sábado, 10 de julho de 2010

Fender American Standard 1997



         Maravilhosa!! Tudo que uma stratocaster deve ser. Comprei em 2007. O corpo original (Candy Apple Red) tinha a cavidade dos captadores tipo "universal" (famoso "piscinão") e isso realmente tirava um pouco de peso do timbre. A solução foi comprar um belo corpo da WD (autorizada Fender) de alder na loja virtual do Dodô Audrin (http://www.dodoaudrin.com.br/) , duas peças, two color sunburst. Ficou um sonho.

Os captadores originais eram bons, mas ela merecia melhores. Coloquei um set Fender Custom Shop 54. Na minha opinião (e do pessoal da revista "Tone Quest"), os melhores.
Porém, independente da qualidade, sempre tive uma certa bronca com o som do captador da ponte das stratos. Me ocorreu que o Seymour Duncan Alnico II Pro seria mais suave nos agudos e coloquei-o na ponte. Se já tava legal antes imagine depois da troca. Os bordões estão mais definidos e não existe mais aquela ponta de agudos sobrando.

Como em todas as minhas stratos, retiro o primeiro pot de tonalidade e coloco o pot de volume naquela posição. Isso porque me incomoda a posição original do botão de volume - a mão direita volta e meia acaba batendo inadvertidamente ali. E depois, 95% das vezes eu mantenho o volume e a tonalidade no 10... Já tentei retirar o "tone" do circuito mas a presença do potenciômetro e ppte do capacitor são essenciais para o equilíbrio dos agudos, mesmo no "10". 

Especificações
Corpo: Alder, 2 peças, 2-color sunburst
Braço: Maple
Escala: 251/2", Rosewood, Raio: 9,5"
Tarraxas: Fender originais.
Captador Ponte: Seymour Duncan Alnico II Pro
Captador Meio: Fender Custom Shop 54 - 5.9K 2.4H
Captador Braço: Fender Custom Shop 54 - 5.9K 2.4H
Pots e capacitor: originais, 250K, 0.047uf
Ponte: Standard "Modern", com dois pivôs

Embora a minha guitarra preferida seja a Telecaster 1968 e por vários anos mantive um certo desinteresse pelas stratos, eu não poderia mais viver sem o timbre clássico do captador do braço de uma stratocaster Fender. Cheguei à conclusão que todo guitarrista deveria ter uma Stratocaster, uma Telecaster e uma Les Paul... A "santíssima trindade" do timbre... :)


Aqui o vídeo dela, gravado durante o teste do captador Rosar Fullerton, que é muito semelhante ao Fender Custom Shop 54:






65 comentários:

  1. Paulo, eu tenho uma 'American Series' (como eles chamaram a serie standard, acho que mudou o nome de novo). O corpo e o braço tem carimbos de 2000, e o corpo é excavado para configuração H-S-S.
    Eu acho interessante que você tenha trocado o corpo por um WD, porque pessoalmente acho que na minha guitarra o acabamento de poliuretano preto é muito grosso. Me chama a atenção tb que o cabeamento por baixo do escudo é o classico ninho de rato. Mas tudo bem, a guitarra soa muito bem.
    Mas o meu comentário era para notar outra coisa: eu nao sei se começou nos anos 1999 ou 2000 mas o braço dessa guitarra é o mais confortável que toquei na vida. Tem o que eles chamam "rolled edges", e é só botar a mão na madeira que ela se sente em casa. Gostaria de saber se nesse modelo 1997 que tens o braço já era produzido assim.

    ResponderExcluir
  2. Paulo, por gentileza, me esclareça uma dúvida: é possível misturar um braço fender special com um corpo fender standard? Digo isso em relação à regulagem das oitavas. Pelo que vi, os necks com 22 trastes têm apenas um prolongamento da escala, sem afetar o comprimento da parte de baixo do braço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Pedro. Podes misturar sem problemas.

      Excluir
  3. Obrigado, Paulo! Acabei de comprar um todo em maple, estilo 70', exatamente o modelo que eu queria. Só que ele é special, e a guita é standard. Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Outra dúvida, Paulo: qual exatamente a diferença estrutural entre os single coils das diferentes posições (exceto os middles com polaridade invertida)? É possível detectar a posição de um cap somente pela impedância? O que ocorre se instalar um bridge na posição neck, e vice-versa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Basicamente a quantidade de fio enrolado - qto mais fio, geralmente maior a saída do captador. Como o da ponte está numa região de pouca amplitude de vibração das cordas (que gera menos força eletromagnética), ele normalmente tem saída mais alta/forte que os demais.
      Quanto mais fio, mais volume mas menos agudos. Um captador de ponte muito forte e/ou com fio mais fino (43AWG), pode soar muito abafado e/ou agressivo e/ou sem definição no braço.

      Excluir
  5. Então, se eu utilizar um multímetro, poderei saber qual a posição do captador pela impedância, certo? Vi que os seus middle e neck, da American Standard acima, têm 5.9k. Também vi outros, todos entre 5.5 e 6.8k, em média, nessas posições. Mas o bridge destoaria destes. Qual a resistência média deste último?
    Mais uma pergunta impertinente (estou prestes a comprar justamente o middle e o neck): Aqueles noiseless da fender (tipo os Eric Clapton signature) são uma boa pedida? Parece-me que precisam ser ligados a pots 500k, para melhor qualidade...

    ResponderExcluir
  6. Se a resistência estiver especificada pelo fabricante, sim, com pequenas variações. Os singles clássicos de strato têm entre 5,2 e 7k, estourando.

    Pessoalmente não gosto de nenhum single noiseless. Para um show ao vivo até enganam, mas ainda estão longe dos clássicos.

    ResponderExcluir
  7. Paulo, obrigado pelas informações valiosas. Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Olá Paulo, estou com um probleminha para resolver: o diagrama certo para a montagem dos captadores da strato. A partir, principalmente, do que aprendi nesse blog, e com absoluta confiança no sua preferência, escolhi o captador do braço, um Custom Shop '54. O middle é um Texas Special, polaridade invertida; o bridge, um DH-1 da Fender (humbucker). Você já me auxiliou antes, quanto aos pots, que serão os 250k originais mesmo. Entretanto, a dúvida cruel é quanto à soldagem dos fios na chave seletora. Preciso do diagrama mais acertado para essa composição de captadores, mas não tenho acesso à assistência de um luthier em minha cidade. Se você já montou uma dessas antes (e acho que já, pela quantidade de experiências relatadas :)), gostaria de umas dicas.
    Outra coisa: em alguns diagramas (S-S-S), o capacitor de 0,22 é dividido entre os pots de tone, soldado no terceiro conector de cada pot; em outros (S-S-H), ele é soldado no 3º conector do pot do meio, e no 2º conector do último pot. Qual a diferença que isso faz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, como não uso o 2º pot de tone da strato (e o de volume vai pra posição dele), tenho pouca experiência com 2 pots de tone. Na minha strato, a saída do tone vai direto para a entrada do pot de volume, é a fiação dos anos 50 (50's wiring). E, exceto na Fender American Standard, as chaves não são circulares.
      Mas como vais ter um uam strato HSS, te recomendo seguir o diagrama da fiação da American Standard e não da mexicana - é só seguir o esquema.

      Excluir
    2. Ok. Nesse esquema (highway), os fios preto e branco do humbucker ficam soldados juntos e isolados. O vermelho é terra e o verde vai pra chave (mas já vi guitarras que inverteram esses dois últimos, não sei com qual objetivo). Entretanto, o capacitor indicado no diagrama é de 1 uf, e não o .022k que é comumente usado. Isso daria uma diferença substancial? Posso optar, ainda, por um, digamos, .033 ou .047k?

      Excluir
    3. Pedro, quando o Humbucker tem 4 fios, tens que checar o "Código de Cores" de cada fabricante. Seymour e DiMarzio, por exemplo, são bem diferentes. O valor do capacitor é mais um "tempero" do timbre - não é determinante e podes mudá-lo depois, se necessário. Qto menor o valor, mais agudo o som do captador, em termos genéricos. Eu usaria à princípio um .022 ou .033 por causa do humbucker.

      Excluir
    4. Certo, Paulo. Tenho salvo no computador o código de cores dos principais fabricantes, pra evitar surpresas (leia-se: fumaça) na hora de plugar o captador novo :)
      Entretanto, a dúvida que tenho é por ter visto o mesmo captador Fender DH-1 (verde hot e vermelho ground) ligado de duas maneiras: numa guitarra, com o verde na chave e o vermelho no casco do pot; noutra, exatamente o contrário. Talvez estivessem tentando uma redução de ruído, por inversão de poliaridade, devido aos singles; sei lá.
      Quanto ao capacitor, vou usar, por ora, o original da composição anterior (.022). Mas vou comprar um PIO, com o mesmo valor, e tentar compreender a diferença de som para o polipropileno. Resta só escolher a marca (há uns made in URSS, outros made in USA e um bem carinho (Jensen) mande in Denmark, dentre outras centenas :) Você recomendaria um em especial?
      Abraço.

      Excluir
    5. Pode ser por causa da polaridade dos singles, mas sempre é mais fácil inverter os singles. Não sei mesmo... Mas tente achar as specs do próprio captador - ali vai dizer qual é o hot e o terra.
      Capacitor é foda... É questão de gosto... Strato vai bem com os Orange drop, mas uso os comuns de polipropileno (marrons) e não tenho queixas. Tele é que fica melhor com PIO. As diferenças são ínfimas - com o humbucker nem dá pra perceber...

      Excluir
    6. Olá Paulo, instalei um set de captadores novos. Entretanto, lendo seu post sobre tunagem de uma SX, verifiquei a questão do alinhamento das cordas com os polos, e fiquei meio preocupado. Todas as peças são originais Fender, mas é uma combinação danada: braço fender american; corpo e ponte mex, cap neck custom shop '54; middle texas special; bridge dh-1 humbucker. O cap do braço ficou com os polos das cordas E praticamente para fora das cordas; o 5º polo (A) também ficou bastante desalinhado. Achei muito estranho, pois esse captador, segundo a especificação, é tanto neck quanto middle. Por outro lado, não senti diferenças entre os volumes das cordas.
      O captador middle ficou um pouco melhor quanto ao alinhamento; o bridge está certinho. Considerando a grana que gastei montando esse quebra-cabeças, quero que fique, no mínimo, razoável. A pergunta é: esse desalinhamento pode ser problema? Teria solução (outra ponte, por exemplo)?

      Excluir
    7. Vou postar algumas imagens. Detalhe para os polos do captador do braço, bem como para o posicionamento das cordas no final do braço (o braço ficou perfeitamente encaixado no corpo, inclusive a disposição dos parafusos ficou milimétrica). Mesmo assim, tenho a impressão que a sexta corda ficou muito "para dentro" do braço.

      http://imageshack.us/a/img600/2138/dsc07048m.jpg

      http://imageshack.us/a/img715/7595/dsc07047fq.jpg

      http://imageshack.us/a/img29/5738/dsc07046rn.jpg

      Excluir
    8. Pedro, há dois desalinhamentos aí. Um de certa forma natural, que é provocado pelo espaçamento dos polos dos captadores. Hoje em dia quase todas as stratos têm a 1ª e 6ª cordas algo desalinhadas em relação ao captador do braço. Isso não altera muito a sonoridade e a angulação do captador compensa a primeira.

      O segundo desalinhamento é do braço em relação ao corpo. Não está bem centrado. Podes observar que há uma espaço maior entre a 6ª corda e a borda que na primeira corda.
      Às vezes dá pra ajustar só soltando levemente os parafusos de fixação do braço e forçando uma rotação na base em contato com o tróculo. Reaperte os parafusos mantendo essa rotação (talvez precises da ajuda de alguém ou um terceiro braço... :) ). Caso não haja espaço de manobra no tróculo, terás que readequar o tróculo com o braço - geralmente lixando o primeiro numa das laterais (no caso, a da 6ª corda).
      Não é um trabalho muito simples e quase sempre diminui a área de contato, mas pode ser necessário para o alinhamento correto.

      Excluir
    9. E olha que eu acreditava que nada disso seria necessário, caso utilizasse apenas peças originais :(
      Entretanto, esse desalinhamento não está gerando desconforto na pegada, somente estético mesmo. Também o volume das cordas está bem equalizado, parece não haver perda de sinal.
      Talvez seja melhor procurar um luthier caso necessário lixar o tróculo, pra evitar susto (já tinha desconfiado desse alinhamento do braço, e também já constatei que não há qualquer espaço para manobras, o braço preenche completamente o tróculo.
      Quem sabe, ainda, eu cause um infarto na minha esposa, comprando um outro corpo :-)
      Abração, e obrigado pelas sempre acertadas informações!

      Excluir
    10. Coloquei sua sugestão em prática (a mais simples, sem lixa) e, para minha surpresa, o alinhamento do braço ficou muito melhor:

      http://imageshack.us/a/img193/7130/dsc07049d.jpg

      http://imageshack.us/a/img341/9885/dsc07051m.jpg

      Tenho muito a aprender, sem dúvida... Valeu mesmo!!

      Excluir
    11. Que bom que funcionou, Pedro :) - Lixar seria um saco.

      Excluir
  9. Só pra complementar, há diferenças fundamentais entre os diagramas disponibilizados pela Fender:

    http://support.fender.com/service_diagrams/stratocaster/011-1700Aupg1_SISD.pdf

    http://support.fender.com/service_diagrams/stratocaster/013-4700_02C_SISD.pdf

    Cara, tô quase arrependido de ter escolhido uma configuração HSS, :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, as diferenças são mínimas e tanto um quanto o outro funcionam. Como falei, mantenha tudo como está (independente do esquema) e só troque o valor de pot de volume e acrescente os resistores e o terra deles...

      Excluir
  10. paulo preciso de uma ajuda sabe esses selos que tem dentro do corpo da guitarra na parte traseira onde vc tira a tampa traseira , tenho uma fender só que a minha tem a escala do braço escura e os selos são de cor azul e um verde igual vc poderia me dizer o que significa obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São selos de controle da fábrica, Ronaldo. Antigamente escreviam à lápis. É um modo de um departamento comunicar-se com outro.

      Excluir
  11. se caso precisar te mando fotos da guita ok

    ResponderExcluir
  12. entao Paulo, este logo desta guitarra voce que fez ou este é original que veio no braço?

    ResponderExcluir
  13. Paulo, comprei uma Fender American Standard, ela veio com captadores Surh ML Standard, eu gostaria de deixa-la original e estou pensando em mudar os captadores. A minha referência de timbre é o John Mayer, mas sei que não terei condições de comprar os mesmo captadores que ele usa. Qual kit você me indicaria?

    ResponderExcluir
  14. Tem gente que quer fazer exatamente o contrário, Cristiano :)
    Esses captadores Suhr são excelentes e não estão muito longe do timbre do Mayer. Pessoalmente, até prefiro o timbre deles. O sistema de eliminação de ruído está instalado também?
    Se positivo, o conjunto vale talvez até mais do que um set do Mayer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa cara que legal, obter essa resposta você não imagina como me tranquilizou. Vou deixar a Fender quietinha rsrs. (Não tenho o sistema de eliminação do Surh)
      Agora quero sua ajuda para escolher um kit Fender para minha Giannini 1978 AEO08, está toda original, mas acho que os captadores ruidosos dela são cerâmicos (tem aquela barra embaixo) e eu to com uma grana aqui separada para comprar um Kit de captadores para ela, a uma semana venho pesquisando sobre os kits da Fender que são muitos: TexMex, Tex Especial, Fat 50, 54, 57/52, Custom 69 mas eu nunca testei nenhum desses só os Noiselsess mas não gostei, tirou muito a característica strato . O timbre que eu gosto é: Estalado, Graves Profundos e Som encorpado de "Strato" Original e orgânica, nada de modernidade, gosto de sons clean e no máximo com Overdrive. referência John Mayer.

      Excluir
    2. Nesse próprio post está uma das minhas indicações, o Fullerton Rosar, que tem o timbre entre o Fender 54 e o 57/62. O Rosar CBS 64 aproxima-se muito do John
      Mayer e é assunto dos posts mais recentes.
      Graves profundos em strato é relativo :) É uma guitarra cuja estrutura tende para graves mais comportados. Basicamente, quem compra uma strato busca aquele som estalado e cristalino típico...

      Excluir
  15. oi Paulo , comprei a pouco tempo uma fender AM std 1997 , andei pesquisando e estou com uma duvida cruel , estou achando que o corpo dela não é original , pois não tem nenhum selo ,nada incrito a lápis ou algo do tipo. pode me dar alguma idéia de descubrir isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Original da minha 97 tem/tinha alguns adesivos e marcas escritas... Mas acho que a melhor dica é que nesse ano todas as Am. Std tinham cavidade piscinão e no tróculo o disco de metal (ou pelo menos a cavidade em forma de disco) para o "tilt adjust". Isso quer dizer que terás que pelo menos tirar o braço :)

      Excluir
  16. Fala Paulo, esse corpo WD tem acabamento em nitro ou PU? É belíssimo mesmo mas vi que esses corpos WD atualmente saem todos em PU.

    O maior problema é que custam hoje mais de U$ 350 em média(acabados) e enquanto que os KnE sem acabamento saem por pouco mais de U$100. Será que valeria a pena os KnE ?

    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu comprei,em 2009, não boatava muita fé na superioridade da nitro em relação ao PU. Embora essa guitarra tenha uma sonoridade perfeita para o meu gosto pessoal (é um timbre com mais ataque e corpo de médios e agudos discretos, bem longe do Mayer), posso te garantir que uma KNE peladinha com posterior acabamento de nitro aqui é uma opção SUPERIOR e bem mais clássica, Marçal :)

      Excluir
    2. Esclarecendo pra não confundir: "Superior", se preferes aquele som quase vítreo, cristalino porém denso do John Mayer. Como expliquei para o Oscar, eu cheguei na strato vindo de teles, então preciso sentir uma certa força e presença de médios, uma certa "indelicadeza" na resposta ao ataque da palheta. Nesse quesito, não abro mão desse corpo de PU :)
      Adoro aquele timbre que atualmente todos ligam ao John Mayer, só não acho que tenha muita utilidade dentro do que toco e estou acostumado...

      Excluir
    3. Paulo,

      No geral gosto tanto do som limpo quanto distorcido que uma boa strato pode entregar. Minhas principais referências quando penso em som de strato é:
      Knopfler, Gilmour, Frusciante, Clapton, a strato usada em Sweet Home Alabama (Lynyrd Skynyrd), Bachman Turner Overdrive, e alguns outros.

      Acho que entendi seu ponto de vista, você já tira todo o twang que gosta de suas teles, pode ter uma strato mais "bruta", penso eu. O que acho legal dos corpos acabados de WD, ,Wwarmoth, Allparts, é a garantia de peça com padrão/qualidade Fender.

      Excluir
    4. Sim, todos são muito bons, mas o da KNE me impressionou pela leveza e qualidade do alder.

      Excluir
  17. Fala Paulo,

    Para apreciação, segue vídeo de um trio de CS 54 onde gostei do som nas três posições, apesar do estilo de som e da tocada do guitarrista serem leves: http://www.youtube.com/watch?v=QtnZNA-oPtg

    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A captação é ambiente e reforça um pouco os médios, mas é bem esse o som dos 54: ataque rápido e estalado. O timbre - principalmente o ataque e o primeiro decay - fica com mais corpo mas não "gordo".
      O CS54 é bem mais fácil de posicionar numa mixagem, pois seu corte lembra o da telecaster. Nunca o testei num corpo de ash, mas isso deve acontecer em breve :)

      Excluir
  18. Acho que tem tudo para ficar bom, diferente do alder mas realmente legal. É possível que os médios do 54 ajudem o timbre gerado pela Ash. Talvez precise de algum cuidado com os agudos, mas logo você saberá ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ash é arriscado, mas tô comprando de uma excelente fonte nos EUA. Vamos ver... :)

      Excluir
  19. Desculpe a pergunta mas está comprando uma guitarra completa ou só o corpo de ash?

    ResponderExcluir
  20. Paulo, li no FGP que anos atrás você testou uma strato Eric Johnson. O Oscar testou e achou ela ótima. Os vários vídeos do Greg Koch com essa strato pela Wilwood também são ótimos. Conseguiu de alguma forma comparar o timbre dela com suas melhores stratos?

    Abs,

    Marçal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu toquei por alguns minutos numa loja. Não tinha nenhum amp igual aos meus no momento então testei-a num Peavey valvulado, por isso não dá pra comparar timbres. Mas no Peavey (Valveking) soou muito bem e equilibrada.
      O que deu pra avaliar foi a pegada e conforto da guitarra - excelentes. Tem um braço diferente do Fender tradicional mas muito agradável pra tocar.

      Excluir
  21. Paulo, tenho uma pergunta em relação as fender american standard. A maioria que acho a ponte são de 2 pivôs, porém um amigo meu que é técnico de guitarra me disse que esse tipo de ponte é um tanto arriscada já que concentra a tensão toda em apenas 2 pontos (várias guitarras racham nesse ponto). A ponte vintage distribui melhor essa tensão que poe chegar a 80kg. Então eu estava em busca de uma fender american standard com ponte vintage. Achei uma as não sei se é original e um amigo tem uma (mas não quer vender) e a ponte é do tipo vintage. O que você acha dessa ponte de 2 pivôs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até prefiro pontes de 2 pivôs (3 das minhas 4 principais stratos), Gabriel. Nunca vi (e nem ouvi falar) nenhuma guitarra "rachar" nesse local. Os pontos de maior tensão são as tarraxas e os parafusos de seguram as molas atrás (os dois extremos de fixação).
      Os pivôs e parafusos servem apenas pra manter a ponte estável e no local.

      Excluir
  22. Boa tarde, Paulo. O que você me diz das American Standard das décadas de 2000/2010? São melhores que da década de 1990?
    Obrigado.
    Élvio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num contexto geral, sim. Entre 1991 e início de 1998, a Fender andou cortando custos de uma forma que refletiu na qualidade das guitarras. Mas, como sempre, podes encontrar jóias da década de noventa e porcarias da de 2000. Sempre depende da guitarra em questão.

      Excluir
  23. Fala cara,
    Achei seu blog por acaso, li vários artigos, sei que é um tópico antigo, mas é o que fala sobre a guitarra que adquiri faz 6 meses, comprei uma Strato American Standard '97, sem nenhuma modificação, nota-se nela até alguma ferrugem e relic natural.
    Levei a um luthier e ele disse que a guitarra está muito boa, por isso fechei a compra pelo valor de 3,500 reais. Eu realmente sou apaixonado pela guitarra, amigo meu que tem fender mais nova e cara prefere a minha. Só que sinto que poderia melhorar ela, mesmo sendo contra tirar ela do estado original.
    Você poderia me dar dicas do que fazer?
    Como pude perceber quando levei ao Luthier, ela é do tipo piscinão, há algo que possa melhorar pela perda de timbre que essa cavidade concede? Blindagem ajuda em alguma coisa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pablin, obrigado pela visita! :-) Existem muitos artigos aqui no Blog de mods que vc pode fazer na sua Strato, desde captadores, Saddles, Bloco e tudo mais. Seria redundante eu re-esccrever tudo aqui pra vc sem sugerir que vc faça uma boa pesquisa antes aqui mesmo. Tentamos sempre ser claros e objetivos nos resultados e implicaçòes pra que vc possa tomar a decisão sobre o que quer modificar e o que esperar Ok? Boa sorte!! Abraço!

      Excluir
    2. Reforço o que o Oscar sugeriu, Pablin. Temos muitos posts sobre tunagens aqui.
      Quanto à essa guitarra específica, acredito que o ponto mais fraco sejam os captadores - nessa época eram apenas razoáveis. Além disso, dependendo do som dela, um bloco Manara cairia bem no lugar desse Fender.

      Excluir
  24. Olá Paulo,

    Linda guitarra! Estou interessado neste anúncio, fica próximo de minha cidade e consigo negociar pessoalmente, gostaria de sua opinião.

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-725265797-guitarra-fender-american-standard-1997-_JM

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme, tem que pesquisar no blog, por favor.
      Leia aqui:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2014/09/ao-comprar-uma-fender.html
      E principalmente aqui:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2014/05/faq-003-orientacoes-para-perguntas.html

      Excluir
    2. Eu não compraria essa guitarra por esse preço

      Excluir
  25. boa noite amigo tenho uma guita do mesmo modelo e ano que a sua. queria saber se o bloco dessa ponte é de aço????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o bloco é de aço, modelo moderno com um bisel (corte oblíquo) na ponta. É legal, mas troquei por um bloco Manara em 2013, que acrescentou definição e corpo ao timbre.

      Excluir
    2. muito obrigado . estava na duvida se trocava o bloco original por esse manara, agora sim vou trocar .rs

      Excluir
  26. opa!! Paulo primeiramente queria dizer que sou um admirador do blog...
    e queria saber si você poderia me manda alguns logos da fender por e-mail..
    jhonny_fernando85@hotmail.com
    desde já agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho logos da Fender, Jhonny. Os que eu comprei (na Crox Guitars) foram para reposição nas duas Teles que perderam os logos por causa de um luthier insensato.

      Excluir
  27. Tem um amigo de uma loja da mnha cidade vendendo um fender american special. ... normal valor de R$4000.00 nova ....esse preço está legal? E qual é exatamente a diferença dessa special para a standard???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denilson, o valor está bom. As diferenças são várias como captadores tipo de ponte etc, mas eh uma otima guitarra. Eu mesmo tenho uma!

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".