sábado, 2 de abril de 2016

Captador Rosar Vintage Hot T (Selo Ouro de Qualidade LPG)

Paulo May


(obs: antes de fazer perguntas e ou postar comentários, leia aqui: CLIQUE)


Sérgio Rosar Vintage Hot T

(Selo Ouro LPG)


          Esse captador já é selo ouro há pelo menos 5 anos - a gente que esqueceu de postar... :)
Não lembro a data exata, mas por volta de 2009 o Sérgio Rosar me disse que estava desenvolvendo um captador de Telecaster com o Flávio Gutok, excelente guitarrista brasileiro de country style e, já que eu tinha duas excelentes teles e tocava outro estilo (rock), seria interessante se pudesse ajudá-lo no projeto.

          Foi durante esse período que aprendi muito sobre a estrutura e funcionamento dos captadores (o Sérgio é um professor por vocação e nunca deixa uma pergunta sem resposta). Eu testava os protótipos na minha Telecaster de 1968, que é a melhor tele que já toquei na vida e passava minhas impressões para o Sérgio. A tele 68 eu consegui em 1990, mas antes eu já tinha outra excelente, uma Telecaster Custom de 1974, comprada em 1980.
Portanto, meus ouvidos estavam devidamente treinados (e viciados) no timbre característico das telecasters, o que facilitou muito o nosso trabalho. Eu sempre valorizo mais a minha primeira impressão e quase que intuitivamente, focalizo na (ordem de importância) dinâmica, clareza e equilíbrio das frequências. Às vezes, basta um arpejo com pestana no Fá e outro no Dó pra sentir se o timbre promete ou não.

         Quando testei o protótipo que hoje é o Vintage Hot T, quase caí pra trás. Timbre lindo!
Estalado, dinâmico, agressivo mas sem asperezas. Médios amplos, agudos sem nenhuma sibilância e graves ultra firmes. Imediatamente liguei para o Sérgio e disse: "É esse! Não mude mais nada.". O som que saia da minha tele era tão legal que me recusei a retirar o protótipo dela - e tá lá até hoje - não mexi num fio sequer.

Se não me engano, o Flávio Gutok optou pelo protótipo que hoje é o "True Vintage T". Até entendo, pois ele é um pouco mais macio e menos dinâmico - ideal para a pegada híbrida do country. Mas o Vintage Hot satura bem melhor e faz bonito desde o clean até o saturado "hard rock".

          Por incrível que pareça, o fio polysol, em se tratando de ponte de telecaster, soa mais dinâmico e articulado que o formvar ou enamel. Provavelmente pela estrutura da ponte metálica rodeando o captador. Não sei se é delírio meu, mas sempre escuto uma sibilância, uma pequena sobra de agudos no polysol, exceto nas teles. O captador original de 1968 morreu em 1991 e, de 1991 até 2008, acho que experimentei pelo menos uns 6 captadores diferentes, Seymour Duncan, Fender, DiMarzio, Lollar... Vários muito legais, mas nenhum com a beleza do Vintage Hot T. União perfeita de sutileza e força.

Alnico V, 7,4k... Soa bem em teles de alder, ash (leve e pesado), marupá,tauari e mogno. Para teles de freijó, talvez o True Vintage seja mais adequado, já que essa madeira tende a soar um pouco agressiva nos médio graves.

Editei um vídeo com 3 demos antigas. A tele vinho é de alder e a 68 de hard ash.





56 comentários:

  1. Tenho um com 6,8k (depois confiro, pois já tem tempo que chequei). Será uma variação normal/aceitável?

    ResponderExcluir
  2. Medido direto no captador, Pedro? Depois de colocá-lo na guitarra e medindo com cabo, cai um pouco... Ppte se o cabo for longo. Só acho que de 7,4 p/ 6,8 é muito. O Sérgio mantém um padrão via computador, mas eventualmente o lote de determinado fio (nesse caso awg 42) pode vir com uma ínfima variação de diâmetro. E ainda temos as variações do multímetro, temperatura, etc...
    Quem sabe envias um email pra ele? :)

    ResponderExcluir
  3. Paulo, adoro seu blog, é excelente, parabéns. Coincidência vc falar do Vintage Hot T, pq acabei de vir do luthier, onde peguei minha Tele Fender MIA 2008, série especial, corpo de 2 peças de Ash selecionadas, linda. Ele instalou dois Rosar, que comprei por ter visto numa Tele sua, não lembro qual: um Fullerton no braço e um Vintage Hot T na ponte. Testei por meia hora e fiquei absurdamente feliz, os timbres são maravilhosos. Já tive outros Rosar antes, não foi novidade, mas a dupla sugerida por vc é matadora. Te devo essa. Tenho outra Tele, uma Vintage V52 incrível, testei algumas e essa era especial, mais caprichada que as outras, que eram muito boas. Coloquei dois Rosar Twin Vintage, dual blade, ligações série e paralelo independentes, ficou fantástica, timbres muito lindos e versatilidade impressionante. Confesso que não esperava que ficasse tão bom, pensei que fosse perder no timbre clean ou no drive, mas me enganei. Outra que te devo é o trabalho do Christian Bove. Na Fender instalei uma ponte de Inox dele, um pouco maior que o normal pra cobrir 5mm de cada lado, por conta da cavidade de um humbucker que estava lá. Ficou sensacional, parece hardware custom gringo top. Obrigado por essa também. Tem como eu te mandar fotos das Teles? Tenho certeza que vc adoraria ver, ficaram perfeitas. Grande abraço e continue esse trabalho incrível que vc e o Oscar fazem. Ia me esquecendo: vcs me fizeram gastar uma boa grana numa Gibson LP Traditional 2012 usada, mas impecável, depois daquele post em que comparam um monte de Les Pauls. Aquilo foi covardia. Vou te cobrar meu prejuízo! rsrs. Desculpe o longo texto. Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo menos te ajudamos a gastar a grana em coisas legais, né, Mauro? :)
      Ficamos felizes quando as dicas ajudam - afinal, esse é o objetivo do blog. Nós só damos o selo ouro quando o produto realmente é foda - e as pontes do Christian são bem como tu falas mesmo - parece coisa top de gringo :)
      Podes postar as fotos em qualquer lugar e colocar os links aqui nos comentários - assim todo mundo pode acessar.
      Abraço!

      Excluir
  4. Primeiramente medindo no cabo, Paulo. Mas na última reforma, dei uma conferida direto no fio. Como tem tempo, não estou certo do processo. Vou reconferir e aviso. Mas o timbre nunca senti nada faltando. Haveria mais médio com 7,4K?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, fui lá medir numa das teles (todas as minhas têm pots de 500k): com cabro de dois metros: 6,99k num multímetro e 7,04k em outro. Assim, não acredito que o teu seja um True Vintage - deve ser o V Hot e alguma coisa no circuito tá roubando um pouco mais...
      Tecnicamente, quanto mais fio enrolado, mais médios. O captador vai "desequilibrando" até um ponto que o som fica feio, meio morto - lá pelos 14/15k - daí em diante é preciso trocar de imã (alnico por cerâmico) pra compensar a falta de agudos ppte.

      Excluir
    2. 14/15k - daí já tô falando dos humbuckers, é claro :)

      Excluir
    3. O circuito instalado sempre foi meia boca. Inclusive refiz pra corrigir isso. Na ocasião, medi direto nos fios. Já estou com planos de dar outra reformada na guitarra aí aproveito pra conferir a saída do captador.

      Em tempos de crise reformar guitarras alivia a tensão e o bolso(comparado com uma nova, claro!).

      Excluir
    4. Concordo :)
      Mexer em guitarra melhora até a minha gastrite :)

      Excluir
    5. Está na casa de 6,5k, Paulo! O multímetro é diferente. Será que interfere?

      Acho pouco provável a caixinha ser do Hot T e terem me enviado o True Vintage.

      Em último caso, só rebobinar pra 7,4K, certo?

      Excluir
    6. Dessa vez foi direto no captador, Pedro? Sei que temperatura, entre outros fatores, influencia na leitura, mas se foi no captador, tá realmente baixo. Entre em contato com o Sérgio - tenho certeza que ele vai resolver esse impasse. :)

      Excluir
    7. Direto nos fios. Outros captadores aqui também deram uma baixada. Pensei até que fosse o multímetro, mas tenho captadores que mantiveram a resistência desde que comprei em 2011. Será que desmagnetizou ? Mas isso não interferiria na resistência. Vou tentar falar com o Sergio Rosar

      Excluir
  5. É ,Paulo, pra gastar dinheiro em tempos de crise tem que pensar muito e o seu blog me ajudou demais. Meu luthier (Danilo Monteiro, aqui de SP, muito talentoso e caprichoso) curtiu muito a ponte do Christian e pediu o contato dele. Seguem os links das guitarras de que falei no meu comentário e da ponte Bove. Ainda vou ver que saddles coloco nela. Vou reler seu post sobre saddles. Grande abraço.

    http://imageshack.com/a/img923/285/tigZQo.jpg

    http://imageshack.com/a/img922/83/l5TuhU.jpg

    http://imageshack.com/a/img922/8060/OhxWa5.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Swamp ash esse da tele, não? :)
      Guitarras muito legais, Mauro. Parabéns!

      Excluir
  6. Oi Paulo, excelente blog! Paulo, será que este captador soaria bem em uma thinline? tenho uma de ASH com top em maple na configuração padrão, me parece que você não tem uma em sua coleção, não e´?

    Abraço e parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que nunca tive queda pelas thinline, Fernando... Senão teria mais um problema de GAS nas mãos... :)
      Com certeza ele soaria bem, mas considerando que as Thinline são um pouco mais suaves/macias que as teles standard, eu consideraria também o true vintage, principalmente se o objetivo é uma sonoridade mais "warm".

      Excluir
  7. É, duas peças de swamp ash. Tenho há 3 ou 4 anos, guitarra consistente, timbra bem. Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Poxa Paulo, parece que você estava adivinhando.
    Estava com umas dúvidas em relação a captadores de tele pra ponte e agora fiquei com mais dúvidas ainda.

    Na verdade a pergunta é sobre os capacitores de "tone".

    Minha tele tem ponte ferrosa e esse captador aqui:
    http://www.seymourduncan.com/pickup/hot-stack-tele-bridge

    O problema é que, depois de pedir pra refazer a elétrica, o timbre dela, mesmo na posição do braço não está muito redondo. Tenho que fechar o 'tone' direto. No braço eu deixo mais ou menos no 7 e na ponte no 2.
    O que também não ajuda muito é o fato que uso um combo Marshall, que eu não recomendo muito pra tele. Quando toco em um Fender, já melhora muito.

    Não sei se essa "falta de redondeza" está ligada ao capacitor de 'tone', seria esse o caso de usar um outro de ufs diferentes? Pra dar uma amaciada.

    Tu usas o 'tone' nas teles? Ou é bypass?

    Teles são assunto pra uma vida inteira.


    Desculpa a quantidade de perguntas.
    Abraço grande!



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho experiência com esse captador Arthur, mas a demo do site soa meio estridente. Marshall também não ajuda nada... Tele já é uma guitarra "aberta" - se o captador sobra nos agudos, o timbre fica feio mesmo.
      Tente colocar pots de volume de 250k - qto menor o valor, geralmente menos agudos e saída. Aumentar o valor do capacitor só vai ajudar de fato quando usares a tonalidade. Mudar a ponte para uma não ferrosa também tiraria um pouco da estridência de médios... Mas na real, tudo isso é paliativo - a essência do problema acho que é o tipo do captador

      Excluir
    2. Obrigado, Paulo.

      Muita coisa na guitarra mudou depois que troquei o braço por um outro com escala em ébano.
      Vou deixar de ser teimoso e trocar os caps por um set de alnico 2 e pots de 250k.

      Valeu!

      Excluir
  9. Rapaz, "no alvo" esse captador, heim? Parabéns pelo novo e ótimo post! Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse foi mesmo, Alex. Assim como o Fullerton e o Mojo :)
      Obrigado pela "visita" e grande abraço!

      Excluir
  10. Fala Paulo! Tudo bem?

    Parabéns pelo blog, muito show de bola. Pelo que li, você é um fanático por tele. Veja se pode me ajudar, estou querendo comprar uma tele (será a primeira da minha vida) e queria uma guitarra para combate mesmo, usar em ensaios longe de casa (infelizmente ter que deixar dentro do carro quando necessário). Pesquisei muito e cheguei em dois modelos, a Squier Affinity e a Vintage V-52.
    Vi que você curtiu a Vintage, alguma opinião sobre a Affinity?
    Estou com muita dificuldade em encontrar guitarras da Vinatge por São Paulo.

    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Tatuapé tem. Mas, graças ao Paulo (rsrs) essas guitarras estão o preço de um pâncreas novo!

      Excluir
    2. Não sei se fica bacana indicar lojas por aqui... Qualquer coisa eu apago o post

      Está na Guitar Center Music

      Excluir
    3. Que é isso, Pedro... Pode (e deve) mencionar as lojas sim. O que serve pra ajudar nunca incomoda :)
      E o Mauro tem razão - numa comparação direta, a V52 é muito mais guitarra que a squier affinity. E as affinity têm corpo mais fino (40-41 mm) que o padrão (44-45 mm).

      Excluir
    4. Show de bola, valeu pela ajuda rapaziada.
      Testei algumas Affinity na Teodoro Sampaio hoje e curti o som (não sou nenhum mestre em detectar falhas ou nuances sonoras), mas infelizmente não encontrei nenhuma Vintage, acreditem se quiserem, para comparar. Vou dar um pulo na loja que o pedro indicou.

      Muito obrigado mesmo galera!

      Excluir
  11. João, desculpe me intrometer, porque você perguntou ao Paulo, mas tenho uma V52 e acho que não tem comparação com a Squier Affinity, que conheço. Construção, madeira, hardware, tudo é superior. Todos que conhecem minha V52 só têm elogios pra ela. Comprei na loja indicada pelo Pedro Dias. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs Pronto! Vou pedir comissão ao dono da loja!

      Lá é bacana, pra uma loja de bairro. Tem muita coisa da Vintage. A AFD está uma fortuna mas tem lá.

      Excluir
    2. Galera comprei uma V62. Lindona, a diferença pelo que percebi é na escala, a V52 tem escala em Rosewood, e não Maple como na V52.
      Peguei uma Giannini dos anos 2000 tb, corpo em poplar wood e braço e escala em maple, esta peguei para mexer, por em prática minhas habilidades "luthierianas". Valeu pela ajuda galera!

      Excluir
  12. João, esqueci de dizer que minha V52 está nas fotos do meu post ali em cima, dê uma olhada.

    ResponderExcluir
  13. 1º parabens pelo blog, impar
    Incrivel o som dessa tele 68, da pra dizer qual setup vc usou na gravacao e quais efeitos?
    Grato, Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado :)
      A saída da guitarra passou por um splitter passivo da Keeley e gravei dois canais: um canal (o da direita) com o Orange Tiny Terror Combo (Celestion V30), quase clean + SM57. e o canal da esquerda direto em linha para o computador, onde coloquei uma simulação do Fender Blues Jr do Amplitube. Software: Sonar. Acrescentei um pouco de ambiente - provavelmente uma pitada de reverb e delay bem curto, quase um slap-back.
      Atualmente simulo também o Tiny - a diferença é imperceptível e o trabalho pra gravar, bem menor :)

      Excluir
    2. Na parte saturada aumentamos o ganho do Tiny Terror e acrescentamos uma simulação do Tube Screamer no Blues Jr.

      Excluir
    3. KKK... Sempre confundindo - não é o "Blues Jr", é o "Pro Jr."

      Excluir
  14. Paulo, esse post me deu um GAS... Parabéns pelo blog, acompanho todas postagens. E foi aqui que sanei minha duvida e montei uma telecaster em Marupá com braço Maple com o Luthier Danilo Motta aqui da minha cidade, sou apaixonado pela minha tele, ótima tocabilidade, conforto,.. tudo como sempre quis! sobre os caps eu uso Malagoli, um Vintage Plus no Braço, e um 59rails na ponte, com opção de splitar. Na verdade toco o tempo todo com o cap splitado, amo o timbre estalado de single, ai que estava pensando em colocar este cap na ponte sera q rola com esta madeira? queria um timbre um pouco mais encorpado, mas que não soe como os hambuckers. O que me sugeri? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maicon, no próprio texto eu disse que fica legal em teles de marupá. Mas timbre de tele é timbre de tele... :) "Mais encorpado" me lembra a bobagem que a Fender fez na década de 80, tirando a placa de metal da base do captador. Aumentam os graves, mas no final, não faz sentido :)
      Se soar muito agudo - e às vezes o marupá tem isso - coloque pots de 250k.

      Excluir
    2. Certo Paulo!, quando disse "encorpado" me expressei mal, na verdade é menos estridente, falo isso pela experiencia com o captador que estou usando, que quando splitado tenho em torno de 5,6k e um som um pouco "metalizado" nada que comprometa! porém estou pensando seriamente neste captador citado a cima!..

      Excluir
  15. Oi Paulo gostaria de saber um pouco do cap Sergio Rosar Hot 43 t...na minha tele uso um cap fender vintage 52 na ponte e um mini hum vintage no braço...mais estou querendo um cap na ponte com um pouco mais de ganho e vi esse Hot 43 T...vc ja testou ele...? fica muito estridente se for com um ganho maior ? mas no site o sergio diz que ele puxa mais pros medios sem perder totalmente o brilho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo, a linha 43 do Sergio puxa mais o ataque dos médios sempre. Nunca testamos o Hot43 de Tele, mas é isso que notamos nos outros de Strato que ja testamos.

      Excluir
    2. É isso aí. Nas stratos, os 43 soam muito legais para saturação, já que dificilmente soam estridentes. Médios mais fortes e agudos na medida.

      Excluir
  16. Parabéns pelo blog. Você já testou os captadores Keystones do Bill Lawrence?

    ResponderExcluir
  17. Tenho achado o Hot T bem próximo de tudo que gosto em captador de braço: equilibrado, firme nos graves, sem embolar, estalado bonito. Acho que o agudo discreto que sobra pode ser do pot de 500k.

    Aproveitei e mandei e-mail pro Sergio falando do meu Hot T da ponte que está com +-6,5k e com menos volume.

    ResponderExcluir
  18. Boa noite pessoal, gostaria de uma ajuda de vocês, recentemente adquiri uma telecaster com braço e escala em maple o corpo eu não tenho certeza ou é Cedro, ou Freijó... A Guitarra é muito bem construída porém os Captadores originais dela não tem o famoso "Twang" característico... É minha primeira Tele, eu usava Strato por sua versatilidade porém sempre quis possuir uma tele... Agora que consegui uma boa Guitarra gostaria de uma sugestão sobre captadores... Eu costumo tocar Blues e Som limpo, no máximo uso o Overdrive de um Amp valvulado, estou querendo começar a estudar um pouco de Country... Com base em minhas informações, vocês que tem experiência, me indicaria qual modelo de captador? Eu não encontrei nenhum vídeo sobre o True Vintage, apenas o Vintage Hot que achei bem legal! Mas como será q ele soa no Clean e
    No crunch? Rs abraço pessoal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase impossível opinar sem a informação do captador atual dela. Se tiver entre 6 e 7,5k com pinos de alnico 5 - e se o corpo for de cedro, eu diria que o problema é o corpo. São muitas variáveis numa telecaster, inclusive o tipo e material da ponte... faça uma pesquisa mais ampla no blog sobre telecaster (e madeiras).

      Excluir
    2. Boa noite Paulo, muito obrigado pela atenção... Dei uma pesquisada e consegui as seguintes informações, o corpo dela é realmente em Cedro, braço é em maple/maple e os captadores são de alnico 5 braço 7,76k ZT1N e a ponte 8,00k ZT1B... Dei uma lida no seu tópico sobre Cedro... Parece que é uma madeira difícil de lidar... Pior que essa tele é super bem construída, da pra notar a qualidade, mas ela não tem som de Tele... Isso que está desanimando... Muito obrigado pela atencao amigo!

      Excluir
    3. O cedro não é legal pra guitarras estilo fender, guilherme, principalmente telecaster. Eu aprendi isso da pior maneira possível e não tinha ninguém pra me dar o toque. Aproveite a dica e não gaste mais com ela (à despeito da qualidade de construção). Entre em contato com o Eduardo Kaiser (http://www.kaiserguitars.com/) e encomende um corpo de telecaster de Timburi. Não é caro e vale a pena. Com braço de maple, corpo de timburi e um hot t rosar, as chances dela soar bem serão muito grandes...
      Boa sorte!

      Excluir
  19. Poxa, muito legal mesmo, porém sinto falta de um vídeo do true vintage pra saber qual seria mais adequado pra mim, vou montar uma tele com freijó que chega próximo do Ash(porém mais barato), e tô muito na dúvida, não quero ficar gastando dinheiro a toa com caps pra ficar testando e tal. Se não me engano vi por aqui mesmo que alguém montou uma tele em freijó com os v hot e embolou um pouco nos médios. Enfim, vou aguardar mais um pouco antes de fazer a compra, pra não me arrepender.

    ResponderExcluir
  20. Olha que interessante:
    https://m.ebay.com/itm/Telecaster-HOT-Bridge-COIL-TAPPED-Pickup-HandWound-A3-4-Fits-Fender-Vintage/112466527896?hash=item1a2f870698:g:kw4AAOSw8d5ZWXS0

    Tema opção A2/A5, mas seguindo a ideia do A5 nas cordas graves.

    Fiquei curioso pra saber como soam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, azar ou coincidência, todos os singles com A3 que testei, tele e strato, não soaram bem. Mas aí talvez seja uma questão de gosto pessoal, difícil dizer. O A3 soa meio anêmico, sem presença, fraco...
      Tive que pedir para o Sérgio fazer um especial com A2 na quinta e sexta e A5 nas outras porque eu queria menos volume e corpo nas graves. Os caps híbridos disponíveis no mercado têm essa disposição invertida - e na minha opinião, isso piora o desequilíbrio de volumes, ppte nas teles. Antes da diferença de timbre, é mais evidente a diferença de volume entre os alnicos.

      PS: Eu tenho um Fender Custom Shop Nocaster (A3) na minha tele 74 no momento - é um captador bem sem graça e só está lá porque não tinha mais o V-Hot no meu estoque. Tenho que fazer uma visita para o Sérgio :)

      Excluir
  21. Paulo, boa noite...
    Gostaria de saber qual "calibre" de cordas você esta usando nessa tele do vídeo? E qual calibre vc costuma utilizar para um som clássico de Telecaster...
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teles, sempre que não consigo um set GHS híbrido GBLXL (10-38), uso cordas 009. Nos demais modelos, invariavelmente 010.
      Nesse vídeo, provavelmente Elixir 009.

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".