quinta-feira, 23 de junho de 2011

A Les Paul que não era Les Paul: "Slash 1959 Derrig 9 0607"

Devido à queda nas vendas, no final de 1960 a Gibson decidiu não produzir mais o modelo Les Paul. Criou a SG, uma guitarra mais simples e fácil de construir, para substituí-la. Em meados dos anos 60, o inglês Eric Clapton (ppte no disco "Beano" dos Bluesbrakers) chamou novamente a atenção para ela e a Gibson reiniciou a produção em 68 (inicialmente igual à original, mas que foi piorando/degenerando com o tempo). Porém, antes que todo mundo percebesse, Jimi Hendrix apareceu com uma Stratocaster e a LP voltou para o limbo.

A década de 80 nasceu marcada por um guitarrista - Eddie Van Halen e uma guitarra - a Frankenstein. Todos e todas queriam ser como eles, e marcas como Ibanez, Kramer, Jackson estavam batendo feio na Gibson e Fender.
Mas o destino ainda tinha uma carta na manga para a Les Paul em 1987: Slash e o disco "Apettite For Destruction" do Guns n' Roses!

Era impossível ignorar aquela fantástica e reluzente Les Paul sunburst nos clipes da banda. De uma hora para outra, todo mundo queria uma guitarra igual a do Slash.
No headstock havia um "Gibson" e ela claramente era idêntica a uma original de 1959. Então, Slash e sua Les Paul sunburst 1959 iniciaram o renascimento dessa obra de arte. De uma hora para outra, as LP com acabamento sunburst (58, 59 e 60) quadruplicaram de preço. Em 1983 toquei numa 58 que valia cerca de 4.000 dólares (no Brasil). Depois de 1990, não se comprava uma dessas por menos de US$ 20.000.

A Gibson deve muito ao Slash e certamente na época foi uma das primeiras a perceber que aquela "59 Burst" era na verdade, uma cópia. Segundo consta nos livros, Slash não estava satisfeito com suas guitarras durante a gravação e o manager Alan Niven conseguiu uma réplica da 59 do Joe Perry feita pelo luthier (e cabeleleiro e fissurado por carros) Robert Kristin Derrig (1954-1987):


Os captadores eram Seymour Duncan Alnico II e foram usados por Kris porque eram os únicos disponíveis no momento na LA MusicWorks, onde ele trabalhava (e morava num trailler no estacionamento).
Antes dessa, Slash teve outra réplica, a "Hunter Burst", feita pelo não menos famoso, controverso e ainda vivo Peter "Max" Baranet (numa foto mais recente, com Slash):


Essa questão "underground" das réplicas das burst é destrinchada no livro "Million Dollar Les Paul". Hoje em dia com Les Pauls 59 valendo até mais de US$ 500.000, falsificar essas guitarras virou um grande negócio.
Mas a verdade é que a Les Paul 59 que trouxe a Gibson de volta para o centro do palco era, ironicamente, uma réplica. Até hoje, Slash só grava com ela:


A Gibson tentou várias vezes criar uma "Slash Signature" mas, orgulhosa como sempre, só no ano passado decidiu fazer uma "réplica da réplica" e lançou a LP "Apettite". É pra rir mesmo... :)
E Slash era chegado numa réplica. Aqui as suas 3 principais. Da esquerda para direita: Derrig 59 (adquirida em 1996 - braço trocado) Derrig 9 0607 (a do disco AFD) e uma 1960 MAX (Baranet)



Kris Derrig faleceu em 1987 (aparentemente, de leucemia) e não pode aproveitar a fama. Ele era fã dos Allman Brothers e em especial da "tobacco burst" do Duane. Suas réplicas foram todas baseadas na tobacco burst 59 do Joe Perry, que ele teve contato.
Por falar nela, Joe Perry a vendeu baratinho no início dos anos 80 porque estava falido. Ela passou por vários guitarristas, inclusive Eric Jonhson. Slash comprou-a no final dos anos 80 e acabou devolvendo-a para Joe.

Achei esse post (The Les Paul Forum) de um cara que já possuiu a guitarra. Muito interessante:

"Joe bought 9 0663 at George Gruhns in the mid 70's. Aerosmith sound engineer Nitebob and guitar tech Neil Thompson were with him at the time. I think Joe paid about $2,000.00 for it. I bought it off NMCINC at his shop in '81. Neil was repairing at NMCINC's shop and he told me that the wear mark was there before Joe had it. Nitebob, who I met a few years later at a session I was playing on that he was producing, told me the same thing. The wear mark was already there. BTW, I had the guitar with me at the session. Joe and his wife Billy came to a gig of my bands, and again I had the guitar, "yeah my rings did that". A little Billy Gibbons/show biz reality stretch. That mark looked many years old! It took a lot longer to make that than the time 4-5 years Joe had it. I was trying to sell it and I offered it back to him for the same amount ($4300) as I paid. But he wasn't interested and Aerosmiths big comeback hadn't happened yet, so money was still tight. I sold it in March of '87 in a trade deal. It took me 2.5 years to get rid of it. Within a week it had passed thru 2 dealers into Eric Johnsons possession thru Alan Wills. It was sold a short time after that because Eric didn't like it. Forum member Mr. Beano ended up with it for a few years. After MrBeano sold it, it went to Slash and finally full circle back to Joe."

Vou colocar a foto da Joe Perry 59 (do livro "The Beauty Of The Burst") só pra gente ver uma de verdade... :)


O assunto é muito amplo e o submundo das réplicas mais ainda. Recomendo o livro "Million Dollar Les Paul" e a própria internet para quem deseja aprofundar-se.

PS: Parece que o Slash não gosta de falar muito sobre sua Derrig 87/59, mas aqui ele entrega o jogo:

20 comentários:

  1. Por falar em Lps a Gibson está promovendo no mes de julho a Summer Jam 2011, na Gibson Custom Shop. É uma festa, ou coisa do tipo. pra quem é cadastrado no site, eles mandaram um convite via email, mas o evento é aberto ao público em geral. Vai ter sorteio, e essas coisas...rsrsrs
    essa coisa de Gibson X Fender é algo meio comum que acontece até na intimidade de quem tem o privilégio de possuir as duas marcas... Dá uma certa dúvida na hora de escolher com qual vou tocar agora....
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Belo post, Paulo, como sempre!hehe Bom pra mim, que nasci depois de toda essa história e ainda não conheço nada!rs Grande abraço!

    @prenatopb
    http://letraemusicablog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Mais uma ótima postagem!!!


    No inicio da carreira o slash usava muito uma Memphis Les Paul Copy também!


    Era uma bem parecida com essa:
    http://www.letsgetguitarded.com/wp-content/uploads/2011/03/wholefront2.jpg

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente fantástico, eu nem imaginava que eram réplicas...
    Quem sabe um dia terei uma lp decente, é um modelo muito caro e nunca consegui achar uma satisfatória e acessível. O sonho permanece
    Abraço!
    Rodrigo

    ResponderExcluir
  5. Bem que eu gostaria de ir a uma festinha da Gibson em Nashville... :)
    Mas essa história do Slash serve pra gente acreditar que, com uma luthier competente e boas madeiras, uma LP digna "não Gibson" é viável...

    ResponderExcluir
  6. Descobri que "réplica" é um termo bonitinho para "falsificada". Se bem entendi a LP do Slash tinha lçogo da Gibson mas não era Gibson..

    ResponderExcluir
  7. Paulo, a LP "Apettite" signature do Slash é feita pela Epiphone, não? Seria o troco da Gibson, uma réplica oficial?? rs..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a appetite les paul também é feita pela gibson

      Excluir
  8. Tem gente já achando jocosa a idéia do Slash ter usado, como guita principal, uma réplica. Pobres crianças! Ainda não entenderam que, na década de 80, uma réplica feita no capricho era MUITO mais guitarra que as Gibson de fábrica. Muito mais fiéis às LP dos anos 50. Mas vai explicar! Conheço gente que tem uma SG Standart toda desregulada e que mal afina em todas casas, toca merda nenhuma e enche a boca quando diz: "...mas é que eu tenho uma GGGGGggibson!"

    ResponderExcluir
  9. Então né RodoxPretto, ainda é assim...a marca fala mais alto que a qualidade...sou luthier, e já peguei várias gibson LP com problemas quase irreversíveis de regulagens, ainda mais as da decada de 80...mas é a GGGGGGggibson!!!rsrsrs

    ResponderExcluir
  10. Vocês têm razão. Muitas Gibson dos anos 70 e 80 não valem nada. Na época, um clone bem feito era melhor do que qualquer uma de fábrica.

    ResponderExcluir
  11. Excelente esse post! Cresci vendo e ouvindo esse carae e jurava que ele só usava GGGGGggibson! rsrsrs

    ResponderExcluir
  12. Estou buscando uma Les Paul para o meu filho. Entrei no site por acaso e adorei o conteudo. Vou sugerir ao guri ler, o problema é que o meu bolso vai para o espaço...rsss. Por falar nisso, alguem tem sugestão de Les Paul com custo x beneficio de até R$ 2000 ? Andei procurando marcas como Asco, Grecco,Hurricane, Epiphone... pois o professor do meu filho sugeriu, porem comprar por internet fico com pé atras, ainda mais no Mercado Livre. Alguem poderia ajudar.. aniversario dele chegando em setembro.

    ResponderExcluir
  13. Ubirajara,
    O melhor custo/benefício de guitarra estilo Les Paul no Brasil atualmente acho que é essa:
    http://www.eletrolegal.com.br/ecommerce_site/produto_8191_6100_ESP-LTD-EC-256

    O top de maple deve ser apenas uma camada fina, mas o resto é mogno mesmo. Construção excelente, preço de ocasião... :)
    A única coisa que eu modificaria nela (talvez) seriam os captadores. Ela merece melhores.
    Outras opçoes são as LP Vintage, marca que tá chegando no Brasil. E a nova linha da Cort também é excelente, mas tem que ser a CR280:
    http://www.barramusic.com.br/ecommerce_site/produto_103326_1526_Guitarra-Cort-CR-280--CRS--Les-Paul--Braco-Colado--Flamed-Maple
    Preço muito bom também.

    ResponderExcluir
  14. Que histórinha da carochinha , leu aonde isso .... , que história fura dessa...

    Quem fez a fama da les paul foi o Jimmy Page ... dos 70´s até hoje , que o Slash sempre fez uma copiou em tudo.

    Quem fez fama dela nos 80´s e 90´s , foi o randy rhoads , peter frampton , ace freley , paul stanley ..

    ResponderExcluir
  15. amigo paulo. preciso de uma dica sua pra retirar o braço colado de uma les paul sem estregar o equipo. o que posso fazer? grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leve a um luthier experiente. Até para um bom luthier, retirar um braço colado não é trabalho fácil. Eu jamais tentaria tal façanha. :)
      No youtube tem um vídeo de um cara fazendo isso em casa, usando vapor quente pra amolecer a cola. Se quiseres arriscar:
      http://www.youtube.com/watch?v=ZaYJG4HKVU8

      Excluir
  16. peguei 3 réplicas de Gibson China para testar e comparando com minha Gibson Les Paul serie J, a mais simples da marca. Confesso que fiquei decepcionado com as réplicas, olhando de longe parece lindas, mas examinando de perto dá para perceber os defeitos, como, frisos tortos, parte de plásticos mal acabadas, knobs com defeito, mas quando se abre a guitarra é que se vê o lixo que é, fios mal soldados, potenciômetros de má qualidade e o som é pior que uma Lp popular, acredito que a vintage e sx gg1 é muito superior em tudo. Para quem diz que réplica presta, deve estar se enganando a sí próprio, ou estamos falando de guitarras muito diferentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma questão semântica - réplica deve ter o mesmo padrão de construção e qualidade da original, como deve ser o caso dessa do Slash.
      Já "cópia" pode variar desde uma porcaria até uma boa.
      As chinesas não são baratas à toa, tudo é inferior :)

      Excluir
  17. Existe muita contradição em alguns fóruns de dizerem que a Les Paul do Disco AFD foi a do MAX Baranet, O próprio Max disse em um fórum que a guitarra do disco AFD foi a feita por ele, que a Derrig veio depois. Porém, isso é mentira para se vangloriar, O próprio Slash diz nesse vídeo que a guitarra de AFD foi feita por Kriss Derrig, quem tiver curiosidade, segue o link:
    https://www.youtube.com/watch?v=nEq1tKM4v2k Aproximadamente em 14:30 ele fala que quem construiu foi Kriss Derrig.

    ResponderExcluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".