quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Testamos a Epiphone SG Muse - Inspired By Gibson

 Oscar Eigio Isaka Jr.

(obs: antes de fazer perguntas e ou postar comentários, leia aqui: CLIQUE)


A serie "Muse" da nova linha "inspired by Gibson" da Epiphone chegou a ideia de oferecer todo o som classico da SG, com alguns diferenciais em relação a linha Original" como cores metálicas  exclusivas e captadores Alnico Classic PRO com push-pulls com split e inversão de fase. Mais uma vez meus amigos  da Garagem Instrumentos facilitaram para que eu pudesse testar o modelo pra poder fazer um som e sentir um pouco a proposta, como já havíamos feito com a LesPaul Original 50s Std. Mas vamos a ela :-)!

Estética e Construção


 




Essa que eu pude testar é da cor "Smoked Almond Metallic" de acordo com o site da Epi e eu tenho que dizer, o acabamento é primoroso. Tirei até uma foto em close pra tentar mostrar o quão bonita é essa cor. O brilho dos flocos metálicos aparece contra a luz e realmente fica muito bonito. É um visual totalmente novo e diferente da SG clássica, mas realmente muito bonito e não notei nesse exemplar nenhuma falha gritante de rebarbas ou pintura que pudesse saltar aos olhos. 











O Headstock segue o mesmo design da LesPaul remetendo as Epiphones Vintage, e as tarrachas são blindadas num modelo que remete a Gotoh Tulipa, igualmente firmes e sem folgas 
e funcionaram muito bem. O tempo e uso vão dizer sobre a durabilidade.  A ponte e o cordal são os LockTone aparentemente não sofreram mudanças e são os mesmos das séries anteriores. 



 A elétrica e captadores também são diferenciados com 4 potenciômetros com Push-Pulls para Split e Inversão de fase dos captadores Alnico ClassicP RO da Epiphone, que segundo o site, tem Alnico V e bobinas simétricas. Na prática isso quer dizer um pouco mais de força pelo Alnico V  casado com bobinas com um pouco mais de fio, e melhor cancelamento de ruído . Eu preciso dizer que como na LesPaul, fiquei surpreso com a qualidade sonora da guitarra como todo. Parece que finalmente a Epiphone aprendeu que ninguem gosta de som embolado demais . 



Bla bla, mas e o som ?






Opinião do Oscar: Gostei mais da Muse do que da Std 50 do outro post. Parece MESMO uma SG e não tem nada das coisas que eu nunca gostei nas SGs da Epiphone. O braço é confortável e perfeitamente balanceado com o corpo pra não provocar aquele tradicional desequilíbrio que faz o braço pender, tradicional nas SGs com afinação perfeitamente estável. O som mesmo com os captadores originais é muito bom e se saiu bem tanto nos sons mais crunch como um pouco mais de ganho. No vídeo fiz um "Woman Tone" e ele nunca fica abafado ou gordo demais. O Som fora de fase é muito legal! Como na LesPaul Std 50, não acho que o upgrade de captadores seja necessário, a não ser que se busque um som mais especifico ou mais clássico ou mais moderno. Concluindo, além de linda a SG Muse surpreendeu no som e pegada, e posso dizer com alguma propriedade que já tive SG Gibson piores que essa Muse que eu testei. Essa nova linha da Epiphone realmente veio com tudo! 

6 comentários:

  1. Eu gostei muito do visual geral dessas novas epis e torço para o dollar ajudar a gente a matar essa gas desgraçada, haha. O que me impressionou mais ate agora foi o modelo firebird construida no padrao original de 9 peças e braço interiço, acredito que ela seja tambem muito proxima as gibsons originais, obrigado pelo post Oscar, acompamho o blog faz quase dez anos e ainda acho a leitura muito prazerosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! :-) Elas estão muito boas mesmo Vinicius, é realmente uma pena que elas estão chegando aqui em tempos de dolar alto, fazendo com que o preço delas fique muito alto..

      Excluir
  2. Parabéns pessoal. Já acompanho este excelente blog desde 2012, mas é a primeira vez que comento aqui, acreditam? Aprendi muita coisa aqui nesses anos. Podem me dar uma dica? Tive que vender minhas guitarras anos atrás, mas agora a coisa melhorou r quero voltar a tocar. Estava a fim de uma strato alder/maple padrão. Pensei em adquirir uma tagima T635 classic ou uma Tagima JA3 e mandar trocar ferragens e caps... (Não gosto da posição do tensor das SX de alder). Será que vale a pena? Não seria interessante mandar fazer uma do zero com algum luthier honesto? O problema é que não conheço nenhum, e o único famosinho que fui orçar cobrou 10 mil. É isso mesmo ou qxha mais em conta mantendo a qualidade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Cardan. Eu verificaria com a Kaiser Guitars para um corpo/braço de Alder/Maple. O Paulo já fez algumas guitarras com eles e gosta muito do serviço alem do preço razoável.

      Excluir
  3. Louco pra ver o review da '59 Limited, terá? Uma pena que as '59 não saíram nas cores iced tea ou lemon burst.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Sinval. Mas não sei se essas vão vir pro Brasil. No entanto, acredito que a diferença delas pra outra Std 50s q eu já testamos no outro post, são os captadores Gibson, um braço com shape diferente e cores exclusivas eu acho. Fora isso, eu chutaria que é muito similar a Std 50 que já é uma excelente guitarra. :-)

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".