quinta-feira, 5 de junho de 2014

TAGIMA?

Paulo May

         Quem acompanha o blog há mais tempo sabe do meu perrengue com a Tagima. Não foi coisa simples e rolou na justiça por alguns anos.
A Tagima vendeu um produto específico - uma guitarra - que não estava de acordo com o anunciado, mas independente do mérito da questão, quero deixar bem claro que não é a "Tagima" representada historicamente pela pessoa do mestre luthier Seizi Tagima e sim a empresa Marutec, atual dona da marca.
O senhor Seizi Tagima é uma lenda viva da história da guitarra no Brasil e o vetor mais importante da valorização do produto nacional que ocorreu entre 1985 e 2000. Que tenha todo o mérito e lamento, tanto devido ao imbróglio pessoal quanto ao status atual da marca, que seu nome esteja vinculado a esses aspectos negativos.

Dito isso, vamos ao post: por indicação do (também mestre, mas de amplificadores) Augusto Pedrone, conheci o excelente canal do site "Guitar Experience"  no youtube, inicialmente para me deliciar com uma entrevista com o senhor Carlos Alberto Lopes, vulgo "Sossego" outro marco da história musical brasileira com a Giannini e a Palmer e, em seguida, uma fantástica entrevista com Seizi Tagima.
Fantástica e reveladora especialmente para mim, já que ele menciona nomes que fizeram parte da minha adolescência/juventude, como o guitarrista "Piska" (excepcional músico), conta toda a história da Tagima, do mercado brasileiro, contato com a Marutec (depois Royal e a Seizi), importação dos produtos orientais, etc.

Essa última parte, do contato com os tailandeses, coreanos, chineses e o processo que rola "por fora" (isso lá pelo 60º minuto da entrevista) é exatamente como eu pensava e praticamente o mesmo citado pelo luthier Jol Dantzig (Hamer guitars - o link para o blog dele, onde está esse post, fica aqui do lado direito, na seçao de links). Quando são apresentados, eles já começam dizendo: "Fazemos guitarras para Fender, Gibson, PRS... E não só as linhas mais baratas..."
Como disse Dantzig: "Vocês se surpreenderiam ao saber que algumas marcas bem famosas são feitas inteiramente lá". Eu sempre brinquei que as falsificações são feitas no "turno da noite" de algumas fábricas chinesas e o Seizi menciona uma visita noturna à uma fábrica fornecedora, trabalhando a todo vapor :)

Enfim, uma entrevista franca, aberta e imperdível com o mestre Seizi Tagima - o "japa" :).

(Clique na imagem abaixo para assistir no YouTube)
Entrevista Seizi Tagima

 
 _________________________@@@@___________________________

PS: Depois de ficar mais de uma hora vendo a entrevista do Seizi, voltei e terminei de ver a entrevista do "Sossego". É uma loucura quando a mesma história é narrada sob outro ponto de vista - Giannini, Palmer, suas visitas às fábricas de amps no mundo inteiro, enfim, os anos 60 e 70 numa perspectiva única e embriagante, quase cinematográfica.


11 comentários:

  1. Que maravilha de entrevista, super divertida!!! Simplesmente sensacional.... nada além de História, com "h" maiúsculo mesmo!!!

    Experiência de vida fantástica; coisas como trocar uma guitarra por um fusca ou pagar pontes com um gol!!!! Bicho, isso é sensacional, não existem palavras p/ descrever... !!! Tudo no peito e na raça!!!

    Simplesmente ver, ouvir.... e babar!!! Fantástico!!

    Parabéns ao blog e muitíssimo obrigado por compartilharem o vídeo.

    ResponderExcluir
  2. Um baita programa pro fim de semana, assistir a essas duas entrevistas.

    Muito bom post, Paulo.

    ResponderExcluir
  3. Foi com a história do "gato por lebre" que encontrei este blog, há uns 3 anos atrás.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não consegui ver a entrevista inteira, mas com certeza irei... vi algumas partes e foi mto legal ouvir as histórias do Seizi...

    ResponderExcluir
  5. Bela entrevista. Lembro bem do seu "perrengue" com a Tagima rsrsrs. Sacanagem pura.

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a entrevista do Sossêgo, gostei bastante, o Tagima eu já acho mais um oportunista mas também tem a sua importância, valeu por postar Paulo, abç.

    ResponderExcluir
  7. Eu ja havia visto essa entrevista e achei muito boa. Ainda quero ver o outro lado da história com o Giannini. O que mais me impressionou e eu já suspeitava foi o tema sobre a qulaidade das guitarras chinesas... Tenho certeza que os caras podem fazer guitars melhores que muitas tops ai pelo mundo, basta que paguem pra isso. Noto frequentemente que algumas guitarras chinesas tem acabamentos fantásticos e fico imaginando se tivessem componentes fantásticos, como seriam e a qual custo...

    ResponderExcluir
  8. Olá Paulo,
    Vi o vídeo do Seizi, história rica, divertida e muito interessante. Não são poucos os que acham que Seizi é apenas um aproveitador mas seu trabalho tem muitos méritos, não é a toa que tantos bons músicos o ajudaram ao longo do tempo.
    Vou assistir assim que possível o vídeo do Sossego.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Bacana! Ainda não vi as entrevistas, mas já "adicionei ao cardápio"! A propósito, adorei o blog, parabens!

    ResponderExcluir
  10. Engraçado o TAGIMA falar que a Fender queria pegá-lo por causa dos headstocks e lá do lado uma Seizi com head de Strato durante 1h20min de entrevista!! KKKKK!!!!

    Tenho uma Stratinho Tagima de 1995, com head da Fender...hehehehe...

    O Tagima pode até ser enrolão...e me fez esperar 9 MESES por uma reforma (!!!!) mas foi O CARA que trouxe avanços numa época de muita tranqueira e sem perspectiva nenhuma para os instrumentos nacionais!

    De qualquer maneira está de PARABÉNS!!!!

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".