domingo, 18 de agosto de 2013

Guitarras SX - identificando as madeiras dos modelos

(obs: antes de fazer perguntas e ou postar comentários, leia aqui: CLIQUE)


Paulo May

         Já conversamos muito sobre as stratos (e teles) SX e o fato é que existe uma linha feita de Alder chinês (inferior em tudo ao americano, mas soa melhor que o basswood), uma de Alder americano e outra de Swamp Ash americano. Ao comprar as madeiras, a SX não conseguiu o Swamp ash de espessura correta, portanto a grande maioria das guitarras do swamp ash tem espessura de no máximo 41,5 mm, ao contrário dos standard 44,5 mm.

Os braços (exceto a SST62, com escala de rosewood) são de "maple one piece"/escala e braço de uma peça apenas (ideal): padrão dos anos 50/60 da Fender, com ajuste do tensor na parte final do braço (região do tróculo). Ponto positivo pela fidelidade vintage, mas o que não sei é se é maple canadense (ou do norte dos EUA). Provavelmente não, já que eles adoram citar "Canadian Maple" quando de fato é. Maple chinês é a minha aposta.

Obviamente eles estão especificando "American Alder" e "American Swamp Ash", mas seguem as fotos e nomes para uma melhor identificação:

1) Linha Vintage Series: as famosas "SST57 e 62", que são de Alder chinês. As cores variam bastante, mas basicamente encontramo-las no Brasil nas cores preta, creme e sunburst.

Eu tive duas dessas, uma na cor "Antique Sunburst", muito boa, ótima pra tunar, mas atualmente está desmontada. Foi postada aqui (clique). A outra, uma creme que depois pintei de preto (clique), tem uma peça central que não é alder chinês (só descobri, é claro, depois de retirar a tinta) e soa inferior à sunburst.
Também foi desativada... :)


2) Linha American Alder:
Alder americano (até prova em contrário :) ). Eu tenho uma Telecaster dessas (STL/Alder/3TS - clique para o link) e posso garantir que soa e parece realmente com Alder americano. Muito boa depois de tunada, por sinal.



3) Linha American Swamp Ash:
A minha, uma SST/ASH/R também já foi postada aqui (clique para o link). Todas as que eu vi tinham espessura menor que 42 mm. Mas é Swamp Ash americano, 95% de certeza. Se for chinês, PQP - é igual!!


Concluindo, depois de ter pelo menos um modelo de cada tipo, posso afirmar que as de alder e ash realmente soam como alder e ash e são guitarras que valem a pena um investimento em tunagem.
Lembro que as de ash têm corpo mais fino - atenção para as pontes de strato - o bloco pode ficar de fora. OBS: o Carlos Manara faz blocos de aço que cabem certinho nessas :)

Ultimamente tenho experimentado bastante com as madeiras brasileiras Marupá e Freijó e posso dizer que o alder chinês soa semelhante ao marupá, com menos ataque de médios e graves um pentelho mais definidos.

Mas definitivamente o Alder (e o Ash) é superior quando o assunto é guitarra tipo Fender...

PS1: A empresa/importadora brasileira HABRO é a revendedora das guitarras "Shelter" e "SX". As SX são produzidas na china pela empresa TEAM INTERNATIONAL MUSIC CO. Provavelmente é também a fábrica que produz as "Shelter". Como já expliquei aqui, a coisa funciona assim: uma importadora cria um nome qualquer (Shelter, Michael, Memphis, a criatividade não tem fim) e em seguida especifica cores, modelos, headstock, etc.) de guitarras nessas fábricas chinesas.
As guitarras vêm da china, acredito que desmontadas, sob o pretexto de "insumo" e aqui são milagrosamente "fabricadas" da noite para o dia, em um galpão qualquer...

PS2: Hoje (29/12/2014), um leitor do blog chamou a atenção para discrepâncias em relação aos dados das guitarras SX nos diversos sites: nacional e internacional. Num deles - e isso apenas na linha "Vintage" - a madeira do corpo é "basswood" mas nos outros dois, "alder".
Acho justo que finalmente a SX tenha parado de chamar de alder à madeira do corpo da linha Vintage (SST 57 e 62). Eles já têm uma linha de alder e ash originais.
Porém o mais importante - e essa informação encontra-se de forma direta e subliminar ao longo de todo o blog - é sempre considerar que não existem garantias nas guitarras chinesas mais baratas. Sempre há um risco e devemos estar cientes disso. Aproveitem as informações do blog e avaliem bem a guitarra antes de comprar.

Obs: O comentário do leitor "myself", com os links, pode ser localizado pela data - 28/12/2014.



58 comentários:

  1. Eu tenho uma dessas strato de swamp ash, duas peças. O braço, mais magro, é muito confortável. Coloquei captadores de alnico (Malagoli Blues) e troquei a ponte por uma vintage Fender (esteticamente me agrada mais) e instalei um bloco de aço Manara. Olha, é uma tunagem básica, mas posso dizer que terá um guitarra honestíssima, com sonoridade de strato mesmo. Ao meu ver, um custo-benefício excelente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Júlio! A SX é talvez a melhor baixo custo pra tunar em material de Strato/Tele! Sempre ficam honestas!

      Excluir
    2. Júlio,
      A troca dos captadores e do bloco é um upgrade essencial e transforma uma guitarra com potencial de ser boa numa realmente boa. E se bobear, ótima! :)

      Excluir
  2. Isso mesmo Paulo, concordo 100% com suas observações. Com relação a diferença de sonoridade na comparação com as Fenders, uma coisa que talvez possa contribuir é que pelo menos as SX 62 que eu examinei tinha a peça de rosewood da escala com espessura bem maior que as utilizadas nas Fenders. Veja essa foto que eu tirei, comparando SST62 x Fender Ams:

    http://2.bp.blogspot.com/-tCQ8EbFfQ6k/UJ0lbi7WqgI/AAAAAAAAAJ8/BilVJYldmjU/s320/Comparacao_SX_Fender_AMS.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo contribui pra soarem diferentes desde a qualidade das ferragens até leves diferenças na construção como essa que vc apontou. Acredito nesse caso que a expessura da escala pode ter sido uma forma da SX dar um pouco mais de resistência mecânica pro braço, diminuendo a chance de empenamentos mais severos e torções. Só uma hipótese.

      Excluir
    2. Pode ser mesmo, Mad. Eu já testei umas duas SST62 em lojas e também achei a escala bem grossa. Uma delas tinha um braço mal acabado e com vários trastes desnivelados. Mas os braços - e principalmente os trastes - das SX com certeza nunca foram o forte delas :)

      Excluir
  3. Grande Paulo! Excelente como sempre!
    Por acaso você já teve oportunidade de testar alguma SX do modelo antigo, a FST62 (com headstock igual ao Fender)?
    Ouvi dizerem que a construção delas era melhor do que as atuais, gostaria de saber se é verdade e se as madeiras são as mesmas.
    Eu mesmo já tive 3 SX antigas: uma SX Sky (que imitava a guitarra do SRV), uma tele, e atualmente tenho uma FST62 sunburst devidamente turbinada (troquei ponte/bloco, tarraxas, captadores). Estou bastante satisfeito com ela, além de achar bastante confortável de se tocar.
    Grande abraço, e parabéns pelo blog sempre elucidativo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então tb tenho interesse em saber, tenho 2 sx fst62 aqui e queria saber mais sobre elas...

      Excluir
    2. Antonio,
      A primeira vez que ouvi falar de uma SX foi na finada Cover Guitar, onde num teste entre várias guitarras "baratas" vendidas no Brasil, ela foi considerada a melhor. E naquela época deveria ser a versão com alder chinês - o headstock ainda era "Fender".

      Me parece que era melhor sim - o cara que testou sugeriu que a diferença entre ela e uma Fender era muito pequena e não encontrou falhas na guitarra.

      Excluir
  4. Paulo, aproveitando este post e abusando da sua paciência... Quero comprar uma tele e como você tem uma SX de American Alder, gostaria de sua opinião: SX american alder ou Vintage V52/62? Quais das duas eu encontrarei um som mais característico de tele? Valeu!

    ResponderExcluir
  5. Paulo, tudo bem? 2 perguntas:
    1) A SX tem alguma relação com a Shelter? pois meu amigo tem uma Shelter muito parecida que essa linha SX que fala muito.
    2) Pela sua experiência, entre uma Strato Vintage V6 original e uma SX de Alder, melhorada com bons captador, qual seria mais jogo?
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) - Coloquei um "PS" no final do post.
      2) - Vintage V6 - já vem tunada :)

      Excluir
  6. Boa noite Paulo. Aproveitando um trecho em que disse que esta experimentando madeiras brasileiras, queria lhe perguntar - ate por curiosidade. Pesquisei a respeito e ouvi diversas opinioes, mas tudo teorico. Nao sei se ja construiu algo, ou esta para nos presentear em breve com alguma postagem relacionada. Vi os corpos de tele do Adriano e queria me engajar num projeto - ate aproveitando seu conhecimento compartilhado por aqui - com um corpo de freijo. Saberia me dizer melhor sobre a sonoridade dessa madeira ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu montei recentemente uma telecaster de freijó. Ficou linda, talvez com o melhor relic que fiz até hoje. Entretanto, não gostei da sonoridade final. Não que tenha ficado ruim, achei até interessante, mas pessoalmente gosto de teles quase magras e bem estaladas. O freijó deu muita projeção de médios graves e faltava um pouco de brilho nos agudos mais altos. Os médio graves soaram parecidos com o marupá, mas bem distantes dos gerados pelo alder.
      Dois dias após finalizá-la, um guitarrista amigo meu, o Guto, veio aqui em casa, tocou e gostou muito dela. Acabou levando pra casa... :)
      Preciso ainda perguntar pra ele se de fato a guitarra o satisfez. Qdo tiver essa informação, talvez faça um post.
      Em suma, já havia tocado em duas stratos de Freijó e tive a mesma sensação em todas. Até o momento, a minha conclusão é que não gosto do som do freijó... :)

      Excluir
  7. Paulo, descobri o blog há pouco tempo e fiquei fascinado com a quantidade e qualidade do conteúdo que vocês geram, estão de parabéns!

    Aproveitando, veja se consegue me ajudar. Há anos sou apaixonado pela Ibanez JPM100 1(John Petrucci) e agora decidi comprar uma. No entanto, tem sido extremamente difícil encontrar esta série em específico (série 1), tanto no Brasil quanto nos EUA e Europa. Tem alguma loja que vocês conheçam que talvez tenha este modelo?

    Outra coisa, encontrei uma empresa que produz réplicas de fabricação chinesa desta guitarra. Visualmente é igual, mas não usam os mesmos captadores (trocaram os DiMarzio Air Norton e Steve's Special por Wilkinson) e trocaram a ponte Ibanez Lo Pro por uma Floyd-Rose genérica, mas dizem usar as mesmas madeiras e o processo de fabricação ser manual. Você já teve alguma experiência com réplicas como esta? Qual sua opinião?!

    Obrigado, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Hugo :)
      Cara, infelizmente não posso te ajudar nessa questão. Eu fujo de Ibanez que nem o diabo foge da cruz! :)
      O Oscar conhece um pouco mais sobre elas e talvez possa te ajudar.

      Excluir
    2. Hugo, se você conseguir uma JPM 100 agarre-a com unhas e dentes!! rsrs Essas guitarras tornaram-se colecionáveis pela arte e é muito difícil encontrar. Eu mesmo já fui (e ainda sou) muito fã desse modelo! Acho mais bonito que as atuais Music Man!

      Quanto as réplicas, eu não iria não. Uma das grandes qualidades das Ibanez TOP de linha é construção acabamento e tocabilidade. A Réplica com certeza nçao tem isso na qualidade da JPM japonesa!
      Boa sorte na busca!

      Excluir
  8. amigos Paulo e Oscar, mais uma vez agradeço pelo seus conhecimentos

    Paulo você conhece a guitarra Fender Strat HM ?

    http://imagehosting.guitarristas.info/361844b28a3186f66e.jpg

    pode me dizer de suas prós e contras ?

    muito obrigado !

    - Hermes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, em 1988/1989 a Fender (FMI) introduziu essa guitarra, com corpo (mais fino e bordas mais agudas que o padrão) de basswood, 24 trastes e ponte estilo Floyd Rose. Ou seja, uma tentativa de competir no mercado com as guitarras tipo Ibanez. "HM": "Heavy Metal" :)
      Obviamente não é o tipo de guitarra que me atrai :)

      Excluir
  9. esqueci de indicar-lhes este livro sobre a black strat do David Gilmour

    achei bem legal
    http://avaxhome.ws/ebooks/music/news_igor_3379.html

    abrç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho mas já conhecia. Com certeza adoraria lê-lo! :)

      Excluir
  10. Paulo, sou fã incondicional do seu blog, do qual sorvo as preciosas dicas sempre que há um novo post. Por causa dele mandei fazer uma telecaster e agora pretendo iniciar um projeto de uma strato, porém estou com uma dúvida que não consigo sanar e talvez tu sejas a pessoa indicada: a Fender já usou madeiras como o "walnut" e o "rosewood" para corpos e braços de guitarra (como a famosa tele de George Harrison). Os críticos afirmam que essas madeiras, apesar de terem um visual magnífico, são demasiadamente pesadas e não acrescentam muito em termos de sonoridade. Sempre pensei em tentar fazer uma strato de imbuia, pois é visualmente similar ao "walnut" , sempre com belos veios. Tu saberias dizer, além da questão do peso, se um corpo de imbuia teria uma sonoridade muito aquém do mogno ou do cedro, por exemplo? É claro que não teria o som característico de strato, porém tu sabes se alguém já fez essa experiência? Um abraço e parabéns pela inspiração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, coelho.
      Nunca tive ou toquei uma guitarra com corpo de imbuia. Já tive uma de cedro com tampo de 5 mm de imbuia. Nessa, a imbuia não influenciou em nada a sonoridade. Do que já li de alguns luthiers, é que a imbuia tem timbre um pouco "fechado" e é relativamente pesada para corpos.
      Portanto, acredito que não seja uma madeira indicada para corpos de strato ou tele se desejas uma sonoridade clássica.

      Excluir
  11. Mestre Paulo!
    Eu sei que fica um pouco fora do assunto desse post, mas gostaria da tua opinião sobre a Strato Squier Hot Rails:
    http://www.fender.com/en-BR/squier/series/deluxe/deluxe-hot-rails-strat-rosewood-fingerboard-black/

    Eu dei uma olhada nela na loja esses dias e parece ter um bom acabamento. Cheguei a testar mas não consegui colocar muito volume na hora.
    Em todos os sites que li, eles falam que é uma guitarra para metal, mas com uns captadores single coil não pode ficar interessante? Pensei em deixar o hot rails na ponte, de repente.

    Abraços e obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O corpo é de basswood - meio fechado e sem estalo e brilho clássicos. É uma guitarra que só serve pra coisas pesadas mesmo, Andherson. Nesse caso, é melhor manter os Hot Rails.

      Excluir
  12. Paulo, tudo bem?
    Entre uma Strato Tagima 635 e uma SX SST57 ou 62, em questão de contrução, madeira, montagem e padrão dimensional braçoXcorpo, qual é melhor? Ou a diferença é mínima no timbre final?
    Sei que essas SX são Alder chinês, mas será que essas Tagimas 635 de Marupa/marfim chegam perto? O que você acha? Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe, uma Tagima 635 de marupá e marfim pode até soar melhor que muita SX SST. Essas 635 têm menos variações porque a fonte das madeiras é constante e estável. A sonoridade da combinação marupá/marfim é um pouco diferente da tradicional - tem alguns graves e médio-graves meio soltos e às vezes falta clareza, mas é uma boa opção.

      Excluir
  13. Paulo, boa tarde!

    Venho com mais uma pergunta:

    Tenho a oportunidade de comprar uma Telecaster SX Vintage Series por R$ 450,00 (com bag). Na sua visão, parece um bom negócio?

    Desde já agradeço!!

    PS: acesso diariamente o blog, ansioso pelos excelentes textos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As SX Vintage Series normalmente custam entre 400 e 550 novas, Renato. Algumas são bem legais e outras têm problemas, ppte de trastes. No geral, vale a pena, sim - na teoria devem soar melhor do que uma Squier de basswood ou pinus. Sempre temos que considerar os custos dos upgrades, mas essa tele já deve soar legal apenas com a troca do captador da ponte.

      Excluir
  14. oi paulo acabo de pegar uma sx vintage series e estou impressionado pela qualidade e pretendo gravar com ela sera q esses captadores sao bao pra gravacao ou sao melhor trocar?
    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, sempre pesquise antes de perguntar:
      http://guitarra99.blogspot.com.br/2013/08/tunando-uma-guitarra-sx-guia-definitivo.html

      Excluir
  15. Respostas
    1. George, vc quer um bloco pra Telecaster? Não entendi.
      Os Area T são Noiseless, se sua preocupação é ruído são uma boa pedida. O Vintage Hot do Sergio Rosar é um dos nossos preferidos falando de single tradicional.
      O Carlos faz blocos pra Stratos SX com certeza.

      Excluir
  16. Paulo,

    eu encontrei uma SX ainda das series mais antigas do que estas novas que você relata. Ela é daquelas com headstock padrao Fender / Gibson que foram "processadas". A série é TRADITIONAL SERIES, e eu gostaria que você me ajudasse a identificar se tem madeira boa.

    Eis algumas fotos que fiz da dita cuja: http://www.flickr.com/photos/rodrigobreck/sets/72157638119974113/

    O dono não entende muito, e procurou um luthier qualquer pra fazer um upgrade. Nas fotos dá pra notar algumas detalhes que você relata nos posts sobre SX:

    - O corpo foi furado para o string thru, provavelmente com furadeira manual dado o desalinhamento dos furos. Deve ter tricado o verniz também, pela gambiarra que ficou a pintura na parte de tras.

    - A ponte que foi colocada (Wilkson) é menor que a original e a furação diferente. Dá pra notar os furos originais ainda abertos e descobertos.

    - As tarrachas (Gotoh) também não obedeceram a furação original.

    - A escala parece ter sido lixada também.

    - Tem captadores Seymour Duncan. Não sei ainda quais são.

    - Tirei uma foto sem o escudo pra mostrar a furação e um pouco da cor original.

    Eu particularmente acabei gostando do visual. Ficou nojento, mas ficou legal. Acabou sendo um Relic bem espontaneo.

    O que você poderia acrescentar pra me ajudar? Eu toquei e gostei do som, apesar de não ter gostado da regulagem e da altura das cordas. O que você sabe sobre essas TRADITIONAL SERIES? Quero fazer uma proposta de compra para o dono e seguir com a customizacao.

    Grande abraço e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo, podes seguir a regra do post - essa guitarra é de alder chinês e na época tinha uma ponte "moderna" que tem furação diferente. A ponte atual é uma boa Wilkinson, o captador da ponte é o "Little 59" da Seymour. Tarraxas Gotoh... Tá bem tunada e o relic natural tá bonito, mas tem a gambiarra dos furos e o headstock precisa de pequenos ajustes pra ficar bem "Fender".
      É alder chinês, que não é ruim, mas não soa tão aberto e equilibrado quanto um bom alder americano, mas se gostasses do som dela e o preço for legal, beleza.:)
      Só de captadores, ponte (supondo que o do braço seja SD tbém) e tarraxas, tem uns 500-700 reais aí...

      Excluir
    2. Realmente ela soa um pouco mais fechadinha do que eu adoraria. Tens toda razao: como pude nao identificar o little 59 logo de cara? Me faltou memoria nessa. Segundo o dono, o pickup do braço tambem é SD. Tens alguma dica pra gente "abrir" e equilibrar um pouco mais o timbre dela? Sinto bons graves, mas falta um pouquinho de médio/agudo. Tem como compensar melhor essa madeira? Outra combinação de pickups? Pedais? Equalizador? Compressor? Outro hardware?

      Obrigadao pela ajuda.

      Excluir
    3. O little 59 (que seria legal pra coisas mais pesadas e não tem ruído) tá dando um som BEM diferente do clássico single de Tele, Rodrigo. Um single bom, tipo o Rosar V-Hot T, vai abrir e deixar o som da ponte como deveria ser, "enxuto", com médios que cortam tudo na mix. Outro detalhe legal é trocar os pots para 500k. Na minha opinião a Tele clássica é a única guitarra com singles que fica melhor com pots de 500k. Um capacitor à óleo de .047uF fecha a conta. :)

      Mas o legal mesmo seria tentares achar uma Tele SX de alder americano. A que eu consegui (tá postada aqui no blog) tem um timbre excelente.

      Excluir
    4. ... Se bem que quando o cara colocou o L59, já deve ter mudado os pots para 500 - só abrindo e checando pra saber...

      Excluir
    5. Acho que vou fazer isso mesmo, Paulo: Vou atrás de uma de alder americano pra "começar certo"! E fazer os upgrades eu mesmo, pra jornada e o resultado serem mais próximos do que eu desejo.

      Postarei novidades! Abraço!

      Excluir
  17. Paulo, Eu tenho uma Squier Deluxe que estou com problemas na hora dos bends( embora já tenha feito várias regulagens na altura das cordas sem sucesso). Além disso a corda Mizinha pula para fora do braço algumas vezes. Minha guitarra anterior é uma wasburn lyon e acho que o problema de adaptação está aí - o braço dela tem raio de 12''. Estou em dúvida entre uma SX ou uma Condor GX50, mas não encontrei uma para testar pessoalmente antes de comprar. Sabe alguma coisa sobre o braço dessas duas ou ainda, qual no seu ponto de vista é mais interessante para upgrades. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema na Squier parece facilmente solucionável por um luthier. 90% das SX tem escala com raio de 12 ou mais.
      As SX geralmente precisam de uma geral nos trastes pra soarem legal. A Condor é um pouco mais cuidadosa mas não há garantias.
      Além disso, comprar sem testar é um risco, como bem sabes :)

      Excluir
  18. Paulo e Oscar, bom dia.
    Primeiramente parabéns pelo blog, as matérias são simples, honestas e de grande colaboração.
    Tenho uma Strato Ash/R original e estou querendo dar uma turbinada. Meu guitarrista preferido é o Sir. David Gilmour, mas de longe consigo tirar o mesmo som dele. Pretendo colocar um bloco de aço, blindar a parte interna com folhas de cobre, trocar tarraxas e captadores, e queria pedir uma opinião exatamente sobre os caps. Se não me engano a malagoli tem um set de captadores que simulam os usados na black strato, vocês indicam alguma marca e configuração ? Estou pensando também em instalar aquela "chavinha" pra aumentar as combinações entre os captadores, gostaria de pedir a sua opinião.
    Desde já agradeço pela atenção, Edson Biserra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Edson,
      Não conheço o set da Malagoli, mas o próprio Gilmour usa na BlackStrat os caps da Seymour Duncan SSL-1 no meio e braço com o SSL-5 na ponte. Eu tenho esse set na minha Castelli Strat agora e é realmente muito bom, versátil do Rock ao Blues. O upgrade do Bloco e dos saddles (por de aço) vai ajudar bastante no som, uma vez que os SX originais são de zinco. A chavinha é uma questão de opção, é uma mod barata que te daria algumas opções a mais de timbre, mas o próprio Gilmour já afirmou que nunca a utilizou de fato. :-)

      Excluir
    2. Oscar,
      Que captadores similares aos do Gilmour você indicaria ?

      Excluir
    3. Edson, Se você não quiser os Seymour Duncan SSL-1 e SSL-5 que ele usa como disse, pode optar pelos Sérgio rosar Blues no meio e braço com um Rock Surf 43 na ponte. Terão um custo menor e darão um timbre mais ou menos na mesma praia, com um som de Strato clássico no braço e meio e um pouco mais forte na ponte com o RockSurf. Já tive ambos em guitarras minhas e funcionam muito bem tanto no limpo (sua guitarra não vai soar magra nem aguda) quanto no drive como o Gilmour usa.

      Excluir
    4. Oscar, mais uma vez obrigado pelas dicas. Parabéns pelo trabalho, abraço !

      Excluir
    5. Oscar.
      Basicamente estou pensando em duas opções para minha guita: colocar tex mex fender, blindar com folha de cobre, colocar um bloco de aço OU colocar captadores nacionais com som mais "gordo" como você sugeriu OU quem sabe instalar uma ponte wilkinson. Você sabe se essa ponte tem o bloco de aço ? Qual a sua opinião ?

      Excluir
    6. Edson, algumas pontes da Wilkison tem bloco de aço, mas depende do modelo. De uma pesquisada aqui no Blog que o Paulo fez um post exatamente sobre sobre isso. Tanto a ponte quanto os caps na minha opinião sao upgrades que melhorariam muito a guitarra. Já te respondi o que eu acho sobre os caps, o resto agora é com vc. :-)

      Excluir
  19. Amigos, saudações!
    Em primeiro lugar, peço desculpas por ressuscitar o post magnífico!
    Pessoal, minha dúvida para vocês é a seguinte: qual seria o mais indicado para montar uma strato relic com intenção de soar blues/rock: uma SX Alder ou Ash, ou montar um projeto com um corpo de Freijó ou Marupá feito pelo Ricardo, mais um braço de Maple All Parts? A intenção é obter um timbre bem clássico, na esteira de Hendrix, Clapton, SRV...
    Desde já, agradeço a atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma strato verdadeiramente clássica tem corpo de alder ou ash, João. Mas cada guitarra soa de um jeito. Se tivesse que optar, eu tentaria primeiro uma SX de Alder ("American Alder" e não linha de alder chinês). O problema é achar uma dessas por aqui.

      Excluir
  20. Bom dia amigos!
    Toco violão a poucos meses e o meu foco sempre foi tocar guitarra. Me apaixonei pelo som estalado das telecasters e ontem passando por uma loja de instrumentos perguntei quais modelos eles tinham, vi guitarras novas de todos os tipos e nenhuma cabia no meu bolso, mas quando olhei no cantinho bem escondida no meio de uns violões vi uma tele sx branca com o escudo preto, a ponte estava um pouco enferrujada, alguns riscos, o braço em perfeito estado e com um som que me agradou muito, perguntei o modelo dela e o vendedor não soube me especificar, ele só me disse que era um modelo antigo e ele queria R$600,00 nela, não resisti chorei um monte pro vendedor até que ele abaixou pra R$490,00 eu realmente não estava procurando algo de marca ou algo bonito, mas sim que me agradasse e acabei comprando. Ela tem uma grande semelhança com o primeiro modelo do post a Stl50+ e a parte de trás do braço tem uma linha preta que percorre do corpo até próximo a metade do braço. Vocês poderiam me dar algumas dicas de como descobrir o modelo certo dela? Vocês têm algum tópico que fale sobre captadores, pintura, tarraxas e tudo o que eu preciso pra dar um trato como ela merece? E compensa mais eu trocar a ponte dela por uma nova ou deixar a original e utilizar algum produto para tirar toda a ferrugem?
    Parabéns pelo trabalho maravilhoso deste blog, me desculpem pela inexperiência e por ressuscitar este grande tópico. Grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristian, o blogo todo está recheado de posts sobre Teles que o Paulo montou, modificou, pintou, captadores, pontes e tudo mais que vc precisa saber pra dar um bom up na sua guitarra. Sugiro que vc de uma boa lida geral! :-) Abraço e boa sorte!

      Excluir
  21. Paulo,

    Neste final de ano, após fazer algumas pesquisas pensando em comprar um baixo, fiz algumas pesquisas na internet e, pelo que vi, acho que passamos por uma transição no sentido da mudança da madeira utilizada no corpo de alguns modelos de instrumentos da SX.

    O que me levou a essa desconfiança é a divergência de informação do mesmo modelo de instrumento (código de produto) divulgada nos sites dessa marca.

    Para que se verifique o que eu disse, seguem links para as guitarras que me parecem mais populares aqui, a SST 57 e a SST 62, da distribuidora da SX no Brasil e de sites internacionais, sendo ao menos um deles do fabricante dos instrumentos.

    Acho que essa informação, se você concordar com ela, é bastante relevante para este blog, já que a madeira do corpo da guitarra pode determinar a escolha de alguns (ou muitos) leitores. Dependendo do grau de relevância, um comentário de leitor desconhecido como este vos fala pode não ter o destaque apropriado à notícia, de modo que, se for o caso, pode ser melhor que você divulgue esta informação, com sua própria opinião a respeito, num adendo a este post ou num post específico.

    Abraços



    Guitarra modelo SST57:

    Site nacional: http://habro.com.br/sx/prod_det.asp?str_ID=573

    Site internacional 1: http://sx-guitar.com/index.php/Products/detail/pid/26/id/121

    Site internacional 2: http://www.teamintlco.com/sx/ProductsShow.asp?ProductType_ID=2&ProductSubType_ID=83&ProductSub2Type_ID=0&Product_ID=126


    Guitarra modelo SST62:

    Site nacional: http://habro.com.br/sx/prod_det.asp?str_ID=574

    Site internacional 1: http://sx-guitar.com/index.php/Products/detail/pid/26/id/126

    Site internacional 2: http://www.teamintlco.com/sx/ProductsShow.asp?ProductType_ID=2&ProductSubType_ID=83&ProductSub2Type_ID=0&Product_ID=125

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Myself, já coloquei um adendo no final do post. Obrigado!

      Excluir

Antes de perguntar, faça uma pesquisa no campo "Pesquisar nesse blog".