quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Alto Falantes Parte 2: experiências pessoais.

Oscar Isaka Jr.

(Cena do filme "De Volta Para o Futuro" - exagerado, eu? Rsrs)

          Rapaz, esse é um assunto que eu descobri recentemente durante meus experimentos com falantes e amps. Sem bater na mesma tecla do Paulo, o falante e o amp têm que ser um casal tanto quanto uma guitarra e seus captadores. Quem aqui nunca tocou numa guitarra que tinha um JB Seymour por exemplo soando estridente e aguda e o mesmo JB numa outra guitarra soou encorpado e bonito? Cito o JB pois é o mais popular modelo de captador e 90% dos guitarristas já tiveram um caso de amor e ódio com ele (eu inclusive) rs!!
Meu ponto é que quando tocamos no assunto de falante e amp é a mesmíssima coisa.
A primeira pergunta que vem à cabeça é sempre qual o falante certo pro meu amp  A resposta é meio clichê também, depende do som que vc procura mas existem alguns cuidados a serem tomados para que a busca não se torne infinita.

O primeiro ponto é avaliar qual a sonoridade que se deseja, sendo British ou American os pontos de referência mais fáceis. É comum associarmos como Drive (British) e Clean (American) tomando como referência os clássicos Marshall e Fender mas não é 100% o que acontece na prática, pois temos exemplos de sonoridades British Clean (VOX, etc) e American Drive (Mesa, Soldano) tão clássicas quanto nos dias de hoje. Saber qual a referência é sempre um primeiro passo buscando entender qual o seu som, aquele que agrada mais seus ouvidos.

         Se quero uma sonoridade Van Halen devo procurar um amp com características de Marshall e falantes na linha dos Celestion GreenBack. Se busco a sonoridade pesada do Metallica, os amps MESA e afins são o caminho. Se quero os cleans de Manhatan de Eric Johnson vou de Fender e assim por diante. Praticamente todo o resto dos amps modernos é baseado nos 4 clássicos mencionados pelo Paulo Fender, Marshall, VOX e Mesa.

Dito isso, vou postar alguns comentários sobre falantes que já tive experiência nos amps com os quais tivetestei. Vou tentar ser o mais abrangente possível a fim de sanar qualquer dúvida que possa surgir nesse assunto tão vasto e complexo, mas extremamente fascinante! Novamente, as opiniões abaixo são pessoais e obtidas a partir dos testes que fiz nos meus amps. Ok? -)



Eminence Legend 1258
Eminence Legend 1258 - Desenvolvido em conjunto com a Fender, foi o falante padrão nos amps da série HotRod (Hot Rod Deluxe, Hot Rod Deville, Blues Jr etc), muito populares pelo seu custobenefício. Segundo a própria Eminence ele foi feito para reproduzir a sonoridade dos falantes Vintage de Alnico num falante moderno e de menor custo de produção. Sua sonoridade tem médios e graves mais amenos com bons detalhes de agudos mas que em alguns amps podem soar meio estridentes.

Fender Hot Rod Deluxe

No HotRod Deluxe e no Deville soam muito bem com aquele som Fender clássico, pois esse amps têm graves fortes e agudos mais redondos. Já no Blues Jr (o pretinho normal) tende a soar mais agudo. Nunca gostei do Legend 1258 em outros amps que testei - parece ter sido feito pra linha Hot Rod mesmo.
Custo médio: R$250,00- R$300,00





Eminence Legend GB128
Eminence Legend GB128 - Outro da série custo/benefício, foi desenvolvido para ser uma versão do Greenback com mais potência. Os Celestion Greenbacks originais têm cerca de 30W cada um e por isso precisavam ser usados em 4x12 para dar os 120W dos cabeçotes Marshall da época.
      Celestion Greenback:

O GB128 entrega aquele médio woody do GreenBack com uma boa dose extra de graves o que o torna um ótimo falante pra combos e gabinetes 1x12 ou 2x12. Os médios são bem mais presentes que no 1258 e os graves mais secos o que faz o GB128 cortar muito bem num mix de banda, além de ter um custo benefício incrível pelo que entrega. Não é a toa que alguns fabricantes nacionais de amps os oferecem como padrão. Soam bem com quase qualquer amp para sonoridades mais clássicas, seja no clean ou com drive. Na minha opinião só não rola muito com estilos mais agressivos pois soa redondinho demais. Fora isso é pau pra toda obra além de ser talvez o melhor custo benefício hoje no Brasil.   Custo médio: R$250,00- R$300,00





Celestion Vintage 30 (G12V30) 
Celestion Vintage 30 (G12V30) - Unanimidade entre os fãs de Rock e Metal o V30 nasceu no auge dos anos 80 e junto com o JCM800 praticamente estabeleceu o timbre RockMetal moderno. Com uma linha de médios proeminentes e cheios ele soa gordo com praticamente qualquer drive sem perder a definição. Desde o Rock Clássico até o metal mais pesado o V30 é tiro certo quando se trata de som saturado. Soou maravilhoso com o clone do Marshall Silver Jubilee (original na foto abaixo) que eu tive
Minha única crítica está nos graves que podem soar soltos demais comprometendo aquele estalo nos bordões nos sons semi-clean e clean e por isso não gsotei dele no Blues Jr, onde os graves perderam a definição completamente soando bem somente quando bastante saturado. Por essa razão normalmente usa-se o V30 combinado com um outro falante que tenha graves mais firmes para complementar como o G12H30 . No meu Mark V combo, o V30 soou muito bem em 90% das settings, mas em alguns sons ele apresentou uma leve sobra de agudos, Como disse, depende muito do amp !Custo médio: R$600,00- R$700,00






Celestion Heritage 30 (G12H30)

Celestion Heritage 30 (G12H30) - Tem graves bem mais amplos e firmes que o V30 assim como uma extensão maior de agudos e BEM menos médios. Não é a toa que complementa perfeitamente o V30 e vice versa. Se o V30 soa meio anasalado e gripado demais pra vc, o G12H30 pode ser exatamente o que vc precisa. Pra mim o ponto alto do G12H30 é a definição, ele parece ter algo nos médio agudos que deixam a palhetada extremamente evidente e de certo modo até agressiva. Se vc acha seu amp meio abafado quando toca com o Humbucker do braço da sua LesPaul, talvez o Heritage possa dar uma ajuda pra abrir o som. -)


Nunca toquei com o Heritage sozinho, mas no post que tem o vídeo do teste da minha R9 o Orange Rockerverb 50 está plugado num Heritage junto com um Celestion Alnico Blue. O Alnico Blue encheu os médios e deixou tudo perfeito pro Rockerverb!! QUE SOM!
Custo médio: R$600,00- R$700,00

A combinação de alto falantes com sonoridades diferentes numa mesma caixa é outra variável do complexo universo da timbragem. Em gravações, não é incomum o engenheiro colocar um microfone para cada falante e gravar dois canais, que podem ser somados ou colocados em estéreo na mixagem:







Celestion Alnico Blue
Celestion Alnico Blue -  Um dos mais clássicos falantes da Celestion, os Blue são sinônimo da sonoridade VOX pois equipavam os AC15 e AC30.
Falantes de Alnico tem resposta um pouco diferente dos Ceramicos atuais com um som mais macio no espectro geral. Os graves são mais soltos (mas não embolados) os médios e agudos amplos e macios sem soar estridente quase nunca.
É o chime do Vox AC30 que todos falam e é muito difícil de se conseguir num falante cerâmico, ser agudo sem ser estridente. Soa muito bem saturado e com meu Fender 57 Amp soa muito muito bem. No Rockerverb tbem soou divino combinado com o G12H30 mas sons Cleans não são seu forte. Ele distorce cedo.
Custo médio: R$900,00- R$1200,00










Eminence RedCoat The Wizard

Eminence RedCoat The Wizard - Parte da linha Britânica da Eminence, o Wizard foi concebido com base no G12H30, ou seja, graves e agudos amplos, excelente definição sonora e tudo aquilo que eu já citei acima. A diferença pra mim é que o Wizard tem um pouco mais de médios que o G12H30 e por isso soa um Q mais agressivo. Usei um tempo ele sozinho na minha 1x12 e tinha uma relaçào de amor e ódio com ele de acordo com o somampo que usava. Por exemplo, com o Marshall Silver Jubilee clone que eu tive soava horroroso sozinho tanto no clean como no drive, um som aberto demais, agressivo nos agudos, embolado nos grades e sem médios. Contudo soou perfeito no HotRod Deluxe Edição limitada que toquei numa loja nos EUA durante a Saga das R9 do Paulo. Talvez tenha sido o melhor falante pra esse amp que eu já ouvi. Deu muita versatilidade e um calor a mais nos médios do Hot Rod Deluxe.
Custo médio: R$350,00- R$450,00






Eminence Red Coat The Governor

Eminence Red Coat The Governor - Novamente a versão da linha britânica da Eminence para os famosos Celestion V30  e realmente soa com uns 80% de similaridade, com a diferença de ter mais médio graves e menos agudos. Isso faz com que ele soe ainda mais cheio e redondo que o V30, especialmente em amps onde a tal ponta de agudos que mencionei é percebida.

No Mesa Boogie Mark V Combo ficou espetacular em todos os settings, pro meu gosto. Ficou menos agressivo e deixou o timbre todo mais redondinho e bonito sem perder a característica do Mesa. No entando se o amp já for meio macio na sua natureza o Governor pode abafar um pouco as coisas. Novamente funciona muito bem combinado com os agudos mais extensos do Wizard.
Custo médio: R$350,00- R$450,00






Eminence Patriot Texas Heat
Eminence Patriot Texas Heat - Uma proposta interessante da Eminence de fazer um falante com sonoridade American mas com médios mais proeminentes para esquentar um pouco o som dos amps Fender. Deu certo.
O Texas Heat é exatamente isso, graves robustos com aquela profundidade Fender e agudos mais redondinhos (características extremamente American) com uma pitada de médios que deixa o som LEVEMENTE mais gordo nos drives. No Blues Junior ficou simplesmente absurdo praquela sonoridade semi-clean que é o forte dele, deixando os graves mais definidos e os médios com um toque de agressividade e definição.


No Fender Deluxe Reverb também soou muito bem. Não é a toa que os caras da Tone Quest Report declararam que o Texas Heat melhorou quase todos os amps em que eles o testaram. Só pra constar a versatilidade do mesmo, Dimebag Darrel usava 4 Texas Heat nos seus gabinetes 4x12 (os amps eram geralmente Randall) com o Pantera... Preciso dizer mais? Rsrs!
Custo médio: R$350,00- R$450,00


OUTROS CELESTION:

Celestion Seventy 80 -  Equipa muitas caixas de diversos fabricantes modernos por sua maior extensão de frequencias. O Seventy 80 é pra mim o sinônimo do CRUNCH britânico, com graves contidos para não embolar e uma linha de médio-agudos mais agressiva. Pra hard Rock anos 80 e timbres mais "High-gain não tem erro, mas pode soar um pouco agressivo demais em drives mais leves e com pouco "headroom" nos timbres limpos. Se empurrado com um pouco mais de força dirtorce fácil. É uma boa opçào custo-benefício para quem quer um amp com linhagem britânica mais simples.
Celestion G12T-75 - Desenvolvido para devastar o mundo HIGH GAIN, segura bem o alto ganho e mantem a definição sem soar estridente e abelhudo demais. Cleans definitivamente não são seu forte, mas com agudos um pouco mais redondos ele se comporta melhor que o Seventy 80 em drives mais amenos.  Equipam as atuais caixas inglesas 4x12 da Marshall e são os atuais favoritos de um tal guitarrista neo-classico de origem Sueca. Alguem arrisca um nome ? ;-)



Jensen

Jensen C12K - Parte da linha chamada de "Vintage Ceramic" , vem de fábrica no Fender Deluxe Reverb Reissue que eu tenho. Nunca o testei em nenhum outro amp, mas no meu DRRI é tudo o que se pode querer de um bom timbre classico de Fender, graves e agudos com ampla extensão sem soar moles ou estridentes demais, com uma pitada de médios que da um bom corpo no som. Gostei muito desse falante e confesso que quando comprei o DRRI já estava pensando em colocar um Texas Heat, mas o C12K me fez mudar de ideia. Excelente escolha pra deixar amps Fender um pouco mais versáteis do clean ao Rock. Só não se comporta tão bem com sons muito modernos, pois a extensão ampla de graves e agudos faz com drives mais fortes embolem nos graves e fiquem meio abelhudos nos agudos. É com certeza um falante pra quem quer sons mais Vintage!


Jensen C12N - Mais um da linha Vintage Ceramic, o C12N vem no Blues Jr Tweed e faz milagres nesse amp. O timbre no geral é grande e bonito com graves bem presents e uma extensa linha de agudos, o famoso CHIME de todo Fender. No Blues Jr ele tira a estridência que o Legend 1258 original pode causar e preenche um pouco melhor os médios fazendo ele soar muito bonito especialmente numa situaçào QUASE crunch.
Pootzz, plugue uma Strato direto no blues Jr e seja muito feliz!! No entanto, o mesmo comentário do C12K se extende ao C12N, ele não gosta muito de sons muito modernos.
Com os agudos ainda mais extensos, é facinho que ele fique meio "fuzzii" demais, mas na minha opinião é um dos melhores falantes pra timbres clássicos num Blues Junior. :-D


__________________@@@@__________________


Vale lembrar que 99% dos falantes de guitarra devem ser amaciados para que falem seu 100%. O "break-in" período normalmente varia entre 30-40 horas de uso e serve para que o "doping" (aquela cola que encontramos nas bordas do cone) e o "spider" (que liga o centro ao imã) se soltem e passem a trabalhar de maneira mais livre. Dependendo do Amp e Falante o processo de break-in pode resultar em drásticas diferenças de timbre, sendo que os falantes novos tendem a soar com uma ponta de agudos e sem a profundidade de um falante já amaciado. Quanto maior a potência mais tempo para amaciar em geral. Os Eminence de maneira geral tendem a vir mais "duros" de fábrica e abrem mais com o uso que os Celestion, que mudam menos. Alguns fabricantes de amps já fazem um pré amaciamento na fábrica para que o amp já chegue soando bem e existem inúmeras técnicas usadas para amaciar os bichos, mas a melhor ainda é tocar e tocar :-)!

Como podem ver, as experimentações são muitas e as combinações ainda maiores. O melhor jeito de saber o que gosta é testando com seu amp, sua guitarra e sua pegada para chegar no seu som. É um longo porém divertido caminho!! :-)

       

QUEST FOR TONE!!!

Abraço!



PS: (Paulo May): 
Volto a dizer que  a utilização do Amplitube é ideal para fazermos exercícios de timbragens, pois com ele podemos combinar diversos amps conhecidos com alto falantes clássicos. Como soaria um Fender Pro Junior numa caixa/gabinete Vox com dois falantes de 12 polegadas Celestion Alnico Blue? O Amplitube resolve parte do mistério ANTES de arriscarmos o investimento num novo alto-falante :)

Em se tratando de alto falantes, eu não tenho tanta experiência quanto o Oscar, mas acho que já toquei em dezenas, talvez centenas de combinações ao longo das últimas 3 décadas :). O mestre Bruce Egnater uma vez relatou numa entrevista que eles testam praticamente todos os alto falantes (relevantes) do mercado durante a criação de seus amplificadores pra ter a melhor combinação possível. Eu sigo essa regra - que, é importante lembrar, só é aplicável em amps mais caros, onde não há preocupação com a redução de custos e raramente sinto o impulso de experimentar outro alto falante em alguns amps. A prova disso foi a situação que descrevi com o Tiny Terror. Entretanto, o meu Fender Blues Júnior soou mais agradável com o Eminence Private Jack do que o Eminence genérico que vem nele... Já o Mesa Boogie soa geralmente bem (um pouco duro nos cleans pq é de 10 polegadas) com seu próprio falante mas adquire uma outra personalidade com o Celestion - fica na manga...
Tenho uma caixa com um Jensen da década de 60 de alnico só pra utilizar com amps "Class A" de baixa potência quando desejo um som blues absolutamente vintage. O Private Jack também está disponível em outra caixa. Some o Celestion H30 e eu acho que tô razoavelmente bem servido no que vai de blues a hard rock,




41 comentários:

  1. Grande Paulo,

    Mais um excelente post!
    Queria deixar minha experiência aqui registrada em relação à Gabinete e Falantes. Consegui comprar por um excelente preço um cabeçote Blackstar HT-20. Creio que para todos nós brasileiros, o fator CUSTO é extremamente importante na compra dos equipamentos. Com a necessidade de um gabinete, decidi focar totalmente em custo benefício.

    Assim, pesquisei muito e comprei um Eminence GB128. Excelente falante, estou totalmente satisfeito. Também decidi que iria fazer o Gabinete. Ai foi a grande cagada. Eu tive um trabalho imenso, interminável. O gabinete ficou muito bom, no entanto, o trabalho que meu deu, não valeu a pena. Compensava mais eu comprar de um fabricante brasileiro como a Teksound ou a JCS. Importado, nem pensar.

    Obrigado e forte abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Renato! Eu nem entrei no mérito Gabinete, que também faz uma diferença danada na equação toda, mas concordo com vc nos dois pontos. O Gb128 é um custo benefício excelente e SIM fazer um gabinete é um TRAMPO DESGRAÇADO! Mandei o meu fazer e me saiu R$500,00 que foram MUITO bem pagos pela trabalheira que da!

      Excluir
  2. Junior, parabéns pelo post. Fantástico as equivalências. Você teria algum comentário referente só Celestino Seventy80? Tenho uma 4x12 equipada com eles. Mas acho-os meio secos, falta algo. Talvez os médios estejam aquém. Saberia se eu conjudasse com dois falantes estilo Vintage 30, poderia melhorar essa característica? Ou você sugeriria outra combinação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci dele Rafael, já adicionei no post! :-) Se vc acha que falta médios, os Vintage 30 tem de sobra com certeza e seriam uma ótima opção. Considere o Eminence Governor tbem, soa menos agressivo que o Vintage 30!

      Excluir
  3. Muito show, né? É de o cara ficar doido, com tanta opção/combinação. No vídeo do outro post, com o Rivera, me apaixonei pelo Vintage 30 e um pouco menos pelo Heritage 30. Aqui conheci o Eminence Legend GB128, mas tem também o Wizard e o Governor... e aí?!?!?!? Só com muita meditação, mantras e maracugina p/ manter a calma!!! hehehehe...

    Mais um post p/ lá de bom. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem fale Rommel. Se vc gosta de experimentar é um mundo sem volta!! :-)

      Excluir
  4. Parabéns Oscar pelo post , eu tenho um blues jr e o eminence 1258, gostaria de fazer uma observação em usar o eminence 1258 neste amplificador,que ele é compatível com o blues Jr, claro se comparar com o original tem uma pequena diferença, que da para corrigir de boa no amplificado(acrescentar mais graves e tirar um poco de agudo,etc) e fica tão bom quanto o original e no final não fica sobrando e nem faltando, segundo o o site Billm Audio ( este cara ,quando se fala em blues Jr,é uma fonte preciosa de informação para que quiser modifica-lo ou corrigir cagadas da fender," ruído no reverb" ) , no tópico "The Right Speaker for your Blues Junior" ele diz que o falante original é mais ou menos equivalente ao eminence 125/1258, ou seja , o modelo de série mais próximo ao A.F da fender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza é compatível Fernando, só fiz a ressalva que pode soar um pouco agudo, mas com certeza está longe de soar ruim ou ser incompatível! Sempre gostei do Blues Jr , antes mesmo de conhecer e ter a versão tweed com o Jensen! :)

      Excluir
    2. Com certeza é compatível Fernando, só fiz a ressalva que pode soar um pouco agudo, mas com certeza está longe de soar ruim ou ser incompatível! Sempre gostei do Blues Jr , antes mesmo de conhecer e ter a versão tweed com o Jensen! :)

      Excluir
  5. Mais um post-referência! Valeu por nos dar um mapa tão legal desses falantes, Jr! E ao Paulo, fantástica a dica de usar o Amplitube pra testar combinações!

    Grande abraço pra vcs, e um 2014 de ótimos sons, muitas experimentações e grandes posts por aqui!!!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom esse post..........Qdo escolhi o falante do meu amp procurei no mercado e havia bastante oferta de eminence legend (mais em conta), mas eles estão bem escassos agora. Lembro que fiquei na dúvida entre o GB128 e o 1258. Escutei os samples do site da eminence, achei o GB128 bem equilibrado e definido e o 1258 com excesso de médios, acabei escolhendo o GB128. Quando liguei no meu amplificador valvulado senti falta de agudos mais extendidos, e após pesquisar sobre o assunto, fiz uma modificação (não me achem loko), empurrando e invertendo o "dust cap" do falante. Acho que melhorou e mantenho assim até hoje, para reverter a peça pode-se usar um aspirador de pó e puxar o dust cap para fora sem problemas, ele retorna a posição original.

    Fico muito na vontade de testar o 1258 e os falantes da Jensen Vintage Ceramic no meu amp, vlw por matar um pouco minha curiosidade com esse post.

    Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ninguem é louco quando se trata de timbre e mods no equipamento :-)! Tudo é válico quando a gte procura o nosso som! rsrs!! Há mods em que vc pinta (sim com tinta mesmo) o cone do falante afim de aumentar a Resistencia dele e diminuir agudos.. rsrs!! Obrigado pelos comentários !:-) Abraço

      Excluir
  7. Comentando meio atrasado aqui, eu li algo a respeito de falantes Eminence que vem com um ajuste na bobina para o próprio falante servir como um atenuador. Esses falanes vem com uma voice british (Eminence Reignmaker) ou american (Eminence Maverick). Gostaria de saber se algum de vocês já testou/ouviu falar a respeito.

    Link para uma demo: http://www.eminence.com/2011/05/guitar-worlds-reviews-the-reignmaker/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço desde que foram lançados, Jou. Eu andava procurando o melhor forma de atenuar os meus amps. O problema aí é que nem sempre eles vão soar bem em alguns amps, independente da atenuação. E tu ficas preso num só falante e numa só caixa. Depois de pesquisar muito, comprei o "Ultimate Attenuator". Excelente e flexível. Acredito que esse seja, atualmente, o melhor atenuador: http://www.youtube.com/watch?v=kJmUMshxE2o

      Excluir
    2. Obrigado pelo retorno Jack. Pela tua experiência, achas que esse falante eminence reigmaker que citei combinaria com uma Mesa Express 5:25 como o teu, porem em versão head?

      Excluir
    3. Jou, o Mesa 5:25 tem uma capacidade de timbragem absurda, além de dois modos independentes (A e A/B). Se tem um amp que não reclama de falante, esse é um deles,.. Dificilmente o ReignMaker não soaria bem nele, mas só colocando pra ter certeza :).

      Excluir
    4. Novamente, obrigado pelo retorno. Estou namorando um Express+ a algum tempo, mas em versão head eles são difíceis de serem encontrados no e-bay, e com a alta do dólar ficou bem menos viável. :(

      Excluir
  8. Amigos Paulo/Oscar, bom dia!
    Tenho um amp Peavey Classic 30, com o falante stock dele.
    Como toco numa banda cover de Pink Floyd, gostaria de trocar o falante do meu amp por algum que tenha características e sonoridade próximas às do falante Fane Crescendo, utilizado nas caixas WEM do Gilmour. Saberia informar qual falante teria essas características? Ouvi dizer que o Weber FC12 seria clone do Fane, procede?
    Obrigado e, por favor, continuem sempre prestando esse valioso serviço à comunidade guitarrística, sempre com informações de qualidade e profundidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Antonio!
      Não conheço os Weber (apesar de já ter lido muito sobre eles), mas um falante que já tive e já toquei que todos concordam que tem esse som mais característico do Fane é o Eminence TonkerLite. É um falante da linha RedCoat com imã de Neodymium que deixa ele super leve e é ótimo para combos como o seu por exemplo. Quando comprei ele na época, li muito a muita gte falava dele ter a característica dos Fane, o que pude comprovar depois quando testei um Hiwatt com eles pela primeira vez e aquele médio-agudo característico veio. Se é esse som que vc procura ele é um bom falante! :-)

      Excluir
    2. Grande Oscar, obrigado pela resposta!
      Sabe onde encontro esses Tonkerlite aqui no Brasil? Procurei na internet mas não achei em loja nenhuma.... Ele costuma estar em que faixa de preço?
      Obrigadão!

      Excluir
    3. Eu comprei o meu na época Danamp Antonio, e foi algo em torno de R$550,00 se não me engano. Faz tempo mesmo que não vejo mais o TonkerLite por ai.

      Excluir
    4. Esse Tonkerlite tem aqui ( http://www.bruschiamps.com.br/Vendas/Lista/lista.html ), mais é bem salgado o preço ...

      Excluir
  9. boa noite, Oscar. gostaria de uma orientação: pretendo substituir os falantes do meu vc-30 2x12. gostaria uma praia mais vintage. o som que eu procuro é limpo, mas com um bom overdrive com médios. gosto muito do som dos ac-30 Vox. então, seria os famosos e caros alnico blue? há algum custo/benefício que tu me indique? (até 600 reais cada um). desde já, muito obrigado!! sou um grande fã desde blog. abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, se vc quer a sonoridade VINTAGE CLÁSSICA dos VOX Vintage então sim, os alnico Blue são o seu único caminho. Eles tem um ataque e compressão únicos que reproduzem AQUELE som específico!! Uma BOA alternativa são os GB-128 pelo excelente custo e sonoridade. Eles tem os médios do Greenback que também foi muito usado pela VOX no AC15 principalmente, com um pouco mais de potência e mais graves. Seria uma boa opção sem dúvida! Eu mesmo uso um desses na minha 1x12!

      Excluir
    2. grande, Oscar. obrigado pela informação!! vida longa a este blog de guitarra e afins, o melhor do Brasil!! abração!!!

      Excluir
  10. Eu acho que já li este artigo (1 e 2) umas duas vezes ou mais. Realmente foi de extrema ajuda, tirou-me e clarificou muitas dúvidas. Os vídeos ajuadaram muito também. Atenção redobrada agora. Abraços e obrigado !

    ResponderExcluir
  11. Recentemente comprei dois falantes Eminence GB128, achei ótimos falantes, e olha que ainda não estão amaciados.
    Outro fator referente a auto falantes, é se eles estão ligados em série ou em paralelo, isso muda pelo menos um pouco o som.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São ótimos mesmo Danilo!! Extremamente responsivos ao AMP e são um misto legal dos médios clássicos britânicos com os graves profundos Americanos. Talvez um dos mais versáteis falantes que temos hj por ai.. E barato ainda por cima!
      Todos dizem que a ligaçào série e paralelo da um pouco de diferença, mas eu pessoalmente nunca experimentei pra afirmar com certeza!! Sempre ligo em paralelo!

      Excluir
    2. Para mim é o melhor custo benefício que se pode encontrar aqui no Brasil, repito, para mim, gosto é gosto rsrs
      Liguei eles em série, mas quero mudar para paralelo para experimentar. Tenho que me informar mais sobre essas ligações, tenho receio quanto ao casamento de impedância do amp X falante.

      Excluir
    3. Mais uma coisa, parabéns pelo blog, muita coisa interessante. Conheci a pouco tempo, parabéns mesmo!

      Excluir
  12. Pessoal, tenho um amp do acedoaudio, o 290 com uma caixa 2x12 e gostaria de fazer um upgrade nos falantes de fabricação própria que vem na caixa. Como o amp tem 3 canais, o primeiro bem limpo com sonoridade fender, o segundo com pouco ganho puxando um plexi e o terceiro canal com mais ganho indo pra um jcm 800. o power é uma kt88, gostaria de misturar falantes para ter sons vintage tanto no canal clean quanto nos drives. Será que um eminence gb128 com um 1258 ficaria legal? Ou um celestion g12h com um jensen c12? Ou um ceramico com um de alnico? Lembrando que a caixa tem o tamanho de uma Marshall 1936 e é closed back. O que vcs me sugerem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan, é preciso cuidado ao combinar falantes, pois é um pouco mais complicado do que simplesmente combinar sonoridades. É preciso que a potencia e rendimento sejam próximos para que um falante não "domine" o outro e etc. Sem entrar em detalhes técnicos, existem combinações consagradas como o V30+G12H que funcionam para cleans e drive com os médios do V30 e a amplitude do G12H e cobre bem dos cleans ao Heavy Drive mesmo sendo ambos falantes britânicos. Uma boa combinação custo benefício poderia sim ser o G128 com o 1258. São falantes similares em potencia e rendimento, sendo que o GB128 tem médios mais britânicos enquanto o 1258 é mais American e vc quer sons vintage, então seria um bom caminho.

      Excluir
    2. É importante pegar essas dicas porque não vou ter a oportunidade de testar antes de comprar, valeu pela força. Sem contar que a dupla de Eminence tem um custo/benefício incrível. Abraços

      Excluir
    3. Esse é o problema com Falantes, vc nunca tem certeza como eles vão soar no seu amp/cabinet! Rs acho que essa combinação é uma boa tentativa se seu foco é vintage! :) boa sorte! Abrax

      Excluir
    4. Realmente tem que ser na base de testes... Inclusive fica a dica de um post falando sobre combinação de falantes, pra dar bastante trabalho pra vocês hehe Cara, na saga em busca dos falantes me deparei com outros modelos de 12, e de 10 para uma nova caixa, 12pol: Eminence Patriot Cannabis Rex e Screaming Eagle, 10pol: Eminence The Coperhead e Ramrod. Essas linhas Patriot e Red Coat tem muitos falantes, o cara até se perde. Você conhece esses falantes, sabe dizer com qual falantes eles se comparam? Cara, outra dúvida a linha Legend e as linhas Patriot e Red Coat tem o mesmo padrão de qualidade ou uma é mais superior que outra? Valeu!!!

      Excluir
    5. Acho que todos os eminence tem o mesmo padrão de qualidade Ivan... Quanto aos de 10" não temho nenhuma experiencia com eles pois nunca usei amp com falantes de 10"!

      Excluir
  13. Caros Oscar/Paulo, boa tarde!

    Muito interessante esta abordagem comparando as relações "Falante x Falante" e "Falante x Amplificador"... apesar de restarem várias lacunas (afinal, são várias as marcas e modelos de falantes existentes no mercado), e ainda rolar o lance da subjetividade causada pela percepção pessoal de cada um, este texto já facilita no direcionamento durante a possibilidade de troca de falantes de um combo/caixa.

    Estou com dúvidas acerca de um possível upgrade para meu amplificador... peguei recentemente um combo single channel da Laney - TI15, modelo signature do Tony Iommi - , que apresenta um voicing bem british e praticamente não tem clean (forte dele é o crunch e/ou drive, com "semi-cleans" surgindo no uso do controle de volume da guitarra). No caso deste combo, o falante original é um Custom HH, falante aparentemente simples e de baixo custo, mas que tem um som até interessante neste amplificador (lembrando que provavelmente ainda não deu tempo de realizar o break-in dele).

    Entretanto, na descrição da caixa 4x12, teoricamente par do "modelo oficial" - TI100 (head), dizem que o falante que acabou sendo escolhido para este amplificador foi o Celestion G12H 75Hz. Acredito que um destes no combo tenha uma boa resposta também. E, neste caso, seria o Eminence Wizard uma escolha direta na troca de falante também?

    Abraço,
    Diogo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diogo, o Wizard é o "equivalente" do G12-30H da linha Heritage da celestion. Acredito que o equivalente do G12T-75 seja o "Man o War", mas não tenho 100% de certeza já que nunca toquei com ele. Mas procura no google algo como "G12T-75 eminence equivalent" que logo aparece. Essas tabelas de equivalencias são bem populares por ai! :-)

      Excluir
  14. Amigos Oscar/Paulo! O Blog esta de parabéns ! Certamente um dos mais didaticos e informativos para músicos de todos os tipos!
    Tenho uma duvida e gostaria de saber poderiam me ajudar!
    Qual seria o falante de 12" da Eminnence que ficaria legal para substituir o original que vem no Amplificador da Giannini G65? Tenho uma Tone Lab ST e estarei usando duas guitarras uma Tagima T635 e uma Tagima PR 200!
    Sei que a referencia fica muito vaga, mas pela experiência de vocês o que seria mais aconselhável? De antemão, agradeço a atenção e continuem nos ajudando virtualmente com os posts!!!

    Att Márcio Silva
    Paulista-PE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Márcio. O Oscar está viajando e sem tempo ultimamente. Independente disso, acho que ele não conhece as características desse transistorizado Giannini.
      Quanto a mim, não sei se vale a pena investir num falante importado de maior qualidade pra colocar num amp transistorizado feito na China - sem querer parecer arrogante.
      Recomendo que acesses esse link:
      http://www.eminence.com/support/tone-guide/
      Tu vais colocando as características que desejas e no final o programa indica um modelo adequado para o setup. Por garantia, favoreça as opções "moderate" e "medium" :)

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".