segunda-feira, 30 de abril de 2012

Velha Condor RX20 - uma homenagem dourada!

         Essa minha história com a parte técnica das guitarras só começou por volta de 2004, depois de comprar uma strato de luthier. Pra abreviar, transcrevo um recente post que fiz no FGP:

 "A minha segunda guitarra já foi uma Tele Fender 74, comprada em 80. Como tinha exatamente o som que eu gostava, fiquei 23 anos tocando sem saber absolutamente nada da parte técnica de guitarras.
Ao longo desse período, me deparei com inúmeras outras e com exceção de uma LP Gibson 58 original, nenhuma soava melhor que a minha. Em 89 ouvi uma outra Tele (a 68) que me impressionou. Com a ajuda da sorte e do destino, consegui, quase de graça, essa guitarra (a primeira coisa que fiz foi trocar vários itens vintage dela - e estupidamente joguei-os fora).
E assim fui, com duas fantásticas Teles, achando que o mundo era isso e timbre bom era fácil de conseguir.
Até 2003, quando resolvi ter uma Strato e gastei 3.500 reais numa porcaria de cedro e marfim. Fiquei um ano tentando tirar som dela. Pegava, tocava 5 minutos e desistia. Coisa horrível!
 

Um belo dia, em 2004, resolvi entrar na internet e pesquisar sobre a Stratocaster. Alder? Ash? Cedro? Captadores? Tensor? Impressionante como havia coisa pra aprender. E não parei mais.
O conhecimento me permitiu/permite apreciar uma guitarra ou timbre também de forma consciente e lógica, potencializando o prazer de tudo o que eu já gostava antes. Agora eu disponho da intuição somada ao conhecimento. Uma combinação suprema.
Me arrependo profundamente de não ter buscado esse conhecimento antes, desde o início
."

Em 2004 também estava há uns bons 5 ou 6 anos sem entrar em lojas de guitarra. Não sabia que a qualidade (automatização, CNC, etc.) das guitarras havia aumentado e o preço diminuido.
Na primeira loja que fui, dei de cara com uma Condor RX20 que custava cerca de 290 reais. Eu sou do tempo que mesmo uma guitarrinha nacional vagabunda custava mais que o dobro desse preço... Fiquei impressionado ppte com a qualidade do braço e comprei uma, igual a essa aqui:
Claro, ainda não sabia detalhes sobre captadores (são cerâmicos chineses) e o basswood (madeira do corpo) estava listado nas minhas "pesquisas" iniciais como uma das madeiras usadas pela Fender (ao contrário do cedro). Mesmo com corpo de basswood, cavidade universal (piscinão) e captadores cerâmicos, essa RX20 soava muito mais "strato" que a minha de cedro e marfim, de 3.500 reais. Daí em diante, cada vez que aprendia alguma coisa, tentava colocar em prática e depois de 25 anos com apenas 2 ou 3 guitarras, hoje tenho 32! :)
O Basswood não tem o punch e a clareza do Ash ou Alder. Por volta de 2007 coloquei o braço dela numa SX e o corpo ficou guardado até semana passada, quando resolvi dar uma geral no "depósito" e me deparei com aquele corpo "azul duvidoso" :), que me trouxe agradáveis lembranças.
Como essa RX20 foi a guitarra do "day one" da minha decisão de aprender sobre elas, resolvi homenageá-la:


Não queria retirar o braço original dela que está na SX SST57 preta e saí em busca de um braço bom e barato. Como falei, com as máquinas CNC e a automatização atuais, não é difícil encontrar braços baratos bem razoáveis e até bons por aí. Encontrei uma Shelter California por 230 reais com um braço bem legal, de maple/rosewood (ou madeiras bem similares - podemos esperar qualquer coisa dessas madeiras chinesas). Apenas um traste estava um pentelho mais alto e foi fácil arrumá-lo.
Tinha algum hardware dourado sobrando por aqui (saddles, capinhas, parafusos e tarraxas) e resolvi dourá-la! :)

Como sempre, refiz o headstock com serrinha, grosa e lixas. Lixei parcialmente o corpo azul e pintei de dourado (spray de lata). Captadores de alnico (dois Condor e um Fender 97), ponte com bloco de metal de peso intermediário. A idéia era usar somente o que tinha disponível aqui - a canoa do jack, o neck plate e a base superior da ponte também receberam spray dourado. Até pensei em comprar uma canoa dourada mas essa pintada com a mesma tinta do corpo ficou discreta e tá combinando bem.

Por alguma razão (pots velhos?) ela ficou com muito ruído. Pensei: "Olha a lei de Murphy aí... Era pra ser rápido e simples!". Maníaco compulsivo que sou, retirei e refiz toda a fiação e acrescentei uma blindagem. Como a cavidade era piscinão retangular, a blindagem é mais fácil, mas mesmo assim não deixa de ser cansativa:


Depois disso, tá tão silenciosa quanto corredor de hospital :)
(dois links legais pra quem quer fazer uma blindagem em casa: clique 1 e clique 2 )
O timbre ficou muito bom, considerando que quase tudo aqui é de "segunda linha". Strato clássico com aquele leve déficit de punch e clareza do Basswood - que muita gente gosta e até prefere. O braço é ótimo de pegada, a regulagem e entonação da guitarra estão perfeitos, levinha... Um prazer de tocar!

Tô me sentindo muito bem por ter feito isso. Aquele velho corpo azul sempre me passava uma sensação agradável. Não sou (muito) supersticioso, mas sinto uma energia boa nessa guitarra... :)


147 comentários:

  1. Td bem Paulo? Vc costuma usar tinta spray em suas guitarras. Que processo vc usa (prime + lixa e depois a tinta)? E a durabilidade? Tenho alguns corpos aqui que pretendo reutilizar (meu filho querendo começar a tocar) e embora eu tenha um compressor, acho o processo em PU todo muito trabalhoso. Vc chegou a testar Spray Epoxy? Ele é mais resistente aos riscos e batidas. Mais uma vez parabéns pelo seu Blog. Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, as duas que eu precisei pintar mais "profissionalmente", mandei fazer com um cara que pinta carros. Os caras têm a manha e a gente pode especificar o número de demãos.
      Já pintei umas 4 ou 5 aqui em casa com spray de lata. Sempre lixo bem, me certifico que as superfícies estão bem lisas e limpas e em nenhuma usei primer antes. Selador sim, mas só com o mogno e apenas 1 vez.
      O problema da lata é que a pressão varia de acordo com o volume interno e não podemos controlar a pressão e dissipação do spray, portanto, qualquer bobeira e a famigerada "gota escorrida" aparece... :)
      A distância (cerca de 25 cm e diminuindo até 20 ou 15cmm à medida que a lata esvazia) é a ideal, além do padrão de movimento constante e NUNCA exagerar no tempo das demãos. Paciência para repeti-las tbém é necessário.
      Mas deves saber de tudo isso... :)
      Nessa daí, lixei parcialmente o verniz azul com lixa 200 ou 320 (não lembro), mas nas outras retirei todo o verniz e selador com removedor químico e lixas.
      Dei umas 6 ou 7 demãos de dourado, após 48-72 horas lixei levemente com uma lixa de grão 600 (molhada) e apliquei mais 3 demãos de spray verniz incolor brilhante. Lixei com uma 800, depois 1200 e por fim lustrei com cera automotiva Grand Prix.

      O verniz PU, quando aplicado com pistola e em muitas camadas e polimentos, fica bem duro e brilhante. Obviamente a minha pintura não tem a dureza e resistência ideais (no processo de colocar escudo e hardware, acabei deixando umas 3 pequenas marcas), mas eu gosto assim, ela parece uma guitarra mais velha bem conservada :)
      Não gosto do aspecto ultra brilhante do PU das guitarras atuais.

      Não conheço o spray Epóxi - tens algum link?

      Toda vez que me meto a pintar uma guitarra, juro que é a última... :)

      Excluir
    2. Tem razão, é trabalho demais e sempre corremos riscos pela falta de prática. A epoxi é esta aqui http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-231723141-tinta-spray-epoxi-colorgin-a-melhor-tinta-para-intemperies-_JM . É a mesma tinta usada em microondas e geladeiras. Não tem variedade de cores mas resolve a questão da durabilidade. Uma vez arrisquei a pintar uma com spray acrílico e nem preciso dizer o estrago que a fivela do meu cinto fêz. Estou pensando em fazer uma parecida com essa sua (ficou linda!), mas talvez arriscando umas poucas demãos de verniz PU fosco. Outra maluquice que já tentei é o betume sobre o metal (efeito ouro velho, bronze). É claro que começa a descascar dependendo do atrito que a peça recebe, mas até isso ajuda no efeito vintage. Vai ser coisa para fazer nas férias, mas eu posto para vc dar uma conferida. Gde abs.

      Excluir
    3. Putz, Paulo! Mas fivela de cinto faz estrago em qualquer tinta :)
      Legal essa Epóxi...

      Betume da Judéia? KKKK! Tenho uns 3 aqui em casa. Consegui recentemente um em cera, que vem numa bisnaga. Esse é melhor de controlar a sujeira! :)

      Se inventares/descobrires alguma coisa legal, dê um toque. :)
      Abraço!

      Excluir
    4. A tinta epoxi cobre bem os defeitos e imperfeições e não é necessário polir, mas e muito chata de trabalhar... ela demora muito mais a secar e as partículas grudam em tudo em volta.
      Um conselho quando pintar com cores amarelas ou douradas... insetos pequenos são atraídos pela cor, pousam na tinta e ficam grudados.

      Excluir
    5. Decididamente, pintar com spray é uma sujeira danada. O jato do spray acaba cobrindo quase tudo em volta. Deixei a guitarra pendurada pelo tróculo, mas meio perto do chão - agora tô com um par de havaianas douradas... kkkk!
      Nunca tive o azar de ter um inseto grudado, mas pelos sim. Terrível - é que nem gota - tem que esperar secar, lixar, retirar o maldito e dar mais várias demãos.

      Excluir
  2. Tudo bem Paulo? O que é aquela pecinha que você colocou pra tapar o buraco do volume? Procuro algo assim pra tapar os buracos na minha SG! Refiz a parte elétrica e deixei somente um pot de volume geral. Sobrou 3 buracos ali e não consegui encontrar nada pra cobri-los. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maurício, é uma tampinha de plástico usada para tapar buracos de móveis. Na loja onde comprei (utilidades domésticas e de construção) tinha de 3 tamanhos/diâmetros e o plástico é branco. Quando quero mudar de cor, passo uma lixa 300-400 e esmalte de unha. Aliás, uso esmaltes de unha pra várias coisas de guitarra. Tenho mais esmaltes aqui do que um salão de beleza :)
      Geralmente ele entra com leve pressão, dependendo do furo do escudo. Às vezes preciso passar um pouco de cola prá fixá-lo.

      Tem uma rede de lojas aqui no sul chamada "Milium" - compro quase tudo lá. Como o nome diz - tem de tudo um pouco :)

      Excluir
  3. Respostas
    1. Obrigado, Caio! Não tá 100% "profi", mas pelo que era... :)

      Excluir
  4. Agora que reparei... Paulo se rendeu ao escudo Branco ou é apenas provisório

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahá! :)
      Ele não é aquele "branco Kolynos", eu lixei e passei um pouco de corante amarelo - tá um "off white" :)

      Excluir
  5. Olá.
    Vi a conversa aí em cima sobre a pintura com tintas spray. Recentemente envernizei uma guitarra com um verniz spray da suvinil (http://www.suvinil.com.br/pt/produtos/340/suvinil-spray-multi-uso.aspx). Ficou lindo quando terminei e fiz o polimento, mas com o uso e só de encostar o braço no corpo e correr a mão no braço o verniz foi ficando fosco e bem feio, acontece isso com vc? Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, Matheus. Mas nunca poli a ponto de deixar brilhante demais, pois não gosto desse efeito "super gloss". O Colorgin é um pouco melhor, mas tenho usado o Suvinil sem problemas.
      Pra ter um verniz sólido e ultra brilhante, tem que passar umas 4 camadas, lixar (400 pra cima) com água, mais 4-5 camadas, lixar (600 pra cima) e repetir tudo ainda mais uma vez, com polimento final. Coisa pra mais de 12 demãos no total... Nunca cheguei nesse ponto! :)

      Excluir
  6. Caramba 32 guitarras!! Parabéns, essa guitarra do post ficou linda. Você conseguiu um ótimo resultado com spray. A blindagem você fez com papel alumínio de fogão? Abraços, Fabiano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fita adesiva de alumínio Sicad/Eurocel:

      http://www.ronaldokrug.com.br/

      Excluir
    2. Belo post, como sempre. No mais uma pequena dúvida. A fita citada é a fita 901 ac??

      Excluir
    3. Jou, eu acho que é a Euro 903, porque a minha tem 50mm de largura: http://www.eurocel.it/contenuti/prodotti/pdf/AL003IT_REV04_903.pdf

      Na fita não há identificação numérica e eu comprei numa loja de materiais de construção. Era a última, não tinha embalagem e custou por volta de 35 reais, mas tem fita pra umas 30 blindagens no mínimo. Muito prática e fácil de usar, pois é auto adesiva.
      Sei que funciona bem para blindagem porque já utilizei-a tbém no meu Jazz Bass e resolveu o problema crônico de ruído dele.

      http://www.sicad.com.br/

      Excluir
    4. Ok, muito obrigado pela resposta. Acabei achando uma loja de fitas especiais aqui em Porto Alegre, e vi que eles trabalham com a linha da 3M. No momento estou sem tempo e disposição pra nenhum 'projeto' novo, ainda estou aproveitando o último que foi a instalação do par de Mojos, mas é sempre bom ter essas miscelânias. Nunca se sabe, hehehe. Um abraço, e obrigado de novo.

      Excluir
  7. Olá Paulo! Tudo bem?
    Sou leitor do seu blog e estou precisando de uma ajuda sua. Eu tenho baixo Squire e coloquei um decal fender nele. Mas não passei nada por cima. Agora, com o tempo, estou percebendo que está dando uma diferença na coloração da madeira entre a parte sem decal com a que está com o decal. Com certeza é pq a madeira está sem revestimento.
    O que poço fazer?
    Obrigado.
    Renato Nunes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato, após a aplicação, todo decalque deve receber uma ou mais demãos de verniz (spray, de preferência), para proteção e aspecto mais natural.

      Não deve ser aplicado na madeira crua - algumas camadas/demãos de verniz - aplique o decalque e depois mais verniz por cima.

      Excluir
    2. Valeu Paulo!
      Só mais uma coisa. Tem mais de um tipo de verniz spray? Se tiver, qual que você me conselha.
      Obrigado novamente.
      Renato Nunes.

      Excluir
    3. Verniz spray brilhante Colorgin ou Suvinil

      Excluir
    4. Lembrete: Se nunca usaste tinta/verniz spray, leia as instruções da lata com atenção e teste antes em algum pedaço de madeira.

      Excluir
  8. Paulo, deixa eu sugerir por aqui, pois não consigo achar seu email, que faça alguma matéria, caso não tenha feito (não achei) sobre as duas madeiras principais das fenders, alder e ash. Principalmente a relação dela com o peso... há mtas duvidas nos fóruns e ninguem entra em consenso.

    ResponderExcluir
  9. Paulo, aproveitando o assunto, tenho um corpo de strato em ash (sem pintura) e estou há muito tempo querendo pintar ela com a cor sonic blue só que nitrocelulose. Só que não acho em lugar nenhum, achei nesse site (reranch.com) para compra, mas como é inflamável eles não mandam para o Brasil. Queria nitro porque não gosto do aspecto "sempre novo" dos outros tipos de pintura, quero uma que envelheça com o tempo e a cor eu gosto muito. Tem alguma idéia de como poderia fazer isso? Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Borba,
      Sonic Blue dá pra conseguir acrescentando o branco ao azul. O tom exato é difícil, já variou na própria Fender e tem que testar antes.

      Em relação ao tipo de tinta, a Nitrocelulose é um composto antigo, criado pela Dupont para a indústria automotiva e que atualmente foi quase que 100% substituido pela tinta acrílica/PU, mais resistente e com mais brilho. Ainda existe no mercado ppte por causa dos carros antigos, que a utilizavam.

      No Brasil, a tinta de Nitrocelulose é conhecida também como "Duco", "Laca Nitrocelulose" ou somente "Laca". Por exemplo:
      http://www.globalcolor.com.br/produtos.htm - clique em "Linha Globalack"...

      Qualquer pintor de carros (principalmente os que restauram carros antigos) conhece o "Duco" :) É só perguntar. Com sorte, podes conseguir alguém/alguma oficina que faça isso pra ti (e os caras cobram BEM MENOS que um luthier) ou pelo menos te indique onde conseguir e como pintar.

      Curiosidade: "Duco" vem de "Dupont Coated"

      PS: Tá aí um bom tópico para um post... :)

      Excluir
    2. Aproveitando a deixa, o nitro pode ser aplicado com um catalizador ou pode ser usado o processo por evaporação, o que muda completamente a história fazendo com que o tempo de cura passe facilmente dos 45 dias (dependendo da quantidade de demãos) e tornando tudo mais caro. Acho um aspecto interessante do assunto para se abordar também. Gde abs.

      Excluir
    3. Paulo, não tenho tanto conhecimento assim... :)
      Se for postar, vou ter que pesquisar mais.

      Mas se puderes/quiseres ajudar - ou até preparar algo para um post sobre a história e as características da nitrocelulose/duco, seria muito legal! :)

      Abraço!

      Excluir
    4. Vou elaborar alguma coisa e te mandar. :) Sei que vc pesquisa tanto (ou mais) quanto eu, mas já viu este post? Nada que já não tenhamos visto ou passado, mas sempre sobra alguma dica interessante. http://translate.googleusercontent.com/translate_c?hl=pt-BR&rurl=translate.google.com.br&sl=es&tl=pt&twu=1&u=http://www.guitarristas.info/foros/construyendo-esquire50/134724&usg=ALkJrhiLqgLn_QTjxMSsLYoTbHifYysgmw

      Abs

      Excluir
    5. Putz! O cara teve uma paciência danada! Eu já vi algumas guitarras bem acabadas com nitrocelulose e consigo quase o mesmo efeito visual com algumas camadas de verniz spray e pouco polimento - numa fração desse tempo.

      A diferença sonora do acabamento nitro p/ o PU é que o primeiro não bloqueia tanto o som da madeira. Mas quando usamos poucas camadas de verniz sintético, acredito que o resultado é o mesmo.
      Só resta a questão da autenticidade "vintage" da nitrocelulose... :)
      Tem que botar na balança e resolver :)

      Excluir
    6. Sou defensor do óleo e cera de carnaúba mesmo. Vc usa anilina, eu gosto de um impregnante chamado Polisten da Sayerlack. O PÚ tem o efeito do "encapsulamento", forma uma armadura em volta da madeira. Mas tem a questão da resistência. O Nitro é mais frágil mas fica bonito demais além do crackelado com o tempo. Tenho 6 corpos aqui que quero customizar. Estou pensando em usar técnicas diferentes e registrar detalhadamente os processos. Trabalho para meses mas pode dar bons frutos. Gostei muito do registro da Tele nesse post. Me lembrou o seu da Tele preta em ash, muito bom tb. Abs

      Excluir
    7. Paulo, beleza. Documente tudo - será uma excelente fonte de informação e referência. Depois faremos um post dos "Prós e Contras" de cada método/material. :)
      Abraço!

      Excluir
  10. Fugindo do assunto. Vc mesmo imprime seus decalques ou manda fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu mesmo imprimo. Levei um tempão pra fazer, configurar e padronizar no Photoshop. Imprimo em um papel/plástico decalque especial, no formato A4, transparente, para jato de tinta.
      Comprei aqui:
      http://sirapvisual.webnode.com.br/

      Excluir
    2. Se eu utilizar um verniz spray desses suvinil ou colorgin para fixar a impressão no decalque e depois invernizar o braço da guitarra com PU ou nitro vai dar algum problema por nao serem os mesmos componentes?

      Excluir
    3. O verniz spray suvinil ou colorgin já é PU ou uma variante similar, moderna. Não é recomendado misturar PU e Nitro.
      O decalque fixa-se sozinho. O verniz por cima e pra evitar que algum atrito o descole ou rasgue.

      Excluir
  11. cara... eu tenho uma pergunta pra ti... marupá é uma madeira boa para construir uma guitarra? se você tiver como me responder no meu e-mail markotonin@hotmail.com ficarei muito grato! abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marko, use o utilitário "Pesquisar Esse Blog", aqui na coluna da direita. Digite "Marupá" - tem várias citações, exemplos e explicações.

      Excluir
  12. Eu tenho uma ideia muito legal pra um tópico, teria como ensinar como blindar guitarra passo a passo? POR FAVOR!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa, Samuel - isso já foi postado pelo Oscar Isaka Júnior lá no fórum da GP:
      http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/602-diy-blinde-sua-guitarra-em-casa/
      A única diferença é que eu uso fita de alumínio auto colante.

      Também tem um excelente tutorail da luthier Paula Bifulco, mas com tinta ferrosa condutiva:
      http://www.pauleiraguitars.com/como-fazer/blindagem-tinta-condutiva/

      Excluir
  13. Posta o som pra gente! =D Este final de semana peguei uma RX-20S pra dar uma tratada, mas nada demais. É uma daquelas que tem uma pintura que lembra granizo (mármore, sei lá). Troquei o escudo por um preto liso 3 camadas tipo HSS e coloquei um Seymour JB na ponte. Ficou bacana. Acho que este braço dela ficaria melhor com trastes médio-jumbo, pra ficar ainda mais macia, mas no geral, é uma guitarra interessante pelo preço (200 reais...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz, gravar uma demo é meio trabalhoso. Sou meio maníaco e não gosto de fazer a coisa "meia boca". E pra fazer legal, com fidelidade, dá trabalho e exige tempo.
      Mas prometo que quando for gravar a próxima demo de alguma guitarra, incluo essa! :)

      Ela tem uma sonoridade muito similar às stratos já postadas, apenas um pouco mais "fechada" devido ao basswood.

      Excluir
  14. Sobre nitrocelulose: Estou usando em minha tele handmade seladora com thinner de boa qualidade (profissional) (diluição 100%: metade / metade). Esta diluição acelera (catalisa) o processo de secagem. Mas é necessário ter muita paciência, são muitas demãos, vários lixamentos. Só na seladora já fica com aparência boa, principalmente se a intenção for obter o efeito acetinado. Depois passei verniz também nitrocelulose com a mesma receita (thinner profissional / diluição 100%). Ainda não terminei, então não posso comentar o resultado. Um amigo usou a laca nitrocelulose (no mercado há verniz e há laca, mas não sei qual a diferença). O resultado que ele obteve foi um brilho intenso (após polimento manual) em um corpo strato de freijó. Se for usar nitrocelulose, não misturar com produtos de outra base (ex. PU). Também é recomendado que a seladora e o acabamento (verniz / laca / etc) sejam da mesma marca. Em pintura, tudo interfere no resultado, desde o clima até o humor do pintor.

    Anderson

    ResponderExcluir
  15. Paulo

    Falando em pintura, olha neste link o que o Richie Kotzen fez em uma telecaster dele. Eu particularmente achei PAVOROSO! ehehehe.

    http://www.vandohalen.com.br/a-nova-arma-de-richie-kotzen/

    Zeca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz! Pro meu gosto, independente do motivo "diabólico", também tá pavoroso! :)

      Excluir
  16. Paulo,
    Essa guitarra ficou realmente muito bonita, douradão não é meu estilo, mas para os outros acho bem legal.

    Queria te pedir para observar uma coisa, por favor , com muito humildade da minha parte:
    Estou sempre em fórums e percebo que cada vez mais as pessoas tem comentado duas coisas coisas sobre blindagem com alimínio:
    1) não evita interferência de algumas ondas específicas,como as de rádio.
    2)com o tempo o alumínio industrial (o único à venda, por razões lógicas) perde as propriedades de blindagem.

    Se possível , caso perceber ou não essas características, comente.
    Agradeço Pessoalmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, realmente sou péssimo em física :) Mal e mal entendo os conceitos básicos de acústica e eletricidade, como a gaiola de Faraday, por exemplo.
      Mas o fato é que a diferença do "antes e depois" da blindagem de alumínio é muito grande. A guitarra ficou absolutamente silenciosa (assim como o baixo Fender). Fiquei tão impressionado que estou tentado a fazer isso na minha Fender AS. O que me impede por enquanto (além da preguicinha básica) é a argumentação de alguns experts de que a blindagem interfere com a resposta dos captadores - e nessa strato, o som é perfeito! :)

      Qto à durabilidade do alumínio, só vou saber mesmo em alguns anos, imagino. Se ainda estivermos por aqui, te aviso! :)

      Excluir
    2. E, claro, se captar algum sinal de rádio com ela, te aviso também! :)

      Excluir
  17. Paulo,

    Segundo especialistas, o ideal é o cobre, pois , depois da prata, é o metal com maior condutividade.

    Existem fitas autoadesivas de cobre, a própria 3M tem no Brasil, mas somente vende a caixa com 20 ou 22 rolos, o que se torna impraticável, ainda não achei , no Brasil, quem venda a unidade, no e-bay e as vezes no mercado livre tem.

    Segue um tópico do contrabaixo BR sobre o assunto.
    http://www.contrabaixobr.com/t4522-blindagem-jazz-bass-sx-ricamente-ilustrado-com-fotos-e-texto

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, o cobre é o material perfeito para blindagem. Até porque aceita solda, ao contrário do alumínio. É a facilidade e relativa rapidez do material auto colante que me chamou a atenção. Blindar com cobre e solda, coisa profissional... Bem, acho que não teria paciência KKKK!

      Mas me esqueci de dizer que das 32 (33? Perdi a conta :) ) guitarras que tenho, foi a primeira vez que senti real necessidade de blindar. E o Jazz Bass, que sempre foi barulhento.
      Me incomodo mais com ruídos de pots, cabos, jacks e tensão elétrica do que com a falta de blindagem...

      Excluir
  18. Saudações Paulo,

    Uma dúvida, na conta das tuas guitarras, entra a "strato de luthier" de R$ 3.500,00 ? Alguma coisa de bom esta guitarra deve ter, ou não ? Ou virou lenha no inverno ?
    Será que ela não seria ideal para um som mais pesado, talvez mudando os captadores ?
    Imagino que quando você a encomendou deve ter aguardado com ansiedade de receber "a guitarra" , segundo especificações do próprio gosto pessoal ? Pelo menos, eu ficaria muito ansioso se encomendasse (e pagasse $$$) por algo que é fora de série.
    Veja só, meu questionamento é por curiosidade. Naturalmente acreditamos que, pagando caro, receberemos algo que nos surpreenderá !

    Abraço e parabéns pelo conteúdo do blog !

    Anderson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá na conta sim :) Naquele post "crônicas do cedro" eu falei que ela tá soando melhor com um braço de maple. Ainda inferior a qualquer strato de ash ou alder, mas passável.

      Na época que eu encomendei essa guitarra não entendia NADA de madeiras, captadores, construção.. Enfim, parte da culpa é minha. Se fosse mandar fazer uma guitarra hoje, saberia exatamente o que pedir.
      Mesmo assim, independente de tudo, a gente só tem certeza absoluta que a guitarra ficou boa depois de tocá-la, e por um bom tempo:)

      Excluir
  19. Ola Paulo...


    Tava afim de pintar um corpo que ta encostado aqui em casa de Candy apple red, só que naquele esquema de mandar pintar em oficina de carro que vc comentou anteriormente...


    O negócio é que eu to com algumas duvidas e gostaria uma ajuda

    Tipo, o corpo já ta pintado de branco, aí eu teria que retirar a pintura original ou não tem problema pintar por cima? E que combinação de cores vc recomenda pra chegar n Candy Apple Red?

    Valeu pela atenção e pela disposição cara


    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou me atravessar e tentar ajudar. Nesse link que estou postando

      http://www.guitargarage.com.br/restauracoes.htm

      tem nas primeiras fotos um baixos endo restaurado usando essa cor Candy Apple Red e o procedimento para obtê-la.

      Espero que ajude.

      Abraço.

      Excluir
    2. Atravessar nada, Jou. É SEMPRE uma ajuda aqui. Recebo no mínimo 3 a 6 perguntas dia e tá difícil responder tudo.
      Obrigado! :)

      Excluir
  20. Aproveitando o embalo das perguntas: Como se faz pra conseguir o tom de fiesta red?




    Valeu!

    ResponderExcluir
  21. Olá Paulo,

    Você diz que utilizou um spray Colorgin para pintar o corpo da guitarra. Gostaria de saber se tem algum modelo Colorgin mais indicado para pintar guitarras. Tinta acrílica é uma boa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentando responder as tuas 3 perguntas:
      Podes só lixar um pouco o branco p/ não ficar com muito verniz no final. Candy Apple sempre tem uma base dourada embaixo e o vermelho é semi transparente.
      Mas o melhor que podes fazer é olhar as motos na rua: já vi "Candy Reds" perfeitos em várias. Solicite ao pintor da oficina um padrão de pintura vermelho metálico de "moto" - identifique o modelo e ele deve ter a cor na tabela.
      Fiesta Red é vermelho sólido, um pouco mais claro que o vermelho "Ferrari". Terás que achar esse tom na oficina - leve fotos, etc.
      Tá escrito nos sprays (que são de base acrílica): "para madeira e metais". No site da Colorgin parece que há sprays com cores metálicas, mas nunca achei no mercado.

      Excluir
  22. Olá Paulo,
    Parabéns pelo blog...
    Gostaria de saber sobre a colocação do decal Fender no headstock que você faz, é transfer? waterslide? poderia explicar melhor o processo?

    Abraço

    JP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já respondi essa pergunta pro Matheus no dia 6 de maio, JP:

      Eu mesmo imprimo. Levei um tempão pra fazer, configurar e padronizar os logos no Photoshop. Imprimo em um papel/plástico decalque especial, no formato A4, transparente, para jato de tinta. Depois de imprimir tem que aplicar spray de verniz protetor.
      Comprei o papel decalque aqui:
      http://sirapvisual.webnode.com.br/

      Excluir
  23. Oi Paulo, tudo bom cara?

    Queria te agradecer pelas belezas de leitura que tu proporciona pra gente.

    Cara, eu preciso de uma orientação.

    Tenho uma Tagima T-505 (telecaster special, brasileira assinada).
    Estou querendo modificar ela e queria saber se vale a pena ou vale mais botar ela num negócio e pegar outra.

    Bom, ela é brazuca. Pelo site ela tem o corpo em Cedro, mas levei em luthiers aqui em Porto Alegre e eles deram uma olhada e disseram que é Marupá. Por cima da pintura atual só consegue-se ver 1 emenda (2 peças).
    Os captadores são 2 Single Coils Standard de alnico (informação do site). enfim, tem as infos no site e tal.

    Bom, eu curto ela, curto muito o som de tele, mas pra rock, um rock light tipo Red Hot e em tempos com um captador de ponte com saída mais alta tipo um Audioslave.

    Eu queria saber duas coisas:
    1 - Vale a pena investir (primeiro pintar e captador pra ponte e com o tempo as ferragens, etc.)

    2 - Caso sim, que tipo de captador pra ponte teria uma saída limpa interessante e que me desse um punch legal quando eu utilizasse uma distorção (tanto pra base quanto pra solar).

    Bom cara, sei que fica difícil esse tipo de coisa assim, mas fico no aguardo de uma resposta por mais básica que seja.

    Muito Obrigado e de novo parabenizo pelo ótimo blog.
    Diego Brito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Diego.
      Olha, Telecaster ideal deve ter corpo de alder ou ash e braço de maple. A escala pode ser rosewood ou maple.
      O cedro não é legal pra sond clássicos de tele (e nem pra strato), mas o marupá, se não for muito leve, pode chegar perto.
      A questão da saída do captador é uma faca de dois gumes: a medida que vai aumentando, melhor ele satura e ganha punch, mas perde a beleza nos timbres limpos. A questão é saber o quanto de potência seria necessário pra ti. Pra tocares RHCP e Audioslave, o ideal seria DUAS guitarras distintas... :)
      Uma opção de tele é com captador do tipo "dualblade" na ponte, tipo a do Richie Kotzen (o captador é um DiMarzio Chopper) - tem bastante punch e satura muito bem.
      Particularmente, prefiro uma Tele clássica, tipo essa:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2010/07/fender-telecaster-1968_25.html
      O captador é um Rosar Hot T. Saturado, soa assim:
      http://www.youtube.com/watch?v=xbzvkejYUxg

      http://www.youtube.com/watch?v=PAdxbMVFvG0

      A decisão é difícil mesmo. Podes tentar um dualblade. Se não gostares, sempre dá pra voltar ao single clássico :)

      Excluir
  24. Nesse caso vc teria os modelos "Quarter Pound" que os polos são maiores e tem um timbre gordo com grande saída ou os "Dual Blade" que por ser um HB (apesar do formato single) tem uma saída mais limpa.
    Pelo que escreveu essa deve ser a sua única guitarra, e pra ter mais opções de som vc pode instalar com um potenciômetro "Push-Pull" desativando uma bobina transformando quase em um single(o som fica muito parecido com single) ou usar esse esquema (http://www.seymourduncan.com/images/sum96tip.jpg)onde o potenciômetro de tonalidade vai defasando gradualmente uma bobina até cancelar completamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado pelo Fernando. Se optares por um dual blade, um pot "push-pull" pra splitá-lo seria extremamente útil. Não chega a ser um som exato de single, mas bem perto.
      Toquei com um quarter pound Seymour na minha Tele 74 por uns 5 anos. É pesadão, mas também perde aquela clareza do single clássico nos cleans. E o ruído é maior.

      Excluir
    2. Oi Fernando e Paulo,

      Caras, muito obrigado pelas dicas.

      Não é minha única guitarra, mas eu queria ficar só com 1 pq tenho + 1 baixo e 1 violão tb e confesso que por falta de espaço nem pedais não tenho mais comprado. (além da grana curta).

      Acho que valeu a dica pelo seguite motivo:

      A guitarra paguei R$ 600,00

      Gastaria + R$ 700 pra pintar e colocar um cap na ponte (no melhor luthier de porto ele faz por 400 a pintura e regulagens pós-montagem).

      Então vou dar uma olhada por uma guitarra entre isso R$ 1300~1500. (acho que vou de jaguar o prox modelo, da Zaganin é boa?).

      O corpo (pelo que ví) é bom, tem peso e como disse só 2 peças (sem remover a pintura não dá pra ter certeza).

      Casualmente eu moro exatamente na rua das lojas de instrumentos musicais.
      (é, parece estranho, mas aqui no centro de porto alegre cada rua tem uma coisa e se juntam quase todos os concorrentes na mesma rua).

      Vou olhar por uma usadinha. Muito obrigado as dicas de vocês mas essa mão de obra toda não vale a pena pra uma guit que não seria pra vida toda.

      Valeu
      Diego

      Excluir
  25. Tudo bom paulo?
    Amigo, eu tenho duas guitarras. uma jackson modelo JDR concept94 japonesa (essa eu possuo a muitos anos) e a dois anos comprei uma Cort m600 e troquei os caps dela pra dois 59 gibson e ficou bem legal!! só que atualmente tenho estado muito afim de possuir uma strato!! nao sei se é por conta da idade ou os meus ouvidos estão querendo um som mais estaladinho! srsr mas entao, eu estou a pesquisa de uma strato com um custo baixo mas que tenha uma madeia interssante e depois eu possa trocar os captadores dela, saca? vi uma RX20s e me interessei muito por ela... gostei do som da madeira dela, mas como um iniciante em strato nao sei bem o que seria uma strato boa!! sei que se eu quiser uma fender, teria que pagar por uma fender! sabendo disso vem a minha pergunta: vale a pena comprar uma dessa pra dar um up?? vi que vc ficou satisfeito! ou vc teria uma outra marca de guitarra que seria mais legal, tipo.. SX!?!? abraço irmao e aguardo sua resposta! se quiser conversar comigo por e mail é só mandar pro aralagos_dany@yahoo.com.br ASS: Sandro

    ResponderExcluir
  26. A minha opinião sobre a RX20 tá no próprio post, Sandro. Sobre as SX, tbém nos respectivos posts. Ambas nem de longe serão uma Fender americana, mas o custo benefício é excelente.

    ResponderExcluir
  27. Paulo, como você faz a adaptação dos pots, pra ficar so com 2? Se não for pedir muito tinha como explicar, mostrar um diagrama de como fica, algo assim?


    Obrigado desde já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa idéia para um post. Nessa ainda acrescentei uma ligação "50s" wiring, mas tava pensando em mudá-la. Vou fazer em breve, fotografar e postar, ok?

      Excluir
  28. Post novo pelamourdedeus! Sou fã do blog, e fico sedento por novidades, sei q vc esta sem tempo Jack, uma pena...

    ResponderExcluir
  29. Post novo pelamourdedeus! Sou fã do blog, e fico sedento por novidades, sei q vc esta sem tempo Jack, uma pena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio, 5te3! :)
      Toda vez que sobra um tempinho pra pensar num post, tem no mínimo umas 4 perguntas pra responder. Nada contra, mas tô perdendo mais tempo nas respostas do que postando.
      Mas amanhã acho que sai um post-update de uma das guitarras.
      Valeu! :)

      Excluir
  30. Amigo, sou leigo em relação equiparar marcas e hardware, mas gostaria de sua opinião entre a yamaha pacific 112j ou a condor gx 40. Qual seria a melhor escolha?
    Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As duas são excelentes guitarras "intermediárias". Já tive uma GX40 e era impecável. Ambas se beneficiariam de uma ponte com bloco mais pesado. A GX40 aproxima-se mais de uma strato clássica por ser SSS. Já a Yamaha tá mais pra "super Strato" por causa do humbucker na ponte, sendo algo mais versátil.
      É questão de tocar com as duas e sentir qual é a melhor pegada de braço e som.
      Pessoalmente, ficaria com a Condor GX40, mas só porque prefiro stratos clássicas.

      Excluir
    2. Vi um comentário deste blog onde você diz que o modelo gx40 já vem com captadores alnico (09/03/2012,"Guia para Tunar Guitarras Baratas"), porém em dois sites que encontrei os modelos informam ser cerâmicos...
      http://stepmusic.com.br/shop/instrumentos/condor-gx40.html
      http://www.barramusic.com.br/ecommerce_site/produto_102992_1526_Guitarra-Condor-GX-40--Strato--Corpo-em-Alder
      Como não encontro outras informações, inclusive do próprio fabricante, você confirma ser alnico?
      Grato!

      Excluir
    3. Essa Condor da BarraMusic é um tipo especial de GX40 com uma folha de maple e captadores cerâmicos. Não a recomendo.
      Foi uma confusão da Condor e já discutimos isso no fórum da Guitar Player.
      A GX40 que mencionei (com caps de alnico) foi a de alder com acabamento sunburst ou vermelho transparente. Tem fotos dela aqui:

      http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/98-strato-de-ash-para-strateiros-com-pouca-grana/page__st__60__p__3118&#entry3118

      A princpio achei que fosse de ash, mas é alder. Se for uma guitarra igual a da foto, pode ir tranquilo. A do link da Barra Music não é a mesma que estamos falando, embora tenha nomenclatura idêntica.

      Excluir
    4. Obrigado Paulo, seus esclarecimentos estão ajudando muito, mas e a outra do outro link que tem tanto a sunburst quanto o vermelho transparente, porém com especificações de cerâmico, não é a mesma da foto?
      Desculpe o incomodo, este ser meu último.
      Agradeço novamente.
      Ricardo.

      Excluir
    5. Talvez a Condor tenha mudado os captadores para cerâmicos, mas a minha com certeza tinha captadores de alnico.
      O problema do Brasil é que os caras mudam as especificações toda hora, sem avisar. A GX 40 antiga me parece que tinha caps cerâmicos, mas a relançada em 2010 era alnico.
      E os captadores da Yamaha? São alnico ou cerâmicos?
      É importanto saber porque envolverá um custo adicional de no mínimo 300 reais para troca de caps.

      Excluir
    6. Tenho uma Yamaha antiga, de 90 e poucos, e pelas características que me foram passadas sobre os imãs dela, eles são cerâmicos..(cor de íma de geladeira, heuheuehue)

      Excluir
  31. Boa tarde Paulo,

    Primeiramente parabéns pelo ótimo trabalho do seu blog e de suas modificações em guitarras. Fiz uma pergunta anteriormente a respeito do material da marcação do braço de uma SX SST '57 que você mesmo modificou. Estou querendo fazer a mesma modificação, só que aquele braça amarelo fica meio estranho. Esse braço você importou ou comprou aqui no Brasil? Você poderia me passar aonde você comprou, por favor?

    Obrigado,
    Celso Y.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual braço, Celso? Esse aí de cima?
      É de uma Shelter California baratinha.
      O problema da cor do braço da SST57 tá em outro post:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2011/09/shelter-sx-headstock-remake.html

      Excluir
    2. Opa!
      Foi da SX desse post: 'Sérgio Rosar Screamin' Distortion (Dual Blade)'. Agora que eu vi que voce colocou que foi um braco de luthier...To procurando um braco novo pra colocar em uma SX SST, mas ta dificil encontrar essa marcacao sem ser por luthier, hehe.

      Excluir
  32. Paulão ,
    coloca um post novo pra gente comemorar a conquista do coringão!!!!
    Timãoooooooo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  33. Olá! Como você faz para colocar o logo da fender? Fica perfeito.
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, já respondi essa pergunta umas 10 vezes. Faça um search com as palavras "logo decalque" e vais descobrir... :)

      Mas não fica tão perfeito não, pois o método que uso é o antigo da Fender (water decal).
      Atualmente o processo é mais moderno e o resultado mais bonito.

      Excluir
  34. Olá Paulo , queria saber quais as diferenças específicas por exemplo em uma tele em ash , e outra em alder ... das pesquisas que fiz poucas são de ash.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São duas madeiras clássicas das Stratos e Teles, Raphael. O Alder é um pouco mais equilibrado nas frequências.
      O Ash pode variar muito entre os tipos e procedência e às vezes pode simplesmente não soar bem. As 3 Teles de Ash que tenho soam todas muito bem, mas com diferenças (sutis porém perceptíveis) de timbre. As duas de Alder soam quase idênticas :)
      Se a grana tá curta e queres minimizar erros, vá de alder.

      Excluir
  35. Interessante sua reforma, Parabéns!
    Posso pedir um favor? Teria como o Sr. Fazer um tutorial de como blindar a guitarra? De preferencia com papel alumínio, pois é muito difícil de se encontrar fita de cobre ou papel de cobre. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuel, siga o link:
      http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/602-diy-blinde-sua-guitarra-em-casa/

      Excluir
    2. Nossa a Guitar Player tem um fórum? Crescendo e aprendendo! Obrigado! Isso vai me ajudar demais!

      Excluir
  36. Paulo,parabéns pela postagem. Sempre passo por aqui para aprender e graças também ao seu blog, mesmo tocando guitarra a 2 anos, possuo mais conhecimento do que muitos veteranos(náo que isso seja importante como competição, mas como levar o instrumento à sério mesmo). Queria lhe perguntar algo: quero fazer uma strato, não sou apegado a vintage, nem tradições, só quero encontrar um som que está na minha cabeça. Qual captação seria melhor para ter um som de strato, sem muitos agudos estalados e com som mais quente rasgado? A madeira será cedro no corpo, marfim no braço e ébano na escala. Sei que não gosta do cedro no corpo de guitarras com esta proposta sônica, mas eu gosto de descobrir por mim mesmo. rss Obrigado Paulo.

    fábio rocha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Fábio. Embora pessoalmente não goste, o cedro é uma boa madeira pra guitarras. Porém geralmente tem uma ligeira perda de ressonância por volta de um 1,8k, onde estão os médios quase altos. Parte do estalo tá aí, portanto, se não queres muito estalo e uma strato com timbre mais macio, o cedro manda bem. Um dualblade na ponte, para coisas mais pesadas, associado a dois singles, a deixaria bastante versátil. Recomendo os captadores Sérgio Rosar. Os singles novos, com fio formvar, da Malagoli Custom shop (www.captadores.com.br) também são muito bons. O Formvar tem menos agudos que o polysol.
      Pelas características da madeiras citadas, a guitarra deverá ter um timbre naturalmente mais "fechado". Uma escala de Pau Ferro teria um pouco mais de brilho que o ébano.
      Boa sorte!:)

      Excluir
  37. Fala Paulo!!
    gostaria de te fazer umas perguntas!!
    gostaria de ressaltar que terei total confiança nas suas dicas!
    eu tenho uma guitarra igual a essa do post(condor RX-20S)
    e gostaria de saber se compensaria fazer uma tunagem nela já que ela está totalmente original de fábrica? mais ela tem um probleminha(não sei se isso pode ser importante ou não)ela tem uma trinca que vai desde a ponte até o buraco onde se passa o fio do jack que é soldado nas "molas" que se encontram atras da guitarra! você acha que eu deveria tunar a guitarra ou procurar outro corpo primeiro?! desculpe pelo incomodo mais gostaria de ter a ajuda de alguem que sabe muitooo mais que eu! obrigado desde já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. desculpe Paulo eu cometi um engano quando disse que era o fio do jack .... eu me enganei completamente,a trinca vai da ponte até o buraco do terra que é soldado atras com as molas da ponte...(a trinca não é muito grande, mais provavelmente deve afetar na sonoridade da guitarra!!)

      Excluir
    2. Obrigado pela confiança, Bruno! :)
      Essa Condor geralmente é bem construída e merece um upgrade de captadores, ponte e tarraxas, mas isso é coisa de 500 a 700 reais...
      O corpo é de Basswood (ou madeira chinesa similar) e não tem aquela ressonância e clareza do alder ou ash, portanto ela soará como uma strato, mas algo mais macia.
      Se o braço e trastes estão ok, acho que vale a grana :)

      Quanto ao trincado, tá numa região importante (ponte) e o legal seria que postasses uma foto (em qualquer lugar, até no facebook) pra gente ver.

      Excluir
  38. Fala Paulo tudo bom?
    muito obrigado pela atenção e principalmente por responder tão rápido rs!
    tirarei e postarei a foto do trincado o mais rápido possível para que possa avaliar!
    quanto aos captadores tenho uma certa "atração" pelos captadores da Malagoli já na ultima troca de captadores da minha outra guitarra eu fiz a compra com o Érico e foi uma ótima negociação então gostaria de saber se você tem alguma indicação de captadores da malagoli mesmo ou da Sérgio Rosar que é muito bem falada no seu blog(o que me deu certa curiosidade sobre os caps.)
    desde já mioto obrigado pela atenção já que sou um novato e nunca fiu atendido tão bem e de maneira tão rápida por um veterano.
    E por favor não pare com o blog(pois sem ele o meu domingo seria muito tedioso e sem informação alguma), o blog é excelente e me ajuda muito, aquele forum do Cifra Club me espanta o pessoal de lá nunca chega num consenso pra responder as perguntas e sempre geram mais dúvidas ainda!!
    sem esse bolg pra me auxiliar estarei perdido!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O blog existe justamente por isso, Bruno! :)
      Os captadores Malagoli Custom Shop são excelentes, ppte a nova linha com fios (formvar e enamel) originais. Com os caps Rosar e Malagoli, o Brasil não deve nada a ninguém nesse quesito :)
      Inclusive já mostrei aqui que alguns captadores do Sérgio Rosar são até melhores que os famosos lá de fora.

      Excluir
  39. Obrigado pelas dicas Paulo!
    já tirei as fotos e postei no facebook algumas fotos para que possa avaliar a situação do corpo da minha guitarra!
    Infelizmente eu não consegui tirar uma boa foto da parte de traz do corpo com a trinca pois não tirei a ponte por nunca ter feito esse procedimento antes(medo de não conseguir colocar no lugar depois!)mais o principal está ai no link: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.214982231896721.52531.100001548383433&type=3
    conto com a sua avaliação e muito obrigado novamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, quando tento acessar o link no Facebook recebo essa mensagem:
      "Este conteúdo está atualmente indisponível"...

      Excluir
  40. desculpe pelo péssimo português não reli antes de postar rsrs!

    ResponderExcluir
  41. Paulo estou postando novas fotos do corpo sem a ponte agora rs.
    quanto ao link estarei te enviando novamente
    1º link(pasta completa de imagens): https://www.facebook.com/media/set/?set=a.214982231896721.52531.100001548383433&type=3
    2º link(foto do corpo para caso haja algum erro no 1º link): https://www.facebook.com/photo.php?fbid=412067158854893&set=a.214982231896721.52531.100001548383433&type=3&theater

    ResponderExcluir
  42. Paulo já entendi o por que você não pode ver o conteúdo...proavelmentee é pq vc esta deslogado do facebook ou por que vc não tem um pra logar! caso não seja isso que eu suponho eu posso criar um blog e postar as fotos pra que vc possa ver!

    ResponderExcluir
  43. Paulo criei um blog pra que possa ver as fotos do corpo..... desculpe pela atrapalhada toda aqui com as minhas contas do facebook ou do googleE

    ResponderExcluir
  44. aqui segue o link para visualização do blog: http://aprendizdeluthierr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, realmente o trincado está numa região importante e pode deixar instável um lado da ponte. Já tentastes fazer pressão na área pra ver se está meio solta ou móvel?
      Bem, o que podes fazer:
      1 - Deixar como está e checar periodicamente um eventual aumento ou piora. Se isso acontecer, terás que levar num luthier ou trocar o corpo.

      2 - Tentar colar: A colagem de luthier envolve o uso de "sargentos" ou prendedores/prensas nos dois lados forçando a aproximação e mantendo a pressão no local enquanto a cola (geralmente de madeira, que demora pra secar) seca. Mas podes tentar com uma cola forte e de ação rápida, como a "Superciano" ou até mesmo Araldite. Líquida, pra escorrer bem dentro das frestas. Deixe a guitarra de pé (de cabeça pra baixo) e vá colocando cola até sentires que o espaço foi preenchido (pra cola não atravessar e sair pelo outro lado, podes fechá-lo temporariamente com fita crepe). Use um pano pra limpar caso escorra para a parte cima ou feche também com fita crepe. Deixe a cola secar e repita a operação quantas vezes necessário, até sentires a região bem fechada e firme.
      É um quebra galho, mas se preencher bem a fresta/trincado, pode funcionar :)

      Boa sorte! :)

      Excluir
  45. Paulo eu já usei o tremolo pra ver se o trincado se mexia,se ele se mexeu foi muito pouco pois não percebi diferença alguma, vou optar pela mistura das duas opções rs,em breve levarei minha guitarra semi-acústica pra fazer a troca de captadores e então aproveitarei pra deixar essa strato lá pra fazer uma colagem e uma regulagem geral.
    Muito obrigado pela dica e fica com Deus!!

    ResponderExcluir
  46. amigo paulo. qual a diferença na blindagem com cobre/alumínio adesivo e tinta condutiva? as duas formas obtém o mesmo resultado? abraço e sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As 3 conduzem eletricidade, mas o cobre conduz um pouco melhor que o alumínio. A tinta condutiva é a que conduz menos.
      O cobre reage mais com o oxigênio e com o tempo, forma uma crosta verde. Alumínio não tem esse problema e só não é o material mais usado porque não pode ser soldado (com solda comum). A tinta condutiva, por sua vez, é o método mais fácil... E por aí vai - podes observar que todos têm seus prós e contras.
      Como tenho fitas auto colantes de alumínio, prefiro esse, mas quando colamos, temos que ter certeza que há condutividade por toda a área (usando um multímetro).

      Excluir
  47. Boa noite! Eu tenho uma condor Rx-20s que ganhei em 2009 (não sei o ano de fabricação), tenho que afirmar: já toquei em Les Paul Studio da epiphone e ainda prefiro minha strato. Mas sinto falta de um timbre um pouco mais "cheio". Sei que esse tipo de pergunta é meio complicada de se responder, mas enfim, você acha que vale a pena comprar humbuckers bons pra essa guitarra, dar uma geral na parte elétrica e talvez até comprar uma ponte nova ou é melhor comprar logo uma guitarra nova? O corpo dela é bom o suficiente pra fazer dessa guitarra uma guitarra "quase-top" com equips de primeira linha?
    Outra coisa, pesquisei pela internet e não achei em lugar nenhum... você sabe qual tipo (tamanho?) de traste que ela usa e qual o raio do braço dela?

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci até de comentar, eu tinha problemas com a afinação dela, mas depois que troquei as tarrachas (minha guitarra caiu no chão e quebrou uma tarracha original dela), por groover nunca tive (grandes) problemas, nem nas alavancadas! Hahaha

      Excluir
    2. Compre um captador dual blade para a posição da ponte. Se gostares do som, podes investir um pouco mais e comprar outros dois singles de alnico e uma boa ponte. Deve ficar uma boa Strato, talvez até ótima, mas deves considerar que o corpo é de basswood (ou similar chinês) e a cavidade dos captadores é do tipo piscinão (grande).

      Excluir
  48. Paulo aqui estou eu de novo !!
    gostaria de saber qual ou quais foram as modificacões que você fez no headstock dessa guitarra??
    você só aplicou o decal da Fender ou você também deu uma lixada pra ficar mais parecido com um headstock fender original??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://guitarra99.blogspot.com.br/2011/09/shelter-sx-headstock-remake.html

      e aqui:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2011/10/guia-para-tunar-guitarras-baratas.html

      Excluir
  49. opa ,aprecio pra caramba o seu blog eh muito bom saber do conteudo daki mas enfim , sou dono de uma rx20r da condor tb , ela eh boa mas o som dela me deixa a desejar pensei em trocar os captadores,mas nao sei qual e nao tenho experiencia no meio ,gostaria de sua ajuda .obg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha cara, a RX20 é uma guitarra bem honesta. As duas que eu comprei estavam muito bem construídas e um upgrade de captadores melhora bastante o som delas, mas devido ao corpo de basswood, nunca soarão com a clareza e a densidade de uma strato de alder ou ash.
      São campeãs da série B da brasileirão, mas não ganharão nada na série A...

      Excluir
    2. Eu compreendo sobre ela nao chegar a posiçao de uma top de linha ,mas como vc flw,ela da pra quebrar um galho , sera q vc nao conhece alguns captadores baratos e de boa qualidade pra dar um up?

      Excluir
    3. Captadores de alnico a deixariam com um som mais natural de strato. O mais barato do Brasil:
      http://www.captadores.com.br/loja/produto-34302-1092-captador_custom_alnico_50__diversas_cores
      Compre um, instale e ouça a diferença. Se gostares, compre os outros.
      O melhor do Brasil, na minha opinião, é o Fullerton (só é vendido em set de 3):
      http://www.jrguitarparts.com/stratocaster-single-coil/fullerton-set.html

      Outra opção seria colocares um dualblade na ponte apenas, se queres tocar algo mais pesado e ter uma guitarra mais versátil.
      Os dois vendedores têm dualblades para strato, mas esse captador aqui é MUITO bom - veja:
      http://www.jrguitarparts.com/stratocaster-single-coil/rg1.html

      Excluir
    4. vo pesquisar e levantar uma grana ,muitissimo obrigado ,te me espantei com a velocidade q me respondeu kk ,vlw.

      Excluir
  50. Paulo, gostaria de sua opnião sobre a questão da blindagem, havaia decidido que iria blindar minha guitarra e optei pela tinta condutiva, porem depois de pesquisar muito sobre o assunto o que consegui foi uma grande duvida, existem varias pessoas que são contra a blindagem argumentando que ela cria uma "capacitância" entre a blindagem e os componentes prejudicando o timbre dos captadores. Tenho em minha strato um set de captadores que curto muito o timbre e não queria prejudicar isso, precisava apenas diminuir os ruidos. Em fim, vc acha que a blindagem prejudica o timbre? Já notou alguma diferença nas suas stratos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A proximidade de qualquer metal a um captador acrescenta capacitância, sim, Etelvino, mas nesse caso é, te garanto, irrelevante diante do benefício da blindagem.
      A perda de agudos é imperceptível.

      Excluir
    2. Grande Paulo, muito obrigado pela atenção! Vc vem me ajudando bastante com suas dicas. Parabéns pelo trabalho!

      Excluir
  51. Paulo May, tenho uma condor rx-20 jogada aqui num canto, o que posso fazer com ela que ficaria legal num corpo de basswood? Não queria algo SSS, no mínimo um HSS ou H + p94 ou até mesmo uns rot rails. O que fica legal? abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o braço está ok, QUALQUER opção que falaste é viável. A mais prática seria um esquema HSS com hotrails/dualblade na ponte - nem precisarias trocar o escudo.

      Excluir
  52. Olá amigo, como vai? Eu tenho uma guitarra igual a sua, e estou fazendo uma reforma, só que o cabeçudo aqui tirou toda a parte elétrica e não passou para um papel. Teria como vc me passar as ligações? Eu já rodei a net a procura de esquemas, mas de todos que achei não deram certo. Se possível me manda no email: convertx@live.com Agradeço a sua atenção! Forte abraço! ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruce, é o esquema de fiação clássico de strato, que tá aí desde 1954...
      No site do Seymour Duncan eles estão bem claros e compreensíveis.

      Excluir
  53. Olá Paulo, tenho uma Rx20 creme e gostaria de tuná-la.
    No lugar dos captadores originais eu pensei em colocar os seguintes:
    -Custom Dallas (ponte);
    -Custom 69' (braço e meio;
    Obs.:todos modelos da malagoli.
    Como a guitarra é toda original, tem alguma modificação nos componentes que você poderia sugerir, como tarraxas dentre outras coisas?
    Desde já, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  54. Por ela ser de basswood, Pedro, eu trocaria o 69 do braço por um 54. Se fosse comprar da Malagoli. Pessoalmente, gosto muio do Rosar Fullerton para meio e braço.
    Indispensável também pra ela soar como uma strato de verdade: bloco pesado de aço na ponte. Siga o link:
    http://guitarra99.blogspot.com.br/2013/06/manara-blocos-de-aco-para-stratocaster.html.
    As tarraxas Condor não são excelentes mas também não são ruins. Deixe esse upgrade para depois, se achares necessário.

    ResponderExcluir
  55. olha aí o q rolou no sabadão rsrsrs

    https://www.dropbox.com/s/7jyz5djwjqv63v9/2013-09-14%2015.09.05.jpg

    esperando secar e amanhã jogar o verniz em spray ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Séerio que isso aí é ela? uehauheuhe Nossa, não pensei que fosse tão bonita "por dentro",ainda mais depois de retirar a tinta õO

      Excluir
  56. Olá, Paulo!
    Sou admirador e leitor assíduo do seu blog, então antes de tudo parabéns por ele!
    Seguinte... também tenho uma Condor igual a sua, e é incrível como me identifiquei com suas palavras, quando fala sobre a tal "energia boa" que ela passa. Tenho uma Fender Tele, e tenho impressão de que ela fica com "ciúmes", pois passo tanto ou mais tempo com a humilde Condor do que com ela uheau. Enfim, inspirado por esse post eu resolvi fazer algo semelhante com a minha, e vim amadurecendo a ideia nas últimas semanas. Mas tenho uma dúvida: o corpo dela é mais fino que o padrão, não? É que - também por causa da leitura do blog - gostaria de colocar nela um bloco de aço na ponte. Mas se colocasse um bloco de tamanho padrão ficaria sobrando, como naquela sua SX, não é? Então, a pergunta é como se existe à venda blocos de aço que dê certo nesse corpo... O senhor saberia me informar sobre isso? Obrigado!

    ResponderExcluir
  57. Ah, só para registro: essa guita já tinha passado por uma "transformação" logo que a comprei, há uns anos, o que ficou registrado nesse velho álbum do falecido orkut hehe
    http://www.orkut.com.br/Main#Album?uid=5175947565741825792&aid=1272225240
    Abraço, obrigado novamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha tem 43mm de espessura - quase o padrão Fender. A maioria dos blocos deve caber, mas o Manara cabe garantido..

      Excluir
    2. É verdade, o senhor tem razão... eu acabei de adquirir um corpo Fender, e a princípio parecia mais grosso, mas agora analisando melhor a diferença é bem pequena, mesmo... o Manara fabrica sob medida, né? sabe me dizer quanto custa? Li em outro artigo, mas não lembro qual era. Muito obrigado, abraço!!

      Excluir
    3. Por favor, digite "Manara" na pesquisa do blog.

      Excluir
    4. Ah, perfeito, muito obrigado! Só mais uma pergunta chata hehe: o senhor sabe dizer qual o raio da escala? Eu quero comprar trastes novos pelo ebay, mas tô em dúvida sobre isto :S Obrigado, novamente! Abraço

      Excluir
    5. O raio da minha tem cerca de 14 polegadas,

      Excluir
  58. Ola Paulo td bem? Gostei do tom dourado da foto dela sem escudo, desmontada ..o tom ficou realmente aquele ou igual das outras fotos (que o dourado parece ser mais discreto - talvez seja pela luz)??? Por acaso voce se recorda qual marca e cor exata do spray que usou? Obrigado ..att Erich

    ResponderExcluir
  59. É só questão de ângulo da luz, Von Farah. Utilizo sprays de diversas marcas, mas acho que esse foi da Colorgin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Paulo ..estou com uma telecaster que montei (utilizando um corpo em freijó que peguei da RDC Guitars - e o seu post sobre a tele em freijó com escala rosewood me ajudou muito em minha decisao quanto ao braço, pois estava indeciso), estou pensando em deixa-la "gold relic". Segue a foto de como ela se encontra no momento:

      https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash3/994689_218713058310372_70482449_n.jpg

      Abraços!!

      Excluir
    2. A foto é pequena, mas até onde dá pra ver, tá muito bonita! :) Foi com spray de lata?
      Preferiste deixar as bordas do corpo mais anguladas, tipo anos 70? O Adriano normalmente envia sem o acabamento final de lixas delas - eu sempre dou umas boas lixadas pra deixá-las mais redondinhas... :)

      Excluir
    3. Que estranho Paulo, aqui a foto está em tamanho grande. Usei spray em lata sim. Preferi deixa-la mais quadradona..hehe

      Aqui tem uma montagem de alguns trabalhos que eu ja realizei (na minha pagina do facebook tenho varias fotos de todos os trabalhos ja realizados até hoje):

      https://scontent-b-mia.xx.fbcdn.net/hphotos-ash3/t1/1176168_230191820495829_1484598202_n.jpg

      Abraços!!

      Excluir
  60. Um duvida estou querendo comprar uma guita e estou em dúvida entre a condor RX20 e uma memphis mg32/ Vogga vcg608. Qual dessas seria uma escolha razoavel.Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, todas são de baixo custo e acredito mais ou menos iguais, mas dadas a experiências que relatamos no Blog a Condor RX20 seria a minha escolha..

      Excluir
    2. Oscar , muito obrigado irei mesmo de condor. Abs

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".