso vale mais a pena do que aquilo, poderíamos estender essa conversa, expressando opiniões pessoais indefinidamente, mas acho que já perdemos o foco do post, e deixamos de contribuir para o leitor do LPG. Afinal quem quer ver pessoas discutindo sobre opiniões pessoais, participa do Cifra clube.

      Ricardo


      Excluir
    10. Problema seu que você achou excelente. Eu não perguntei. Ninguém perguntou. Não é disso que se trata a discussão. Deixei bem claro e não vou ficar andando em círculos repetindo o que eu já disse. Não dou a mínima pra opinião subjetiva de ninguém. Não quero saber o que você acha a respeito de coisa alguma. Não é isso que me faz chegar à verdade, você não leu, ou não entendeu, uma vírgula do que eu disse e continua inferindo absurdos de minhas palavras e se contradizendo. O post acima, por si só, tem várias contradições a respeito do valor da opinião. Mas você não consegue entender isso, você não sabe o que é uma descrição fria e isenta e prefere continuar colando essa porcaria de link sobre um parecer da parte mais interessada de todas, o cara que vende. Ah, francamente isso me irrita. Você sabe o que é um estudo historiográfico? Pois então... Conheço All Parts, conheço Fender Japan, sei o suficiente pra emitir um juízo de valor a respeito das qualidades e das enormes carências da linha de produtos que sai dessa planta. E isso me leva a conclusão de que 2k usd é quase 3 vezes o valor justo que se deveria cobrar por esse produto. Acabou. Não faz sentido me prolongar. Se você gosta de ser enganado, problema seu. Só não me venha dizer que isso se trata de liberdade de opinião.

      Agora, reparando bem, você não é o tal do Ricardo da TT, não, né? Porque me sentiria frustrado de perder tempo com um cara que só quer vender suas porcarias a preços extorsivos. Em outros tempos, desceria o gênio do Professor Olavo sobre mim e xingaria um vendedor desse naipe até meus dedos cansarem. Mas hoje me tornei um pacifista e devoto do Evangelho, é por isso que paro com essa conversa cansativa e sem um pingo de sentido de sua parte, como dizia um sábio: "Quando, porém, terminariam os debates e discussões, se nos julgássemos obrigados a dar sempre respostas às respotas? Com efeito, a falta de inteligência ou a teimosia rebelde respondem, como diz a Escritura, com palavras de iniqüidade e sua vaidade não os fatiga em absoluto. Se, por conseguinte, quiséssemos refutar-lhes as opiniões tantas vezes quantas obstinadamente tomaram o partido de pouco ligar ao que eles mesmos dizem, que trabalheira interminável, desesperadamente, estéril!"

      Excluir
    11. Hahahaha, não sei se você é genuinamente ignorante ou um "trollador" como se diz hoje em dia, de qualquer maneira você está fazendo isso bem.

      Só para deixar claro, não trabalho nem nunca trabalhei com instrumentos musicais.

      Excluir
    12. Ignorante é você, rapá, e eu provei isso magistralmente, por A+B, ensinei o que é método investigativo e fui ignorado. A você, só lhe restou o esperneio e o insulto, recurso dos pobres de espírito. E a mim, só me resta lamentar o tempo vão que dediquei a essa discussão.

      Excluir
    13. o Rodrigo Sacramento é muito engraçado ! Cara independente de vc estar certo ou errado eu me rachei de rir ! Trol Gilbrother level 10 !

      Excluir
    14. Além de engraçado, deu pra perceber que ele não gosta de Strato/Tele.

      Ele poderia ter exposto seu ponto de vista sem mudar o tom da conversa.

      Com certeza todos agradecem as informações prestadas.

      Excluir
    15. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Muito bom colocado Paulo. Li o artigo do Dantzig e gostei de ele ter colocado o dedo na ferida. Não tenho nada contra guitarras chinesas em princípio. Nesses tempos de CNC não é difícil produzir uma guitarra bem razoável principalmente para iniciantes. Mas o consumidor tem que ser informado direitinho qual material foi utilizado e onde foi fabricada a guitarra. O f*** é pagar caro por uma guitarra barata só porque colocaram uma marca conhecida no headstock. Ou pior, vender como se fosse uma guitarra de luthier fabricada a mão.
    Um amigo meu compra garrafas para cachaça da China. Ele disse que tem garrafas de excelente qualidade e garrafas péssimas. Tudo depende de quanto se quer pagar.
    Abraços,
    Fabiano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo. Às vezes estamos pagando é o logo da guitarra! :)

      Excluir
  6. Paulo May eu estou inclinado a comprar uma Fender mexicana, mas não tenho a menor noção de como ver se é verdadeira, vc tem alguma dica, conselhos pra me explicar como faço isto ? Usei este meio aqui pq foi o único que tive acesso a vc. Vou te passar o link aqui da guitar pra ter uma idéia.

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-470669262-fender-strato-mexico-94-c-seymour-duncan-jb-jr-case-skb-_JM

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me parece verdadeira e acredito que seja verdadeira. Mas existe cópia que é quase impossível diferenciar, ainda mais por fotos.

      É bem lembrar que as Fender Mex Standard só não são piores que as squier - não sei como era a coisa em 1994. Atualmente eu não compraria uma Standard Mexicana. Iria de Vintage Icon V6, pelo custo/benefício.

      É importante saber se a cavidade dos captadores é do tipo clássica/vintage ou piscinão/universal. Se for a primeira e queres uma "Fender", acho que pode valer a pena.

      Excluir
    2. Alexandreplace,
      se for de SP e quiser dar uma olhada na minha Fender MIM, é so falar. A minha é 1996, alder com escala em maple e tem cavidades classica/vintage e esta em otimas condicoes.

      http://www.htforum.com/vb/showthread.php/210605-Guitarra-Fender-Stratocaster-Standard

      jack, desculpe o offtopic.

      abraço

      Excluir
    3. A Fender MIM do Petri é uma das poucas que eu assino embaixo, Alexandre. Pelo menos nesse caso, a compra seria garantida :)

      Excluir
    4. O Petri pode me passar as fotos pelo meu email, não consigo ver a guitarra. alexandreplace@gmail.com

      Excluir
  7. Muito bacana o Post! Já tive duas guitarras da china nas mãos. Uma "Ibanez JEM" e uma "Gibson Les Paul". Importei por conta própria e as guitarras nao custaram mais do que 400 reais com impostos pagos aqui na receita.

    Fiquei impressionado com a péssima qualidade do acabamento e materiais. LEvei a Les Paul no luthier pra regular e nem as escalas estavam dentro da medida padrao da Les Paul. o resultado é que a guitarra nao parava afinada. Mesmo regulando ainda tinha seus defeitos. Nem preciso dizer da pessima qualidade dos Pots e Captadores certo?

    Abs e parabéns pelo artigo.

    ResponderExcluir
  8. Ola paulo queria saber se as guitarras vintage v6 icon são boas ou seja são realmente de alder maçiço e com troca de captadores e potenciometros chegam perto de fender.

    ResponderExcluir
  9. Boa noite guitarrist ,confirmando um post aqui do blog posso dizer que as séries "top" da marca vintage - v6, v62, v100, etc - não deixam nada a desejar a uma epiphone ou fender standard, para citar instrumentos mais caros e facilmente encontrados nas lojas . O acabamento é de primeiríssima , a construção é muito boa e o hardware dá conta do recado . tenho tocado em alguns modelos diariamente na loja e reforço que valem a pena .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guitar Center Music,

      achei o site de sua loja, e lá busquei pelas ótimas guitarras Vintage, sobretudo os modelos V52 e V6 (cor: SSB). Mas no mesmo só consta os modelos V62 e V100. É isso mesmo ou há disponibilidade dos modelos que desejo?

      De antemão, peço desculpas ao Paulo May por usar o blog com essa finalidade de contato. Mas penso que talvez também sirva para facilitar a outros membros conhecerem/adquirirem as guitarras Vintage.

      Obrigado!

      Excluir
    2. cara obrigado mas vc teria disponivel em sua loja a vintage v100 afd paradise.. pesso desculpas ao paulo novamente em não ta conversando diretamente com ele.

      Excluir
    3. Peço que você entre em contato direto comigo, senão o tópico começa a virar propaganda e classificado : guitarcentermusic@gmail.com

      Excluir
  10. Paulo,essas Nash são guitarras feitas com peças americanas !? Inspirado em você estou comprando partes já "detonadas" para fazer uma Fender. Corpo e braço tenho e esta com uma cara bem vintage,via EBAY !!
    Tomei um susto com esta sua afirmação sobre ele por que fui na TwoTone e tirei varias fotos de uma Strato para fazer a minha !!

    ResponderExcluir
  11. Este problema tem acontecido com alguns pedais de "boutique" americanos . Um deles tem o circuito da joyo coberto com massa epoxi e foi desmascarado pela revista Guitar World, se não me falha a memória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a enganação não é só aqui. Captadores, guitarras, amps, pedais... Qualquer um pode mandar fazer na china e vender como "de boutique"

      Excluir
  12. Pois é amigo... Agora as guitarras são só mais um "eletrodoméstico". Já viu os liquidificadores em um supermercado? As "submarcas" mudam, mas é o mesmo aparelho! O mesmo acontece com câmeras fotográficas e inúmeros gadgets. Importamos a coisa pronta, colocamos um logo e pronto! Indústria Brasileira!

    ResponderExcluir
  13. Eu entendi,e agora pesquisando a decepção é grande.Vejo essas Nash na Two Tone a preços de guitarras muito caras e sempre me perguntei,sera que vale tudo isso ?! Agora vejo que não,peças relics tem aos montes no Ebay.É a China tomando conta do mundo.

    ResponderExcluir
  14. Se é pra levar gato por lebre, faça o seu gato... pelo menos você realmente sabe o que tem em mãos... por isso eu gosto tanto desse blog, que adianta o cara ter uma super fender/gibson ou outra feita de pedacinhos de madeira... pegue uma madeira legal, captador legal, etc.. e o melhor dentro do seu orçamento com calma... e faça uma guita boa na qual vc reamente conhece o que tem...

    Paulo to fazendo minha tele cara.. quando puder posta alguma coisa sobre captadores de telecaster sei que vc é uma amante desse modelo e é perito nele... to afim de um som country mesmo tipo hellecaster.. jerry donahue...
    Abração o blog ta um sucesso só!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorge, eu estou finalizando mais duas teles e vou testar algumas pequenas modificações do Rosar Vintage Hot T. Assim que acabar, com certeza postarei sobre captadores de tele em geral - um dos assuntos que mais me fascinam. :)

      Excluir
  15. Cara muito bom sua postagem! Eu sou quase iniciante, louco por rockabilly e psychobilly, to a duas semanas pesquisando na internet uma Guitarra Gretsch Semi-Acustica Brian Setzer, ja que na cidade que eu moro (Aracaju/SE) não se encontra em lojas essa guitarra. As únicas que encontro com valor viável de compra pra mim são chinesas e custam em média R$2.100,00, porém o feedback do vendedor que achei é bem ruim (http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-475713015-guitarra-gretsch-brian-setzer-nova-com-case-_JM). Será que vale a pena comprar um modelo desses da china? (não necessariamente com esse vendedor) Alguém poderia me indicar alguma loja de confiança aqui no Brasil que venda em site próprio?

    Muito Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pergunta que ninguém pode responder, Billy. Uma guitarra dessas deve custar na China uns 200 a 400 dólares. Coloque os impostos de importação + incomodação e deves gastar entre 1.400 a 2.000 reais...
      Isso só valerá a pena se a guitarra for boa e não há garantias.

      Pelo menos os captadores posso te garantir que não são nem cópia dos originais. São humbuckers cerâmicos disfarçados de TV Jones/Filtertrons.

      Excluir
    2. enho uma guitarra modelo PSR como o nome no headstock SF que marca e essa?qual a origem dessa guitarra?

      Excluir
    3. Querias dizer PRS e não PSR?
      Se for mesmo PSR e chinesa, como falei, há tantas "marcas", sub marcas e sub-sub marcas que é impossível buscar alguma informação fidedigna.

      Excluir
  16. tenho uma guitarra modelo PRS como o nome no head stock SF que marca e essa?qual a origem dessa guitarra? me ajude amigos.

    ResponderExcluir
  17. Bom dia. por acaso vc tem alguma opinião sobre a guitarra semi-acústica benson? grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço a guitarra, Alex.

      http://guitarra99.blogspot.com.br/2014/05/faq-003-orientacoes-para-perguntas.html

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".