terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Telecaster de Freijó: Demo

Paulo May

         Tá cada vez mais difícil fazer vídeos de demonstração aqui em casa... Primeiro porque tenho a firme convicção que demos de equipamento podem ser uma faca de dois gumes - se forem mal feitas ou inadequadas, podem passar uma ideia completamente diferente do equipamento. Tenho horror às demos com áudio de câmeras.
Assim, tive que achar um tema interessante, que pudesse demonstrar as sonoridades clean e saturada de todos os captadores, acrescentar acordes, solos (e eu não sei e não gosto de solar), double stops, arpejos, etc...

Pra completar, o tripé que eu usava pra posicionar a câmera sumiu... Gravei o áudio e ia postar somente ele, mas na última hora chamei minhas filhas de 8 e 5 anos pra segurar a câmera e fiz um playback improvisado, só porque acho importante ouvir e "ver" a guitarra sendo usada.
O áudio tá legal e o vídeo, razoável, mas dá pra postar :)



          Essa é aquela Tele de Freijó (clique para saber a história) que eu quase joguei fora porque na primeira configuração soou muito mal. Depois de fazer um suposto "downgrade" ela soou muuuito bem, excelente na verdade. Essa guitarra vai ficar como prova de que não existem certezas na timbragem de uma guitarra e muitas vezes, o preto é branco e o branco é preto, só pra sacanear com a gente :)

O tema é um blues/rock improvisado, loop de bateria, baixo Fender Jazz Bass (com captadores Rosar) tocado. As simulações são todas do Amplitube - base saturada: Orange Tiny Terror, base clean: Vox AC30, Solo: Marshall Slash. Gravado e mixado no Sonar.

PS: embora tenha ficado (agora) com um timbre excelente, não recomendo o Freijó para setups clássicos, com singles de baixo ganho na ponte. Pontes não ferrosas pioram ainda mais... Na primeira configuração, que é perfeita com corpos de alder e ash, o Freijó soou meio sem vida, com médios graves embolados. Nessa configuração, que acentua os médios mais altos e tira um pouco dos graves, deu certo. Pura sorte... :)

Especificações da Guitarra
Corpo: Freijó, 3 peças, feito pelo Adriano, da RDC guitars, de BH (CLIQUUE)
Braço: Maple, "C". FR: D#
Escala: 251/2", Jacarandá, Raio: 12". Nut: sintético/plástico
Tarraxas: Grover Mini Rotomatics
Captador Ponte: Sérgio Rosar Twin Vintage (dual blade) (Clique para especificações)
Captador Braço: Samick antigo, rebobinado pelo Sérgio Rosar com fio 42: 5,9k
Pots e capacitor: pots 500k, capacitor MojoTone  foil/film  0.022uf
Ponte: chinesa genérica de zinco, com 3  saddles de zinco



39 comentários:

  1. Paulo,

    Som ótimo dessa Tele. Aberto, definido e o som do captador do braço rebobinado também achei ótimo, com bom twang.
    Santo downgrade esse hein rsrsrs

    Um 2014 com muita saúde, paz e sucesso a você, Oscar e todos os amigos do blog!

    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marçal, obrigado pela presença sempre inteligente e sensata em 2013! :)
      Que 2014 seja "Custom Shop"! :)

      Excluir
  2. Muito legal a demo, Paulo !
    Estava muito ansioso para ter uma ideia do timbre dessa tele depois da sua mudança. Gostei muito, parabéns.
    Só fico curioso para saber como seria o som de um single na ponte com um ganho mais elevado ~ 7,5k - 9k
    Em 2013 descobri esse blog e adquiri um conhecimento fabuloso sobre guitarras, espero que em 2014 isso continue ainda mais extenso !

    Obrigado Paulo e Oscar. Feliz 2014 para vocês

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Singles de baixo ganho e muito drive normalmente nao combinam Apparicio! :) feliz 2014 pra vc tbem! Abraço

      Excluir
    2. Obrigado Aparício, ótimo 2014 pra ti também! :)

      Excluir
  3. Carácoles, o timbre ficou fodástico.

    Que o ano de 2014 traga boas surpresas e ótimos posts.

    Abraços,
    Fabiano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fabiano! Igualmente a você! :)

      Excluir
    2. Que 2014 seja fodástico pra todos, Fabiano!
      Abraço!

      Excluir
  4. Mandou benzaço Paulo, muito legal a tele, esse lance dos caps de maior saída se aplica também ao marupá, na minha opinião. Um grande 2014 para vc e para Oscar, abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não testei esse captador na de Marupá, mas ela funcionou legal com o single clássico.
      Mad, assim como o Marçal, o Fabiano e muitos outros, tua presença aqui em 2013 foi essencial. Obrigado e um ótimo 2014 pra ti!
      Abraço!

      Excluir
  5. O vídeo tá de muito boa qualidade também. Nem parece um playback.

    O blog como sempre trazendo muito boas dicas.
    Um 2014 de mais sucesso ainda pra todos os autores/leitores/visitantes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Marzukitu!
      Sim, sucesso pra todos nós! :)

      Excluir
  6. Rafael Casagrande: fui apagar o resquício do post que tu apagaste e sem querer apaguei a mensagem... :(
    Obrigado pelos votos de 2014! :)

    "Muito bom Paulo. Um Feliz e abençoado 2014 para vc, o Oscar e suas familias. Que 2014 continue sendo de muito experimentos, novidades e loucuras por guitarras. Grande abraço. "

    ResponderExcluir
  7. Me lembra muito Joe Perry! Me corrija se eu estou falando besteira.

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tá não... :) Só percebi agora, depois que mencionaste. Ouço Aerosmith desde o disco "Rocks" e acho que devo ter absorvido alguma coisa do Joe Perry...
      Provavelmente o estilo meio"raw", com pouca técnica e muita vontade! KKK! :)

      Excluir
  8. Parabéns pela guitarra e pelo blog, Paulo. Por um tempo eu pensava ser doente, pois tb fuço nas minhas guitarras, assim como vc, e vivo sendo questionado pelos meus amigos pq faço isso. Mas após ver o seu blog me senti super normal. Digamos até que acolhido. Acabei de montar uma strato de Luthier. Comprei todas as peças separas e pedi para um luthier fazer o corpo e o braço. Era para ser uma Eric Clapton Pewter, mas acabou se tornando uma Brownie com cor de Pewter. Se me der a gentileza, gostaria de escrever um texto para o blog relatando como foi o passo a passo, preços, lojas e a experiência de motar minha própria guitarra. Mais uma vez, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos comentários, Luciano. Legal teres te identificado com o blog.
      Olha, embora a montagem/tunagem de guitarras seja um dos tópicos daqui, não é o foco principal. Eu e o Oscar resolvemos manter o blog fechado e evitar a todo custo que se torne algo tipo "fórum de discussão". Já convidei dois leitores para postar suas experiências aqui mas isso gerou uma série de problemas porque algumas pessoas acharam que tinham o direito de postar também. Alguém me enviou uma mensagem via fórum da GP querendo publicar um artigo que começava com o problema da importação de instrumentos e descambava para uma discussão sobre política e o PT. Sei que tuas intenções são nobres e só queres somar, mas blog, por natureza, é uma coisa pessoal, ok?
      O espaço dos comentários pode ser utilizado pra isso e muitos já o fizeram.
      Eu sugiro montares o teu próprio blog também, já que no blogspot.com é tudo fácil e automático. Teríamos o maior prazer em apontar o link.
      Abraço!

      Excluir
  9. A guitarra está soando absurdamente bem!
    Seu blog tem fomentado em mim o "vírus" de mexer e montar guitarras. É impressionante como se pode chegar a um resultado bacana, gastando bem menos do que comprando uma guitarra "gringa". Seu blog foi fundamental para abrir meus olhos nesse sentido.
    O tema tá muito bacana! Parabéns!
    Um excelente 2014!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos objetivos primordiais do blog é esse mesmo :)
      Obrigado, João Paulo!

      Excluir
  10. Parabéns pelo blog e feliz ano novo! Já acompanho o blog há algum tempo e acho que vou acabar pegando esse vírus de fuçador de guitarras também.

    Ou vou encomendar um corpo em algum desses sites dos EUA, ou então de algum luthier daqui como esse do link.

    Aí te faço uma pergunta: pelo que vi no outro post, vc pintou essa guitarra direto com o rolo com uma tinta comum. Teve seladora antes? Essa pintura já protege a madeira? Explico, quero montar uma guitarra, mas não vou focar muito na pintura. Quero atingir um resultado mais rústico parecido com as "faded" da Gibson, mas queria pintar de branco. Outro exemplo seria as SG J e LP J que inclusive possuem a cor branca disponível.

    Dá para misturar corante na seladora, ou pintar no rolo já atenderia. Ou então fazer como vc fez com a anilina preta (tem anilina branca?). Se bem que dependendo da madeira a ser utilizada podem não haver veios bonitos para se ressaltar. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, essas pergunta exige uma resposta muito ampla, mas todas essas questões de certa forma estão respondidas em outros posts (da Wally e da Tele de Marupá, por exemplo - faça uma pesquisa) e nas respostas das perguntas dos mesmos. Não sou expert em pintura, mas só recomendo rolo se tiveres bastante paciência pra lixar, pintar, lixar, etc.
      No youtube há uma infinidade de vídeos sobre pinturas caseiras de guitarra também.

      Excluir
    2. Paulo, é verdade, me desculpe. Quando li os post, acabei fazendo uma leitura dinâmica dos comentários. Está tudo lá!

      Na web tem bastante coisa sobre a pintura "tradicional": seladora > Primer > Tinta > Verniz. Esse acabamento worn white Gibson que eu cismei ainda está meio misterioso. Acho que vou tentar tingir a madeira e selá-la com poucas camadas de verniz, ou com cera, assim como vc fez com a tele preta pintada de anilina. Quando for fazer vou descolar um pedaço de madeira pra usar de "rascunho", e se não ficar bom, faço uma pintura "normal" mesmo. Obrigado.

      Excluir
    3. Boa ideia testar antes:)
      Eu não utilizo mais cera. Se pegar sol e esquentar muito, pode manchar a roupa, etc.

      Excluir
  11. Olá Paulo,

    parabéns pelo site, estou apendendo muito com vocês e amentando a cada dia minha paixão pela guitarra.

    excelente vídeo. fique com Deus e que 2014 seja de muitos bends para todos nós.

    Guilherme Bordonal

    ResponderExcluir
  12. Caras, acabei de descobrir o blog e estou muitíssimo impressionado. Parabéns e muito obrigado pelas informações preciosas :)

    André Carvalho
    Brasília-df

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente que agradece a presença e o apoio, André :)

      Excluir
  13. Boa noite e feliz ano novo._

    A pouco tempo tenho me interessado por guitarras, talvez antes não tenha despertado essa apreciação pois não havia pesquisado mais sobre as mesmas. Neste último mês a minha curiosidade e vislumbre sobre estes instrumentos tem aumentado e, para minha alegria encontrei este blog em que neste 1 mês que acompanho já pode tirar várias dúvidas e aprender um pouco mais sobre o mundo da guitarra.
    Pois bem, depois de ler, reler sobre os tipos de madeira, guitarras e, Custo-benefício das mesmas, ( li inclusive sobre as sx sst62/57) encontrei as guitarras da marca GBS PRO ( site: www.gbspro.com.br) o que me chamou a atenção foi duas guitarras, uma stratocaster corpo em ash braço Maple escala Maple, e outra telecaster também com as mesmas características, porém, obviamente mudando os captadores ( na verdade não entendo muito de captadores ainda) pois bem, além da característica das madeiras a empresa da 3 anos de garantia e manda o instrumento já regulado. Em contato com a diretora da empresa ela me informou as peças são 2 a 3 partes de ash e o preço também é bem acessível. Para entrega em Blumenau-SC onde moro a strato sai menos de R$ 400,00 e a tele menos de R$ 500,00.
    Bom pessoal, essa é uma dúvida que tenho e gostaria da ajuda de vocês que tem uma maior experiencia no assunto, peço desculpas se meu comentário/ dúvida é inapropriado para o que o blog geralmente costuma tratar, entenderei se o mesmo for excluído. Se possível favor postar no blog, e se alguém conhece ou ja comprou este produto possa fazer uma analise do mesmo.

    Agradeço a oportunidade, e também ao blog que tem auxiliado muitos leigos como eu. Grande abraço Boa noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristofer, não é ash americano. É outra espécie, semelhante mas sonoramente inferior e geralmente conhecida como "SEN", ou "Ash chinês". Eu já tive uma tele de sen e é uma bela porcaria, além do cheiro desagradável da madeira crua. O Oscar comprou uma strato GBS de sen/ash e também achou a sonoridade bem inferior. O maple delas também é uma variação chinesa/oriental. Fique de olho! :)
      Digite na pesquisa "Sen" - deve haver mais alguma coisa sobre isso aqui.

      Excluir
    2. Bom Dia Paulo,

      Obrigado pela informação e pelas dicas técnicas do seu blog.

      No meu caso que estou iniciando na guitarra um bom instrumento poderá ser uma SX SST 62 ?

      Parabéns pelo blog, abçs.

      Excluir
    3. Acho que não... Essa guitarras são muito irregulares e só ficam legais depois de bem tunadas, checagem de trastes, etc. Pra tuná-las vais acabar investindo quase o mesmo valor OU MAIS, cerca de 400-700 reais extras. Tente achar uma Vintage V6 usada - já vem pronta e no final custa menos que uma SX com upgrades..
      Se quiseres ficar abaixo dos 800 reais, procure por uma Cort (série "G") ou Ibanez - suas linhas baratas são relativamente bem feitas.

      Excluir
    4. Essa, por exemplo, é uma excelente guitarra, profissional e tá uma bagatela por 1.000 reais:
      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-523695216-guitarra-cort-g260-korea-_JM

      Excluir
  14. Bom Dia Paulo,

    Obrigado pela resposta...

    Depois de analisar alguns post's me interessei pela Vintage V6HMRSB Pelos comentários que ví no blog é uma bela guitarra. Como gosto de guitarras com Relic, ontem encontrei uma marca chamada HEAVENS ( http://www.heavens.com.br/ ) me chamou a atenção estes instrumentos.

    Você tem conhecimento desta marca? dos instrumentos dela? Se puder ajudar eu agradeço.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço nenhuma pessoalmente, mas já discutimos sobre elas no antigo fórum da GP:
      http://www.guitarplayer.com.br/forum/index.php?/topic/1353-heavens-guitars/page__p__24461__hl__heaven__fromsearch__1&#entry24461
      O Oscar já viu de perto e comentou lá.
      Pelas fotos, alguns relics me parecem legais mas outros nem tanto. Acho que é questão de entrar em contato com a luthieria e especificar o que queres. Não recomendo corpos de cedro para strato ou telecaster se desejas uma sonoridade bem clássica.

      Excluir
    2. Ok Paulo, obrigado pela informação.

      Excluir
  15. Paulo, Oscar, parabéns pelo ótimo blog. Belo timbre dessa guitarra, após acompanhar o blog passei a me interessar e gostar dos timbres das tele. Pois bem, aí vai a pergunta: No quesito tunagem, o que dizer das tele e strato Squier Fender? Consta nas informações das guitarras que pesquisei que na série Affinity as guitarras são com corpo de alder. Não sei se vocês já pesquisaram ou falaram a respeito dessa linha específica da Fender, achei muito interessante o design, idênticas a uma Fender legítima, muito bonitas por sinal, mas como diz a minha mãe "beleza nem sempre põe pão na mesa", o post sobre as Fender México deixa bem claro isso. Se vocês souberem algo, embora o Paulo diga sobre guitarras "Só sei que nada sei", nada melhor do que perguntar pra quem conhece o assunto. Grato pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!
      A série Affinity tem corpo mais fino e não há certeza absoluta que o alder seja americano. Além disso, o hardware deve ser todo trocado. Não sei se vale a pena...

      Excluir
    2. Muito obrigado pela resposta!! Irei procurar opções melhores e baratas.

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".