domingo, 22 de janeiro de 2012

Braço gordo demais? Lixa nele!

(obs: antes de fazer perguntas e ou postar comentários, leia aqui: CLIQUE)


  Já estava há tempo pensando em postar sobre isso e o comentário do Fábio Rodrigues acabou definindo. Leia:
"E ai amigo Paulo!!! cara ,fiz uma experiencia aki com minha sx!!!eu estava muito incomodado com o braço(gordo)da minha guitar!!!ai pensei em comprar um braço ou mandar fazer outro!! porem....o preço de um braço novo esta meio fora do meu orçamento no momento(estou construindo minha casa!!!)intaum....um dia eu tava aki modificando o headstock tirando o vernis do braço e tals!!! derepente!!!deu um 5 minuto em mim e resolvi mudar o shape gordo do braço!!!liguei pra um luthier aqui da minha cidade(que vive tentando furar meu zóio aqui mew q raiva)e perguntei pra ele c ele fazia esse trampo,!!!ele disse que fazia sim e que nao tinha problema e disse tambem que o trampo ficaria em $300....!!!!$#$#$%%$¨....

Dai resolvi fazer,usei apenas uma régua, lixas e um toquinho de caibro!!!kkk.......
Comecei fazendo movimentos circulares em cima da faixa do tensor, depois fui dando o shape com lixa...fui experimentando sabe,pegando no braço,vendo como estava ficando, depois dei o acabamento!!!

Paulo.....ficou muito bom cara.....tenho uma jackson jdr 94,nao ficou igual,mais bem proximo do braço da minha jackson..um dia queria entregar essa guita na sua mao pra vc dar a sua opiniao...

Sabe cara ...sou apenas mais um "guitarreiro",mais sou apaixonado por esse instrumento maravilhoso!!! estou sempre buscando uma condiçao melhor,uma pegada mais suave,um timbre matador e seu blog ta me ajudando muito...
"

Como ele bem disse "sou apenas mais um guitarreiro" :). Mas cobrar 300 reais para um re-shape de braço (sem acabamento) é exagero do luthier. Bem fez o Fábio em tentar sozinho.
Já fiz isso em 4 braços gordos e em todos fiquei muito satisfeito com o resultado. No primeiro, ainda sem manha, usei uma lima/grosa muito grossa e com muita força e acabei marcando um pouco a madeira, mas a despeito do visual meio riscado, a tocabilidade está perfeita.

Antes de começar, seria legal ler o post sobre tipos de braços: Clique.

O braço da guitarra e a mão de guitarrista é uma relação que só funciona do tipo "feitos um para o outro". Tem cara que um dia encontra um braço perfeito e passa o resto da vida só tocando com ele.

Um conceito importante que define o acomodamento do braço à nossa mão é o que podemos chamar de "ombro/shoulder", que é representado pelas duas curvaturas laterais. Essa imagem explica melhor:

O braço "D" é o que tem menos profundidade porém mais ombros. Já o "V" é exatamente o contrário.
O "D" (ou "C" achatado) é típico das Ibanez. Por ter menos profundidade, ele permite que os dedos avancem mais e tenham maior alcance na escala. Mas devido aos ombros, é um braço "largo" e nos obriga a manter a mão sempre aberta.

Pois bem, vamos pegar de exemplo esses braços das SX, que são no formato "C" gordo, ou seja, têm muito ombro.
O equipamento necessário pra isso é: Lima ou Grosa (leia "groza") de madeira (o ideal é ter uma mais grossa e outra mais fina) e lixas de papel para madeira de grão 100, 200, 400 e 600. Tudo isso não deve custar mais do que 20-30 reais.

O legal é ter um braço que a gente goste por perto, para fazer constantemente a comparação da pegada e saber qual o momento de parar... :)

É importante que o braço esteja bem fixo numa superfície lisa e com um pano macio por baixo para não machucar os trastes. Eu uso uma mesinha para "marceneiro amador" de 60 reais, com prendedores/limitadores de plástico Podes também usar elásticos (daqueles de prender prancha de surf em racks) ou qualquer coisa que o mantenha estável e imobilizado, pelo menos durante o uso da lima.

 Braço SX

Inicie com a lima/grosa, e vá lixando lentamente, sem muita pressão, até pegar o jeito. A idéia é retirar madeira dos ombros (ou do centro também, se quiseres um braço tipo Ibanez, mais achatado - foi isso que o Fábio fez), então temos que lixar principalmente entre o meio (onde está o friso) e cerca de meio centímetro antes de chegar na borda da escala, dos dois lados. Faça primeiro de um lado e depois compare com o outro, levantando o braço e colocando-o horizontalmente, na linha dos olhos. Tome cuidado pra não arranhar a borda da escala, principalmente durante a fase inicial, com a lima
Demora um pouquinho e a gente sua bastante, mas aos poucos começamos a perceber o novo desenho... :)
Aqui, uma foto da internet mostrando mais ou menos o processo com a lima:
O cara é luthier, é óbvio - olhe a manha pra prender e posicionar o braço do violão... :)

Depois de retirar os ombros e sempre checando a pegada e/ou comparando com outro braço (podes retirar também um pouco do centro - depende do tipo de braço que queres), é hora de usar as lixas de papel.
Inicialmente, a de grão 100 (quanto menor o grão, mais grossa), pra "alisar" as marcas da lima/grosa. A lixa 100 também pode ser usada para retirar madeira, só que é um processo mais demorado. já que ela retira lentamente. Use a lima/grosa pra retirar o volume principal e a lixa 100 para detalhes.

Desculpem não ter preparado minhas próprias fotos dos detalhes, mas essas aqui servem:


Observe que o cara fez um pequeno corte em "U" na extremidade da lixa - é pra não pegar no início do headstock. É um cuidado extra, mas não essencial.
Inicialmente, podemos lixar de forma mais grosseira, mas logo temos que posicionar a lixa na mão porque a nossa mão é que vai dar a forma/shape ideal. Nesse ponto, não há mais necessidade do braço estar preso e podemos movê-lo mais livremente. Eu o coloco em pé e lixo na vertical, com a mão direita.
Descubra o seu jeito mais confortável. Com o tempo, conforme disse o Fabiano/Aprendiz no comentário ("lixar é mais uma questão de jeito do que força"), a gente pega a manha correta.

Depois que o shape estiver ok, a pegada ok, é hora de passar para as outras lixas para deixar a madeira bem lisa. Cada lixa de valor maior vai gradativamente diminuindo a espessura das micro ranhuras da lixa anterior. Se pularmos da 100 direto para 400, esta não conseguirá apagar os riscos da 100. A madeira até ficará lisa, mas riscada.
Lixe até sentir que a madeira começa a ficar mais lisa/menos áspera. Passe para 200 e em seguida 400. Quando chegamos na 400 o braço já está bem liso, mas se quiseres deixá-lo ainda mais liso, finalize com a 600.

Eu não envernizo novamente os braços de maple. Prefiro ir até a lixa 1200 se necessário, pra deixá-lo tão liso que a água escorre... :)
Maple é uma madeira com poucos e finos poros e absorve muito pouco a umidade. Se necessário (tu tocas e suas bastante), passe umas 3 camadas de verniz spray, espere secar (32-48 horas) e lixe um pouco com lixa 400, 600 e, se necessário 1200, só pra tirar a leve espereza do spray.
Por falar nisso, o melhor de todos é o Renner (Verniz Acrílico Color Jet Auto). O Colorgin Plastilac é bom mas o spray do Renner é imbatível.

O problema é quando o braço tem verniz colorido. Como o meu da foto, com um alaranjado bem forte.
Daí, é complicado achar o tom certo entre o original e o novo e talvez a intervenção de um luthier com manha de pintura (nem todos têm) seja necessária. Mas aqui, nesse post, consegui uma bela solução. Detalhe - não é necessário usar o guache Acrilex - depois disso consegui o corante laranja. De todos os corantes, o "Ocre" é o mais importante. Coloque apenas algumas gotas de amarelo e/ou laranja.
A Colorgin tem uma linha para madeiras com tons de mogno e imbuia, mas nenhuma da cor meio laranja/amarelo dos braços Fender vintage.

O braço SX lá da segunda foto ficou assim:
Beleza, não? :) Esse foi o meu terceiro, então já tinha a manha :)
O mais legal é que eu queria deixá-lo com um formato "soft V" como alguns Fender. Por isso, retirei praticamente só os ombros e lixei muito pouco no centro. Ficou perfeito!
Veja se dá pra perceber na foto o formato "V":

É isso aí. O Fábio tá certo. 300 Reais? "Deixa que eu mesmo faço!" KKKK!

Claro, ninguém vai tentar fazer isso pela primeira vez num braço Fender ou Gibson (se bem que eu duvido que eles precisem), mas esses braços chineses gordos... Mãos à obra! :)

Por último, um vídeo de um guitarrista fazendo isso num braço de uma Epiphone semi-acústica. Lá pelos 2:50" ele explica que retirou principalmente os shoulders (ombros).



84 comentários:

  1. A cada post o Blog deixa dá um passo para longe do título de blog, e caminha em direção à enciclopédia, hehe.
    -
    Vale lembrar, que se alguem for tentar fazer isto pela primeira vez, não tem muitas habilidades manuais, e tem só uma guitarra, não começe com o braço.
    Arrume uns dois pedaços de madeira barata, restos do marceneiro ou algo assim, e faça o processo neste pedaço. Treine antes de partir para a guitarra.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Ops, aquele "deixa" na primeira linha da postagem anterior não devia estar lá, hehe...

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Paulo por mais um post excelente. Eu tenho pouca experiência, acabei de terminar o segundo braço. Uma ferramenta que achei muito prática e fácil de se usar é o scraper (raspador) para passar depois da grosa e antes da lixa. Outra coisa que eu percebi é que lixar é mais questão de jeito do que força. Abraços, Fabiano

    ResponderExcluir
  4. Mais uma para a listinha de possíveis modidficações da cort G260.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Paulo, seguindo a pilha "do it your self" comprei as peças de fora e com a ajuda de um amigo montamos uma tele aqui também, dê uma sacada nas fotos, se quiser posso te mandar a especificação e detalhar melhor o processo (gustavohsmesquita@gmail.com).

    Grande abraço e parabéns novamente pelo site, acompanho sempre!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://s297.photobucket.com/albums/mm227/luizzeross/Balaio%20dos%20Instrumentos/Electric%20Guitars/Telecaster%20Custom/

      Faltou o link das fotos!!! hehehe

      Excluir
    2. Linda! Adorei o Ash. ;)
      O finish é seu ou veio assim? Abraços.

      Excluir
  6. YEAH!!!!!!!!!cara to muito feliz por você ter citado meu nome no seu blog !!! muito msmo!!!abraço amigo!!!fica com Deus!!!

    ResponderExcluir
  7. Grande Paulo!
    Fantástico post, rapaz!

    E me veio a calhar!
    Estava querendo dica sobre verniz spray.
    Estou montando minha strato, quero fazer também a pintura.

    Vernizes, vi que você já testou colorgin, renner e suvinil. Melhor mesmo é o Plastilac da Colorgin?

    A dúvida que sempre tive é: esse vernizes em lata seguram mesmo? Tanto pra corpo quanto braço? Tanto quanto um nitro?

    Outra coisa, "dye stain".
    Lá fora existem muitos fabricantes de produtos específicos pra isso, mas aqui não os encontramos. Stew-mac, ReRanch, etc.
    Lembro da tele que fez com anilina preta.
    Além de anilina, o que mais usamos por aqui? Tem experiências com isso? Esses corantes para tinta (de parede) são equivalentes? O "ocre" tem a cara do "amber". hehe...

    Grande abraço!
    Pode ter certeza que tem sido professor de muitos por aqui.

    PS: Já vi que vou ficar viciado nisso de montar próprios instrumentos.

    ResponderExcluir
  8. Fabiano, legal essa dica do raspador - sempre tive receio em usá-lo por achar difícil - tens alguma foto do processo?

    Gustavo, ficou muito legal a Tele! :) Mais uma que deu certo :)
    Acho que vou agrupar todas elas num post tipo "galeria" de Telecasters "DYI" :)

    ResponderExcluir
  9. André,
    O Suvinil é bom também, mas o Colorgin Plastilac me parece um pouco melhor. O Nitro nunca vai ter o brilho do verniz PU moderno e é por isso que é tão legal... :)
    O verniz em lata, quando aplicado corretamente (várias camadas, com lixas entre elas, intervalos corretos de tempo, etc.)pode dar ótimos resultados. E se ficar brilhante demais é só passar uma lixa fina pra cortar o brilho.
    Madeira mancha até com picolé de uva...kkkk. Teoricamente, qualquer coisa colorida que jogares em cima fica, mas para um efeito consistente, acho que a anilina diluida em álcool puro ou quase puro é o ideal. Os corantes para tintas funcionam de forma semelhante, mas são diluídos em água (ou usados puros, se necessário).
    Prefiro o álcool porque ele evapora rápido e a madeira não "molha", mas é indiferente.
    Após o tingimento, pelo menos um pouco de verniz spray ou selador (no meu caso, usei cera em duas ocasiões, mas não é ideal)só pra "prender" o corante.
    A gente passa umas 2-4 camadas de verniz spray e depois lixa - nem parece que tem verniz mas a guitarra fica de certa forma, selada.
    Sempre que usar corante (qualquer um), é legal dar uma lixada leve após pra tirar o excesso. O processo pode ser repetido se necessário.
    O foda é quando a cor fica errada - daí tem que lixar mesmo pra tirar tudo e reiniciar do zero.

    Dia desses vi um vídeo de um lutier fazendo um lindo sunburst envelhecido, só com corante, num bandolin (depois passou nitro). Aquilo é arte pura. Impressionante!
    O que eu faço aqui é um quebra-galho que às vezes fica legal... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Paulo! Mais uma vez obrigado pelas dicas e paciência.
      Acho que vou testar o picolé de uva! hahaha...

      Caminho livre pros corantes e resolvida a questão do verniz. Tenho um compressor e pistola velhos aqui, mas ainda to decidindo se vou de nitro ou com um rápido, simples e prático verniz em lata.

      Não acha legal fazer um post falando sobre acabamentos? Acho que teria muito a dizer, rapaz.
      Poderia inclusive falar sobre "grain filler", que é minha próxima dúvida. haha...
      Na verdade, queria conseguir um transparente para futuros projetos em mogno.

      Grande abraço!

      Excluir
    2. André - sou péssimo em acabamentos, cara! :)
      Já pesquisei bastante sobre "grain filler" e na StewMac tem bastante coisa legal, mas como eu finalizo (a partir da madeira crua) muito pouco minhas guitarras, simplifiquei o processo de selamento.

      Na Tele de Ash (a segunda, amarelada), depois de tingí-la, selei com o próprio verniz em lata, acho que umas 4-6 camadas e depois lixei um bocado, de forma irregular e mais intensa nos pontos de "desgaste natural", para dar uma impressão de acabamento envelhecido.
      Quando acabei, a guitarra tinha 15 dias de vida mas cara de 30 anos!! :)
      A tele de mogno (também postada), tá fechadinha só com 3-4 camadas de spray Plastilac.
      O meu luthier me passou uma dica estranha, mas ele garante que é funcional - usar impermeabilizante de telhados/construções. Anda não procurei, mas é transparente, fecha muito bem e dá um aspecto com semi-brilho, algo similar ao visual da nitro.
      Quando tiver tempo vou atras disso (nem sei a marca) e testar... :)

      Excluir
  10. Não tenho foto com o raspador em ação, mas é fácil de usar e é praticamente uma terapia. Outra vantagem é que o acabamento fica melhor e usa-se a lixa só para ajuste fino, fazendo menos sujeira.
    http://aprendizdeluthier.blogspot.com/2012/01/cbg-esplendida-parte-iv.html

    Tem umas fotos e dicas do mestre Jol Dantzig aqui:
    http://guitarguru.typepad.com/my_weblog/2011/08/saturday-morning-shop.html

    Abraços, Fabiano

    ResponderExcluir
  11. Fabiano, fui lá no teu blog... :) Já estás em outro nível, kkkk.
    Cara, dá pra ver que tens vocação pra coisa. BH não rola?
    Eu não tenho 1/5 da tua perseverança e paciência, meu velho - parabéns pelo blog! :)

    ResponderExcluir
  12. PS: já coloquei teu blog nos links :)

    ResponderExcluir
  13. Valeu pelos elogios Paulo. Estou só começando e tenho muito a aprender ainda. Até gostaria de fazer umas aulas na BH, mas moro em Brasília e fica complicado. Eu achop que a principal habilidade de um luthier é a paciência e as vezes me falta. kkk Abraços,Fabiano

    ResponderExcluir
  14. Grande Paulo.
    Rapaz, eu também gosto dos acabamentos mais rústicos nas madeiras.
    To com um corpo de alder aqui que é fechadinho.
    Mas como comecei com isso agora, fiquei sem saber como ficariam corpos crus de ash e mogno.

    Agora, você em falar que é péssimo em acabamentos, mas entrega que a Tele em ash ficou fantástica! haha...

    Achei o TechaAcqua impermeabilizante de telhados, resina acrílica à base d'água. Parece que é isso.
    Enfim, a estória do grain filler é só ansiedade minha. Tenho é que comprar o Plastilac, tingir o alder, envernizar e checar o resultado final.
    Depois te mostro.

    Aliás, quantas camadas fininhas uma latinha dessas faz?

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André,
      A Tele ficou legal sim, mas tive que lixá-la praticamente duas vezes em função dos erros do tingimento e verniz... :)

      TechaAcqua? Vou checar.

      Acho que se quiseres apenas um acabamento fino, com 4 a 6 demãos/camadas - mais para selar e dar um certo brilho - uma lata é capaz de funcionar. Mas duas é mais garantido.

      Pra dar aquele brilho espesso "ultra gloss", só com muitas camadas e lixadas e de preferência com compressor e pistola, mas já sabes disso :)

      Excluir
  15. Paulo, estou sempre por aqui aprendendo muito com suas dicas.
    Sei que é um especialista em Telecaster. Então, quando tiver um tempo de uma olhada no blog que comecei para tentar mostrar a construção de uma Telescaster na B&H Luthieria.
    www.projetotelecaster.blogspot.com
    Abraços.
    Kleber

    ResponderExcluir
  16. Muito legal, Kleber. Tenho inveja do pessoal que passa lá pela B&H :)

    Tive uma experiência muito ruim com Tauari (pra corpo) - ela é realmente dura assim ou foi a peça que usei? Quase quebrou as brocas!
    O fato de estares usando pro braço já sugere isso... :)
    Fiz dois corpos de (suposto) Tauari e a sonoridade final ficou ruim.

    ResponderExcluir
  17. E aew Paulo!

    Queria saber tua opinião sobre um esquema que eu tava vendo...

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-219945308-ponte-wilkinson-wvc-sb-vintage-p-fender-stratocaster-_JM

    Vale a pena?


    Abs

    ResponderExcluir
  18. É ainda melhor que a versão que ganhou o selo de qualidade do blog, pois o bloco é de aço. E o preço é excelente.

    http://guitarra99.blogspot.com/2011/09/selo-de-qualidade-louco-por-guitarra.html

    ResponderExcluir
  19. fala amigo!!!blz???

    fiz outra experiencia aki !!!na minha sx strato msmo,depois de deixar o braço com um shape parecido com o da minha jackson,resolvi fazer uma expeciencia no msmo!!!dei uma leve quebrada nos "ombros" apenas para fikar um poukinho em 'v'....resultado.......melhorou muito a pegada pra tocar em pé!!!! na cansa o polegar fikou maravilhoso o braço!!!!!...



    valew.....grande abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  20. Legal, Fábio! :)
    Tem gente que não gosta do formato "V" radical, mas o soft V é muito bom. Realmente o esforço do polegar é menor.

    ResponderExcluir
  21. aeee acabei de fazer na minha Pgm japan fico animal serei eternamente grato por salvar meu cash!!! valeu!!

    ResponderExcluir
  22. São esses comentários que agregam valor ao blog :)
    E por falar nisso, semana passada um amigo perguntou se os luthiers não ficam chateados comigo por causa de posts desse tipo. Acredito que não, até porque só falo de coisas que não exigem muita experiência ou destreza.
    Essa de lixar o braço, entretanto, acredito que é ideal que seja feito pelo próprio guitarrista, pois ele, mais do que qualquer luthier, é que vai saber o momento exato de parar, o momento que o braço fica perfeito na sua mão :)

    ResponderExcluir
  23. Olá Paulo!
    Adorei a matéria!
    Eu venho tentando criar coragem para diminuir a espessura do braço de uma strato chinesa GBSpro.
    O meu receio é quanto poderei reduzir, pois poderia atingir o tensor.
    Você tem um parâmetro da profundidade dos tensores?
    Eu sei que o tensor não é paralelo a escala, alguns modelos mais modernos são, mas o dessa guitarra esta bem a baixo no handstock.
    Se tiver alguma dica eu agradeço!
    Obrigado! Marcelo

    ResponderExcluir
  24. Marcelo, a idéia é tirar pouca coisa. Às vezes um milímetro já basta. Pra chegar perto do tensor terias que retirar quase toda a madeira. :)
    Muito antes disso vais chegar no ponto ideal. Na primeira vez que fiz, passei do ponto e o braço ficou um pouco fino demais pra minha mão.
    Na maioria das vezes não é necessário retirar muita madeira do centro do braço - o que mais incomoda geralmente são os ombros (veja foto).
    Claro, se houve erro grosseiro na colocação do tensor podes ter problema, mas eu acho isso improvável. Mesmo numa GBS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela resposta rápida!
      Eu gosto de braço fino, fiz uma replica da Peavey Adrian Vandenberg na faculdade, e deixei o braço fino.
      Quando era mais jovem tive problemas no punho, por conta de uma queda de skate.
      Não tinha força na mão esquerda, usava cordas 0.8, tinha muita dificuldade com as guitarras nacionais da década de 80. Depois comprei guitarras feitas por encomenda que resolveram. Mas hoje não tenho mais esse problema, não devo retirar muita madeira, mas gostaria de deixar como a Jackson.
      Vou tentar! Comprei essa guitarra pra judiar mesmo, as outras eu tenho tanto cuidado que até atrapalha. Kkkk Já troque ponte, cap. Escudo e tarraxas, fica a mão pra tocar a qualquer hora.  Valeu!!!

      Excluir
    2. Marcelo,
      As Jackson geralmente têm formato entre o "C" e o "D"- provavelmente terás que tirar um pouco mais do centro também. Comece devagar, com uma grosa/lima média pra tirar o "grosso" do volume e em seguida passe para as lixas de papel.
      Depois diga como ficou,ok?
      Abraço!

      Excluir
    3. Oi Paulo!
      Voce usa o verniz Colorgin Plastilac direto na madeira ou passa uma seladora.
      O braço da minha é todo maple e com verniz fosco bem transparente.
      Valeu! Marcelo

      Excluir
  25. Geralmente o maple não precsa de selador Marcelo - use uma lixa 400 ou 600 para deixá-lo bem liso e podes passar o verniz depois.

    ResponderExcluir
  26. Olá Paulo!
    Comecei a lixar o braço da minha GBS, ficou bem melhor, ainda falta envernizar.
    Antes queria mostrar a modificação que fiz no heandstock.
    http://marcfighters.combatace.com/BR/heandstock.jpg
    Ficou igual a Fender. Kkkkkkkkkkk
    http://marcfighters.combatace.com/BR/neck.jpg
    Uma dica para os amigos do seu Blog que tem braço de Maple sem acabamento como o meu, eu limpo a madeira com uma borracha de apagar lápis.
    O ideal é antes de começar a usar passar uma camada de poliflor e quando trocar as cordas limpar com a borracha, assim a sujeira e a gordura na madeira saem na borracha.
    Valeu!
    Marcelo Silva

    ResponderExcluir
  27. Ficou ótimo, Marcelo! :)
    Valeu a dica da borracha - já tá anotada e a foto guardada :)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  28. Olá Paulo!
    Sou eu, Marcelo.
    Eu lixei o Braço da guitarra e ficou perfeito, só estou com um problema.
    Eu usei o verniz Colorgin Plastilac, rodei a cidade procurando isso, dei umas quatro mãos e esperei uns três dias, ficou bonito, só que não secou completamente, ele ficou melado. Quando aperto o braço ele da uma agarrada. Estranho! Você tem alguma dica?
    Acho que vou ter que lixar novamente e envernizar tudo de novo.
    Valeu!
    Marcelo Silva

    ResponderExcluir
  29. Marcelo, isso já aconteceu uma vez comigo. Uma semana depois e ainda sentia o verniz meio grudento. Tirei tudo, é lógico:)
    A minha conjectura é que isso ocorreu porque usei o spray num dia muito úmido.
    Realmente, não sei com certeza. Podes lixar um pouco, com uma lixa mais fina (300-600) e ver se melhora.

    É mais uma pergunta para o meu luthier! :)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  30. Oi Paulo!
    Eu envernizei em um dia de muito sol e calor, inclusive coloquei um pouco no sol, não sei se isso causou o problema.
    Achei na net uma dica em relação a verniz que não seca.
    A pessoa diz que teve esse problema e passou o verniz fixador da Acrilex, como terei que remover o que esta melado e tenho esse Acrilex, vou tentar, antes de lixar tudo.
    Depois eu te conto!
    Valeu!
    Marcelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho da marca Corfix. Se funcionar, não esqueça de dar o toque! :)
      Abraço

      Excluir
  31. Oi Paulo!
    Olha, eu passei o Fixador da Acrilex, realmente melhorou um pouco, mas ele reagiu com verniz que não secou.
    Em alguns pontos ele ficou craquelado também não ficou 100% seco. Eu nem tentei dar mais uma camada, poderia até resolver.
    Então, decidi fazer tudo de novo.
    Sobrou um pouco de verniz Colorgin Plastilac, o mesmo que deu problema.
    Quando você teve este problema você comprou outro tubo de verniz?
    Marcelo

    ResponderExcluir
  32. Marcelo, como eu queria deixá-lo com aspecto envelhecido, fui lixando e "sujando" levemente com corante ocre e amarelo diluido em água até quase retirar todo o verniz. Ficou legal (é a Tele de Ash postada aqui: http://guitarra99.blogspot.com.br/2011/10/telecastermania.html ), Na escala, lixei bem irregular pra deixar aquele aspecto de gasta.

    ResponderExcluir
  33. Oi Paulo, Como vai?
    Eu tenho aqui um braco SX e vou aproxima-lo dos padroes fender tbm...gostaria , se possivel, que me desse algumas dicas. eu tenho aqui o corante ocre e o amarelo, vc sabe dizer certo ql a proporcao que vc usou? tem mais algum "macete" para fazer isso? onde vc compra os decalques? des ja obrigado. um abraco

    ResponderExcluir
  34. Cesar, o acabamento correto da braço de maple, tecnicamente falando, é feito com veniz incolor ou tingido em âmbar para dar aquele tom levemente alaranjado.
    Como coloquei no post, não consegui/sabia aplicar o verniz com pincel e não existe verniz em spray nesse tom. Resolvi tingir a madeira e aplicar verniz incolor por cima. O resultado ficou muito parecido com o original, mas deixo bem claro que não é a técnica "oficial" :)
    Não me lembro exatamente das proporções, mas é 1 gota de amarelo (acho que o laranja é melhor) pra cada 5 ou 10 de ôcre. Teste em alguma madeira com cor semelhante ao maple (ou mesmo papel com cor de madeira) antes.
    Boa sorte! :)
    Uma dica: se é aquele braço alaranjado das SX SST57, é bem complicado chegar no mesmo tom. O ideal seria retirar todo o verniz original.

    ResponderExcluir
  35. Oi Paulo!
    Resolvi o problema do verniz!
    Lixei todo aquele verniz que não secou e apliquei só o Acrifix.
    Eu fui lixar um pouco pra deixar mais liso e percebi que a camada era muito fina.
    Então tomei uma decisão radical. Kkkkk
    Eu usei o verniz geral da acrilex, eu já usei ele em outras coisas e é muito bom.
    Fácil de aplicar com pincel claro, mas tem um acabamento parecido com vernizes bi-componente e cristaliza rápido, agora vou tirar o brilho e pronto. 
    Estou fotografando tudo, depois envio pra você se quiser mostrar para os outros amigos do seu blog.
    Um abraço!
    Marcelo – Santos SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beleza, Marcelo! Fico aguardando o final desse filme :)

      Excluir
  36. Mano, eu tenho uma Washburn WR 154 (chinesa rsrsrs) e eu acho o braço dela muito gordo. Vou seguir as recomendações de seu blog. Mas uma pergunta, eu sei mexer com madeira e talz e as vezes fico receoso de estragar ele. Tem perigo não? (claro que não vou lixá-lo até chegar no tensor, mas como a guitarra é chinesa será que não tem perigo de a madeira depois de ter suas gorduras lixadas ceder ou algo assim?)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre,
      Se sabes trabalhar com madeira, ótimo. Geralmente esse processo não causa problemas de estabilidade no braço se ele já é gordo. Meça o diâmetro antes de inciares e anote. Após acabares, talvez precises dar um leve ajuste no tensor.

      Como falei, o ideal é ter um outro braço mais fino para referência.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Então cara já fiz tudo aqui e deixei o braço do jeito que gostei. O que não estou gostando é o acabamento do verniz. Apliquei o verniz de spray da acrilex, já o lixei para deixar acetinado (igual quando veio na guitarra) mas tá muito grudento. Quando a mão esquenta ou soa (que é normal) o verniz parece que derrete e começa a grudar. E já faz dois dias que apliquei-o e aqui na minha cidade tá fazendo 30ºC pra cima e nem tá úmido. O que você me recomenda?

      Excluir
    4. Alexandre, não sou especialista em vernizes, mas quando utilizo em alguma superfície de contato frequente das mãos, sempre espero no mínimo 3 a 4 dias para dar o polimento e utilizá-lo. Geralmente mais de 4 dias.
      Apenas dos braços que envernizei continuou por quase uma semana com aspecto grudento e imagino que houve algum acúmulo de água/umidade durante o processo ou pré-existente na madeira do braço. Realmente não sei...
      A recomendação da maioria dos fabricantes é um mínimo de 72 horas para utilização mecânica.
      Se persistir, recomendo retirares todo o verniz. E se o braço for de maple, passe lixas de 200, 400 e 600 - em 600 ou 1200 ele já vai ficar liso e com plena tocabilidade, mesmo sem verniz.

      Excluir
    5. Então, vi que o spray que eu apliquei primeiro era verniz de aplique. Ai reli o texto aqui de novo e comprei um spray da suvinil de acrílico. Vish, só na primeira mão ele já emendou com o verniz original que ainda tá no headstock. Também comprei mais lixas, na loja só tinha até a 600. Realmente fica muito liso, lixei também antes de passar o verniz e parecia até que já tava com o verniz kkajejaehfae valeu!

      Excluir
  37. Mano me dá um help aqui pq não sei mais o que faço. Apliquei o verniz acrílico spray da suvinil num dia quente pra caralho, ficou 3 dias secando em dias quentes, fui dar uma lixadinha pra tirar as imperfeições com lixa 600 e ainda assim o verniz parece que derrete na minha mão, tá cheirando forte até, e faz uma semana desde o dia do aplique.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso só aconteceu uma vez comigo, Alexandre. A conclusão que cheguei: 1) a umidade do ar (e não a temperatura) estava muito alta e a água ficou presa entre as demãos. 2) passei muitas demãos, mais de 5 pelo menos.
      Levou duas semanas pra secar - eu deixava o braço na janela, às vezes até pegando sol. Depois de lixar pela segunda vez, ainda ficou um pouco grudento - cheguei a olhar a validade do spray... Como o braço era de maple, retirei todo o verniz posterior (dessa vez com muita acetona) e deixei o braço sem nada, só lixas 400/600.

      Excluir
    2. É, parece então que estou tendo um caso inexplicável e que só eu passei por isso hehehaheheheheh tou quase ficando só na lixa mesmo viu.

      Excluir
  38. Amigo, o verniz que você usa é esse? http://www.efacil.com.br/DetalheProduto.aspx?CodMer=404876

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atualmente sim. Também utilizo o Suvinil e Colorgin.
      Detalhe: outro dia o Renner acabou na 2ª demão e tive que usar o Suvinil na 3ª - deu merda - um reagiu com o outro e fez um monte de bolhas.

      Ainda acho que na parte de trás do braço é melhor deixar sem nada, só lixas 600 e 1200 pra finalizar. O maple é bastante impermeável quando bem lixado e basta secar após tocar.

      Excluir
  39. Amigo, tou querendo personalizar o meu headstock. Qual tinta eu uso? Tem que diluí-la? Como eu aplico? Ela fica lisinha igual a original? A parte de decalque é de boas pra mim. Só tenho dúvida mesmo na pintura. Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só uso verniz em spray. Para o brilho e visual, finalizar com lixas de grão crescente: 600 e 1200 e polimento padrão.
      É um processo semelhante à pintura de carros - existem muitos vídeos na internet sobre isso.

      Excluir
    2. Mas você usa a pistola para aplicar a tinta? E qual tinta você usa?

      Excluir
    3. Alexandre, desculpe a franqueza, até agora são 6 perguntas praticamente sobre o mesmo assunto, cara.
      Eu uso spray em lata - já falamos sobre isso nas perguntas anteriores... Não tô entendendo porque mencionaste a pistola - veja a nossa conversa de 24 de fevereiro.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Meu amigo é eu que não estou entendendo porque vc está falando de verniz. Eu estou fazendo a pergunta agora sobre tinta! Não dá pra eu usar tinta em spray porque quero misturar cores e também não tenho pistola e compressor.

      Excluir
    6. A gente tá falando demais sobre isso, cara - o blog não é sobre pintura, eu não sou pintor e entendo tanto de tinta quanto tu.
      Deu pra bola.

      Excluir
    7. Tá cara desculpa se eu incomodei, apenas queria consertar uma cagada que um luthier fez na minha guitarra. Valeu!

      Excluir
  40. Cara... ótimo post! Tomei coragem e fiz o reshape da minha squier telecaster... achava o braço gordo, e agora está perfeito! Seu blog está me inspirando bastante, e agora vou me planejar pra comprar peças para montar minha guitarra também! Abração!

    Victor Luna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Victor!
      Essa é justamente a razão para o blog existir... :)

      Excluir
  41. Paulo, tudo bem?
    Estou com um VIOLÃO TAYLOR 214e. O braço parece que é de Sapele (tipo de mogno).
    Está bem sujo por trás e gorduroso. Não sei se está com verniz fosco ou sem nada.

    Qual a melhor forma de limpar? Lixando como nos de Maple? Ou primeiro passo álcool isopropílico, depois lixa, depois aplico verniz fosco..??

    Ou só Bombril mesmo?
    O que faço para não estragar?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  42. A melhor forma de LIMPAR é com um pouco de detergente neutro, pano úmido e, se necessário, bombril fino (esfregando suavemente). Secar bem. Se é um violão Taylor, nem pensar em aplicar verniz no braço...

    ResponderExcluir
  43. Olá Paulo, estou pensando em pegar uma daquelas gibsons mais baratas da linha LPJ; porém, elas têm o perfil 50s. Acho o acabamento simples delas muito lindo, o meu problema é apenas com o perfil do braço. Dá pra fazer isso nelas?

    O braço colado permite fazer esse tipo de operação tranquilamente ou exige cuidados adicionais? Estou aceitando dicas, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá pra fazer em praticamente qualquer braço, mas se nunca fizeste, uma Gibson - mesmo uma LPJ - não seria a guitarra ideal pra "testes" :)

      Excluir
  44. Oi Paulo.. Pra fazer isso em uma SG da SX é complicado por causa da tinta.. Estou certo? Acho o braço dela muito desconfortável.. O que eu poderia fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não pretendes lixar por causa da tinta, não vejo outra opção exceto trocar de guitarra :)

      Excluir
    2. Bela ajuda, valeu!
      Vou continuar lendo mesmo os posts que é melhor (São excelentes por sinal), e parar de fazer perguntas porque acho que vocês já está de saco cheio..
      Abraços

      Excluir
  45. Olá Paulo! Recentemente comprei uma Telecaster Squier Classic Vibe, que vem com um acabamento em poliuretano no braço, que é de maple. Lixei o braço na esperança de ficar mais "rápido"; retirei toda a camada de PU (com lixa 320), mas não contava com um problema fisiológico rs... minha mão sua um pouco e está desconfortável para tocar (machuca a base do dedão; madeira + suor = atrito). Com isso, vi a necessidade de refazer o verniz e cheguei até seu blog. Lendo os comentários acima estou pensando em comprar o Spray Colorgin Plastilac para aplicar novamente no braço, pois aparentemente o PU só dá para aplicar com pistola. Então o correto a fazer seria: passar algumas demãos, aguardando o tempo de secagem (de preferência em dias menos úmidos) e lixar levemente (acima de 600) para remover excessos/irregularidades? Alguma dica a mais?

    Pensei também que isso pode ter ocorrido porque usei uma lixa apenas (320). Será que é interessante tentar uma lixa mais fina antes de ir para a aplicação do verniz?

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O verniz em lata às vezes não fica legal no braço, Rafael. Ele é menos duro que o industrial e pode piorar a coisa. O que faltou aí foi aumentar o grão das lixas - pelo menos 600. O maple fica bem legal e liso com lixas finas. Tente 600 e depois 800/1200.

      Excluir
    2. Beleza, vou aumentar o grão das lixas e ver se fica mais confortável.
      Comprei a guitarra aqui na Holanda, onde passei 5 meses, e vou voltar ao Brasil na semana que vem. Devo terminar o serviço por aí mesmo! Valeu pela resposta!

      Excluir
    3. Só para atualizar... Acabei não aguentando esperar a data de volta para o Brasil.. Comprei duas lixas, 400 e 600 e lixei em sequencia (não tinha de grão acima dessas). Depois passei a parte verde de uma esponja de louças.. Limpei com pano levemente úmido e depois com pano seco. Já melhorou bastante, está bem mais lisa e sem incômodo ao tocar.

      Ao passar o pano levemente úmido tive a impressão de ainda ter alguma camada "química" porque a madeira ficou bem brilhante.

      Caso sinta necessidade vou passar as lixas 800/1200.

      Valeu pela orientação Paulo! Um abraço

      Excluir
  46. Um excelente post como sempre! Parabéns!

    Contudo, gostaria de mais uma dica se puder me ajudar. Tenho uma Gianinni Strato dessas novas, bico de papagaio. Mas o braço dela é muito desconfortável, cansa a minha mão com muita facilidade e uma vez fui a uma loja e toquei em uma squier Classic vibe.... Foi paixão à primeira vista! Na verdade eu nem tinha conseguido entender naquele momento o que acontecia, só imaginava q o braço deveria ser bem, construído e o meu não, pois não entendia essa questão de shape. Como faço pra transformar o meu em um exato braço de squier? Onde posso conseguir as medidas exatas para por a mão na massa. Veja q não tenho uma pra tirar como referencia e não posso ir na loja ficar medindo o braço da guitarra né.... Hehehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo bons luthiers raramente conseguem fazer 2 braços exatamente iguais, Filipe. A ideia aqui é irmos retirando madeira até sentirmos que o braço está legal pra nossa pegada... A última vez que fiz isso, só consegui sentir realmente a pegada depois do braço remontado e com as cordas. Parecia que estava ok, mas montado, vi que ainda precisa tirar mais um pouco - tive que fazer toda a sequência novamente.
      É um método de tentativa/erro/ajuste e bem pessoal. Não dá pra fazer com medidas exatas - ppte nós, que não somos luthiers :)

      Excluir
  47. Parabens Paulo!
    Blog imortal!!!
    Um post antigo mas atual...hehehe
    Um luthier aqui de bh me cobrou 150,00 gosto do trampo dele mas achei caro... me encorajou a lixar o meu :)
    So uma duvida o braco da minha tele e em U e muito gordo acostumei com o C..
    Entao,eu tenho que comecar pelos ombros e por ultimo se for necessario eu tiro no meio?
    Valeu abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!
      Se o braço é realmente em "U", pra ficar em "C" terias que tirar no centro e não nos ombros. Se for um "C" largo ou achatado, daí sim o correto seria retirar dos ombros.

      Excluir
  48. Vou fazer isso na minha epiphone Dot tambem, só tenho medo do braço ficar mais frágil. Já é tão comum quebras nesse braço que dá medo! O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geralmente não mexemos na junção do braço com o headstock, que é a área mais frágil. Mas sim, retirar madeira do braço muda sua resistência e também timbre. Acho um risco aceitável, já que braço gordo e desconfortável é pior...

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".