sexta-feira, 9 de maio de 2014

Inaldo e o Blog

Paulo May


Inaldo Souza, luthier.

         Pra começar, é provável que esse blog nem existisse não fosse esse cara de nome estranho. Já o mencionei várias vezes, invariavelmente dizendo que ele solucionou algum problema ou besteira que fiz.
Também já expliquei como mergulhei nessa cachaça de tunagem, montagem e timbragem de guitarras, mas preciso explicar novamente para colocar o Inaldo, que foi o catalisador de tudo. Vamos lá:
         Assim como a maioria de vocês, sempre fui apenas um guitarrista comum, daqueles que não perde muito tempo analisando ou tentando entender a guitarra enquanto instrumento. Sempre preferi Telecaster e, exceto por um breve e sofrido início com uma Telecaster Finch e uma SG Giannini, sempre tive boas: uma Tele Fender 1974 e outra de 1968.

Fender Telecaster Custom 1974 (com tremolo Bigsby)

Havia uma terceira guitarra por um tempo, a também excelente Carvin V220 (só agora sei que ela era toda de maple). Assim, protegido por boas guitarras, nunca tive que batalhar muito por um bom timbre, pois já o tinha de bandeja. O guitarrista base da minha banda era meu primo e ele havia adquirido, em 1985, uma Stratocaster 1983 americana (aqui começam as pegadinhas: era uma strato de 1983 - talvez o pior ano da Fender). A Tele 74 dava de dez naquela strato, por isso nunca me interessei por stratos. Até 2002, quando resolvi ter uma. Blackmore, Clapton, Mark Knopfler e SRV  não podiam estar errados...

Nesse momento, toda a minha ignorância voltou-se contra mim e, encurtando a história, fiz uma "stratocaster custom" com um luthier, paguei quase o mesmo que pagaria por uma americana e fiquei com uma porcaria nas mãos. A guitarra era linda, com hardware caro e importado, aparentemente idêntica a uma strato Fender, mas o som era uma porcaria. Durante um ano tentei por várias vezes tocá-la, mas sempre vinha aquele timbre morto, desequilibrado e sem ressonância.
Que merda! Fiquei de saco cheio e resolvi pesquisar... Descobri que a minha "Fender de Luthier" tinha corpo de cedro, braço de marfim, ponte Wilkinson VS50 e captadores Seymor Duncan SSL-6. Por incrível que pareça, ela tinha tudo que eu mais detesto em stratos!
Enquanto aprendia, minha cabeça ficava: "Cedro? Mas que porra é essa? Deveria ser alder ou ash..."

Bem, daí em diante tudo evoluiu até esse blog, que existe primariamente porque não quero que outras pessoas cometam os mesmos erros que eu. Tu podes até gostar e querer uma strato com corpo de cedro, mas precisas SABER o que é isso e como ele vai influenciar no teu timbre. Idem para o resto... Vinte anos tocando guitarra e eu nem sabia o que era e pra que servia o "TENSOR" do braço. Foda!

(Inaldo e a strato de ash. Obs: contato: celular: 84632630)

         No meio desse caminho encontrei o Inaldo, depois de um frustrante contato com outro luthier, que acredito, não tinha o menor interesse - ou saco - pra me explicar pelo menos se "dava pra trocar o braço" da minha strato porcaria. Aos poucos, o Inaldo foi explicando alguns detalhes de setup, madeiras, braços e um belo dia, quando levei uma guitarra pra trocar os captadores - pela terceira vez - ele disse: "Cara, estás gastando muito comigo... 80% do que eu faço aqui tu podes fazer em casa. Volte no sábado que eu te ensino a soldar e trocar o braço, pelo menos"

Por aí já dá pra perceber a índole de uma pessoa, não? :) Nos tornamos grandes amigos, (continuo gastando bastante com ele, mas tenho desconto de cliente vip, hehehe), hoje em dia discutimos as coisas mano a mano mas ainda aprendo uma barbaridade naquela oficina em Santo Amaro da Imperatriz, pertinho de Floripa e da serra catarinense. Essa é a vista da janela:


Quando pensei em um nome para esse blog - e nem sabia que seria tão acessado - cogitei:"Meu Luthier Toca Melhor Que Eu". Ele já foi metaleiro e sabe fritar muito bem :).

Preparei um "making of" da minha strato KNE postada há pouco tempo com algumas dicas do Inaldo - coisas que parecem simples mas só o são quando sabemos como fazê-las, tipo centralizar o braço de uma guitarra, por exemplo... Mas vou parar esse post aqui e fazer o próximo especificamente para isso.

Valeu, Inaldo. O blog te agradece! :)


______________________&&&&____________________________

PS: Pra quem é da região: a oficina do Inaldo é em Sto Amaro, mas ele e seu sócio Alex Arroyo (guitarrista e luthier) que ultimamente está nos brindando com suas habilidades nas demos de guitarra, têm uma outra, para pequenos trabalhos e setups, no centro - Felipe Schmidt, galeria Jaqueline, em frente a uma loja de instrumentos musicais: "Officina Luthieria".

12 comentários:

  1. Estou na minha fase de desapego, então estou evitando olhar para strato. Estava com 6 guitarras, já consegui vender 2, rumo a ficar com só 3 :)
    Com isso tento valorizar mais mais a belíssima paisagem. Incrível estilo de vida de vocês ai em Floripa. Rock n' Roll, natureza e mulheres lindas.
    Forte abraço e parabéns por reconhecer o trabalho do Inaldo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase na mosca, Renato.
      O certo seria: "Rock n' Roll, natureza, mulheres lindas E guitarras maravilhosas" KKK!

      Excluir
  2. Pô, quem me dera ter um desses aqui perto de casa :) mas Rio de Janeiro tá tenso pra achar um luthier desse tipo :/ Quem sabe qualquer dia passeio por aí e levo minha guitarra pra ele dar uma geral :)

    ResponderExcluir
  3. É ótimo saber que exitem pessoas assim!! Na minha próxima aventura (Telecaster), com certeza vou procura-lo para fazer o serviço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, teus comentários ainda estão com um link para (provavelmente) um trojan/vírus. Aparece como um link para a UPS. Recebo todos os comentários via blogger.com e o Outlook sempre marca o teu como perigoso pelo conteúdo e me pergunta se quero bloquear o "blogger.com". Não posso porque é por meio dele que recebo os avisos de comentários do blog. Mas ao não bloquear, o outlook também supõe que tudo que vier com link para a UPS não é vírus... Daí eu fico numa sinuca.
      Não sei qual utilizas, mas tente usar um outro provedor ou administrador de e-mails...

      Excluir
  4. Paulo, agradeça ao Inaldo por TODOS NÓS!!! :-) E parabéns pelo reconhecimento a ele!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Sid!
      Sei que o post foi meio pessoal, mas ele merecia esse :)
      Abraço!

      Excluir
  5. Parabéns pelo excelente trabalho do Inaldo... por isso que ele trabalha em parceria com o Arroyo, que também é um cara cordial, gente boa, que faz um trabalho fora de série. Esses dias eu fui no Arroyo e pedi um nut de osso... tá na minha strato AVHR 62, muito bem feito e instalado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corretíssimo Cícero: já coloquei um adendo no final do post :)
      Abraço!

      Excluir
  6. Paulo, aproveitando o post sobre o Luthieria. Comprei uma Tele MIJ reedição de 72 com um heavy relic por um preço muito bom. Os trastes estão bastante baixos e há relic na escala também (o que não me agrada). Considero o trabalho de troca de trastes e retificação da escala (apenas escala) bastante delicado e gostaria de enviar para alguém de confiança. Conheces algum bom luthier na região de Campinas? Tenho visto mais técnicos de guitarra dos que profundos conhecedores de luthieria aqui na região. Fico com receio de enviar para alguém que detone meu braço ou queira envernizar o braço todo....

    Obrigado desde já

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Campinas em São José/SC ou Campinas em São Paulo?
      Se for em São José, estique até Santo Amaro e leve para o Inaldo. O Inaldo é muito bom em quase tudo, mas quando o assunto é traste, seu trabalho é soberbo. Os trastes que ele colocou na Les Paul Deluxe ficaram melhores que na Gibson Custom Shop.

      Se fores de Campinas, SP, não conheço, mas digite "luthier" na busca do blog - há um post com endereços de vários no Brasil - SP inclusive.

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".