quarta-feira, 15 de março de 2017

Inclinação do Captador da Ponte... Mais uma vez :)

Paulo May

(obs: antes de fazer perguntas e ou postar comentários, leia aqui: CLIQUE)
 


         Agora no início de março a Fender lançou um documentário sobre os 30 anos da sua Custom Shop. Pra quem não viu ainda, é esse aqui:


         Michael Stevens e John Page foram os dois primeiros mestres em luthieria da CS, e embora eu já tenha mencionado que as guitarras John Page atuais são versões de certa forma "aprimoradas" da strato e da tele (e ambas com a inclinação invertida dos captadores da ponte), não pude deixar de perceber que a Telecaster Esquire feita pelo Michael Stevens para homenagear os 30 anos da Custom Shop também tem o captador da ponte invertido.

Michael Stevens e sua Esquire 30th Anniversary

 Ouça o teste da "telecaster" do John Page (Classic AJ) aqui:

         Bem, eu não sou luthier mas toco Telecaster há mais de 30 anos e sempre, desde o primeiro momento, me incomodei com o (leve, mas evidente) desequilíbrio entre as cordas agudas e graves (a história da quarta corda/D também soar inexplicavelmente mais fraca eu deixo pra depois).
Toda vez que olhava pro captador da ponte eu pensava: "acho que é só inverter o ângulo"...
Não sei porque demorei tanto pra fazer uma tele invertida, mas a primeira (vide post anterior) já soou exatamente como eu imaginava.

Telecaster de Timburi invertida.

O corpo de Telecaster de Timburi feito pelo meu amigo e luthier Eduardo Kaiser, da KAISER GUITARS, ficou perfeito (como sempre) e adorei o timbre do Timburi. Me parece uma excelente madeira para Teles e muito provavelmente, Stratos. Talvez a melhor até agora, na frente do cedro (bem, qualquer uma ganha dessa), marupá, tauari, mogno e freijó.

Amanhã devo receber outro corpo de telecaster do Kaiser, dessa vez de pinho, também com a inclinação invertida. Eu queria testar o pinho há tempos e sei que não deveria inverter o captador pra fazer um teste mais justo, mas essa inversão ficou tão legal que eu não quero perder a chance de matar dois coelhos com uma cajadada! :)

Inverti também o captador da ponte de uma Strato (HSS usando um escudo "Hendrix") excelente que eu tinha e tomei o cuidado de gravar um "antes e depois". No caso da strato não notei melhora - soou diferente, mas não melhor como na tele.



Nesse último pedido para a Kaiser Guitars, aproveitei e encomendei também um corpo de strato hardtail HSS (a cavidade humbucker é pra poder escolher/mudar a inclinação do captador single da ponte) e dessa vez a madeira é a "Garopa", com densidade próxima do alder... Vamos ver... :)

Aqui estão as duas:

http://www.kaiserguitars.com/

          A tele de pinho está com 2,3 kg e a strato de garopa com 1,8 kg. A regra geral é que o corpo não deve ter mais que 1,9 kg (under 4 pounds / 1,85 kg) pra guitarra ficar "leve", com peso total abaixo de 3,6 kg. Mas tá na boa - guitarra com menos de 3,4 kg, na minha experiência, tende a soar pior do que as com mais de 4 kg. Acredito que as melhores guitarras têm peso entre 3,4 e 4,4 kg.
... E meu "limite de carga" é 4,3 kg. Acima disso não dá pra tocar mais do que meia hora sem sentir dores nos ombros... :)




32 comentários:

  1. Paulo, parabéns pelo post ! É sempre um prazer entrar no blog e se deparar com um rico conteúdo. Em tempos de informações superficiais, o blog é uma grata exceção à regra. Anderson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Anderson. Sempre que citamos um fato histórico ou dado técnico, procuramos as fontes mais fidedignas possíveis. É importante que o conteúdo do blog seja confiável. :)

      Excluir
  2. Veios bonitos em ambas. Como será o acabamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O acabamento do Kaiser ou o que eu pretendo fazer, Pedro?

      Excluir
    2. O seu. Como pretende acabar as guitarras?

      Excluir
    3. Definitivamente tons pálidos de azul e verde: Daphne/Sonic Blue, Surf Green, Teal Green...
      Mas por favor, não me deixe fazer o acabamento ANTES de montar e testar o timbre.
      É um hábito idiota e eu sempre faço isso. Duas semanas de acabamento e quando monto tudo, o timbre pode ser uma merda. Abafado, sem graça, morto... Aí fico com aquela cara de mula velha... :)

      Excluir
    4. Se o timbre ficar excelente sem acabamento nem mexe então!

      Excluir
    5. KKK! É capaz de ficar ruim depois do acabamento! :)

      Excluir
    6. E aí, Paulo? Montou as "Brazilian Woods"? O pinho de araucária se destacou tanto quanto o timburi? Vi que agora até ash o Kaiser tem! O rapaz está ocupando um lugar especial na vida dos loucos por guitarra!

      Excluir
    7. Acreditas que os corpos ainda estão "em trânsito" entre POA e Floripa? PQP... O Kaiser enviou no dia 9... Bah!

      Excluir
    8. Haja Rivotril pra esperar os correios e sua opinião sobre as madeiras

      Excluir
  3. Aqui o documentário está com legendas: https://www.youtube.com/watch?v=QS_CObncd7U

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maioria dos vídeos do youtube tem a possibilidade de legenda automática - é um dos ícones na parte de baixo do vídeo

      Excluir
  4. Muito bonito o corpo com as madeiras nacionais... curti muito os veios do Timburi e o aspecto clean da "garopa". Tomara que os teus testes comprovem que essas madeiras são substitutos à altura do alder e ash. abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei Cícero :) Os corpos já deveriam ter chegado aqui. Correios... :(

      Excluir
  5. Fala Paulo! Como de costume, o blog trazendo novidades e informações relevantes sobre madeiras, construção e experimentos. Muito interessante o timburi, hein? Vou acompanhar! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Jean! :)
      Timburi é nota 10 até agora. Médio a leve e ressonante. Muito bom.

      Excluir
  6. Olá Paulo, as matérias estão cada vez mais interessantes, e os testes com diferentes madeiras nacionais está mudando cada vez mais o entendimento acerca dos timbres! Estou no aguardo para mais resultados :D

    O pinho que adquiriu seria o pinho araucária?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Caio. Pinho araucária. Quando a madeira tem densidade próxima do alder, entre 0.4 - 0.7 kg/m3, eu testo. :)

      Excluir
  7. Legal, tava curioso pra ver como ficaria a strato!
    Mas não gostei não, kkk, achei o visual da strato MUITO estranho, já a tele ficou muito natural.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, na strato o visual fica mais perturbador que na tele... Ainda bem que a inversão não soou melhor - pra mim, que tenho TOC, é um alívio :)
      ... Mas a strato hardtail de garopa eu vou inicialmente fazer invertida. Stratos hardtail soam mais "tele" na ponte

      Excluir
  8. Paulo, estive dando uma olhada nos trabalhos do Kaiser e estou achando simplesmente incrível!
    Eu estava planejando montar uma strato turbinada com madeiramento de Les Paul (exceto o braço, que eu manteria de maple) para tirar um timbre mais gordo e pesado (de strato só ficaria o apelo visual mesmo), mas me deparei com os trabalhos dele e já estou mudando de ideia. A vontade agora é fazer uma Les Paul mesmo! Nas minhas contas eu gastaria o mesmo que comprar um Les Paul Studio usada, mas acredito que uma Les Paul bem feita com a matéria prima que vi no site dele possa soar até melhor que uma Studio. E a oficina dele fica só a 200 km daqui!
    Acho que vou orçar com ele, será que não rola um desconto de indicação? kkkk
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os preços do Kaiser já são excelentes, Will, mas pela proximidade e contato direto, acho que farás um baita negócio... :). Qualidade é inquestionável, mas para Les Paul, terás que dar uma garimpada nas madeiras. Acabei de fazer com ele uma Les Paul DeLuxe que ficou fantástica (só encomendei o corpo/braço sem acabamento e sem hardware). É importante que a madeira do braço de modelos Gibson tenha corte radial/quartersawn. Se não conseguires o mogno radial correto, recomendo usar outra madeira com esse corte. Pau ferro, tauari, jequitibá...

      Excluir
  9. Tenho uma tele Don Grosh, cujo cap da ponte tem saída/potência superior, e soa fantástica (aliás, pelo conjunto). Mas a posição é tradicional (não invertida). Agora, vou prestar bem atenção se ocorre algum desequilíbrio (neste caso da Grosh).
    Obs.: Não esqueça de ir lá no estúdio. Tenho algumas guitarras para você analisar.
    Abs, Jordan.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jordan, meu querido! :)
      Pelo que o geleia me falou, as tuas guitarras merecem até um post aqui! :)
      Cara, faz mais de ano que tô pra ir no teu estúdio e acho que ainda não fui porque vou me empolgar demais com os trecos, KKKK!
      Mas prometo que vou - me aguarde!
      Abração!

      Excluir
  10. Olá Paulo, essa madeira TIMBURI é fácil de achar hein?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até o Kaiser mencionar, nunca tinha ouvido falar em Timburi, Fernando. Pesquisando depois, vi que é conhecida também como Timboril e Timbaúva, é encontrada nas regiões fluviais de todo o litoral brasileiro e mais utilizada para canoas e móveis.

      Excluir
  11. Olá Paulo, tudo bom?
    Que som dessa JP tele hein...Pqp!
    Legal que gostou do Timburi para tele com captador invertido. É mais uma opção para montarmos aqui um instrumento de qualidade.
    Curioso também para ver como vai soar a de pinho, nos EUA muitos telemaníacos amam o pinho americano de suas teles vintage.
    Como sabe, a atual Squier Tele Classic Vibe 50s usa algum tipo de pinho no corpo e no youtube tem muita coisa legal com esse guitarra.
    Tão curioso quanto o resultado da Les Paul tupiniquim da RDC.
    Acompanhando sempre,
    Abraços
    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei o captador da ponte da JP um pentelho mais gordo do que eu imaginava, Marçal. Mas muito equilibrado - e esse é o foco do ângulo reverso :)
      Há pelo menos 36 tipos de pinho na américa do norte, mas os americanos usam geralmente o "sugar pine" (já tive uma tele com essa madeira) e o "eastern pine". Todas as espécies americanas começam com "pinus" na nomenclatura e são da família Pinaceae. O nosso pinho é Araucaria angustifolia e da família Araucariaceae. Internacionalmente é chamado de "Parana Pine"
      Então são apenas parentes distantes, mas eu acredito que o pinho do paraná promete... Vamos ver:)

      Excluir
  12. Ola, gostaria de saber onde encontrar esse escudo para strato com o captador da ponte invertido,obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://stratosphereparts.com/pickguard-covers/
      digite "hendrix" na procura/search

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".