segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Strato HSS - Ultimo sobre o assunto!

Oscar Isaka Jr


      Não sei quantas vezes já postamos sobre o infame "problema" de misturar Humbuckers e Singles na mesma guitarra dividindo o pot de volume. Já abordamos o assunto objetivamente em posts anteriores (Post 1 e Post 2) , mas volto ao assunto uma última vez pra abordar mais uma maneira de tentar minimizar o problema.

No meio de uma discussão sobre o assunto, o meu brother Reginaldo me contactou la do Rio e me mandou o diagrama oficial da Suhr para as guitarras HSS:



A solução é 95% parecida com a que comentamos nos posts anteriores, mas empregando o Super Switch. Com ele podemos usar os valores corretos de Volume e Tone tanto para humbuckers (500k), como para singles(250K) pois existem pads para cada posição da chave. Assim conseguimos de maneira efetiva eliminar o problema da posição 2 (humbucker ponte + Single do meio) relatado no post original, e de quebra ainda conseguimos direcionar os tones dos Singles para o Pot de 250k com capacitor de .047mf e o do Humbucker para um Tone de 500K e capacitor de .022mf.  Um resistor ligado em paralelo com o Potenciometro de 500k garante um valor bem mais proximo de 250K, apropriado para os Singles,  nas posições de 2 a 5 e saindo da jogada na posição 1 garantindo o pot de 500k pro Humbucker! TUDO 100% de acordo e ainda com um Treble Bleed(opcional) de brinde no diagrama :-)!

Simplesmente removendo o resistor, faz com que os singles enxerguem o pot como 500k novamente e ainda tenham o tone de 250k com capacitor de .047mf, que é muito usado no caso de singles mais fortes que possam se beneficiar de um pouco mais de agudos. Da pra brincar e experimentar muito com esse esquema! 

A guitarra que eu escolhi para implementar esse teste foi a primeira Strato que eu montei e que aparece em alguns vídeos que fiz para a JR na época, minha Strat Surf Green. Essa foto é antiga, mas vou detalhar ela num próximo post :-).



Já testei praticamente de tudo nessa guitarra com relação a captadores, e em todas esse esquema da Suhr funcionou muito bem(na foto acima eram Rosar Blues meio/braço e um Seymour Custom78 na ponte), mas atualmente ela esta com um Set de DiMarzio parecido com o que o Andy Timmons utiliza. Na ponte o AT-1 e no braço e meio dois Cruiser modelo Neck/Middle. A recomendação da DiMarzio para os Cruisers é de pois de 250k pois tem a extensão de singles mesmo, porem com zero ruído e um pco mais de corpo nos graves, então ficou show pra usar nessa fiação. O Andy Timmons usa tudo 500k, pois os Cruisers que ele usa no meio e braço são o modelo de Ponte que é mais forte e com mais médios. 

Resultado foi uma guitarra de ótima sonoridade e que pra mim coloca uma pá de cal definitiva sobre o dilema de Strato HSS com ótimos resultados! :-) 

SIM é possível usar Humbucker e singles(ou quase) na mesma guitarra tendo ambos os timbres em sua plenitude.



4 comentários:

  1. A minha guitarra #1 é uma hss mas só tem 1 tone geral, dessa forma a guitarra só usava um lado da chave seletora, a solução que encontrei foi por um resistor de 470k no outro lado da chave conectando o pino do meio e braço ao resistor e o resistor ao terra, assim quando selecionado braço ou meio o resistor fica em paralelo com o pot de volume.

    É possível ainda usar o pino referente ao pickup da ponte para fazer split do humbucker, eu testei e funciona, mas não gosto do timbre resultante, prefiro ponte + meio sem split do ponte.

    Com um mega switch como este do diagrama seria possível por o humbucker da ponte em paralelo, no meu caso seria um timbre bem mais interessante que o ponte + meio.

    Há alguns anos fiquei sabendo da existência de potenciômetros "no load", o interessante é que quando estão no máximo eles se desconectam do signal path, os pots de tone tem o final da trilha condutiva seccionada, os pots de volume são duplos e um dos lados também tem a trilha seccionada da mesma forma, fiz um teste pra ver como seria e coloquei uma chave pra fazer o sinal da guitarra passar direto, com humbuckers ficou bem legal, mas ficou com uma ponta de agudos nos singles

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As possibilidades são muitas e o legal é experimentar os milhões de esquemas possíveis! Quando testei esse esquema a primeira vez eu achei estranho, e descobri que eu não gostava do que os circuitos de trebble bleed fazem (Talvez assunto praum outro post mais pra frente..). Removi o TB e pronto, tudo ficou mais familiar.

      Excluir
  2. Oi Oscar. Li em um post seu que tinha deixado de ter interesse por um
    humbucker na ponte da strato. Pode falar porque? Pergunto isso porque
    eu as vezes me arrependo de certas escolhas por perceber com o um
    tempo depois que elas não eram realmente necessarias. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Franco. Na verdade sim e não. rs.. Minha primeira strato foi HSS, e a razão foi pq eu achava o single de ponte magro e agudo demais. Apesar de ser uma razão válida, com o tempo aprendi a usar melhor a Strato com 3 singles e por isso disse que tinha perdido o interesse em HSS. Eu estava tocando numa banda de Rock Classico e realmente um humbucker na ponte se fazia desnecessário. Recentemente estou numa banda que toca Deep Purple, Rainbow, Dio, Black Sabbath, e a versatilidade do humbucker na ponte, mantendo a sonoridade do single de braço se fez necessária. Como vc disse, acho que nós vamos evoluindo nas escolhas e sua aplicabilidade. Hoje, eu vou muito mais atrás do que "funciona pra mim e meu som" do que o tradicionalismo que eu tanto apreciava uns anos atras :-)!

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".